-  Atualizado 10/07/2010

Holanda a 50 euros por dia – Parte 1

Publicado por: Silvia Oliveira Europa, Holanda

Nos canais de Amsterdam um passeio de barco sai a partir de 12 euros. (Foto: Lars Brinkman)
 
Se eu perguntasse a você qual o principal cartão postal da França ou da Grécia com certeza algo muito típico e célebre viria a sua cabeça. Torre Eiffel na primeira. Quiçá a Acrópole na segunda. Já a Holanda não pode ser descortinada através de imagens consagradas. Num exercício de construção do imaginário poderíamos destacar alguns ícones como tulipas, tamancos, moinhos e bicicletas. O detalhe é que, aqui, os atributos quase sempre superam as características. O maior valor do país nem sempre sai na fotografia. Desprovida de preconceitos e altamente tolerante com as diferenças, na Holanda os direitos humanos não são motivo de discussão, mas – sim – de orgulho.  

Amsterdam, porta de entrada para a maioria dos turistas que vem ao país, foi a cidade escolhida para o famoso protesto de John Lennon e Yoko Ono, em 1962, quando passaram uma semana na cama. No quarto 902 do Hotel Hilton, para ser mais exata. No entanto, a cidade do tudo pode já foi mais liberal. Drogas e prostituição são permitidas, com restrições é bom advertir. Liberdade de expressão é algo incontestável. Mas seu direito sempre vai terminar quando o do outro começar.   

DE CASAS CUBISTAS A VACAS MALHADAS   

O holandês já nasce poliglota. O país de onde brotaram gênios como Van Gogh e Rembrandt tem um idioma impenetrável. Até um descompromissado “por favor” (algo como alstublieft) dá nó na língua. Não há com que se preocupar: a maioria fala inglês ou alemão. Eles reconhecem que a língua nativa é complexa e farão todo o esforço do mundo para ajudar você.   


Tulipa, a flor típica do país. (Foto: Cyan Li)   

Tecnicamente a Holanda tem duas capitais, o que pouca gente sabe. Amsterdam é a nominal, a que aparece nos guias de turismo e revistas de viagem como a cidade mais liberal do mundo. Mas Haia (Den Haag) é a sede do governo, portanto a capital político-administrativa do país. Mas isso você vai encontrar, provavelmente, em apostila de preparatório para vestibular só para confundir a gente.   

Metade do território holandês está abaixo do nível do mar. Aliás, se não fosse o mar, a Holanda não estaria hoje aqui para contar história, já que surrupiou boa parte da sua área do oceano Atlântico. Um inteligente sistema de diques e drenagem transformou a região numa espécie de Veneza progressista.   

O país é plano, um adorável convite a pedaladas. Só em Amsterdam são quase 600 mil bicicletas para pouco menos de um milhão de habitantes. De Rotterdam – um dos maiores portos do mundo – ao caminho entre Leiden e Haarlem, na primavera – passando por riquezas medievais como Delft, a Holanda só reserva surpresas do início ao fim do passeio.   

O BARATO DA HOLANDA   

AMSTERDAM – A primeira coisa que você deve saber ao chegar a Amsterdam é que straat significa “rua” ou “estrada” e gracht, “canal”. Não se esqueça de plein que quer dizer “praça”. Pronto, você está preparado para entender os mapas que, lamento informar, nunca saem de graça nos quiosques de informação turística. Perto da estação central (Centraal Station), a uns 400 metros, está a essência histórica da cidade onde fica a Dam – praça com a catedral Nieuwe Kerk. Caminhe pela inquieta rua Damrak – entre a Dam e a Centraal Station. Bater perna ao redor dos canais também é aquela velha sugestão para decifrar a cidade sem gastar nenhum tostão. Justamente nessas andanças você deve encontrar duas tradicionais praças, a Leidseplein e Rembrandtplein. Passeio gratuito. Ambas oferecem uma variedade enorme de bares e restaurantes. Para conhecer um bairro típico de Amsterdam circule pelo Jordaan. Cheio de casinhas, ruazinhas, lojinhas, mercadinhos e todos os “inhos” que fazem das regiões tradicionais uma delícia de passeio. Os cafés e ateliês mais descolados estão aqui. No Bairro da Luz Vermelha (Red Light District) sua porção conservadora vai por canal abaixo. Aqui, prostitutas – profissão legalizada e pagadora de impostos na Holanda – ficam expostas em vitrines. Sim, estão ali a trabalho. Não é só para turista ver. Mesmo assim, o bairro está longe de ser uma região degradada ou perigosa. Há policiais disfarçados e cabe a você estar atento para não ser incomodado por algum chato vendendo haxixe ou maconha. Além de caminhar, você pode optar pelo aluguel de uma bicicleta. Não, não é uma sugestão alternativa. A bicicleta está para a Holanda como riquixá para a Índia: todo mundo tem que dar pelo menos uma voltinha. Alugue a sua na MacBike  (perto da estação de trem). Normalmente custa entre 4 e 6 euros por três horas. Ou, em média, 10 euros por um dia. Os principais museus da cidade são pagos e quase nenhum tem dias de entrada gratuita para adultos. Se você for fanático pelo tema e com muita organização talvez compense comprar o caro I Amsterdam Card . Custa 38 euros (um dia), 48 euros (dois dias) e 58 euros (três dias). O cartão dá direito à entrada gratuita em todos os museus da cidade (menos a Casa de Anne Frank, que é particular), um passeio de barco e 25% de descontos em outras atrações, aluguel de bicicleta e alguns restaurantes. Caso opte apenas pelos museus essenciais fique com o emocionante Museu Van Gogh (12,50 euros), Museu Casa de Rembrandt (8 euros), no ateliê onde o pintor trabalhava, Museu Rijksmuseum (11 euros)  com a maior coleção de arte do país e, claro, a Casa de Anne Frank (8,50 euros) – lugar onde a menina viveu escondida e escreveu seu famoso diário durante a ocupação nazista. A maioria é gratuita para crianças até 9 ou 12 anos. Estudantes têm descontos vantajosos. Próximo ao Van Gogh Museum está o Vondelpark, o parque mais popular de Amsterdã – para seu obrigatório piquenique da tarde. Site da cidade: www.visitamsterdam.com   

ROTTERDAM – A cidade que abriga o maior porto da Europa foi uma das mais atingidas durante a Segunda Guerra mundial. A reconstrução foi resultado dos intensos bombardeios. Nasceram prédios arrojados, arquitetura progressista e fachadas inusitadas como as casas cubistas. Assim como Amsterdam, as principais atrações de Rotterdam são seus bairros: Centrum – centrinho agitado com variado comércio, entre a estação de trem e a avenida Blaak; Waterfront – ao lado do rio Mass com suas pontes contemporâneas e o Museumpark – região dos museus. Mas ao contrário do capital holandesa, o centro de informações turísticas oferece mapas gratuitos e o Use-it  (na rua Schaatsbaan 41- 45) é especialista em turismo para mochileiros. Visite a igreja Laurenskerk de 1525. Foi muito danificada na segunda guerra e reinaugurada em 1968 após uma longa e demorada reforma. Entrada gratuita. Na mesma praça da igreja está a estátua do filósofo Erasmus, nascido na cidade. Para navegar pelo porto contrate tours organizados: passeios de barco a partir de 9 euros. A 20 quilômetros daqui está Gouda, famosíssima pelo queijo de mesmo nome. No verão, especialmente às quintas-feiras, há um enorme mercado de queijos de lamber os beiços. Rotterdam está uma hora de Amsterdam. Site da cidade:  

www.holland.com/rotterdam

   


Mercado de queijos na cidade de Gouda, a 20 quilômetros de Rotterdam. (Foto: Paulo Santos) 

  

DEN HAAG (HAIA) – A cidade é menor que Amsterdam e Rotterdam, mas parece mais cosmopolita. Lembrando que Den Haag é o nome em holandês, The Hague em inglês, e Haia em português. A capital político-administrativa do país tem avenidas largas, prédios modernos e é sede da Corte Internacional de Justiça, que fica no Vredespaleis (Palácio da Paz), visitas guiadas das 10h às 16h por 5 euros. No famoso Tribunal de Haia foi julgado e condenado à morte Slobodan Milosevic – acusado de crimes de guerra na antiga Iugoslávia. Para mim, vale como um bate-volta (está a uma hora de trem de Amsterdam), aproveitando metade do seu dia para o Mauritshuis Museum  que ganhou fama depois do filme Garota com o Brinco de Pérola. Neste museu encontra-se – além das famosas telas de autoretrato de Rembrandt – o quadro de Vermeer Girl with a Pearl Earring que deu nome à película estrelada por Scarlet Johansson. Entrada a 10,50 euros. Gratuito para menores de 18 anos. Site da cidade: www.denhaag.com    

PARA FUGIR DO ÓBVIO   

Se bem que eu acho um pouco óbvio, mas nem todo turista dá a devida atenção a Delft quando vem à Holanda, principalmente se for a primeira viagem para cá. É a típica cidade holandesa com vacas malhadas, moinhos e tulipas. Está a 15 minutos de Den Haag (Haia) e serve para um dos passeios mais agradáveis do país. A praça principal, Markt, está rodeada por canais. Abriga um delicioso mercado toda quinta-feira, dia ideal para conhecer Delft. Claro que você pode visitar algum museu e a catedral anglicana, mas dedique-se a seguir os passos de Vermeer e sua “Garota com o Brinco de Peróla”. O filme, inspirado no pintor, foi rodado aqui. Site da cidade: www.delft.nl    

SEM MARCAR TOUCA   

Decida quantos dias quer passar na Holanda. Agora acrescente mais dois e visite calmamente o parque de Kinderdijk, uma aérea com 19 moinhos de vento – Patrimônio da Humanidade.  Há três cidades de onde saem ônibus até o parque: Utrecht, Rotterdam e Dordrecht.  De Rotterdam são 45 minutos. Para saber os horários dos ônibus consulte o site da Arriva, empresa que opera esta linha. Partindo de Rotterdam fica fácil de colocar os moinhos num dia e a medieval Delft no outro. Essas 48 horas a mais no seu roteiro vão fazer toda a diferença no seu scrapbooking de viagem.  

 



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


18 comentários

  1. Patricia de Camargo
    Comentário do dia 23/9/2009 às 03:47

    Uma dica que li no blog de um amigo espanhol que vive na Holanda desde 2000:
    El sábado tuvimos un día de esos que parecen de novela de ciencia ficción, con casi veinticinco grados y un sol increíble y lo pasamos en Giethoorn, la Venecia del Norte, un pueblito increíble en el que puedes alquilar un pequeño bote con motor eléctrico y moverte por sus canales.
    http://www.distorsiones.com/
    Beijos

    (Responder)

  2. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 23/9/2009 às 13:12

    Uhu, nunca tinha ouvido falar. Fui ver e são só 117 quilômetros de Amsterdam. Bjs!!

    (Responder)

  3. Patricia de Camargo
    Comentário do dia 23/9/2009 às 14:55

    Silvinha, ele diz no post que só tem basicamente holandês, que está fora do roteiro que a maioria dos turistas realiza na Holanda. os pais dele se apaixonaram pela cidade.
    Beijos

    (Responder)

  4. Joaninha Bacana
    Comentário do dia 07/10/2009 às 11:10

    Uau, amei o reflexo no canal, foto lindona!!!
    Nao sabia que o protesto de Lennon & Ono tinha sido em Amsterdam! Vivendo e aprendendo 🙂
    Para os museus de Amsterdan, eu comprei todas as entradas via internet: me poupou muito tempo de fila!!! 🙂
    E outra atracao do país que é lindona é o Keukenhof. E dá-lhe tulipa 🙂
    http://www.keukenhof.nl/
    Beijos, e muito show ler suas dicas!
    Angie

    (Responder)

  5. Rodrigo
    Comentário do dia 01/8/2011 às 13:07

    Obrigado pela dica sobre Delf. Excelente passeio, mas um aviso ao pessoal, a estação de trem esta em obras e não tem o posto de Turismo (somente no centro da cidade).
    Recomendo que façam dever de casa antes e levem um mapa da cidade.
    A primeira impressao não é das melhores por causa da reforna na estação.
    Não desanime, vá em direção dos campanarios e não irá se arrepender. Fiz o passeio de barco pelos canais da cidade, se voce pesquisou antes é perda de tempo e $$$.
    Se for no verão, procure pelo Beestenmarkt e curta uma cerveja gelada debaixo das arvores.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Obrigada pelas dicas, Rodrigo! 🙂

    (Responder)

  6. Rafaela de Sousa
    Comentário do dia 18/11/2011 às 14:05

    Olá Sílvia, parabéns pelo blog, está me ajudando muito!

    Sílvia, ano que vem farei um intercâmbio, ficarei um mês em meio em Londres fazendo curso de inglês.
    Quero aproveitar a volta para fazer algumas paradas e conhecer alguns lugares, que serão Amsterdam, Paris e Itália.
    Como é minha primeira viagem para europa, estou cheia de dúvidas, e a maior delas no momento, é sobre qual é a melhor forma de transporte entre estes países.
    Quero muito fazer uma das viagens de trem, entre quais países você acredita ser melhor, ou seja, mais ecnômico para eu fazer esta viagem? E em relação ao passe entre dois países, com viagem ilimitada nas cidades destes países, vale realmente a pena?

    Bjos e Obrigada,

    Rafaela

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Oi, Rafaela! Você tem que analisar assim: se for uma distância maior de 300/400 km é melhor fazer de avião. Se for percorrer uma distância menor do que essa, vale a pena o trem. Se você for esmiuçar um país, pode ser que valha à pena o passe. Abs!

    (Responder)

    Resposta de Luciana

    Olá Silvia, muito bacana seu blog. Estarei em Delft no dia 17/03/2013 e pretendo conhecer Paris, qual seria a melhor forma? Adianto que não conheço nadinha, irei com meu filho e uma amiga… Pensamos no trem, você pode me dar essa dica? Sente a pergunta: onde pegar o trem e quantas horas de Delft até Paris? É tranquilo ou preciso me preocupar com algo? Desde já agradeço a sua atenção e deixo aqui um forte abraço…

    (Responder)

  7. Rafaela de Sousa
    Comentário do dia 25/11/2011 às 14:52

    Obrigada Sílvia!

    (Responder)

  8. Wagner Mantoni
    Comentário do dia 19/2/2012 às 15:51

    Ola Silvia,

    Gostei do seu site, informacoes fundamentais para quem vai viajar para o exterior. Gostaria de saber sua opiniao, pois estamos pensando em conhecer a Inglaterra no mes de julho, porem acabei de ver que tem as Olimpiadas de Londres que se inicia no final de julho. Vale a pena

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Wagner, acho que a cidade vai estar mais vibrante ainda. Mas, sim, deve ter um pouquinho mais de muvuca, sim! 🙂

    (Responder)

  9. Guilherme
    Comentário do dia 08/7/2012 às 18:33

    Ola, Silvia, seu blog e demais, me ajuda muito no planejamento que eu e minha mulher estamos fazendo para nossa primeira viagem a Europa. Pretendemos ir a Paris, Londres, Amsterdam e Lisboa e arredores, nossa duvida e qual a melhor cidade para chegarmos, a volta pode ser por Lisboa. E voce nos informa tambem hoteis com funcionarios que falem espanhol, portugues?

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Oi, Guilherme! Quando você comprar sua passagem você vai acabar chegando e saindo pela mesma cidade. Chegar por uma cidade e voltar de outra encarece horrores a passagem. Você pode chegar a Lisboa, ir para Paris, depois Londres e, por fim, Amsterdã e de Amsterdã pegar um voo low cost para voltar a Portugal. Não saberia dizer hotéis com funcionários que falem português ou espanhol até porque funcionário muda a toda hora. Mas na maioria dos hoteis a recepção é bilingue! 🙂

    (Responder)

  10. Margareth
    Comentário do dia 07/8/2012 às 14:39

    Ola, boa tarde. Gostaria de uma sugestão.
    Estarei fazendo uma conexao em Amsterdan, e devo ter disponivel 2h livres. Será que seria viavel dar uma volta para conhecer a cidade? O q me recomendaria?
    Obrigada!!!

    (Responder)

  11. Luciana
    Comentário do dia 03/3/2013 às 13:54

    Silvinha, me ajude por favor! Estarei em Delft e gostaria de ir até Paris, seria possível o trem? Como faço? Não conheço nada da cidade de Delft, será uma aventura…chegarei em Delft na segunda-feira 18/03/2013…e pretendo conhecer um pouquinho a cidade e depois ir a Paris… Depois volto para Amsterdã voltando para o Rio de Janeiro onde resido… Pode me dar algumas dicas, please? Ficarei eternamente grata…Lu

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Oi, Luciana! Eu nunca fiz o trecho Delft – Paris. Mas é possível ir de trem, sim. São uns 460 km. O tempo da viagem varia de 3h a 4h30, depende do trem que você vai pegar. (Geralmente os mais baratos são mais lentos). Há trens saindo de Delft a partir das 6h da manhã sempre com conexão em Rotterdam. Você desce na estação Paris Nord. A passagem custa a partir de R$ 150 (segunda classe). Abs! 😉

    (Responder)

  12. Mayara Leao
    Comentário do dia 08/8/2013 às 20:51

    Oi Silvia, tudo bem? Estarei em Amsterdã do dia 27/08 a 30/08 e gostaria muito de conhecer Gouda e Delft. É possível ir de Amsterdã para essas cidades e de uma para outra? Pois vi que os dia mais interessante para conhecer as duas é uma quinta feira, então queria ir nas duas no mesmo dia, você acha que é possível?
    Obrigada,
    Mayara

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Olha, Mayara, possível é. As duas estão próximas de Amsterdã (menos de 100 km de distância) e estão separadas (Delft e Gouda) por um trecho de 35 km. Você faz de trem, mas se não me engano o ao ir de Delft a Gouda o trem faz uma parada em Roterdam. (Enfim, são só suposições, não conheço muito bem a região). Agora, desfrutar das duas cidades dependendo do transporte público pode gerar uma correria imensa. Eu escolheria entre uma ou outra. Abs!

    (Responder)

  13. Lilia
    Comentário do dia 21/9/2013 às 20:43

    silvia tudo bem, estou morando wm Rotterdam ha algus dias e estamos curtindo muito com as criancas.
    todos nossos passeios acabam sendo caros pois cada pessoa acaba custando no minimo 10 euros e somos 5.
    imagine…
    vc teria indicacoes de atracoes om criancas gratuitas para este periodo?
    aqui o inverno pega pesado assim as atividades indoor sao necessarias. vamos ficar seis meses e mesmo com colegio internacional estou em busca de outras atividades.
    obrigada

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Putz, vou ficar devendo, Lilia! Não saberia dizer. Mass procure nos centros de informações turísticas daí! Abs!

    (Responder)

  14. Ewa
    Comentário do dia 13/3/2014 às 01:15

    Silvia, vamos, eu e mais 3 amigas, fazer uma viagem em maio e faremos uma escala de 08 horas em Amsterdam. Você acha que podemos passear um pouco nessa linda cidade. O que você nos aconselharia ?? Soubemos que o aeroporto é bem próximo da cidade. Um abraço. Aguardamos seu retorno!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Olha, dá para conhecer o centrinho, a região histórica. 😉

    (Responder)

  15. Comentário do dia 20/9/2015 às 00:06

    Olá!!! Eu gostaria de saber se o desconto para estudantes nos museus se aplica a estudantes brasileiros ou apenas para nativos. minha pergunta se aplica a todos os países da Europa.
    Obrigada!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Olá, Joana! Se você tiver a carteirinha INTERNACIONAL de estudantes, o desconto se aplica a todos, nativos e estrangeiros.

    (Responder)

  16. Comentário do dia 01/4/2016 às 21:48

    Adorei as dicas!

    (Responder)

  17. Comentário do dia 02/6/2016 às 18:45

    Adorei a matéria !! Meu sonho é ir para Holanda e Amsterdã, visitei Londres em 2012 quando a libra ainda estava mais baixa em relação ao real, mas hoje em dia realmente está difícil. Dicas muito boas, Holanda a 50 euros por dia é super viável !!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Eliane, acabei de chegar da Holanda. Se tirar a hospedagem, digo que 50 euros por dia é viável, mas ainda restritivo. Achei o país realmente muito caro para o nosso Real. 😉

    (Responder)

  18. ana jacqueline
    Comentário do dia 02/2/2017 às 23:38

    Parabéns pelo blog. Extremamente explicativo. Estarei indo em maio deste ano para minha 2 eurotrip e Asterdam faz parte desse roteiro irei com certeza no Keukenhof e Zaanse Schans. Ajudou muito suas informações no meu roteiro. Obrigada por compartilhar suas experiências e fotos de tirar o folêgo.Um abraço fraterno.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Oi, Ana! Eu que agradeço pela visita. Obrigada por matraquear com a gente! Abs!

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar