-  Atualizado 15/08/2015

Curitiba | Mais de 300 anos de transformação

Publicado por: Silvia Oliveira Curitiba

Nem sempre foi assim. A ecológica Curitiba, que você tanto ouve falar como sendo o melhor lugar do Brasil para viver (quiçá do mundo!), passou por uma severa plástica. Mexeu em tudo. Foi uma espécie de Extreme Makeover das cidades.

Aqui pedreira virou palco para artistas, depósito de pólvora transformou-se em teatro e fundo de vale, em parque. Não há dúvida de que as urucubacas arquitetônicas de Curitiba foram um tiro certeiro no quesito abre-alas-lerniano.

Pouco assediada por turistas brasileiros e estrangeiros até os anos 70, a cidade foi – mais do que depressa – para a mesa de cirurgia. Sem as cataratas da conterrânea Foz do Iguaçu, apelou para uma enorme cachoeira (de mentira) no Parque Tanguá – construído em uma antiga área degradada. Hoje, é um charme a foto que a gente pode levar de lá.

Já concorrer com a vizinha Serra do Mar, um dos últimos remanescentes da mata atlântica, seria perda de tempo e de dinheiro. Afinal, botar uma serra no meio da cidade não seria nada fácil (e estético). Os técnicos em planejamento, entre eles o então Diretor do IPPUC, o arquiteto Jaime Lerner – que depois veio a ser governador do estado um par de vez – começaram a aproveitar todo e qualquer cantinho verde da cidade para criar parques.

E conseguiram. São lindos e aos montes: a maior concentração de parques por metro quadrado do planeta deve estar na capital paranaense. Mais uma vez o bisturi funcionou. O município carrega, orgulhosamente, a marca de 55 m2 de área verde por habitante.

Além disso, Curitiba acha chique ser primeira em quase tudo: a primeira Universidade Federal do país nasceu na cidade. A primeira rua brasileira projetada em espaço fechado (hoje um pouco decadente) – a Rua 24 Horas – está bem no centro da capital. Tem o único museu do mundo em forma de olho. Assinado por Oscar Niemeyer.

O pioneiro ônibus Ligeirinho, uma espécie de metrô sobre rodas, transformou a vida de quem depende do transporte coletivo. Ainda não é perfeito, eu sei. Existe superlotação em horários de pico e em alguma rotas ele é o Demoradinho. Mas o sistema é tão inovador, que cidades como Los Angeles já estão adotando o mesmo modelo.

À primeira vista, essa delineada capital pode incomodar o turista que não gosta de silicone, que busca freneticamente lugares cheios de belezas naturais ou que prefere um ambiente menos artificial. Mas Curitiba deu certo. Nem do frio posso reclamar mais. Porque a cidade está cada ano mais quente.

Além do que, tem um bem maior, envolvente, diversificado, com um monte de história para contar: Tem gente! Gente de todos os cantos, de todos os tipos. Imigrantes dedicaram-se à agricultura e trouxeram a mão de obra qualificada para as indústrias. Tanto trabalho, um título: o povo com uma renda per capita 40% maior do que a média nacional. (P.S. Ninguém me entrevistou para esta pesquisa.)

A fase das loiras topetudas, aquelas oxigenadas que faziam um gigante topete cheio de laquê, já passou. Há alguns resquícios, é verdade. Mas gente exagerada e excêntrica tem em qualquer lugar do mundo e aqui não é diferente. (Não existem tribos emo, grunge, punk ou gótica? Então, em Curitiba tem a tribo autóctone das loiras topetudas). Já do povo que estava aqui quando tudo começou, quase nada sobrou.

Dos índios, só ficou o nome da cidade, que veio do tupi guarani: coré (pinhão) etuba (muito). Os pinheirais sem fim, que cobriam toda a cidade, são o símbolo da capital do Paraná. Até os cruzamentos e faixas de segurança são pintados em forma de pinhão.

No domingo, a disputadíssima feira do Largo da Ordem, no centro histórico da cidade, vai fazer você voltar para casa cheio de cacarecos, artesanatos mil, livros usados, antiguidades e, principalmente, com a certeza de que Curitiba é — na verdade — o melhor botox que já existiu!

Posts relacionados

Planejamento

Curitiba: faça da cidade seu melhor destino de inverno

Como ir do aeroporto de Curitiba ao centro da cidade

Linha Turismo Curitiba: como aproveitar o city tour oficial da cidade

23 motivos para você conhecer e se apaixonar por Curitiba

Cinco atrações grátis e estreladas em Curitiba

Aeroporto de Curitiba ganha a primeira lanchonete popular do Brasil

Curitiba em fotos

Onde dormir

Guia de Hospedagem em Curitiba: opções para as classes alta, média e muquirana

Hospedagem boa e barata em Curitiba

O que fazer

Museu Oscar Niemeyer completa 10 anos como a atração mais visitada de Curitiba

MAC | Museu de Arte Contemporânea do Paraná: visita prática no centro de Curitiba

Jardim Botânico de Curitiba

Memorial Ucraniano

Ópera de Arame

Feirinha do Largo da Ordem

Paço da Liberdade: o edifício do centro cultural é o único tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional em Curitiba

Mercado Municipal de Curitiba

Onde comer

Café do Paço: música, arte e aroma

Comidinhas: bolinho de aipim com carne de sol

Comer bem e barato em Curitiba: Restaurante Fonk

Quintana Restaurante e Café: gastronomia responsável e estrelada que cabe no seu bolso

Restaurante SENAC, em Curitiba: opção chiquetê a preços módicos

Restaurante Zea Maïs: o melhor contemporâneo

Almoço no fofo Jacobina Bar

Feirinha da Ucrânia

Onde comprar

Curitiba ganha primeiro mercado de orgânicos do Brasil

Rua Teffé: primeira rua temática de calçados do Paraná

Bate e volta desde Curitiba

Vila Velha, Paraná: sítio geológico de 300 milhões de anos está a uma hora de Curitiba

Lapa: como organizar um bate e volta perfeito saindo de Curitiba

Colônia Witmarsum: café colonial, história alemã menonita e descanso ao lado de Curitiba

Passeio de trem pela Serra do Mar

Antonina

Morretes

Ilha do Mel

________________________

Fotos: Raul Mattar | Todos os direitos reservados.



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


14 comentários

  1. Luiz Roberto
    Comentário do dia 29/3/2007 às 10:01

    Ahááááá! Passei aqui para ver se essa londrinense pé vermelho ia falara algumas coisa… dar uma notinha que fosse no aniversário da cidade! (Por supuesto, minha intenção era reclamar, dizer que você era bairrista, etc.. rsrsrsrsrs) Mas fiquei impressionado com tamanha dedicação. Fotos que retratam nossos cantos e texto divertido… um verdadeiro passeio emocional pelo lugar… Sobre as loiras topetudas a Sandra disse que te perdoa… é que ela ja fez parte da tribo…rsrsrsrsrs.
    Dica para a próxima: memorial ucraniano!
    Luiz Roberto e Sandra

    (Responder)

  2. sheila
    Comentário do dia 29/3/2007 às 16:11

    ¡Que los cumpla feliz, que los cumpla feliz, te deseamos a ti, que los cumpla feliz!

    ¡Viva nuestra ciudad!

    (Responder)

  3. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 30/3/2007 às 22:04

    Luiz e Sandra!

    Caaaapaz que eu não falaria da "nossa" Curitiba! Só tive e tenho coisas boas aqui. 😉

    (Responder)

  4. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 30/3/2007 às 22:05

    ¡Qué bien, Sheila!

    ¡Felicitaciones a nuestra Coré!

    (Responder)

  5. Gisela Garcia
    Comentário do dia 31/3/2007 às 11:28

    EEEEEEEEEEEEEEEE!!!! Parabéns, Curitiba!!!!
    Eu também amo Curitiba….por tudo e mesmo que o título de Cidade Sorriso ainda não esteja totalmente entendido por mim, rs…

    (Responder)

  6. silvia oliveira
    Comentário do dia 01/4/2007 às 01:50

    Cidade Sorriso? Pensei que era cidade ecológica….

    (Responder)

  7. Gisela Garcia
    Comentário do dia 11/4/2007 às 22:23

    Também…mas Cidade Sorriso é um dos apelidos de Curitiba…e de mais umas mil cidades brasileiras,hehehe…

    (Responder)

  8. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 12/4/2007 às 12:15

    Pois é…assim como você, só não descobri o por quê ainda! Não que Curitiba seja a Cidade do NÃO sorriso, mas daí levar o título de cidade mais simpática do mundo… sei lá!

    (Responder)

  9. Anonymous
    Comentário do dia 26/4/2009 às 02:21

    Olá, Sílvia!

    Descobri seu site há umas três horas, já dei muita risada lendo seus posts e estou adorando!

    Uma dica: peça para seu fotógrafo particular continuar caprichando nas fotos, pois elas são um deleite para os olhos…

    Obrigada pelas dicas!

    (Responder)

  10. Anonymous
    Comentário do dia 26/4/2009 às 02:25

    Ah, eu e meu marido estamos pensando em ir a Curitiba, que não conhecemos, mas depois que vi seus passeios e dicas sobre Antonina e Morretes, fiquei tentada a ir por conta própria, sem pacote, só pra ficar mais tempo nessas cidades…

    Afinal, terminamos de pagar a décima (e última!) parcela da nossa última viagem de férias, em maio do ano passado… (mas não me arrependo nem um pouquinho…). Você nem imagina o quanto me identifiquei com seu post sobre a falência temporária das férias…

    juliana

    (Responder)

  11. Fernanda
    Comentário do dia 09/10/2009 às 11:22

    O Silvia!!!! Que saudade

    E vendo essas fotos lindas, que vontade voltar pra Capital, muito bom aí!!!
    Espero voltar logo, amo esse lugar.

    Um beijooooo

    (Responder)

  12. Sarah Gerhard
    Comentário do dia 15/11/2009 às 19:25

    Oi Sílvia,

    Achei seu blog há uns dois meses, quando procurava dicas sobre Curitiba, pois queria passar uma semana de férias por lá.

    Seu blog foi um achado! Montei minha agenda de férias com as suas dicas. Foi maravilhoso. Me senti em casa. E aproveitei muito a viagem. Obrigada por compartilhar suas percepções conosco.

    Você ganhou mais uma fã. Um abraço.

    (Responder)

  13. Comentário do dia 25/3/2015 às 23:41
  14. Roberta
    Comentário do dia 24/12/2015 às 00:27

    Oi, estou indo para Curitiba e seu site é um salva vidas! Planejei a viagem toda rs. Gostaria só de uma dica para o Reveillon. Estaremos com um carro alugado no dia e considerei mesmo ir até Morretes para ver queima de fogos, mas não tenho a menor ideia se tem algo que valha o deslocamento. Pode dar uma dica?

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar