Silvia Oliveira

Na categoria Madri

quinta-feira, 02 de abril de 2015

Madri: dois hostels novos, descolados e baratim

Impressionada com a oferta de hotéis bons e baratos em Madri. Sempre foi assim, na verdade. Mas de uns tempos para cá, acho que até por conta da crise que tomou conta da Espanha há alguns anos, pipocaram algumas dezenas de hostels moderninhos e bem localizados.

Para quem está entrando agora no universo viajante não custa lembrar. Hostels são os nossos albergues da juventude, uma opção quase sempre imbatível para quem viaja sozinho e está com o orçamento restrito. O melhor da história é que este tipo de hospedagem está cada dia mais completa, espaçosa e bonitinha. Alguns albergues, inclusive, já oferecem quartos duplos ou família.

+ E-book | O Barato de Madri –> baixe o seu agora mesmo!

Matraqueando Instagram

U Hostels 

Reserva | Pelo Booking.com. O sistema não cobra taxa de reserva e tem cancelamento grátis para a maioria dos quartos, incluindo este.

U Hostel madri

O quarto | Eu fiquei no dormitório feminino com seis camas. Superclean, espaçoso (acho que foi o quarto de albergue mais espaçoso que já fiquei) e com varanda. Há luminárias de leitura e tomadas ao lado de todas as camas. Tem ar condicionado, armários individuais e a roupa de cama está incluída. Piso de madeira. Tudo cheira a novo. Toalhas podem ser alugadas na recepção. Há quartos para pessoas com mobilidade reduzida. Veja mais fotos aqui.

Wi-fi | Gratuito e funciona bem.

Localização | O U Hostels Está a apenas cinco minutos caminhando do descolado bairro Chueca. Há três estações de metrô num raio de 300 metros (Bilbao, Tribunal e Alonso Martínez, a mais próxima). É possível chegar à Puerta del Sol em 20 minutos caminhando.

U Hostel Madri  Hotel bom e barato madri

Check-in | A partir das 14h. Eu cheguei à noite e havia várias pessoas fazendo o check-in para um único atendente. Demorou um pouco, mas sem qualquer stress. Pagamento é feito na entrada. Aceita Visa e Mastercard.

Check-out | Até às 11h.

Atendimento | Simpático.

Vantagem | Localização, quarto espaçoso (para o padrão hostel) e ótimo chuveiro. Todos os andares têm computadores para o hóspede usar gratuitamente. Cozinha disponível para preparar refeições rápidas.

Desvantagem | Para mim não houve qualquer desvantagem. Algumas avaliações reclamam que o café da manhã é fraco. Hellooo! Você está num albergue, pagando uma mixaria. Custos são reduzidos. Para um buffet colonial dirija-se ao Ritz, por gentileza.

Preço | A partir de € 25 (inclui café da manhã simples) por pessoa em quarto coletivo. Quarto duplo sai por € 65.

Room007 Chueca

Reserva | Pelo Booking.com. O sistema não cobra taxa de reserva e tem cancelamento grátis para a maioria dos quartos, incluindo este.

O quarto | Moderninho e com decoração design. Roupa de cama e toalhas estão incluídas, assim como sabonete líquido nos banheiros. Há luminárias de leitura e tomadas ao lado de todas as camas. Fiquei no quarto feminino com quatro camas. Todos os quartos, mesmo os coletivos, possuem banheiro privativo. Veja mais fotos aqui.

Wi-fi | Gratuito. Mas quando estive lá não funcionou muito bem.

Chueca-Hostel-Room-007

Localização | O Room007 Chueca está a 100 metros da estação de metrô Chueca. O bairro é conhecido por seu fuzuê inventivo. (Veja nosso post sobre Chueca e Malasañas) A mundialmente conhecida Movida Madrileña nasceu aqui. A famosa rua de pedestres Fuencarral está a menos de cinco minutos a pé. O Mercado de San Antón está a duas quadras. A Gran Vía fica a 500 metros do albergue.

Check-in | A partir das 14h30. Pagamento na entrada. Aceita Visa e Mastercard.

Check-out | Até às 12h.

Atendimento | Muito simpático e solícito.

Vantagem | Preço, qualidade e localização. Está novíssimo, foi inaugurado há menos de um ano. O hostel tem bar e restaurante e serve refeições baratas. Há cozinha disponível para o hóspede e computadores de uso gratuito.

Desvantagem | Nenhuma. Atendeu às minhas expectativas em tudo.

Preço | A partir de € 21 por pessoa. Com café da manhã. Quarto duplo a partir de € 75.

Posts relacionados

Barcelona: três hostels bacanas, baratos e bem localizados

Leia também

Madri bairro a bairro

Gran Vía e Callao

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

La Latina

Salamanca

La Latina

Outros hotéis testados e aprovados pela Matraca

EUROPA

Lisboa | Lisbonaire Apartments: hospedagem novíssima, barata, bem localizada e que, ainda por cima, adora crianças

Barcelona: três hostels bacanas, baratos e bem localizados

Paris | Ideal Hôtel Design: hospedagem com ótimo custo-benefício em Montparnasse

Paris | Smart Place: hospedagem budget a uma quadra da Care du Nord

ESTADOS UNIDOS

Nova York | Dicas de três hotéis com ótimos preços

Orlando | Red Roof Inn International Drive: hotel bom, bonito, barato e bem localizado 

ARGENTINA

Buenos  Aires | SoHo Point: apartamento clean e design em Palermo SoHo

CHILE

Santiago | Opções de hospedagem boas e baratas

Atacama | Dicas de hospedagem, incluindo o primeiro apart hotel do deserto (onde eu fiquei)

BRASIL

Curitiba | Guia de hospedagem: opções para as classes alta, média e muquirana

Foz do Iguaçu | Resort: hospedagem luxo sem ir à bancarrota

Florianópolis | Ilha Norte Apart Hotel: hospedagem boa e barata em Canasvieiras

Aracaju | Celi Hotel: hospedagem 4 estrelas com ótimo preço e em frente à parai de Atalaia

Bento Gonçalves | Pousada do Chalé: hospedagem fofa e com ótimo custo-benefício

São Luís | Soft Inn: hospedagem econômica na orla

São Luís | Pousada Colonial: hospedagem no centro histórico

Caiobá-PR | SESC Caiobá: resort pela preço camarada de uma hospedagem econômica

_____________________ 

Pagamos todas as nossas despesas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Sempre nos hospedamos anonimamente nos hotéis indicados. A proposta é mostrar para você uma resenha íntegra e isenta do lugar. Aqui, você pode confiar!

Disclaimer | Este post contém links para o Booking.com (parceiro comercial do blog) inseridos espontaneamente pela autora.

_____________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
terça-feira, 02 de setembro de 2014

Madri bairro a bairro | Gran Vía e Callao

Gran Via Edificio Metropolis

Não pense você que é tão fácil assim determinar as regiões turísticas (ou menos turísticas) de Madri. Do ponto de vista prático um mesmo atrativo pode estar em dois bairros ao mesmo tempo. O Parque del Retiro, por exemplo, tem uma pequena porção instalada no distrito de Salamanca, a parte chique da cidade que a gente já mostrou aqui. Mas eu vou falar realmente dele só quando chegarmos ao Paseo del Prado.

Gran Via Souvenir

Já a Gran Vía poderia ser, tranquilamente, incluída no roteiro pelo Centro Antigo, onde ficam as emblemáticas Plaza Mayor e Puerta del Sol. Mas quando fui refazer o circuito pela afamada calle da capital levei mais de meio dia percorrendo a dita cuja até chegar a Callao — região característica pela enorme concentração de cinemas e teatros… o que me fez criar uma rota exclusiva para ela.

E-book | O Barato de Madri –> Baixe o seu agora mesmo!

Gran Via Instituto Cervantes

À direita, o Instituto Cervantes: próximo à Plaza Cibeles

Se você olhar no mapa da cidade percebe que a Gran Vía é quase uma linha divisória que separa alguns dos principais bairros de Madri. Ao norte da rua, à direita, está Chueca. E, à esquerda, Malasañas. Ao sul estão as regiões Sol e Ópera. A pulsante artéria vai da Plaza Cibeles à Plaza de España.

O QUE FAZER

Gran Vía | Embora nossa protagonista esteja bem perto do casco antiguo de Madri, estamos falando de uma rua relativamente nova. Criada em 1910, em pouco mais de 100 anos transformou-se em um dos principais cartões postais da cidade. Acolhe edifícios de destacada arquitetura e os primeiros arranha-céus da capital espanhola como o Edifício Metrópolis e o Edifício Telefônica. A Gran Vía tem intensa vida comercial, cultural e gastronômica. Só nela dá para passar um dia inteiro e ainda pedir mais!

Plaza Cibeles Madri Como chegar

Plaza Cibeles | Seu passeio pela região pode começar pela mais imponente praça de Madri. No centro da rotatória está a Fonte de Cibeles, esculpida em 1782 totalmente inspirada num desenho de Ventura Rodríguez, arquiteto espanhol do século 18. A região ficou famosa por acolher alguns dos mais ilustres edifícios da capital: Palacio de Buenavista, Casa de América e o Palacio de Comunicaciones (com mirante que oferece uma vista panorâmica privilegiada da cidade), sede da prefeitura de Madri desde 2007. Em dia de jogo é aqui que a torcida do Real Madri constuma se reunir. Metrô Banco de España.

Gran Via Edificio Metropolis Foto Noturna

Matraqueando Instagram

Edifício Metrópolis | Ao sair da Plaza Cibeles em direção à Gran Vía você passa em frente ao Instituto Cervantes (Calle Alcalá, nº 49) e, logo em seguida, dá de cara com o Metrópolis. O prédio — projetado pelos arquitetos Jules y Raymond Février — acabou transformando-se num inegável cartão de visita da queridinha rua com pinta de avenida. Na verdade, na verdade… ele também fica na Alcalá (nº 39), numa bifurcação da Gran Vía. Mas isso é só um detalhe. Trata-se de uma belíssima construção formada por uma torre redonda sustentada por colunas. A cúpula está coroada por uma estátua com asas douradas. Metrô Gran Vía.

Gran Via Circulo de Bellas Artes

Círculo de las Bellas Artes | Projeto por Antonio Palacios, a construção de 1926 está bem em frente ao Edifício Metrópolis . É um dos centros culturais e artísticos mais expressivos da cidade. Além de receber diversos concertos, oficinas e exposições é possível subir ao terraço (pago à parte) para ter uma das mais belas vistas panorâmicas de Madri, incluindo a própria a Gran Vía.

Gran Via Azoteas

Vista do terraço do Círculo de Bellas Artes

Acesso ao edifício e restaurante: € 1. Acesso às exposições: € 3. Acesso ao terraço: € 3. Acesso combinado Exposições-Terraço: € 4. Veja os horários aqui. Calle Alcalá, nº 42. Metrô Gran Vía.

Edifício Telefónica | Foi o primeiro arranha-céu de Madri. Tem 89 metros de altura com estilo barroco madrilenho. Hoje, recebe o Espacio Fundación telefónica (entrada pela Calle Fuencarreal, nº 3), um grande centro de educação e tecnologia voltado para o desenvolvimento sócio-cultural. Grátis. Metrô Gran Vía.

Gran Via Cones de la Plaza Callao

Plaza de Callao | Caminhando pela Gran Vía em direção à Plaza de Espanha você chega à Plaza de Callao, região de cinemas e teatros. (Veja aqui a programação de cinema em Madri.) A área é chamada de Broadway de Madri por receber alguns dos mais famosos musicais do mundo. O Palacio de Prensa, todo feito em ladrilhos vermelhos, é outro marco da arquitetura do lugar.

Gran Via Plaza de Callao

Desde a praça saem duas vias de pedestres, Calle Preciados (onde estão a FNAC e o El Corte Inglês) e a Calle del Carmen que vai dar justamente na célebre estátua “El Oso y El Madroño”, já na Puerta del Sol. Metrô Callao.

Gran Via Madri  Monasterio  Descalzas Reales

Mosteiro de las Descalzas Reales | Descendo pela calle Preciados você encontra esta linda construção que alberga um monastério de freiras franciscanas em clausura. Parte do prédio está dedicada a um museu de arte aberto ao público. Há objetos e tapeçaria do século 18 e obras de Tiziano, Sánchez Coello, entre outros. Terça a sábado, 10h às 15h e 16h às 18h30. Domingos, 10h às 15. Entrada € 6. Plaza Descalzas Reales, nº 3. Metrô Ópera.

Gran Via Plaza de Espana Madri

Plaza de España | O final da Gran Vía termina nesta praça em alto estilo. Com 37 mil metros quadrados, a Plaza de España é uma das maiores do país. Tecnicamente, ela já está no bairro de Argüelles. No centro, há uma grande fonte dedicada à Don Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança. Uma amostra fabulosa do modernismo madrilenho está aqui com a Casa Gallardo. Dois imponentes edifícios, Torre de Madri e Edifício Espanha, contribuem para a majestade do lugar que, não por acaso, está bem próximo ao Palácio Real de Madri.

ONDE COMER

Gourmet Experience | No nono andar do El Corte Inglês Callao está uma das famosas plantas gastronômicas de Madri. O lugar tem 10 restaurantes e um empório sofisticado com produtos que agradam tanto quem gosta de cozinhar quanto quem gosta de comer.

Gran Via Gourmet Experience El Corte Ingles 1

Apesar do comentadíssimo e caro StreetXo (do chef David Muñoz) fazer parte do complexo, é possível provar pintxos (espetinhos), pizzas e tapas (também elaborados por cozinheiros famosos) a preços que valem o nome da casa — experiência gourmet! O detalhe adicional é a ótima vista da Gran Vía (foto abaixo). Plaza de Callao, nº 2 – 9º andar.

Gran Via Gourmet Experience

ONDE COMPRAR

A Gran Vía oferece toda a sorte de lojas: roupas, sapatos, acessórios, produtos made in china e lembrancinhas de viagem a ótimos preços.

Gran Via calles

As duas ruas que saem da Plaza de Callao (Preciados e del Carmen) também formam um corredor interessante para quem gosta do entra e sai vitrineiro. Por aqui estão lojas tradicionais da cidade como Mango, Zara e H & M. Sem contar o próprio El Corte Inglés, um gigante na Plaza de Callao.

Gran Via El Corte Ingles Callao

COMO CHEGAR À GRAN VÍA E CALLAO

Gran Vía | Metrô Gran Vía (Linha 1 e Linha 5) e Plaza de Espanha (Linha 2, Linha 3 e Linha 10)

Callao | Metrô Callao (Linha 3 e Linha 5)

Mapa Gran Via 1

Madri combina com

Barcelona

Lisboa

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Gran Vía e Callao

Posts relacionados

Europa Barata: Madri pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Madri ao centro

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

_________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Banner Guia Madri 2015

Share
sábado, 30 de agosto de 2014

Madri bairro a bairro | La Latina

La Latina Madri Centro

Não à toa considero Madri uma das melhores cidades da Europa para viver ou passear. Cada bairro da capital tem seu pedaço notável de história, artes, aristocracia, letras, gastronomia ou agito. Ainda que não seja tão badalada quanto sua concorrente direta (Barcelona), Madri oferece regiões muito bem definidas, cada uma com estilo e código de conduta próprios.

La Latina Madri Fiestas

Depois de passearmos pelo erudito Barrio de las Letras, pelos destemidos Chueca e Malasañas e pelo aristocrata Salamanca chegamos ao boêmio bairro La Latina. Muitos estudiosos dizem que esta região — que ocupa grande parte da chamada Madri de los Austrias — é o verdadeiro centro histórico da cidade, uma vez que foi o primeiro espaço urbano de Madri na Idade Média.

La Latina Madri bairros

Matraqueando Instagram

O bairro está numa área que compreende a Calle Segovia (ao norte), Calle Bailén (a oeste), Puerta de Toledo (ao sul) e a Calle de Toledo (a leste)  — porta de entrada para o famoso El Rastro, o maior mercado de pulgas da Espanha.  É uma região de fácil acesso porque está perto de outras zonas de grande interesse turístico como Plaza Mayor e os bairros de Lavapiés e Madrid Río.

La Latina Madri Cave Baja 1

La Latina tem uma distribuição medieval. São ruas estreitas, ladeiras com chão de pedra, becos azulejados e vielas onde só circulam pedestres. Apesar da importância histórica do bairro, sua fama vem, principalmente, do circuito de tavernas, restaurantes e bares de tapas. As principais ruas giram em torno da Plaza de la Cebada e da Plaza de la Plaja, com destaque para as calles Cava Baja e Cava Alta, vias paralelas que fervem ao anoitecer e aos fins de semana.

E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

La Latina Madri Cave Baja

O que fazer

Jardín de las Vistillas | Seu passeio pelo bairro pode começar por este hermoso parque que fica a 300 metros da Catedral de la Almudena. Não chega a ser tão encorpado e cheio de detalhes quanto o Parque del Retiro, mas oferece o pôr do sol mais espetacular da cidade. Calle Morería, 12.

La Latina Madri Basilica San Francisco El Grande

Basílica de San Francisco el Grande | Está a 200 metros do Jardín de las Vistillas. A basílica já foi hospital, prisão e depósito de pólvora. A cúpula do edifício é a maior da Espanha e a quarta da Europa, perdendo apenas para a basílica de São Pedro e o Panteão de Agripa (ambos em Roma) e para Santa Maria del Fiore, em Florença. Tem uma pinacoteca com pintura espanhola dos séculos 17 a 19, com destaque para Goya e Zurbarán. Para entrar na basílica é grátis. O museu cobra € 3. Plaza de San Francisco, s/n.

Museo de San Isidro | Saindo da Basílica de San Francisco suba pela Carrera de San Francisco (rua em frente à igreja). Ao chegar no entroncamento da Plaza de la Cebada e a Calle Humilladero vire à esquerda e você chegará à Plaza San Andrés onde está o Museo de San Isidro — também chamado de Museo de los Orígenes de Madri. O lugar mistura história do santo padroeiro de Madri com objetos achados durante as escavações arqueológicas da cidade. As exposições mostram a evolução de Madri desde sua origem muçulmana. De terça a domingo e feriados, 9h às 20h. (Em agosto o horário é mais restrito. Informe-se aqui). Grátis. Plaza de San Andrés, nº 2.

La Latina Madri San Isidro

Plaza de San Andrés: a construção à direita é o Museo de San Isidro e, à esquerda, está a Iglesia de San Andrés.

Igreja de San Andrés | Fica ao lado Museo de San Isidro. A igreja, com cúpula octogonal, foi construída sobre a antiga mesquita da cidade, uma vez que o bairro recebeu muitos árabes durante a ocupação moura. Abriga o sepulcro de San Isidro. Plaza de San Andrés, nº 1.

La Latina Madri Mercado de Cebada

Mercado de la Cebada | É um dos principais mercados de abastecimento de Madri. Ao contrário do Mercado de San Miguel (no centro) e dos Mercados de San Antón e Ildefonso (Chueca e Malasãnas, respectivamente), o de la Cebada é um mercado municipal com características muito populares e ambientação simplória. Há grande oferta de peixe, carne de porco, queijo, frutas e vegetais frescos. Algumas áreas parecem sujas. Mas a fachada foi recentemente revitalizada e ganhou um lindo colorido projetado pelo coletivo Boa Mistura, um grupo de artistas urbanos especializado em dar vida à regiões deterioradas em diversos lugares do mundo. Não é um mercado turístico exatamente, a não ser que você queira comprar ou ver o lado antropológico do dia a dia madrilenho.  Segunda a sexta, 9h às 14h e 17h às 20h30. Sábado, 9h às 14h. Plaza de la Cebada, nº 15.

Onde comer

Não foi nesta minha última visita que consegui mapear os melhores bares para tapear por aqui. Acho que só este item — onde comer no bairro La Latina — merecia um post completo e bem trabalhado. Enquanto não volto a Madri para fazer isso por você fique com dois queridinhos: Juana La Loca (Plaza de Puerta de Moros, nº 4 – em frente à Plaza de los Carros. Tel. 91 364 05 25 ) e El Tempranillo (Calle Cava Baja, nº 38 Tel. 91 364 15 32).

La Latina Madri Tapeo

No primeiro prove a tradicional tortilha de papas, considerada  a melhor da cidade. Chegue cedo porque lota.  Já no segundo vá de Morcilla de Burgos Rebozada (empanada). A média de gasto em ambos fica em torno de € 20 por pessoa  com bebida.

Onde comprar

El Rastro | É uma mistura de Feira da Ladra de Lisboa com a Feira de San Telmo de Buenos Aires. O mercado El Rastro ocupa um enorme quarteirão e faz o bairro La Latina ferver aos domingos e feriados.

Como toda feira do gênero há centenas de barracas vendendo artesanato, roupas, antiguidades, objetos de cozinha, disco de vinil, bijuterias, revistas usadas, livros raros… olha, a lista parece não ter fim! O centro nevrálgico do mercado é a Plaza de Cascorro.

A dobradinha perfeita seria visitar o mercado e em seguida ir de tapas pelos bares de La Latina. Domingos e feriados, 9h às 15h.  Calle Ribera de Curtidores e arredores.

Como chegar

Metrô La Latina (Linha 5)

Mapa La Latina

Madri combina com

Barcelona

Lisboa

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Posts relacionados

Europa Barata: Madri pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Madri ao centro

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

_________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Banner Guia Madri 2015

Share
quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Madri bairro a bairro | Salamanca

Bairro Salamanca calle Serrano

Basta uma manhã no bairro Salamanca de Madri para você se sentir o próprio herdeiro da dinastia Bourbon. O lado chique, alinhado e bem-vestido da cidade está aqui. Trata-se de um grande trecho da capital delimitado pela Paseo de la Castellana, Parque del Retiro, Calle María Molina e Francisco Silvela.

Bairro Salamanca Palacetes 2

Salamanca tem uma organização urbana bem estruturada com ruas largas e arborizadas. Embora seja um corredor de compras de alto nível,  não é uma zona exatamente turística. Aliás, boa parte da área é residencial. Diversos políticos, diplomatas e milionários da cidade vivem justamente neste charmoso e sofisticado quadrilátero.

E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

Bairro Salamanca Ortega y Gasset

Algumas das lojas mais luxuosas e caras ficam nas ruas Serrano, Velázquez, Goya e Ortega y Gasset, as vias mais importantes do bairro. A calle Serrano começa na Plaza de Independencia onde está a famosa Puerta de Alcalá — pedaço que abriga a entrada principal do Parque del Retiro e lindíssimos palacetes do século 19. Mesmo que você não disponha de bufunfa para gastar, vale  conhecer para apurar o gosto! :mrgreen:

Bairro Salamanca Palacetes 1

Matraqueando Instagram

Um passeio descompromissado, porém, vai revelar alguns atrativos interessantíssimos que vão muito além da ruína do seu cartão de crédito. Salamanca reúne museus, fundações e o próprio Parque del Retiro (que também faz parte da região do Paseo del Prado), um bálsamo gratuito e acessível a qualquer mortal da cidade. É uma das regiões da cidade mais agradáveis para caminhar e apreciar arquitetura histórica bem conservada.

Bairro Salamanca Puerta de Alcalá

Puerta de Alcalá: onde começa (ou termina) a Calle Serrano

O que fazer

Residencia de Estudiantes | É um lugar mítico para a cultura espanhola do século 20.  Fundada em 1910, a residência foi o primeiro centro cultural da Espanha. É uma casa aberta à reflexão, ao diálogo e ao intercâmbio científico e artístico desde o período entreguerras até os dias atuais. Passaram temporadas por aqui nomes como Federico García Lorca, Luís Buñuel, Salvador Dalí, Ortega y Gasset, entre tantos outros. Até hoje acolhe estudantes com projetos que promovam o debate intelectual.  A Fundação Federico García Lorca – com biblioteca aberta ao público – faz parte do complexo. Calle del Pinar, nº 21-23. (Rua paralela à calle Serrano.)  Metrô República Argentina ou Gregorio Marañón.

Bairro Salamanca Palacetes 4

Museo Nacional de Ciencias Naturales | É a versão reduzida do Museu de História Natural de Nova York.  Segue a linha dos museus do gênero: esqueletos de dinossauros, animais empalhados e insetos nos mais variados tamanhos.  Ótimo passeio para aficionados do gênero e para quem está com crianças. Fica entre a calle Serrano e o Paseo de la Castellana, praticamente em frente à Residencia de Estudiantes. Veja horários de visitas aqui. Entrada € 6.  Calle José Gutiérrez Abascal, nº 2.  Metrô República Argentina ou Gregorio Marañón.

Palacio-Museo Lázaro Galdiano | Está numa belíssima mansão e abriga uma das mais vivas coleções privadas da Espanha. (Em breve um post só dele!) São 15 mil obras de arte — como Goya, El Greco, Velázquez, Murillo, Zubaran, Constable, entre outros — e uma biblioteca com mais de 20 mil livros. Só isso já valeria a visita, mas a fundação reúne ainda diversas peças decorativas de gigante valor histórico como porcelanas, tapetes e objetos em bronze e prata. Abre das 10h às 16h30 e domingos das 10h às 15h. Fecha às terças-feiras. Entrada € 6. Calle Serrano, 122. Metrô Gregorio Marañón e Ruben Darío.

Bairro Salamanca escultura

Museo Arqueológico Nacional | Reúne uma impressionante coleção que data desde os primeiros povoados pré-históricos da Península Ibérica até a Idade Moderna, além de retratar as antigas civilizações mediterrâneas e orientais. Acho o passeio indicado, principalmente, para crianças em idade escolar. Elas vão se divertir e aprender muito. Terça a sábado, 9h30 às 20h. Domingo e feriados, 9h30 às 15h. Entrada € 3. Gratuito aos sábados a partir das 14 e domingos pela manhã. Calle Serrano, 13. Metrô Colón.

Onde comprar

Calles Serrano, Goya, Ortega y Gasset e Velázquez | Essas ruas abrigam lojas de diversas grifes internacionais como Yves Saint-Laurent, Carolina Herrera, Gucci, Tiffany, Cartier e Chanel — além de estilistas espanhóis como Purificación García e Adolfo Domínguez. Opções mais acessíveis como as tradicionais Zara e Stradivarius também têm sua portinha no bairro.

Bairro Salamanca Cartier

Para dar um fôlego, no nº 70 da Serrano você encontra um enorme El Corte Inglés, a loja de departamento mais famosa do país. (Ao lado do El Cortés Inglés tem um fofo carrossel para as crianças.) O centro comercial ABC Serrano fica no nº 61 da mesma rua (também há uma entrada pelo Paseo de la Castellana). O refinado shopping está cheio de boutiques de roupas, sapatos e acessórios. Já o El Jardín de Serrano também é um reduto de lojas chiquérrimas situadas em dois palacetes do século 19.

Bairro Salamanca El Corte Ingles

Bairro Salamanca Adolfo Dominguez

Onde comer

Eu deveria ter vergonha de indicar uma rede batida e baratex num lugar tão chiquetê como Salamanca. Mas se você estiver disposto a gastar nos bistrôs e restaurantes do bairro não se prenda por mim. 🙂 Na Calle Serrano nº 41, perto do El Corte Inglés, há uma unidade da rede de restaurante VIPs.

Bairro Salamanca Restaurante VIPs

É uma cadeia que oferece desde o café da manhã, sanduíches até refeições completas a preços excelentes. Meu almoço aqui foi o menu do dia (há várias opções): prato principal com carne, pão, salada e bebida por € 7,90.  Existem muitas unidades do VIPs em Madri. Encontre a sua aqui.

Onde ficar

Ainda não tive a oportunidade de me hospedar ou visitar qualquer hotel nessa região. Mas é uma área ótima para ficar, principalmente se você conseguir algo perto de uma estação de metrô. Apesar de estar cercado por uma intensa zona comercial, Salamanca é um bairro calmo, agradabilíssimo e cheios de árvores. (Caso já tenha ficado hospedado por aqui, deixe sua dica na caixa de comentários, pufavô!) 🙂

Bairro Salamanca ruas

Como chegar

Metrô Colón, Serrano e Velázquez (Linha 4), Goya (Linha 3 e Linha 5), Retiro e Príncipe de Vergara (Linha 2).

Madri combina com

Barcelona

Lisboa

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Posts relacionados

Europa Barata: Madri pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Madri ao centro

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

_________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Banner Guia Madri 2015

Share
quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Madri bairro a bairro | Chueca e Malasañas

Chueca e Malasanas

Se para mim o Barrio de las Letras revela a essência da capital espanhola, poderíamos dizer que Chueca e Malasãnas — grudadinhos um no outro — confirmam a vocação de Madri para o fuzuê inventivo.

A mundialmente conhecida Movida Madrileña nasceu aqui. A região virou uma espécie de reduto de designers, galerias de arte e encontros GLS. E até hoje toda a área — talvez a mais criativa da capital espanhola — abriga novidades exclusivas entre os bares e as lojas da cidade.

A Movida, para quem não se lembra ou nunca ouviu falar, abarcou uma série de acontecimentos que marcaram a história, a cultura e o comportamento dos espanhóis. Na década de 80, alguns anos após a morte do ditador Franco, a casta sociedade da época experimentou a liberdade através da arte, das drogas e do rock and roll. Começava a brilhar uma das estrelas do cine espanhol, Pedro Almodóvar.

E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

Chueca Plaza Chueca

Chueca — que de tão cool já foi chamado de SoHo Madrilenho — está espremido entre o Paseo de Recoletos a leste e a Calle de Fuencarral a oeste. A Plaza de Chueca (foto acima) é o centro de atividades do bairro. Está rodeada de restaurantinhos, padarias, bancas de frutas e fica a pouco passos do Mercado de San Antón, um dos pontos queridinhos do quarteirão.

Tanto Chueca quanto Malasãnas não são bairros com grandes e marcados atrativos turísticos, embora três bons museus da cidade — dois deles, grátis — deem o ar da graça justamente por aqui.

O divertido da região é tropeçar a cada esquina com geniosas vitrines, caminhar por ruas fofíssimas, comprar coisinhas legais e participar das noites animadas. O comércio alternativo e de vanguarda faz um contraponto ao luxo estabelecido nas lojas da Calle Serrano, no bairro Salamanca — refúgio e baluarte dos podres de rico da cidade.

Ainda que muitos alimentem a ideia de que Chueca é um bairro gay e de que Malasañas é a parte punk da cidade, a verdade é que ambos são os mais democráticos de Madri. A região, que abriga a Parada Gay, recebe bem desde famílias com crianças até solteiros em busca de aventura.

Chueca Como Chegar

Já o centro de Malasañas é a Plaza del Dos de Mayo, que fica paralela à calle Fuencarral — mais ou menos na altura da estação do metrô Tribunal. A duas quadras da praça está a Corredora Alta de San Paulo, rua que fica entre a Calle Velarde e a Calle del Espíritu Santo, com um comércio gracioso e cheio de cafés e bares simpáticos.

A História de Madri considera Malasañas palco de duas revoluções importantes na cidade. A primeira foi um levante contra a ocupação napoleônica em 1808. Uma bordadeira de 17 anos, Manuela Malasaña, foi baleada no dia dois de maio daquele ano porque carregava tesouras, consideradas armas de “alta periculosidade” pelos militares franceses. O fato foi tema de uma famosa obra de Goya. O segundo “motim” foi justamente na década de 80, a afamada Movida Madrileña.

O que fazer

Chueca Museo Historia de Madrid

Matraqueando Instagram

Museo de Historia de Madrid | O prédio é um belíssimo exemplo do barroco em Madri. O acervo, com mais de 60 mil peças, oferece uma visão global das artes, das indústrias e da vida comum dos habitantes da cidade desde que foi eleita capital da Espanha até os dias de hoje. Grátis. Terça a domingo, 9h30 às 20h. Calle Fuencarral, nº 78 – Chueca.

Museo Municipal de Arte Contemporáneo de Madrid | Abriga grandes obras de artistas espanhóis, coleções temporárias e exposições de fotografia. De terça a sábado, 9h às 14h e 17h30 às 21h. Grátis. Calle del Conde Duque, nº 9 – Malasañas. Metrô Ventura Rodriguez ou Noviciado.

Chueca Museo del Romanticismo

Museo del Romanticismo | Uma pérola que só fui conhecer nessa minha última visita à cidade. O museu conserva um importante acervo de objetos artísticos e históricos referentes à corrente do romantismo do século 19. Todo o mobiliário é lindíssimo. Não é permitido fotografar. Além da coleção, o museu oferece um Café Jardín, um espaço maravilhoso para tomar um chá da tarde ou um delicioso café da manhã. Entrada € 3. Grátis aos sábados a partir das 14h. Terça a sábado, 9h30 às 20h30; domingos e feriados, 10h às 15h. Calle San Mateo, nº 13. (Já está quase em Alonso Martínez)

Onde comer

Chueca Mercado de San Anton

Mercado de San Antón | São três andares divididos em mercado tradicional, comidinhas e restaurante. Há uma enorme ala gourmet com 10 pontos de degustação de massas, tortas, queijos, presunto e doces. Oferece rede wi-fi gratuita nos três andares. Horário de abertura e fechamento variado. Consulte o site.  Calle Augusto Figueroa, nº 24. Metrô Chueca.

Chueca Mercado de San Anton Suoer

Dica da Matraca: no subsolo do Mercado de San Antón está uma unidade do supermercado SuperCor. O local tem ótimos preços. Encontrei a geleia Dalfour (que no Brasil sai a R$ 18) por menos de 3 euros cada!

Chueca Mercado

Mercado de San Ildefonso | Há pouco mais de dois meses foi inaugurada a mais nova praça gastronômica madrilenha, com um espírito “Street Market”. São 500 metros quadrados distribuídos em três andares com mais de 20 boxes de comida variada. A proposta é atrair um público eclético que gosta de uma boa caña (o chope deles) acompanhadas de porções geniais de tapas, o petisco espanhol. A abertura do San Ildefonso acompanha a proliferação de espaços com vocação gourmet em Madri. Todos os dias, 12h à 1h (e até às 2h de quinta a sábado). Calle de Fuencarral, nº 57 – Malasañas. Metrô Tribunal.

Onde comprar

Chueca Calle de Fuencarral Tiger

Loja Tiger: objetos e artigos de design com ótimos preços

Calle de Fuencarral | É uma das principais vias comerciais de Madri. Começa na Gran Vía e termina na Glorieta de Quevedo. Eu diria que ela já foi mais alternativa. Mas abriga lojas tradicionais como Zara (nº 125), Adidas (nº 46) e Diesel (nº 19). De qualquer maneira, a rua está voltada para moda jovem com as marcas Desigual (nº 36-38) e Foot Locker (nº 4). Recentemente a Rituals (nº 22) e a Kiko Make Up (nº 39), lojas de cosméticos, também despontaram na região. Mas o meu xodó aqui são as tiendas de design.

Chueca Calle de Fuencarral Hosten

A dinamarquesa Hosten: fofurices e artigos inteligentes

Destaco duas sensacionais lojas dinamarquesas, a Hosten (nº 94 – inaugurada há pouco mais de um ano) e a Tiger (mº 103 com lojas em várias cidades europeias). Ambas vendem utilidades, bugigangas de alto nível e objetos de decoração a preços honestíssimos.

Mercado de Fuencarral | Um shopping vertical moderninho cheio de lojinhas de acessórios, cosméticos e roupas de todos os gostos, mas com preços nem sempre atrativos. Segunda a sábado, 11 às 21h. Metrô Tribunal.

Onde ficar

Na minha última viagem a Madri fiz questão de me hospedar em Chueca. Fiquei no Room 007, hostel novíssimo, inaugurado em abril de 2014, e que me custou módicos € 15 a diária num quarto coletivo com banheiro privado. Fica a 100 metros da estação de metrô Chueca.

Chueca Hostel Room 007

A Calle de Fuencarral está a 2 minutos a pé do hostel, enquanto que o Mercado de San Antón fica a 200 m de distância. Crianças são bem-vindas! Já o wi-fi não funcionou direito. Fiz minha reserva pelo Booking.com, onde o hostel tem a incrível nota 9,0! Veja mais fotos aqui! 

Como chegar a Chueca e Malasañas

Chueca | Metrô Chueca (Linha 5)

Malasaña | Metrô Tribunal (Linha 1 e Linha 10), Bilbao (Linha 1 e Linha 4) e Noviciado (Linha 2)

Mapa Chueca malasanas

Madri combina com

Barcelona

Lisboa

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Posts relacionados

Europa Barata: Madri pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Madri ao centro

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

_________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Banner Guia Madri 2015

Share
terça-feira, 26 de agosto de 2014

Madri bairro a bairro | Barrio de las Letras

Barrio de las Letras Madri

Se eu perguntar a você qual o principal cartão postal de Paris ou Roma logo vem à sua cabeça os atrativos turísticos ícones destas cidades — Torre Eiffel e Coliseu, respectivamente. Para não sairmos da Espanha temos Barcelona com um nome fortemente associado à Antoni Gaudí e suas obras modernistas. Ou ainda Sevilha com todos os estereótipos da nação espanhola: flamenco e touradas.

Madri nem sempre pode ser descortinada através de imagens consagradas. Evidentemente que num exercício de construção imaginária encontramos referências à Plaza Mayor, ao Palácio Real e à Gran Vía. Mas o melhor da capital, sua gente e história, nem sempre sai na fotografia.

Barrio de las Letras Madri  Calle de las  Huertas

Partindo dessa análise matraco-freudiana reconheci no Barrio de las Letras a intensa identidade de Madri. A região recebeu este nome por ter sido o lugar onde viveram alguns dos grandes escritores espanhóis do chamado “Siglo de Oro” como Lope de Vega, Miguel de Cervantes, Francisco de Quevedo e Luís Góngora.  Em 2002, o bairro sofreu uma bela intervenção e transformou-se num encantador cruzamento cultural, histórico e arquitetônico.

Hoje, recebe diversas manifestações artísticas e tornou-se, ao lado do bairro La Latina, uma das regiões mais boêmias da cidade. Aliás, não há outra maneira de descobrir o bairro se não for a pé. Existem vários pontos de partidas para “callejear”, algo como vagar sem rumo em português.

Você pode começar pelas Plazas Jacinto Benavente, Ángel ou Santa Ana — onde são homenageados outros nomes importantes da literatura espanhola como Calderón de La Barca e García Lorca. Ao entrar nesse miolinho você tem acesso às ruas primordiais como a Calle Prado — onde está o Ateneo de Madri — e a Calle de las Huertas, a principal artéria peatonal do bairro,  cheia de citações literárias no chão em grandes letras douradas.

Por estas duas ruas (Prado e Huertas) você chega a outras calles destacadas como a León, Cervantes e Lope de Vega. Saliento também que foi daqui, do Barrio de las Letras, de onde saiu a primeira edição de Don Quijote de la Mancha, em 1605. A oficina onde foi impressa a obra-prima que inaugurou a literatura moderna ficava na Calle Atocha. Por certo, não há região melhor em Madri para encontrar toda a sorte de livrarias especializadas em obras raras e antigas!

E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

O que fazer

Barrio de las Letras Madri  Calle de las  Huertas Frases

Calle de las Huertas | É o epicentro do bairro. A rua, somente para pedestres, tem cravado no solo algumas das principais citações dos escritores que aqui viveram. Recebeu este nome, huertas, porque os moradores tinham o costume de cultivar muitas hortas na região. Na verdade, no século 16 o bairro era onde terminava a cidade e começava o campo.  Você pode entrar na Calle de las Huertas vindo do Paseo del Prado ou, no outro extremo, pela Plaza del Ángel.

Barrio de las Letras Madri  Casa Lope de Vega

Casa Museo Lope de Vega | O escritor Félix Lope de Vega viveu seus últimos 25 anos aqui. A visita guiada mostra a história conturbada do escritor e revela um pouco da Madri dos séculos 16 e 17. Não é permitido tirar foto no interior da casa. Ironicamente a casa de Lope de Vega está na Calle Cervantes, nº 11 — sobrenome do seu arqui-inimigo na época. Terça a domingo, 10h às 15h. O pequeno museu está aberto à visitação gratuita. Mas é necessário agendar pelo telefone 91 429 92 16 ou pelo e-mail casamuseolopedevega@madrid.org. As visitas começam a cada meia hora e duram cerca de 45 minutos.

Barrio de las Letras Madri  Calle Cervantes

Matraqueando Instagram

Casa de Francisco Quevedo |  Graças a um trabalho de manutenção a casa de Quevedo está em excelente estado de conservação. Uma placa indica que ali viveu o escritor. O bafafá aqui é que ele comprou justamente a vivienda de onde havia sido despejado seu desafeto Luís Góngora. Está perto do Convento de las Trinitarias Descalzas.  Calle Quevedo quase esquina com Lope de Vega.

Casa Cervantes | Atenção: a casa natal de Cervantes fica em Alcalá de Henares, a 30 quilômetros de Madri. No Barrio de las Letras podemos observar a primeira casa do escritor quando chegou à capital. Está na Calle de las Huertas, nº 18. Já na Calle Cervantes, nº 2 está a casa onde ele viveu seus últimos anos e morreu.

Imprenta del Quijote | A poucos metros da primeira casa de Cervantes está a imprenta de Juan de la Cuesta, onde foi rodada a primeira parte de Don Quijote de la Mancha, em 1605. Hoje, é possível conhecer uma réplica idêntica da máquina que deu vida à obra-mestra da literatura espanhola. É necessário agendar a visita pelo e-mail imprenta@sociedadcervantina.es. Calle Atocha, nº 87.

Convento de las Trinitarias Descalzas | Onde estariam os restos mortais de Cervantes. Calle de Lope de Vega, n º 18. (O convento também tem uma fachada que dá na Calle de las Huertas)

Iglesia de San Sebastián | Onde estariam os restos mortais de Lope de Vega. Calle Atocha, nº 39.

Real Academia de la Historia | Instituição encarregada de estudar a História da Espanha. Para quem tem interesse específico no tema há uma biblioteca com grande acervo disponível. Calle León, nº 21. Entrada livre.

Onde comer

Barrio de las Letras Madri  Cardapio

Cervecería Restaurante Quevedo | Pelo preço de uma caña (chope) você ganha uma porção de tapas generosa: tortillas, queijos, azeitonas, papas bravas e até jamón serrano. Cardápio com preços honestos. Fecha às terças o dia inteiro e sábado à noite. Calle de Quevedo, nº 7. Tel.  914 29 4058.

Onde comprar

Mercado de las Ranas | No primeiro sábado do mês o comércio abre suas portas e coloca os produtos em promoção nas ruas. Uma grande feira ao ar livre movida a apresentações artísticas. O nome do mercado é uma referência à antiga Calle Catarranas (a atual calle Lope de Vega). Reza a lenda que no século 17 o lugar era abarrotado de rãs que se agrupavam por ali por causa das hortas do bairro.

Barrio de las Letras Madri  Libreria Desnivel

Librería Desnível | Está num edifício de 1887. Especializada em montanhismo, escaladas e viagens. Vende ótimos mapas da Espanha e suas regiões. Plaza de Matute, nº 6.

Como chegar ao Barrio de las Letras

O metrô mais próximo é a estação Antón Martín. Mas é possível chegar caminhando da Puerta del Sol (metrô Sol) ou mesmo do Museo do Prado.

Mapa Barrio de Las letras

O Barrio de las Letras está perto de:

Museu do Prado

Centro de Arte Reina Sofía

Museu Thyssen-Bornemizsa

Caixa Fórum

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Madri combina com:

Barcelona

Lisboa

Posts relacionados

Europa Barata: Madri pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Madri ao centro

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

________________________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Banner Guia Madri 2015

Share
sexta-feira, 08 de agosto de 2014

Trem-bala entre Madri e Barcelona: a experiência de viajar a 300 km por hora

Trem bala entre Madri e Barcelona

Seiscentos e vinte quilômetros separam Madri de Barcelona. De carro (ou ônibus) você leva, no mínimo, seis horas e meia para fazer o trajeto. Se optar pelo avião o percurso dura 1h10, mas tem o inconveniente de chegar uma hora antes do embarque (sem contar o tempo de locomoção até o aeroporto) e a restrição de bagagem, principalmente se você optar por uma low cost.

Se sua opção for o AVE — o trem de alta velocidade espanhol — você poderá fazer a mesma rota entre 2h30 e 3h (dependendo do número de paradas), mas com a vantagem de embarcar e chegar em estações centrais. Ambas, tanto em Madri quanto Barcelona, estão conectadas ao metrô.

Sem contar que a façanha apresenta alguns “up grades” de lambuja: as poltronas são muito mais espaçosas que as do avião, o banheiro é enorme (desculpe, me esqueci de tirar foto do dito cujo), você tem tomada (que funciona!) para carregar seus dispositivos, a internet do telefone trabalha praticamente durante todo o trajeto (mas não tem wi-fi), pode chegar mais próximo da hora do embarque, não tem que ficar esperando as malas nas esteiras, além de ter uma franquia de bagagem maior que a do avião.

+ E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

Vagao restaurante trem bala Madri Barcelona

Há vagões-lanchonete que vendem sanduíches, snacks, bebidas e água. Este combo com sanduíche de atum e ovos, batata chips e uma bebida saiu por € 6,90.

Por fim, um painel eletrônico vai mostrando a velocidade que o trem vai desenvolvendo: 120, 180, 230… até chegar a incríveis 300 km por hora!

Mas vamos alinhar as expectativas: você não vai sentir grandes trepidações, nem vai provar aquele impulso que faz as costas grudarem na poltrona como se estivesse num Concorde, muito menos terá a sensação de estar dentro de um carro de fórmula 1. A experiência, nesse quesito, é mais psicológica do que prática!

COMO COMPRAR

É possível comprar diretamente no site da Renfe, empresa que administra a rede ferroviária espanhola. Você escolhe entre ida e volta ou somente ida.

Na origem, selecione a estação Madrid-Puerta de Atocha e no destino, Barcelona-Sants. (Ou vice-versa se você quiser fazer o trajeto ao contrário). Determine o número de pessoas que vão viajar e clique em comprar.

Matraqueando Instagram

Renfe Como comprar passagem Madri Barcelona

Na segunda tela aparecerão as possibilidades de preços e horários. Existem as categorias Turista, Turista Plus, Preferente e Club. Na categoria “Turista” seriam os vagões e poltronas mais simples (mas, ainda, assim, mais confortável que as dos aviões).

E na categoria mais alta (e mais cara), a Club, você tem direito à sala VIP, menu a bordo e poltronas de couro e que reclinam mais. Eu testei a basiquinha mesmo! :mrgreen:

+ Madrid Card: inclui entrada gratuita em 50 museus e visita ao estádio do Real Madri + brinde. Compre o seu aqui!

Renfe Como comprar passagem Madri Barcelona pay pal

Às vezes a tarifa mais barata é a 4P, que significa cuatro personas. Ou seja, você compra aquelas mesinhas de quatro lugares, mas a pegadinha é que você será obrigado a adquirir as quatro passagens juntas para obter o melhor preço individual.

Geralmente a melhor melhor opção será a tarifa P (de Promo). Com antecedência você pode encontrar passagens a partir de € 32 por trecho.

Importante: bilhetes comprados com, no mínimo, 15 dias de antecedência podem custar até 50% mais baratos. No entanto, se você simular viagens para daqui a três meses, às vezes, não aparecem as opções.

Agora, selecione o dia, horário e tarifa. Em seguida aparecerá a tela para você preencher com seus dados pessoais. Clique em continuar.

Renfe Como ir Madri Barcelona trem bala

E, por fim, a forma de pagamento. Você pode pagar com cartão de crédito ou pelo PayPal. Tentar pagar com o cartão de crédito pode ser uma tortura, porque o sistema é tão moderno que acaba sendo um atraso de vida.

Ele só aceita cartões com uma tecnologia avançada de autenticação on-line (como Verified by Visa ou MasterCard Secure Code).

+ Leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro viagem da Mondial. Pegue sue cupom aqui.

Renfe Como comprar passagem de trem

Mas, ATENÇÃO, eu fiz uma tentativa de compra com o meu cartão Diners Club Exclusive (que eu nem sabia se tinha essa tecnologia) e a compra foi aprovada de primeira, sem qualquer drama.

Por outro lado, a inclusão de pagamento através do Pay Pal (adotada recentemente pelo site) facilitou e muito a vida de quem quer comprar na Renfe. É só se cadastrar no Pay Pal, um sistema de pagamento on-line altamente seguro e fácil de utilizar.

Outras opções: você pode comprar sua passagem na Espanha, diretamente nas estações (mas se comprar muito em cima da hora os valores podem ser absurdos) ou em sites de agências on-line que não têm essa burocracia do cartão, mas que cobram uma taxa pela emissão.

E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

ONDE EMBARCAR

Em Madri você embarca (ou chega) na estação Puerta de Atocha, conectada ao metrô da cidade. A estação é linda e “arborizada”. O AVE tem local de embarque próprio. Siga as placas (que não são muitas, eu mesma me perdi) ou pergunte ao centro de informações como ir até à plataforma.

Importante: tenha seu cartão de embarque impresso. Será necessário apresentá-lo para acessar as plataformas. Chegue com pelo menos 30 minutos de antecedência, porque você terá que passar as bagagens por um sistema de raio-x. De qualquer maneira, flui rápido.

Madrid Estacao Porta de Atocha

Estação Puerta de Atocha em Madri

Em Barcelona você chega (ou embarca) na estação Barcelona Sants, no bairro de Sants-Montjuïc, que também está conectada ao metrô da cidade.

QUANTO PODE LEVAR DE BAGAGEM

Todo vagão tem um compartimento específico para colocar bagagens maiores. Mala de mão ou volumes menores podem ser acomodados na parte de cima dos assentos. Ao contrário do que muita gente pensa, o número de bagagens não é ilimitado.

Você poderá levar até três malas com até 25 quilos os três volumes juntos e a soma das dimensões (altura, largura e profundidade) das três malas não podem ultrapassar 290 cm. Cadeirinhas e carrinhos de bebê contam como uma bagagem.

+ Barcelona Card: transporte público gratuito, entrada grátis em museus e diversos descontos. Compre o seu aqui!

Como ir de Barcelona a Madri com o AVE

Dica de segurança: eu tenho pavor de deixar minha mala lááá no compartimento próprio (que é aberto) se não puder ficar olhando para ela todo o tempo.

Como eu viajo com mala pequena, para mim é fácil acomodá-la no compartimento acima do assento. Não é comum relatos de roubos de bagagens nos trens, mas pode acontecer. Fique atento e ¡buen viaje! 😉

Posts relacionados

MADRI

Europa Barata: Madri pela primeira vez

Madri: dois hostels novos, descolados e baratim

Como ir do aeroporto de Madri (Barajas) ao centro

Tour no estádio do Real Madri: compre seu ingresso antecipado e evite filas!

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Gran Vía e Callao

BARCELONA

Europa Barata: Barcelona pela primeira vez

Hospital de la Santa Creu i Sant  Pau: o atrativo modernista da vez em Barcelona

Palau de la Música Catalana: a única sala de concertos modernista Patrimônio da Humanidade

Barcelona: três hostels bacanas, baratos e bem localizados

Ônibus Turístico Hop On Hop Off: a maneira mais econômica de conhecer Barcelona para quem tem pouco tempo

Leia também

Espanha a 50 euros por dia

Figueres e Girona: passeio de um dia à cidade natal de Salvador Dalí

______________________________

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados.

Banner Guia Madri 2015

Share
terça-feira, 12 de junho de 2012

Europa Barata: Madri pela primeira vez

Gran Via  Madri

A série Europa Barata do Matraqueando pretende matar duas questões com uma só postada: orientar quem vai pela primeira vez à Europa, mas tem o orçamento restrito. Não ambiciono esgotar todos os aspectos da cidade, muito menos elaborar listas do que é ou não é obrigatório fazer nas principais capitais que aparecerão aqui. A proposta é oferecer alternativas que gerem satisfação através da economia inteligente.

MADRI PELA PRIMEIRA VEZ

A capital da Espanha é moderna e progressista. Mas nunca perdeu as tradições nem o aspecto aristocrático. Madri se consagra como uma das cidades europeias mais boêmias e notívagas. Tem padaria que abre às 9h da manhã e restaurante que começa a colocar as mesinhas na calçada para o almoço depois do meio-dia.

Na sua estréia em  Madri você não vai escapar da Gran Vía, avenida emblemática que acabou de completar 100 anos! Já a siesta é o maior patrimônio zen-erudito-cultural da Espanha. É uma espécie de meditação ibérica que ocorre sempre depois do almoço e vai até umas quatro da tarde. Ainda que a siesta não seja tão notada nas cidades maiores, algumas lojas e escritórios da capital fecham as portas das 14h às 17h.

E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

COMO IR DO AEROPORTO AO CENTRO

O aeroporto internacional de Barajas, em  Madri, é o maior da Espanha e o segundo maior da Europa. Ao contrário dos aeroportos de Roma e Paris, Barajas está conectado ao metrô (linha 8). As estações estão em dois terminais: T2 (Metro Aeropuerto T1, T2, T3) e T4 (Metro Aeropuerto T4). O bilhete — que pode ser comprado em máquinas automáticas ou nos guichês — custa € 4,50 (tarifa simples de € 1,50 + € 3 do suplemento do aeroporto). O metrô funciona das 6h da manhã às 2h da madrugada.

A Linha Express Aeroporto  funciona 24 horas e o bilhete custa apenas € 5. O ônibus faz somente quatro paradas entre o aeroporto e a estação Atocha. O trajeto até o centro não dura mais do que 40 minutos. Não cobra bagagem. Pode ser uma excelente opção para quem chega de madrugada — quando não há mais metrô — e não quer gastar com táxi. Os ônibus saem, em média, a cada 15 minutos de dia e a cada 35 minutos à noite. A passagem pode ser comprada diretamente com o motorista e o troco máximo é para notas de € 20.

Veja post atualizado de como ir do aeroporto ao centro de Madri aqui.

COMO CIRCULAR NA CIDADE

O metrô de Madri — limpo, organizado e ecológico — é a maneira mais fácil e barata de circular pela capital. A maioria dos atrativos turísticos está próxima de alguma estação. Funciona das 5h30  à meia-noite e meia durante a semana e até às 2h da matina nos finais de semana. O  bilhete simples custa € 1,50. Já o abono que dá direito a 10 viagens sai por € 12.

MADRID CARD

Benefícios | O cartão turístico de Madri dá direito a transporte público gratuito, à  entrada em centros culturais e em mais de 50 museus e monumentos. O detalhe é que esta lista inclui mais de 30 atrações que já são gratuitas sempre.

Validade | É possível comprar bilhetes válidos para um, dois, três e cinco dias.

Quanto custa | O passe de 24h custa € 39, o de 48h sai por € 49, o de três dias está € 59 e o de cinco dias vale € 69.

Onde comprar |  No centro de informação turística da Plaza Mayor, no aeroporto, em alguns museus, hotéis e agências de viagem. Na compra on-line utilizando um cartão Mastercard você ganha 10% de desconto.

Vale a pena? |  Eu acho um passe caro. Quase ninguém consegue visitar três museus, dois palácios e, ainda por cima, andar para cima e para baixo de metrô em 24 horas. Porque só assim para compensar a tarjeta de um dia, por exemplo. Por outro lado, se você pretende visitar o estádio do Real Madri — que custa € 16 e está incluído no Madrid Card — é caso de considerar o passe turístico.

Dica: O Paseo del Arte é um cartão econômico para quem pretende visitar o Museo del Prado, o Reina Sofía e o Thyssen-Bornemisza, mas não quer enfrentar a muvuca dos dias gratuitos. Tarifa única: € 21,60. Pode ser comprado na bilheteria de qualquer um desses museus. Comprando as entradas destes museus separadamente você paga € 27.

+ Leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro de viagem da Mondial e ainda dá para dividir em 6 vezes!

Plaza-Cibeles-Madri-Como-chegar

10 ATRAÇÕES GRÁTIS EM MADRI

1. O impressionante centro cultural, CaixaForum.

2. O Parque del Buen Retiro,  refúgio urbano de madrilenhos e turistas.

3. As conferências e exposições da Casa Encendida.

4. A monumental a aristocrática Plaza de Cibeles (foto acima).

5. A história das touradas no Museu Taurino na Plaza de Toros de las Ventas.

Madri plaza mayor

6. A Plaza Mayor, a mais bela e emblemática praça da Espanha.

7. A Catedral de Almudena, construída em homenagem à padroeira da cidade.

8. O histórico Mercado de San Miguel.

9. A charmosa Plaza de la Villa e sua imponente Torre dos Lujanes, no centro histórico.

10. O Matadero de Madri,  antigo local de abate e hoje descolado espaço cultural da cidade.

E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

VALE O INVESTIMENTO!

– O Centro de Arte Reina Sofía, onde está a célebre obra Guernica de Picasso.  € 6. Gratuito de segunda  a sexta, 19h-21h;  sábado, à tarde e domingo pela manhã.

– O Museo Nacional del Prado, o mais importante da Espanha e um dos melhores da Europa. € 12. Grátis de segunda a sábado 18h-20h e domingos/feriados 17h-20h.

La-Latina-Madri-Centro

CITY TOUR GRATUITO

Todos os dias, às 11h, sai da Plaza Mayor um Free Walking Tour pela cidade. O passeio, grátis,  é coordenado por guias treinados. O tour dura, mais ou menos, três horas e percorre os principais pontos de interesse histórico da cidade. No final, é bem possível que peçam alguma gorjeta. Faça sua reserva aqui: www.newmadrid-tours.com

REFEIÇÕES POR MENOS DE € 10

Nos supermercados Al Campo procure pelo produtos Primer Precio. Estão por todas as gôndolas. São 40% mais baratos que os concorrentes, com a mesma qualidade. Entre no site para ver onde há uma filial mais próxima de você. Pizzas médias, por exemplo, a € 2,30. Existem massas prontas (ravióli, capeletti e talhatelli) com vários temperos (ricota, pesto, carne ou quatro queijos) a partir de € 1,85.

Em qualquer café decente prove o churros com chocolate. Vai custar pouco e nada pode ser tão típico e aconchegante por aqui. Para desfrutar do modo mais espanhol de beliscar comidinhas, vá de tapas  — o petisco espanhol. Em alguns bares as porções são grátis! Trata-se de uma rodada generosa de petisco que vêm de graça ao pedir uma caña (chope).  Na calle Infantas (Metrô Gran Via) há dois bares tradicionais do tapeo gratuito, o El Tigre (nº 30) e o El Respiro (nº 34).

Bairro-Salamanca-Restaurante-VIPs

Para pratos fartos e econômicos procure uma unidade da rede de restaurante VIPs. É uma cadeia que oferece desde o café da manhã, sanduíches até refeições completas a preços excelentes. Meu almoço aqui foi o menu do dia (há várias opções): prato principal com carne, pão, salada e bebida por € 7,90 (foto acima).  Existem muitas unidades do VIPs em Madri. Encontre a sua aqui.

Em diferentes cidades da Espanha você encontra a cadeia de restaurante FrescCo, especializada em comida saudável e mediterrânea. O buffet completo inclui saladas, prato quentes, sobremesas (geralmente frutas das estação) e bebida (que pode ser água, refrigerante, chopp ou vinho) por módicos € 9,95 por pessoa até às 18h. À noite, fins de semana e feriados custa € 11,95 euros.Todos os restaurantes são novos e aconchegantes, apesar do burburinho (vivem lotados!) na hora das refeições! Consulte o site deles para saber onde há um restaurante mais próximo de você.

Na capital espanhola você também pode conhecer a Taberna Alhambra.  A Paella Mixta está € 7 e saladas a partir de € 4. Ambiente típico. Está a três quadras da Puerta del Sol.  Já a rede Maoz — com filiais no mundo todo — incluindo Madri e Barcelona, é uma rede especializada em falafel e outras gostosuras na linha do fast-food-saudável (com buffet de salada à vontade).

+ Alugue um carro aqui com segurança e percorra a Espanha com mais economia

5 DICAS DE HOSPEDAGEM BOA E BARATA

Madri oferece boa oferta de hospedagem boa e barata. Há vários hostales — uma espécie de pensão — nas principais vias turísticas da cidade. Ao longo dos anos, a capital passou a receber, também, albergues-design e descoladinhos!

U Hostel madri

U-Hostels | Superclean, espaçoso (acho que foi o quarto de albergue mais espaçoso que já fiquei) e com varanda. Há luminárias de leitura e tomadas ao lado de todas as camas. O U-Hostels (foto acima) tem ar condicionado, armários individuais e a roupa de cama está incluída. Está a apenas cinco minutos caminhando do descolado bairro Chueca. A partir de € 25 por pessoa em quarto coletivo com café da manhã simples. Veja meu relato completo sobre este albergue aqui.

Hostal Murallas |  Excelente custo benefício. O quarto duplo está a partir de € 32 com televisão e banheiro privado. Sem café da manhã. Os quartos são bem simples, mas o hostal está no coração da cidade, a 200 metros da Gran Via, ao lado da Puerta del Sol.

Astoria |  Está em um edifício histórico de 1890. É uma pensão recém reformada com pinta de hotel 2 estrelas. Tem wi-fi grátis. Diárias do quarto duplo com banheiro a partir de € 49. A suíte com varanda, hidromassagem, televisão LCD e ar-condicionado está € 85. Próximo a Puerta del Sol. Metrô Sevilla ou Sol.

Chueca-Hostel-Room-007

Room 007 Chueca | Moderninho e com decoração design. Roupa de cama e toalhas estão incluídas, assim como sabonete líquido nos banheiros. Há luminárias de leitura e tomadas ao lado de todas as camas. O Room 007 Cheuca (foto acima) está a 100 metros da estação de metrô Chueca. O bairro é conhecido por seu fuzuê inventivo. Diárias a partir de € 21 em quarto coletivo com café da manhã. Quarto quádruplo por € 89. Veja meu relato completo sobre este albergue aqui.

Hostal Victoria |  Apesar da decoração cafonilda, os quartos — reformados — têm toalhas brancas, ar condicionado, frigobar, TV e estão de frente para a Puerta del Sol. A diária está a partir de € 50 para o casal. Aceita cartão de crédito, o que é raro nesse tipo de hospedagem.

ALUGUEL DE TEMPORADA EM MADRI

Se você viaja em grupos ou pretende ficar mais de uma semana na cidade alugar um apartamento de temporada pode ser um bom negócio. No Apart In Madrid há  apartamentos que acomodam até 3 pessoas a partir de € 65 a diária. Já o Rent4days oferece apartamentos para sete pessoas a partir de € 120 por dia.

COMPRINHAS LEGAIS

O Las Rozas Village  é um enorme outlet nos arredores de Madri que abriga um aglomerado de marcas famosas com descontos de até 70%. Já a marca espanhola Zara — que custa os olhos da cara aqui no Brasil — tem precinho de C&A na Espanha. Querendo ter seu momento extravagância, encha a mala com modelitos que só chegarão aqui uma temporada depois e pelo dobro do preço.

O Mercado del Rastro é o mercado de pulgas mais famoso do país, daqueles que reúnem todo tipo de tranqueira, balangandã e coisinhas antigas. Funciona aos domingos 9h-15h.

DICA DA MATRACA

Num raio de 200 quilômetros de Madri estão cinco cidades Patrimônio Histórico da Humanidade: Toledo, Segóvia, Ávila, Cuenca e Salamanca. A medieval Toledo — às margens do Rio Tejo — por exemplo, está a 60 km – a meia hora de trem. Na estação Atocha dá para comprar os bilhetes a partir de € 11,90. A Santa Catedral Primada de Toledo demorou 250 anos para ficar pronta e a sacristia abriga obras de El Greco e Tristán. Entrada gratuita antes das 12h, depois das 16h e aos domingos.

Já Segóvia, a 30 minutos de Madri com o trem rápido (bilhetes a partir de € 11,90), merece um dia inteiro de visita. A cidade preserva o mais alto aqueduto do Império Romano, com 29 metros de altura. Entre no site oficial da Renfe (www.renfe.es) para saber informações e horários dos trens.

BLOGOSFERA

Conexão Madri, Rumo a Madrid e Descubra Madrid

Bannerzinho Mondial Assistance

IMPORTANTE | A Espanha faz parte parte do Tratado de Schengen, um acordo que estabelece normas para quem pretende visitar os países membros. A determinação EXIGE um seguro de viagem obrigatório com cobertura mínima de € 30 mil que muitas vezes deve ser apresentado na imigração, caso solicitado. A boa notícia é que leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro internacional da Mondial Assistance. Pegue seu cupom aqui e viaje tranquilo! Vale para mochileiro, viajante solo, luxo, aventureiro e família. E ainda dá para dividir em até 6 vezes!

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS

DDI | 34
Língua Oficial | Espanhol
Fuso Horário | Quatro horas a mais do que o Brasil
Quando ir | No verão, Madri se rende ao calor europeu e a cidade brilha. Em agosto, os espanhóis saem de férias e, embora a cidade fique pinhocada de turistas, muitos restaurantes e lojas fecham nessa época.  No inverno, a mínima chega fácil a 2ºC e no verão, de dia, a média de temperatura é de 23ºC. De uma maneira geral, chove pouco na capital.
Site do país | www.spain.info
Site da cidade | www.esmadrid.org
Informações turísticas | www.guiadelocio.es
Embaixada brasileira | Calle Fernando El Santo, nº 06 (3491) 700-4650 – www.brasil.es
Brasil Direto a cobrar via Embratel | 900990055
Companhias aéreas low cost:  Vueling

Posts relacionados

Europa Barata: Barcelona pela primeira vez

Europa Barata: Berlim pela primeira vez

Europa Barata: Paris pela primeira vez

Europa Barata: Londres pela primeira vez

Europa Barata: Roma pela primeira vez

Europa Barata: Lisboa pela primeira vez

Leia também

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Gran Vía e Callao

Compre seu ingresso antecipado e evite filas

– Museu do Prado

– Museu do Prado + Museu reina Sofia + Museu Tyssen Bornemisza

– Ônibus Hop On Hop Off em Madri com desconto

– Compre aqui seu Madrid Card: acesso gratuito a mais de 50 museus e atrações

E ainda

Espanha a € 50 por dia | Parte 1

Espanha a € 50 por dia | Parte 2

Espanha a € 50 por dia | Parte 3

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados.

Banner-venda-Madri

 

Disclaimer | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Este post contém links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. O Matraqueando não faz post patrocinado. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Assim, você ajuda  a manter o blog com dicas fresquinhas e gratuitas, além de não pagar nada mais por isso. Desde já agradeço a preferência! 😉
Share
terça-feira, 22 de março de 2011

Como ir do aeroporto de Madri (Barajas) ao centro

Plaza-Cibeles-Madri-Como-chegar

*Post atualizado em fevereiro de 2016

O aeroporto de Barajas, em Madri, recebe em torno de 55/60 milhões de passageiros por ano. É o principal da Espanha e o segundo maior da Europa. São quatro terminais de embarque e desembarque – T1, T2, T3 e T4  – unidos entre si por duas estações de metrô e ônibus gratuitos que funcionam 24 horas. O aeroporto está a 13 quilômetros do centro. Veja como chegar:

+ E-book | O Barato de Madri —> Baixe o seu agora mesmo!

METRÔ

O aeroporto de Madri, ao contrário dos de Roma e Paris, está conectado ao metrô (linha 8), facilitando muito a vida do viajante econômico e com poucas malas.  As estações estão em dois terminais: T2 (Metro Aeropuerto T1, T2, T3) e T4 (Metro Aeropuerto T4).  Se você descer no T1 levará uns 8, 10 minutos caminhando até a estação do T2. Todos os corredores são bem sinalizados. É só seguir as plaquinhas indicando o metrô que você chega lá.

Quanto custa | O bilhete AEROPUERTO custa entre € 4,50 e € 6 (depende até onde você vai) e pode ser adquirido nas máquinas automáticas dentro do aeroporto ou no balcão de atendimento. Importante: conserve a passagem com você até o final do trajeto. Caso algum fiscal peça para ver seu bilhete e você não estiver com ele, já vai começar a viagem com multa pesada.

Quanto tempo leva | A viagem até a estação Nuevos Ministerios leva de 15 a 20 minutos. Nesta parada você pode fazer baldeações para as outras, inclusive a que leva à estação Sol, região da Puerta del Sol, no centro da cidade. Veja o mapa do metrô aqui.

Horários | Funciona das 6h05 às 2h da manhã

Quanta bagagem pode levar | Quanto você conseguir arrastar de mala escada acima pelas estações.

ÔNIBUS

 A Linha Express Aeroporto (Línea Exprés Aeropuerto) funciona 24 horas por dia, 365 dias por ano. É uma ótima escolha para quem chega de madrugada — quando não há mais metrô — e não quer gastar com táxi. O ônibus faz somente duas paradas (Calle O’Donnell e Plaza Cibeles) entre o aeroporto e a estação Atocha.

Quanto custa | A passagem custa € 5 e pode ser comprada em dinheiro diretamente com o motorista. Troco máximo de € 20.

Quanto tempo leva | Do T1 até a Atocha, leva 30 minutos. Do T2 são 35 minutos e saindo do T4 são 40 minutos.

Horários | O serviço funciona 24 horas. Das 6h às 23h30 os ônibus saem a cada 15/20 minutos. Das 23h30 às 6h, a cada 35 minutos.

Quanta bagagem pode levar | Maletas e volumes  como carrinho de bebê que não ultrapassem 23 kg cada e que tenham formato e tamanho compatíveis com a bagagem aceita na aviação civil. Não cobra taxa extra.

Importante | Há duas linhas de ônibus comum (sem ser a expressa) que fazem o trajeto aeroporto-centro, a 101 e a 200, mas só operam entre 6h (7h aos domingos e feriados) até às 23h45. A passagem custa € 1,50. (Nunca peguei, não saberia dizer se demora muito ou se há perrengues, principalmente com malas.)

+ Leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro de viagem da Mondial e ainda dá para dividir em 6 vezes!

La-Latina-Madri-Centro

TREM

A estação de trem está localizada no Terminal 4 e pode ser especialmente interessante para quem quer chegar às estações Atocha ou Chamartín, de onde saem trens para diversas cidades nos arredores de Madri. (Lembrando que para se deslocar entre um terminal e outro dentro do aeroporto há um ônibus gratuito  — shuttle bus — que circula 24 horas por dia.)

Quanto custa | Olha que coisa linda: pode ser grátis se você tiver uma passagem para o trem-bala (AVE) que leva a Barcelona. Para você emitir seu tíquete grátis tem que encontrar uma máquina de autoatendimento da RENFE-Cercanías e seguir as instruções do “Combinado-Cercanías” que aparece na tela para emitir seu bilhete gratuito. Repetindo, válido para quem tem uma passagem da RENFE para viajar no trem rápido que leva a Barcelona.  Mais informações no site da RENFE. Sem este benefício, você tem que comprar o bilhete simples que custa € 2,60. Ainda assim, mais barato do que o metrô.

Quanto tempo leva | São 11 minutos até à estação Charmatín e 25 minutos até a estação Atocha. Ele ainda para em Nuevos Ministerios e Príncipe Pio.

Horários | Funciona das 6h02 às 23h33.

Quanta bagagem pode levar | Maletas e volumes como carrinho de bebê que não ultrapassem 23 kg cada e que tenham formato e tamanho compatíveis com a bagagem aceita na aviação civil. Não cobra taxa extra.

Importante | Atenção, muquiranas! O trem, apesar de ser mais barato do que o metrô, só sai do T4 (Terminal 4). Se você descer em outros terminais terá que pegar o ônibus gratuito dentro do aeroporto para fazer esse deslocamento, o que vai aumentar o tempo até seu destino final. Ah, guarde seu bilhete até o fim da viagem. O tíquete é necessário para sair da estação.

Jornal madri

SHUTTLE

O Madrid Airport Shuttle (van) leva você do aeroporto até a porta do seu hotel. Mas só vale a pena (financeiramente falando) se você estiver em grupo de quatro ou mais pessoas.

Quanto custa | Uma pessoa sai € 30. Para quatro pessoas são € 48 (€12 por pessoa). O shuttle pode levar até 14 pessoas. Para grupos menores podem ser deslocados carros também menores. Crianças contam como adulto e não podem viajar no colo. Veja valores atualizados aqui.

Quanto tempo leva | Depende de onde está localizado o seu hotel. Mas se for na região central, em torno de 30 a 40 minutos. Tem que levar em consideração que ele poderá parar em outros hotéis (antes do seu) para desembarcar passageiros, caso vocês peguem uma van coletiva.

Horários | Funciona 24 horas. Mas os valores acima são para traslados feitos das 5h às 20h. Após este horário (noite e madrugada) é acrescentado um suplemento de € 2 por pessoa.

Quanta bagagem pode levar | Não tem limite de peso. Mas leve em consideração malas com tamanho, formato e peso compatíveis com as quais você levaria no avião. De qualquer forma, volumes extraordinários como cadeiras de rodas, carrinho de bebê, equipamentos de golfe ou esqui podem ser cobrados à parte. Informe-se no momento da reserva.

Importante | É obrigatória a reserva antecipada por e-mail. O pagamento é pré-autorizado. Em 24 horas você recebe um voucher no seu e-mail (ou fax, se preferir) com os dados do traslado. Em caso de cancelamento, multas são aplicadas.

+ Alugue seu carro com segurança e percorra Madri e arredores com mais economia

TÁXI

Sem dúvida, é a opção mais cômoda e não chega a ser tão cara. Se você estiver em quatro pessoas ele ficará mais em conta do que o shuttle.

Quanto custa | A corrida até a Puerta del Sol (região central) sai por € 30 (tarifa fixa). Viagens noturnas e feitas durante fins de semana ou feriados podem ficar mais caras. Se o trajeto é inferior a 10 quilômetros é aplicada uma tarifa mínima de € 20. Se por um acaso ultrapassar os 10 km, o taxímetro será acionado a partir daí e você vai pagar os € 20 mais o que der no taxímetro.

Quanto tempo leva | Entre 30 e 40 minutos, dependendo do trânsito.

Horários | 24 horas

Quanta bagagem pode levar | Maletas e volumes  como carrinho de bebê que não ultrapassem 23 kg cada e que tenham formato e tamanho compatíveis com a bagagem aceita na aviação civil. Não cobra taxa extra.

+ Dicas de hospedagem boa  e barata em Madri: sem taxa de reserva e cancelamento grátis!

_____________________

IMPORTANTE | A Espanha faz parte parte do Tratado de Schengen, um acordo que estabelece normas para quem pretende visitar os países membros. A determinação EXIGE um seguro de viagem obrigatório com cobertura mínima de € 30 mil que muitas vezes deve ser apresentado na imigração, caso solicitado. A boa notícia é que Leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro internacional. Pegue seu cupom aqui e viaje tranquilo! Vale para viajante solo, mochileiro, luxo, aventureiro e família. E ainda dá para dividir em até 6 vezes! 🙂

Posts relacionados

Como ir do aeroporto de Barcelona (El Prat) ao centro

Como ir do aeroporto de Paris (Charles de Gaulle) ao centro

Como ir do aeroporto de Roma (Fiumicino) ao centro

Como ir do aeroporto de Londres (Heathrow) até o centro

Como ir do aeroporto de Lisboa ao centro

Madri bairro a bairro

Barrio de las Letras

Chueca e Malasañas

Salamanca

La Latina

Gran Vía e Callao

Leia também

Madri: dois hostels novos, descolados e baratim 

Passeios turísticos

Tour no estádio do Real Madrid

Tour com o ônibus Hop On Hop Off em Madri

Tour de compras no outlet Las Rozas Village

Tour de Segway em Madri

Show de flamenco tradicional

Garanta aqui seu Madri Card e tenha acesso grátis a mais de 50 atrações e museus

E ainda

Espanha a 50 euros por dia – Parte 1

Espanha a 50 euros por dia – Parte 2

Espanha a 50 euros por dia – Parte 3

______________

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados. 

Banner-venda-Madri

Disclaimer | Este post contém links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. O Matraqueando não faz post patrocinado. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Assim, você ajuda  a manter o blog com dicas fresquinhas e não paga nada mais por isso. Desde já agradeço a preferência! 😉
Share
segunda-feira, 13 de abril de 2009

Madri: o que fazer em 36 horas?

Enquanto preparo a continuação da nossa saga em Foz do Iguaçu, viaje a Madri com a correspondente do The New York Times Syndicate, Elaine Sciolino. A repórter não traz nenhuma grande novidade, mas organiza um roteirinho fácil  – de sexta a domingo – na capital espanhola. Para ler a matéria, clique aqui.

Aproveite para rever o que a gente já falou  sobre Madri, Barcelona e Sevilha.

Share
domingo, 29 de julho de 2007

Madri: a bem sucedida capital espanhola

Não é a minha cidade preferida. Perde longe para Barcelona. Não tem o charme mourisco de Sevilha. Nem o sol dos balneários da Costa da Luz. Mas é a capital da Espanha, o país europeu mais completo! (Lembrando que o meu diário de bordo está baseado na visão sentimental-apaixonada-holística-metafísica-e-pessoal da autora, euzinha!).
.
Ainda que não seja tão charmosa quanto a capital da Andaluzia, nem tão psicodélica quanto a capital da Catalunha, dá para propor destinos lindos, trajetos que considero imperdíveis, lugares fascinantes, restaurantes charmosos, museus ultra-atraentes.
.
Quase todo mundo que chega do Brasil à Espanha baixa, primeiro, em Madri. É a maior cidade do país. Possui dois dos principais museus da Europa, o Prado e o Reina Sofía. A realeza mora aqui. E o Rei Juan Carlos I, carismático que só ele, é amado pelos madrileños.
.
Não posso dizer que é a mais festeira porque tem Barcelona, essa sim, insuperável no quesito diversão. Mas é de tirar o fôlego de qualquer adepto das raves mais badaladas do mundo. Para você ter uma idéia, há discotecas (e bares!) que fecham ao meio-dia do dia seguinte. Por que depois vem a siesta, o maior patrimônio zen-erudito-psicológico-cultural da Espanha.
.
Os madrileños falam muito. Se você estiver vindo de um país, eu diria assim, mais contido como a Inglaterra, por exemplo, vai saber o que eu quero dizer. Enquanto que no metrô de Londres ninguém abre a boca e todo mundo fica concentrado no seu jornal, em Madri (e em muitos outros lugares da Espanha, afinal os madrileños são, antes de tudo, espanhóis!) eles não param de hablar um só minuto.

Já no primeiro dia na cidade ninguém escapa da Gran Vía. Se não for a principal é a mais conhecida rua de Madri. Está bem no centro, no coração da cidade. Sabe aquela frase batidinha “todos os caminhos levam a Roma”? Pois aqui, por onde quer que vá, você cai na Gran Vía. Ela une a Plaza de España com a Calle de Alacalá, mais El Paseo del Prado.

Andando um pouquinho mais está la Puerta del Sol, La Plaza Mayor e o Palacio Real, a casa do rei. Passear pela Gran Vía, conhecer seus personagens, seus pontos curiosos (uma da unidades do Museo del Jamón fica aqui) e sua arquitetura é o passeio mais madrileño e econômico que você pode fazer na cidade. Até onde eu sei caminhar sem rumo não paga nada.
.
Você pode se arriscar, também, no Casco Viejo, o centro antigo da cidade. Ao contrário das grandes avenidas, o casco viejo é cheio de ruazinha e bequinho, numa desordem estrutural e urbanística que provocaria uma crise convulsiva no arquiteto Jaime Lerner. O legal aqui é se perder! Perguntar (mesmo que estiver com o mapa na mão) o caminho de volta. Ou a saída.

E depois tentar voltar e não conseguir. Quando você estiver passando pela terceira em vez em frente daquele mesmo predinho amarelo, pare e descanse em qualquer pastelería que tiver ao alcance dos seus olhos. Aos distraídos: pastelería – na Espanha – vende doce, não salgado.


O que você deve ver ou fazer, gastando pouco ou nada

Beliscar as tapas de presunto no Museo del Jamón. Quase sempre tem um pratinho com a iguaria para o turista provar.
Gran Vía, 72. Tel. 91 541 2023/24

Ficar zanzando pela Puerta del Sol. Em formato de lua, é a praça mais famosa da capital espanhola.
Puerta del Sol, s/n – metrô: Sol

Tomar uma caña na Plaza Mayor, que já foi palco de touradas, execuções, cortejos e julgamentos da Inquisição. É cheia de lojinhas de souvenirs, restaurantes bons e baratos e alguns tablados de flamenco
Plaza Mayor, s/n – metrô: Sol

.
Visitar o Palacio Real, que apesar de não ser a residência oficial do Rei Juan Carlos I – que vive no bem mais modesto Palacio de la Zarzuela, nos arredores de Madri – é uma pomposa construção para mostrar a majestade e a ostentação da nobreza do século XVIII.
Calle de Bailén, s/n – metrô: Ópera ou Plaza de Espana

Perder-se no El Rastro, famoso mercado de pulgas de Madri. Não vai ter lugar mais exótico e econômico para comprar alguma tranqueira, badulaque ou até mesmo um objeto de arte por uma bagatela.
Calle de la Ribera de Curtidores, s/n – metrô: La Latina

Tirar uma foto na Puerta de Alcalá, o monumento mais elegante erguido por Carlos III. A construção, toda em granito, demorou nove anos para ficar pronta.
Plaza de la Independência, s/n – metrô: Retiro
.
Fotos: Raul Mattar

Outros posts sobre Madri:

Madri em três horas, Guernica para sempre.

Posts relacionados:

ESPANHA: la siestra nuestra
ESPANHA: o idioma do ¡poquito!
ESPANHA: doutorado em Sevilha
SEVILHA: nem todos são toureiros

Share
Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio