quarta-feira, 16 de março de 2016

Barcelona bairro a bairro: 2º dia | Eixample e Gràcia

Casa Batlo Barcelona

A Barcelona que existe no seu imaginário está aqui. Atrações, museus, parques, praças e igrejas de grande interesse se misturam entre os bairros vizinhos Eixample e Gràcia.

Comecei meu roteiro de 4 dias em Barcelona pelo Bairro Gótico, La Ribera e El Born por uma questão cronológica em relação à história da fundação da cidade. Mas se você tiver um único dia na cidade, sugiro que se concentre nos bairros de hoje.

Gracia Barcelona Imas

Eixample tem uma zona urbana bem desenhada com algumas das maiores preciosidades do modernismo como a Casa Batló e a Sagrada Família de Antoní Gaudí.

Já Gràcia possui um traçado peculiar com características ainda preservadas de quando era uma imensa área rural independente da capital da Catalunha. Abriga alguns mercados bacanas e o fabuloso Hospital de la Santa Creu i Sant Pau (que na verdade está em Horta Guinardó, bairro vizinho — mas muito próximo da Sagrada Família, por isso encaixei aqui).

A obra é de Lluís Domènech i Montaner, outro modernista não tão famoso entre os brasileiros, mas tão genial e grandioso quanto Gaudí.

2º DIA – MANHÃ | EIXAMPLE

Importante destacar que algumas das atrações mais famosas de Barcelona estão neste roteiro. Vou enumerar algumas delas, mas não posso levar em consideração o tempo que você vai demorar para visitar cada uma. O que significa que, dependendo do seu ritmo, você pode passar o dia todo somente no Eixample e deixar Gràcia para o 3º ou 4º dia de turistagem. 😉

Eixample livros sobre Gaudi

O Eixample é a região com a maior concentração de prédios modernistas por metro quadrado da cidade. Podemos considerar como a área central. Tem amplas avenidas, quadras simétricas e abriga parte do comércio chique de Barcelona.

O bairro é resultado do intenso progresso barcelonês do século 19, quando a cidade precisou crescer para fora das muralhas. Tem uma área enorme e, em alguns casos, para ir de um ponto turístico a outro talvez seja necessário pegar metrô para economizar tempo e pernadas.

O QUE VISITAR

– Plaça Catalunya

Você vai passar pela Plaça Catalunya muitas vezes. Eu poderia ter falado dela quando estava indo para o Bairro Gótico ou começando meu passeio por Las Ramblas. É que esta grande praça no coração da cidade é um espécie de entroncamento que leva a muitos distritos importantes de Barcelona.

Placa Catalunya Barcelona

Na Plaça Catalunya estão famosas lojas de departamento como o El Corte Inglés e o principal escritório de informação turística de Barcelona. Três linhas de metrô passam por aqui e é desta área que você vai partir para o Passeig de Gràcia, onde estão algumas das maiores obras e pontos turísticos deste roteiro.

– Passeig de Gràcia

O Passeig de Gràcia é uma via tão importante do ponto de vista histórico, turístico e arquitetônico que em uma das vezes que visitei Barcelona eu passei quase o dia inteiro nela, sem entrar em atração alguma.

Eixample Passeig de Gracia

A avenida é aquele momento subi na vida do povo catalão. Quando foi construída atraiu os magnatas espanhóis que investiam em suas moradas, contratando os melhores arquitetos da época que competiam uns com os outros.

Todo o entorno é cercado por lojas de grifes, hotéis suntuosos e algumas das mais belas casas que o modernismo poderia ter criado. Não à toa as majestosas La Pedrera (Casa Milá) e a Casa Batló, ambas de Gaudí, estão neste trecho da cidade.

– Casa Batló

Partindo da Plaça Catalunya pelo Passeig de Gràcia, a Casa Batló — minha obra preferida de Gaudi  — é nossa primeira parada. Ainda que a Sagrada Família seja tão hipnotizante quanto,  a Batló me chama atenção por ter tido começo, meio e fim totalmente idealizados pelo mais famoso arquiteto catalão.

Eixample Casa Batlo

matraqueando-instagram1

A construção, Patrimônio Mundial da UNESCO, oferece uma sequência de soluções visuais e arquitetônicas que levam a experiência a uma espécie de realismo fantástico. Todos os cômodos apresentam novidades e detalhes impressionantes que só caberiam na cabeça criativa de um gênio.

Eixample Casa Batlo Barcelona

No terraço, as míticas chaminés emolduram o telhado de escamas, feito para lembrar as costas de um dragão combatido por Sant Jordi (São Jorge). Sonhos e enigmas se misturam com representações da natureza.

Barcelona pontos turisticos  Casa Batlo

A visita é acompanhada de um audioguia, imprescindível para entender e acompanhar o raciocínio e a engenhosidade inventiva de Antoní Gaudí. Abre todos os dias do ano, 9h às 21h. Entrada € 22,50. Menores de 7 anos não pagam. Metrô Passeig de Gràcia (linhas 2, 3 e 4).

– Casa Amatler e Casa Lleó Morera

Juntamente com a Casa Batló, as Casas Amatler e Lleó Morera formam um quarteirão chamado de Manzana de la Discordia (Quarteirão da Discórdia). Como era de praxe a rixa entre os arquitetos modernistas no começo do século 20, as construções entraram para a história da cidade.

A Casa Amatler está exatamente ao lado da Casa Batló. Foi projetada por Josep Puig i Cadafalch, o mesmo que criou a lendária Casa Martí, mais conhecida como Els Quatre Gats — lugar encravado no bairro gótico onde Rusiñol, Novell e Picasso participavam de festivas tertúlias artísticas.

Eixample Quadrado de Ouro

A fachada teve influência das casas medievais holandesas e muitos elementos de inspiração românica e gótica. Mas a combinação de ferro, pedra e policromia a conservou como um dos destaques do modernismo catalão. Está aberta à visitação. Entrada € 15.

Já a Casa Lleó Morera, na esquina do Passeig de Gràcia com a Carrer del Consell de Cent, foi projetada por Domènech i Montaner (o mesmo arquiteto do Hospital de la Sant Creu i Pau e do Palau de la Música Catalana). Das três é a mais discreta, digamos. Foi aberta ao público há apenas dois anos.  Oferece visita guiada de 60 minutos (€ 15) ou visita express de 30 minutos (€ 12). As entradas só podem ser compradas on-line. Metrô Passeig de Gràcia (linhas 2, 3 e 4).

– La Pedrera

Subindo mais um pouco pelo Passeig de Gràcia outra obra-prima de Gaudi: La Pedrera, também chamada de Casa Milá. E eis que começa o dilema. “Tenho pouco tempo e/ou dinheiro: qual das duas casas de Gaudí devo visitar, Batló ou Milá?”

Eixample La Pedrera

Posso dizer que já visitei as duas construções mais de uma vez cada. A Milá reserva várias surpresas no seu interior com trabalhos em ferro, gesso e madeira. A fachada ondulada mostra a tradição arquitetônica de Gaudí de dar vida ao concreto.

Vários cômodos estão decorados com peças que reproduzem a vida cotidiana do século 20. Mas a grande revelação está no terraço com seu bosque de chaminés escultóricas.

Eixample La Pedrera Casa Mila

Impossível dizer qual toca mais o coração. Assim como a Casa Batló, La Pedrera é Patrimônio da Humanidade. Visitas todos os dias, 9h às 20h30. De 3 de novembro a 24 de dezembro, fecha às 18h30. Entrada € 20,50. Metrô Diagonal (linhas 3 e 5).

– Sagrada Família

O cartão postal de Barcelona talvez seja a obra mais enigmática do mundo. A Basílica Sagrada Família é considerada o maior delírio consciente de Gaudí, um castelo de areia gigante construído no centro da cidade.

Eixample Sagrada Familia Barcelona

O projeto de arquitetura conflitante, quase esfíngica, começou quando Gaudí tinha 31 anos e foi o último de sua vida. Dedicou mais de 40 anos à obra. O arquiteto morreu e não deixou nem os esboços para que pudessem finalizar o monumento mais criativo e genial dos últimos séculos.

Diversos artistas, engenheiros e arquitetos já deram inúmeras contribuições tentando finalizar a obra. Mas já se passaram mais de 90 anos desde a morte do visionário catalão e a previsão é de que fique totalmente pronta só em 2025.

Eixample Sagrada familia

A cripta e a fachada da Natividade são Patrimônio Mundial da UNESCO. A Sagrada Família está a 1,6 quilômetros da La Pedrera (Casa Milá). São uns 20 minutos de caminhada. Se quiser ganhar tempo pegue o metrô na estação Diagonal (linhas 3 e 5) e desça na estação Sagrada Família (linhas 2 e 5).

Eixample Loja Sagrada familia

Por ser um dos atrativos mais visitados de Barcelona costuma ter longas filas para entrar. Fiquei duas horas da última vez. Não seja bocó como eu, compre o ingresso antecipado. Entrada € 15. Visita guiada por € 24. Os horários mudam dependendo do mês. Consulte o site.

Dica da Matraca | Não deixe de passar na lojinha da igreja. Tem muito souvenir bacana e criativo com preços ótimos.

Outras atrações do bairro: Museu del Modernisme Catalá e Fundació Antoní Tàpies.

2º DIA – TARDE | GRÀCIA

Gràcia já foi um povoado independente.  O distrito passou a fazer parte de Barcelona somente no século 19. É um dos menores bairros da cidade, mas tem alta densidade demográfica — característica que transformou toda a região num fervilhante quadrilátero de bares, restaurantes, mercearias, cafés, lojas e mercados.

O curioso é que mesmo fazendo fronteira com o Eixample, Gràcia tem perfil muito próprio como se ainda fosse um município autônomo. Tem várias praças, muitas lojas de design, de comida natural e vida noturna famosa. Foi o bairro onde me senti mais acolhida, com alguns senhores e senhoras sorridentes me cumprimentando pelas ruas, como se estivesse numa antiga cidade histórica mineira.

O QUE VISITAR

– Hospital de la Santa Creu i Sant Pau

Partindo do pressuposto de que você terminou sua visita da manhã na Sagrada Família, em uma das esquinas da igreja pegue a Avinguda Gaudi (avinguda significa avenida) e em 15 minutos de caminhada (coisa de um quilômetro) você chega a uma das obras mais magistrais do modernismo catalão: Hospital de la Santa Creu i Sant Pau, também chamado de Recinte Modernista de Sant Pau.

Hospital-Saint-Pau-Barcelona-Arquitetura-Modernista

Importante destacar que tecnicamente o recinto está no bairro Horta Guinardó, mas como ele fica grudado no distrito de Grácia e muito próximo da Sagrada Família aproveitei para incluí-lo aqui.

Hospital de la Santa Creu i Sant Pau, Patrimônio da Humanidade, é considerado o maior conjunto civil modernista do mundo e uma das mais antigas instituições sanitárias da Europa. Passou por um ambicioso projeto de recuperação nos últimos anos e foi reaberto recentemente à visitação.

Hospital-Saint-Pau-Barcelona-Detalhes-teto

Lluís Domènech i Montaner autor deste projeto – e do memorável Palau de la Música Catalana – levou muitos conceitos do Modernismo Catalão ao complexo hospitalário.

São esculturas, ferro forjado, cerâmicas, formas arredondadas, cúpulas, vitrais, mosaicos, cores e diversos elementos decorativos que dão aquele movimento único às obras dessa corrente artística e arquitetônica.

Os horários de visitação variam de acordo com a época do ano. Consulte aqui. Entrada: € 10 para visita livre e € 16 para visita guiada. Menores de 16 anos não pagam. Veja aqui meu relato completo.

– Casa Fuster

Se você deixou para visitar a Sagrada Família e o Hospital de la Santa Creu i Sant Pau em outro dia e terminou o passeio da manhã na Casa Milá (La Pedrera), é só continuar subindo mais umas quatro quadras pelo Passeig de Gràcia para conhecer a Casa Fuster, a última obra que o arquiteto modernista Domènech i Montaner realizou em Barcelona.

(Caso você esteja saindo do Recinto Modernista de Sant Pau, pegue o metrô e desça na estação Diagonal. Se preferir caminhar entre na Carrer de Sant Antoni Marie Claret — que passa em frente ao hospital — e caminhe uns 2 quilômetros até a Casa Fuster. Você vai passar por boa parte da essência do bairro Gràcia.)

Gracia Casa Fuster Barcelona

Hoje, a Casa Fuster é um hotel cinco estrelas chiquérrimo.  Caso não queira investir € 330 na diária, leve em consideração tomar umas biritas no café do local, que funciona das 9h à 1h da manhã. Passeig de Gràcia, 132. Metrô Diagonal (linhas 3 e 5).

– Mercado de la Libertad

A partir da Casa Fuster, o Passeig de Gràcia passa a se chamar Carrer Gran de Gràcia, uma das principias ruas do bairro com diversos restaurantinhos baratos e lojas bacanas. Subindo mais um pouco está o Mercado de la Libertad (que fica, na verdade, numa rua paralela).

Gracia Mercat de la Libertad Barcelona

É o principal mercado do bairro, basicamente frequentado por moradores. Passou por uma enorme reformulação em 2009 e nem de longe lembra a muvuca histérica do La Boquería nas Ramblas e é bem menos turístico que o Mercado de Santa Caterina, no bairro El Born.

Gracias Mercado de la Libertad Barcelona Espanha

A arquitetura modernista preserva a principal característica dos edifícios da região. Funciona de segunda a sábado, 8h às 20h30 e sábados, 8h às 15h. Plaça Libertad, 27. Está a três quadras do metrô Fontana (linha 3).

– Plaça del Sol e Plaça de la Revolució 

Saindo do Mercado de la Libertad, do outro lado da Carrer Gran de Gràcia, a gente entra no miolinho antigo do bairro. Aqui estão algumas das mais famosas pracinhas da região.

Gracia Placa del Sol

A Plaça del Sol é uma das mais emblemáticas. Chama a atenção a Casa Ricard Mestres (detalhe na foto abaixo), um edifício modernista de fachada estreita que fica bem na esquina.

Gracia Casa Ricard Mestres

Já a Plaça de la Revolució, uma alusão à Revolução Gloriosa que derrubou a rainha Isabel II da Espanha, marca o espírito guerreiro e combativo do bairro de Gràcia.  O Metrô Fontana (linha 3) deixa próximo das duas praças, que estão a 200 metros uma da outra.

– Mercado de l’Abaceria Central

A uma quadra da Plaça de la Revolució está o Mercado de l’Albaceria Central, construído no fim do século 19 para organizar as antigas feiras de ambulantes locais. Do lado de fora ele é feião e mal-apanhado. Muito turista que circula por ali deve passar reto. Pois pare e entre.

Gracia Mercat de Abaceria

Além de ser um mercado típico barcelonês com todos aqueles pré-requisitos de frutas, verduras e frutos do mar, oferece vários boxes com comidas tradicionais da cidade. Provei aqui uma deliciosa e farta paella por € 6 preparada na hora e na minha frente.

Gracia Mercado Abaceria Barcelona Espanha

Abre de segunda a quinta, 7h às 14h30 e de 17h30 às 20h30. Sextas, 7h às 15h e 17h às 20h30. Sábados, 7h às 15h e 17h às 20h. (O lugar é tão voltado para os nativos que o site do mercado só tem a versão em catalão). Travessera de Grácia, 186.

– Casa Vincens

Volte para a Carrer Gran de Gràcia e suba até a Carrer de les Carolines e vire à esquerda. Nesta rua está a Casa Vincens. A construção, projetada por Gaudí, marca o início do modernismo e foi considerada sua primeira obra importante.

Barcelona-pontos-turisticos-Casa-Vincens

Os azulejos com temas florais e janelas, portões e grades de ferro já demonstravam a arquitetura orgânica perpetuada por Gaudí. Não pode ser visitada por dentro, mas vale a vista externa. Carrer Carolines, 18. Metrô Fontana (linha 3).

– Park Güell

Não canso de tentar decifrar a mente extraordinária e criativa de Antoni Gaudí, o arquiteto responsável pela delicadeza do Park Güell. Nada por aqui é convencional. Curvas se misturam com caquinhos de azulejos que formam os mais belos mosaicos do modernismo.

Barcelona-pontos-turisticos-Parc-Guell

Tombada pela UNESCO como patrimônio cultural, a obra foi encomendada à Gaudí pelo magnata catalão Eusebi Güell, que queria fazer do projeto um grande bairro residencial, algo como uma cidade-jardim. Nem tudo saiu como o planejado e do traçado original sobrou somente o Park Güell, que seria a entrada do tal bairro.

Gracia Park Guell Gaudi

Pela praça serpenteia um banco todo sinuoso também ladrilhado de infinitas nuances. Como o parque está localizado em uma colina, dali se tem uma vista estupenda de boa parte de Barcelona. Nas escadarias de acesso está o célebre lagartão, todo coloridinho – no estilo inconfundível de Antoni Gaudí – jorrando água pela boca.

O Park Güell abre todos os dias do ano. Os horários de visitação variam de acordo com a temporada. Consulte aqui. Entrada € 8. tem desconto para compra antecipada on-line. Menores de seis anos não pagam.

Gracia Park Guell Barcelona

O Park Güell está a uns 30 minutos de caminhada da Casa Vincens. O melhor é ir de metrô e descer na estação Vallcarca (linha 3). Ao sair da estação é necessário caminhar para pegar as escadas rolantes que levam à parte mais alta de Gràcia, onde está o parque. Há placas indicativas. Veja aqui meu post completo sobre a visita ao parque.

_____________

IMPORTANTE | A Espanha faz parte parte do Tratado de Schengen, um acordo que estabelece normas para quem pretende visitar os países membros. A determinação EXIGE um seguro de viagem obrigatório com cobertura mínima de € 30 mil que muitas vezes deve ser apresentado na imigração, caso solicitado. A boa notícia é que leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro internacional da Mondial Assistance. Pegue seu cupom aqui e viaje tranquilo! Vale para mochileiro, viajante solo, luxo, aventureiro e família. E ainda dá para dividir em até 6 vezes!

Leia também

Barcelona bairro a bairro: 1º dia | Bairro Gótico, La Ribera e El Born

Próximos posts

Barcelona bairro a bairro: 3º dia | El Raval e Parc Monjuic

Barcelona bairro a bairro: 4º dia | Las Ramblas, La Barceloneta e Port Vell

Posts relacionados

Como ir do aeroporto de Barcelona ao centro

Europa Barata: Barcelona pela primeira vez

Palau de la Música Catalana: a única sala de concertos modernistas Patrimônio da Humanidade

Hospital de la Santa Creu i Sant Pau: o atrativo modernista da vez em Barcelona

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

Barcelona: três hostels bacanas, baratos e bem localizados

E ainda

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Gran Via e Callao

______________ 

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados. 

Disclaimer | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Este post contém links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. O Matraqueando não faz post patrocinado. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Assim, você ajuda  a manter o blog com dicas fresquinhas e gratuitas, além de não pagar nada mais por isso. Desde já agradeço a preferência! 😉
Share