-  Atualizado 07/12/2009

Flamenco: escultura em movimento

Publicado por: Silvia Oliveira Matraqueando
Sou fascinada pelos ritmos e danças brasileiros. Samba, xaxado, xote, vaneirão, lambada, gafieira. Fico emocionada com manifestações folclóricas como fandango, congada, maracatu e frevo.
Embriago-me escutando Gardel e Piazzolla. Assisti em Buenos Aires a um dos melhores espetáculos de tango do planeta.
Acho um deslumbre a cadência caribenha da salsa, da rumba, do mambo e do merengue (ainda que eu nunca saiba distinguir a diferença entre um e outro).

Na verdade, gosto tanto de dança que até as Quadrilhas juninas são, para mim, uma das mais perfeitas manifestações artística dos bailes.

Mas não existe na face da terra – na minha visão apaixonada – um ritmo, uma coreografia, um compasso, uma expressão mais fascinante, erudita, atraente e embasbacante do que o Flamenco.

Fortemente influenciado pela cultura cigana, o Flamenco tem raízes na música moura, preservada no sul da Espanha após 700 anos de domínio árabe. Quem já teve a oportunidade de presenciar um espetáculo desses, concorda: é um arrebatamento emocional.

Fotos: Raul Mattar – Espetáculo do estudio de dança Aire Flamenco, ontem, em Curitiba.


Artigos Relacionados


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


9 comentários

  1. Isadora Bedrossian
    Comentário do dia 02/8/2007 às 13:11

    Eu estava lá!! (como diz a Silvinha: UHUUU!!)

    "A partir do século 18, nasce o flamenco, uma manifestação artística originariamente popular resultado da fusão de diversas culturas que atravessaram a Andaluzia durante séculos. Os ciganos andaluzes formaram essa arte com materiais de culturas grega, hindu, muçulmana, mozoárabe, judaica e negra. Perseguidos e sofridos, começaram, em segredo, a dar vazão a todo esse sofrimento. Expressavam-se em lamentos que constituíram a origem de todo o flamenco."

    Realmente, arrebatador!

    (Responder)

  2. Gisela Garcia
    Comentário do dia 02/8/2007 às 16:42

    Nossa, que máximo!!!
    Teve isso ontem e eu nem fiquei sabendo…gente, em que mundo estou vivendo, ó céus?
    De qq maneira, também adoro qualquer tipo de manifestação popular.
    Todos os anos, enquanto morava em Vitória, me acabava nos carnavais de congo, fincada e puxada do mastro nas Festas de São Benedito, era uma delícia mexer o corpo pra lá e pra cá, no ritmo dos tambores, da casaca, junto com as tiazinhas que se esgoelam e desafinam, berrando " Madalena, Madaleeeeenaaaa, você é meu bem-quereeeeer, eu vou falar pra todo mundo, vou falar pra todo mundo, que eu quero é vocêêê", cantando as músicas que aprenderam com suas avós.
    Também me esbaldava -desde criancinha- nos ensaios das escolas de samba locais, com meu pai que é sambista e um dos primeiros a desfilar como passista nos primórdios do carnaval capixaba.
    Todo ano, desfilava em alguma escola e tenho até a minha agremiação do coração, a tetra-campeã do carnaval, a minha querida e amada Unidos de Jucutuquara, Jucuta para os íntimos, hehehe…
    E assim é lá em casa. Filha, irmã, sobrinha e afilhada de músico, era pra coisa estar estar na veia. Mas nem está,pois samba no pé que é bom,'necas de pitibiriba',que coisa!
    Eu sou filha de crioulo e de índia, e quando pirralha, fazia permanente pra ter cabelos cacheados, e chorava por não ter bunda de preto, beiça de preto, cor de preto, eu era uma índia querendo ser negona mas o máximo que conseguia ser era uma índia de cabelo levemente ondulado,mais vermelha de sol e que sabia no máximo a dança da chuva ( hehehe, nem isso).
    Até hoje fico p. da vida por não saber sambar, mas pra me conformar, fico, desde pequena, repetindo pra mim mesma: "Ora bolas, Deus me fez linda e inteligente, saber sambar já seria a perfeição."
    hahahahahahahahahahahahaha!!!!!
    ( é que a modéstia, você sabe, numa hora dessas não ajuda muito)

    (Responder)

  3. Sirlene
    Comentário do dia 02/8/2007 às 21:08

    Ai, que lindo!!!!!!!!
    Já fiz flamenco quando era criança. Foi aí que nasceu minha paixão pelo espanhol. Fotos maravilhosas!!!

    (Responder)

  4. Marcia Cristina
    Comentário do dia 03/8/2007 às 10:15

    Você voltou com a bola toda. Matraca News com muitas novidades e essas fotos do Raul estão de Mattar… rs… Todo mundo aqui no blog ja fez essa brincadeira.

    Até mais.

    (Responder)

  5. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 03/8/2007 às 18:49

    Isaaa!!!
    Depois de um ano, tres meses e alguns dias de Matraqueando você dá o ar das graças aqui!!! E cheia das informações… Volte, voltae, volte, MAIS VEZES!(Inda bem que você não corregiu meus erros de português em público, como faz nos bastidores…) hohohohoho!

    (Responder)

  6. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 03/8/2007 às 18:53

    Unidos de Jucutuquara??? Ô Gisela, minha nega!Eu é que pergunto, em que mudo eu vivo???

    (Responder)

  7. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 03/8/2007 às 18:54

    Sirlene… tô querendo voltar para a dança… vamos encarar juntas?? Arfff!

    (Responder)

  8. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 03/8/2007 às 18:58

    Ai, Marcia… nem se preocupe… todo mundo um dia – se não fez – vai fazer esse trocadilho!huahuahuahua!

    (Responder)

  9. Cristiane Macedo
    Comentário do dia 07/10/2007 às 13:57

    ADOREI as fotos do Raul Mattar! Lindas! E sua visão do flamenco, Sílvia, é realmente a que tenho, é arrebatamento, fascinação… difícil não se apaixonar! Fiquei muito feliz por ver meu espetáculo neste blog! Parabéns e obrigada!

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar