quarta-feira, 09 de março de 2016

Barcelona bairro a bairro: 1º dia | Bairro Gótico, La Ribera e El Born

La Ribera Arquitetura

A capital da Catalunha talvez seja a cidade espanhola com mais atrativos por metro quadrado. Vibrante, colorida e com bairros demarcados com uma identidade muito própria, Barcelona circula com harmonia do medieval ao modernismo, das callejuelas às avenidas contemporâneas.

Antonio Gaudí, o arquiteto que revolucionou a arquitetura da cidade, dá o tom. O povo catalão ensina a melodia. Mas é você quem organiza o ritmo. Elaborei um roteiro de quatro dias bairro a bairro. Mas como o post virou quase um livro resolvi dividi-lo em quatro artigos recheados de informações, fotos e mapas.

La Ribera Ruas de Barcelona

Nesse esquema você escolhe uma região da cidade para passear (uma manhã, uma tarde ou o dia inteiro) e desenvolve o passeio a seu bel-prazer. Com quatro dias em Barcelona você consegue ver o básico e ainda assim precisa se organizar muito para não deixar nada importante para trás ou transformar sua viagem numa frenética maratona.

Bairro Gotico Museus

A ordem dos dias pode ser invertida. Aqui, eu começo pelo Bairro Gótico e entro no La Ribera e El Born. Mas você pode dar o pontapé no seu roteiro estreando no modernista Eixample, por exemplo. Fica a seu critério.

1º DIA – MANHÃ | BAIRRO GÓTICO

O Bairro Gótico é considerado o conjunto medieval de Barcelona. Está dentro da Ciutat Vella (Cidade Velha), o núcleo histórico da cidade. A região foi fundada pelos romanos e acumula dois mil anos de uma narrativa espetacular.

São mais de 500 construções tombadas. O distrito tem uma trama urbana anárquica com vielas estreitas e irregulares. Apesar da descaracterização de algumas áreas do bairro, é aqui que a Barcelona antiga erguida sobre a colônia romana de Barcino ganha forma.

Igrejas centenárias e diversos museus convivem com um comércio pulsante entremeado por ruas exclusivas para pedestres.

O QUE VISITAR

– Catedral de Barcelona

A catedral pode ser seu ponto de partida. É uma igreja gótica (não confundir com a Sagrada Família de Gaudí) que começou a ser construída no século 12 e ficou pronta 800 anos depois. Tem fachada com 70 metros de altura e no interior exibe uma belíssima nave de 26 metros de altura rodeada por 25 capelas e um magnífico claustro.

Bairro Gotico Catedral

Na cripta da Catedral de Barcelona descansam os restos mortais de Santa Eulália, padroeira da cidade. Os horários de visitação variam bastante. Veja aqui os horários atualizados. Mas na parte da manhã e depois das 17h a entrada é grátis. Normalmente entre 13h e 17h é cobrado um donativo de € 7. Metrô Jaume 1 (linha 4).

Bairro Gotico catedral interior

– Barcino

A dois minutos caminhando da catedral, na Plaça Nova, está a famosa obra do artista barcelonês Joan Brossa: um conjunto de letras (seis de bronze e uma de alumínio) formando a palavra Barcino, nome original da colônia romana que deu origem à capital da Catalunha.

O local está abraçado pela antiga muralha que circundou a cidade até o século 19. Metrô Jaume I (linha 4)

– Casa de L’Ardiaca

A muralha romana encostada na Plaça Nova guarda um segredinho:  a entrada da Casa de l’Ardiaca cheia de resquícios arqueológicos. Trata-se de um palácio gótico do século 15 com fachada renascentista. Fica ao lado da catedral, coisa de 50 metros, indo pela Carrer de Santa Llucia.

Em 1895, o Colegio de Advogados ocupou o prédio e encomendou ao arquiteto modernista Lluís Domènech i Montaner uma curiosa caixa de correios. A obra ficou cheia de simbolismos: três andorinhas que garantem a liberdade e a justiça e uma tartaruga representando os atrasos da burocracia. O prédio abriga restos originais da muralha romana de Barcelona.

Bairro Gotico Musicos

Hoje, a casa é sede do Arquivo Histórico Municipal. Abre de 1º de setembro a 30 de junho, segunda a sexta, 9h às 20h45 e sábado, 9h às 13h. De 1º de julho a 31 de agosto, de segunda a sexta, 9h às 19h30. Entrada gratuita. Metrô Jaume I (linha 4).

– MUHBA Templo de Augusto

Saindo da Casa de L’Ardiaca pegue a Carrer del Bisbe (falarei desta rua um pouco mais abaixo). A três minutos caminhando da catedral você chega ao que sobrou do Templo de Augusto. Dentro de uma casa na rua Paradís, nº 10 — num pequeno pátio medieval — quatro colunas de nove metros de altura testemunham há dois mil anos a origem gloriosa de Barcelona.

O templo foi instalado no ponto mais alto da antiga Barcino, chamado de Monte Táber. Visitação às segundas, 10h às 14h, terça a sábado, 10h às 19h e domingo, 10h às 20h. Entrada gratuita.  Metrô Jaume I (linha 4).

– MUHBA Plaça del Rei 

Sempre que você encontrar a sigla MUHBA (Museu d’Historia de Barcelona) significa que você está diante de uma das sedes desta rede de museus com diversas unidades na cidade. Assim como o Templo de Augusto, todas estão instaladas em construções representativas que ajudam a conservar a memória e o patrimônio histórico de Barcelona.

Bairro Gotico MUBHA

O MUHBA Plaça del Rei está sobre 4 mil metros quadrados de restos arqueológicos, boa parte situada debaixo da praça. Toda a coleção do museu é resultado de escavações arqueológicas e conserva peças como cerâmica, vidro, ferro, mármore, entre outras. Essencial para quem quer entender a fundação da cidade. Visitação de terça a sábado, 10h às 19h e domingo, 10h às 20h. Feriados, 10h às 14h. Entrada € 7. Menores de 16 anos não pagam. Metrô Jaume I (linha 4).

– Carrer del Bisbe

Foi a principal rua da cidade no período romano. A Carrer del Bisbe (rua do bispo em português) hoje é uma estreita ruela de pedestres. Une a Plaça Sant Jaume (onde está o edifício de Ayuntamiento (prefeitura) com a Plaça Nova.

Bairro Gotico Carrer del Bisbe

Um dos elementos mais fotografados do bairro fica aqui: a Pont del Bisbe (ponte do bispo) que une dois edifícios históricos, a Generalitá e a Casa dels Canonges , formando uma belíssima ponte em formato de arco.

O detalhe é que a famosa passarela não remonta ao período medieval, mas foi acrescentada à arquitetura do bairro na década de 20, durante a revitalização da área.

– Plaça de Sant Felipe Neri

A 100 metros da Carrer del Bisbe, indo pela Carrer del Montjuic del Bisbe, você chega a essa lendária e desconhecida praça. O local é meio escondidinho mesmo. Abriga uma igreja barroca de mesmo nome. Apesar da imensa movimentação do Bairro Gótico, a Plaça de Sant Felipe Neri tem ambiente bucólico e, por vezes, silencioso.

O perturbador aqui é que as paredes dos edifícios e a fachada da igreja trazem as marcas do bombardeio de janeiro de 1938. Uma placa não nos deixa esquecer a data em que aviões fascistas acabaram com a vida de 42 pessoas que se escondiam no refúgio antiáreo debaixo da igreja. A praça é uma das portas de entrada para o El Call, antigo bairro judeu de Barcelona.

Bairro Gotico Ruas

– El Call

O antigo bairro judeu de Barcelona (El Call) abrigou entre os séculos 11 e 14 um grande núcleo cultural catalão. Era o lugar onde médicos, filósofos e matemáticos compartilhavam seus conhecimentos. Do período medieval se conserva o traçado das ruas e uma grande documentação histórica.

Em março de 2015 foi inaugurado aqui o MUHBA El Call. O museu está instalado em uma casa histórica e conta a trajetória dos judeus na cidade e mostra todo o legado deixado por eles. O museu pode ser visitado às segundas, quartas e sextas, 11h às 14h. Sábados e domingos, 11h às 19h. Entrada € 2,20. Placeta de Manuel Ribé, s/n. Metrô Liceu (Linha 3) e Jaume 1 (linha 4)

– Carrer Petritxol

A 400 metros da Carrer del Bisbe (não dá para falar em quarteirões porque a coisa aqui é meio confusa) está a Carrer Petritxol, uma das mais emblemáticas da região.  Fica entre a Plaza del Pi  (onde está a Basílica de Santa María del Pi) e a carrer Portaferrisa. Trata-se de um pequeno trecho do Bairro Gótico cercado de famosas granjas (uma espécie de confeitaria que antigamente eram leiterias) e chocolaterias moderninhas.

Bairro Gotico cafes

matraqueando-instagram1

A via é do século 15, mas muitas de suas edificações foram construídas entre os anos de 1700 e 1800. O destaque está no número 5 da rua, onde você encontra a Sala Parés, uma galeria de arte de 1840.

As paredes das casas estão marcadas por pequenas obras pintadas em azulejos que recontam historinhas pitorescas do lugar. A soprano Montserrat Caballè tinha um estúdio aqui.

Outras atrações do Bairro Gótico: Museu da Moto, Museu Frederic Marès e Basílica de Santa María del Pi.

1º DIA – TARDE | EL BORN E LA RIBERA

O La Ribera é praticamente uma continuação do Bairro Gótico. Estão divididos pela Via Laiteana e é até difícil saber onde termina um e onde começa o outro. É que o La Ribera também carrega traços medievais e tem uma trama urbana cheia de pequenas ruas e vias apertadas.

La Ribera El Born Barcelona

Ainda dentro da Ciutat Vella, La Ribera concentra dois núcleos urbanos importantes: El Born e Sant Pere + Santa Caterina, subdistritos que formam uma das regiões mais interessantes de conhecer em Barcelona.

O QUE VISITAR

– Igreja Santa María del Mar

É a única igreja construída em estilo gótico catalão sem influências de outros tipos de arquitetura. O templo é constituído de três naves quase da mesma altura com altíssimas colunas de 13 metros, tamanho não superado por nenhuma construção medieval no mundo.

La Ribera Santa Maria del Mar

A Igreja Santa María del Mar está aberta ao público gratuitamente de segunda a sábado, 9h às 13h e de 17h às 20h30. Domingos, 10h às 13h e 17h às 20h30. De 13h às 17h está autorizada a entrada mediante um donativo de € 8 (inclui visita ao terraço da basílica). Metro Jaume 1 (linha 4)

La Ribera Igreja Santa Maria del Mar

– Passeig del Born

Ao sair da igreja pegue o Passeig del Born, uma antiga rua medieval que liga a Santa María del Mar ao Mercado El Born.

Desde sempre o lugar foi um palco ortodoxo de Barcelona: recebia de festas e celebrações como a Semana Santa a execuções e mortes no período da Inquisição. Hoje, é um trecho arborizado e cheio de vida com bares, restaurantes e comércio ativo.

La Ribera Passeig del Born

– El Born Centre Cultural

Construído em ferro forjado da tradicional arquitetura modernista, o centro cultural El Born foi um dos principais mercados de hortifruti de Barcelona até 1977. Ficou fechado e abandonado por um bom tempo quando, a partir de 2002, começaram as obras de restauração do lugar.

La Ribera El Born Centre Cultural

O surpreendente é que durante este processo foi descoberto um sítio arqueológico com relíquias medievais. A partir disso, toda a concepção cultural do mercado mudou. As estruturas achadas durante as escavações foram preservadas e podem ser observadas a partir das passarelas dentro do centro.

La Ribera Mercado El Born

O El Born Centre Cultural abriga exposições, mostras, cursos e palestras. A entrada é gratuita, mas para ver (e andar sobre) os achados arqueológicos é necessário pagar. De março a setembro funciona de terça a domingo e feriados, 10h às 20h. Outubro a fevereiro, terça a sábado, 10h às 19h e domingos e feriados, 10h às 20h. Veja os horários atualizados aqui. Metro Jaume 1 (linha 4).

– Calle Montcada

Já foi a principal e mais nobre rua da Barcelona antiga. Está cercada de palácios medievais, renascentistas e até barrocos. Hoje, é um núcleo de galerias de arte e de importantes centros culturais (o Museu Picasso fica aqui).

La Ribera El Born District

– Museu Picasso

O museu preserva o forte vínculo que Picasso, nascido em Málaga, tinha com Barcelona. A coleção permanente é formada por cerca de 3.800 obras de diversos períodos do artista. Um dos destaques é a belíssima série “Las Meninas”, produzidas durante a fase azul de Picasso.

O Museu Picasso investe em diversas exposições temporais para complementar a já excelente coleção permanente. Além disso, está instalado em cinco prédios góticos interligados, que por si só já valem a visita e a foto.

La Ribera Museu Picasso

Terça a domingo e feriados, 9h às 19h. Quintas, 9h às 21h30. Entrada € 11. Entrada grátis no primeiro domingo do mês e em todos os domingos a partir das 15h.  Costuma ter fila, mesmo nos horários pagos. Compre seu ingresso com antecedência aqui. Para conhecer mais sobre a vida do artista na cidade você pode fazer o Barcelona Walking Tours Picasso, passeio promovido pelo turismo  oficial de Barcelona. Compre on-line com desconto.

– MEAM | Museu Europeu d’art Modern

A pouco metros do Museu Picasso, está o MEAM – Museu Europeu d’art Modern, o centro dedicado à arte figurativa e contemporânea de Barcelona. É um espaço cultural bem direcionado a quem gosta deste tipo de arte. Inclua no seu roteiro se tiver tempo, se for do seu interesse e tiver disponibilidade de investimento. Terça a domingo, 10h às 20h. Entrada € 9.

La Ribera Medieval

– Museu de la Xocolata

Um museu pequenino que conta a origem do chocolate, sua chegada à Europa e difusão por todo o continente.  Nada muito diferente do que a gente pode encontrar em Gramado naquelas fábricas que contam a história do chocolate.

La Ribera Museu de la Xocolata

O Museu de la Xocolata é um passeio bacana para quem nunca visitou um museu do gênero e/ou está acompanhado de crianças. O tíquete para entrada é uma barrinha de chocolate com bandeirinhas de várias nacionalidades. Você escolhe a sua!

A lojinha é fofa e tem deliciosos chocolates por preços honestos. Aberto de segunda a sábado, 10h às 19h. Domingos e feriados, 10h às 15h. Entrada € 6. Menores de sete anos não pagam.

– Mercado de Santa Caterina

A cinco minutos de caminhada do Museu de la Xocolata (uns 450 metros de distância) você chega ao Mercado de Santa Caterina,  um dos meus preferidos na cidade. Inaugurado em 1845, passou por uma ampla reforma em 2005, mas deste novo projeto só restaram as portas originais.

La Ribera Mercado de Santa Caterina

A marca registrada do local são seus telhados ondulados e coloridos coberto com mosaicos. Por dentro, nem de longe lembra aquela balbúrdia do Mercado de la Boquería. É tudo bem espaçoso, iluminado e com vários lugares para comer a preços incríveis.

La Ribera Mercado de Santa Caterina Barcelona

Na parte de trás do Mercado de Santa Caterina está mais uma unidade do MUHBA, aquela rede de museus que ajuda a recontar a história da cidade. Esta unidade (que eu não consegui visitar) chamada de MUHBA Santa Caterina (entrada grátis), está concentrada em preservar a memória da cidade desde a época dos romanos até a atualidade. Inclui ainda o processo de reforma do mercado. Funcionamento do mercado: segunda, quarta e sábado, 7h30 às 15h30; terça, quinta e sexta, 7h30 às 20h30.

– Palau de la Música Catalana 

Saindo do mercado pegue a Carrer de Freixures em direção ao bairro de Sant Pere (ao norte), onde está o magnífico Palau de la Música Catalana. É a única sala de concertos modernista Patrimônio da Humanidade. Ao ser convocado para projetar a sala, o arquiteto Domènech i Montaner reuniu diversos colaboradores para executar vitrais, mosaicos e esculturas.

Palau Musica Catalana  salao

A obra é quase um surto psicótico, aquele frenesi avassalador típico do modernismo catalão. Do piso ao teto só inovação e criatividade, um processo inventivo alucinante. Paredes e colunas cravejadas de mosaicos coloridos (os famosos trencadíes, típicos do modernismo catalão) e vitrais com flores e referências bucólicas.

Para conhecer o Palau de la Música Catalana é necessário fazer a visita guiada (não existe visita livre). E não poderia ser de outra forma, são tantos detalhes e minúcias que só mesmo um especialista para dar conta de todos os pormenores do prédio e da obra proposta por Domènech i Montaner.

Palau Musica Catalana entrada

Funciona todos os dias, 10h às 15h30. Semana Santa e mês de julho, 10h às 18h. Agosto, 9h às 18h. Entrada: € 18. Crianças até 10 anos não pagam. A visita é obrigatoriamente guiada e é oferecida a cada 30 minutos em cinco idiomas. Veja aqui meu post completo sobre o Palau de la Música Catalana.

– Parc de la Ciutadella

Uma das principais áreas verdes da cidade está no Parc de la Ciutadella. Inspirado no Jardim de Luxemburgo parisiense, o parque foi erguido como fortaleza na dinastia dos Bourbon. Mas em 1888 a fortaleza foi finalmente destruída e cedeu espaço ao parque que iria receber a Exposição Universal.

La Ribera Par de la Ciutadella

O Parc de la Ciutadella tem museus, zoológico, lagos, esculturas e cascatas. Logo na entrada está o Castillo de los Tres Dragones (Castelo dos Três Dragões), uma das primeiras obras de Lluís Domènech i Montaner, o mesmo que projetou o Palau de la Música Catalana. O prédio ainda é neogótico, mas já apresenta soluções modernistas, o estilo que veio tomar conta de Barcelona anos mais tarde.

La Ribera Par de la Ciutadella Castillo Tres Dragones

Indo pelo Passeig de Lluís Companys, logo em frente ao parque, está o Arco do Triunfo, construído para ser a entrada da Exposição Universal. É um imponente monumento de 30 metros de altura que marcou a entrada de Barcelona na modernidade.

La Ribera Arco do Triunfo Barcelona

O parque está aberto todos os dias, das 10h às 18h. Março e novembro fecha às 19h. Abril e outubro encerra às 20h e de maio até setembro, às 21h. Entrada grátis. Metrô Arc de Triomf (linha 1) e Ciutadella-Vila Olímpica (linha 4).

_____________

IMPORTANTE | A Espanha faz parte parte do Tratado de Schengen, um acordo que estabelece normas para quem pretende visitar os países membros. A determinação EXIGE um seguro de viagem obrigatório com cobertura mínima de € 30 mil que muitas vezes deve ser apresentado na imigração, caso solicitado. A boa notícia é que leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro internacional da Mondial Assistance. Pegue seu cupom aqui e viaje tranquilo! Vale para mochileiro, viajante solo, luxo, aventureiro e família. E ainda dá para dividir em até 6 vezes!

Leia também

Barcelona bairro a bairro: 2º dia | Eixample e Gràcia

Próximos posts

Barcelona bairro a bairro: 3º dia | El Raval e Parc Monjuic

Barcelona bairro a bairro: 4º dia | Las Ramblas, La Barceloneta e Port Vell

Posts relacionados

Como ir do aeroporto de Barcelona ao centro

Europa Barata: Barcelona pela primeira vez

Palau de la Música Catalana: a única sala de concertos modernistas Patrimônio da Humanidade

Hospital de la Santa Creu i Sant Pau: o atrativo modernista da vez em Barcelona

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

Barcelona: três hostels bacanas, baratos e bem localizados

E ainda

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Gran Via e Callao

______________ 

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados. 

Disclaimer | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Este post contém links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. O Matraqueando não faz post patrocinado. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Assim, você ajuda  a manter o blog com dicas fresquinhas e gratuitas, além de não pagar nada mais por isso. Desde já agradeço a preferência! 😉
Share