-  Atualizado 24/08/2010

Ímãs de viagem

Publicado por: Silvia Oliveira Matraqueando
Cansei de trazer berimbau da Bahia, máscara de Veneza e miniatura imitando monumento para colocar na estante. Tomam espaço na mala e quase nunca tenho onde colocar quando volto para casa. Sem contar a boa bufunfa gasta nesses presentinhos. Vai tudo para o ralo. O dinheiro e o souvenir.

Comecei, sem querer, a fazer uma coleção de ímãs de geladeira que representassem o lugar por onde havia passado. Os ímãs são como a fitinha do Bonfim: custam bem pouco, cabem em qualquer canto e todo mundo gosta. Ainda tenho poucos porque dei início à novidade nas minhas sessões de compras há menos de dois anos.

Por causa disso muitos destinos ficaram sem vez na minha geladeira. Mas os que estão ali fazem da cozinha um dos lugares preferidos da casa. Todo dia, logo cedo, quando vou preparar o café da manhã, lá estão eles. Lindos, coloridos, cheios de vida, recontando um bocadinho de muitas e felizes viagens.
.
Gosto de todos, mas há os especiais. Tem a panelinha de barro que comprei em Morretes, capital do barreado, no Paraná. Proporcionalmente foi o mais caro de todos: R$ 5,00. “Compra, tia, é para ajudar”, disse-me a menininha de pés no chão num sábado ensolarado em que descemos a Serra da Graciosa.

Amo o de Sevilha. Além de ser uma cidade que passou a fazer parte da minha história por causa do doutorado, o magneto imita um toureiro ao lado de uma espanhola. E ainda tem um espaço pra colocar uma foto do rosto do casal. Fica bem engraçado. Acho uma belezura o de Arraial D´Ajuda. É uma conchinha pintada à mão. Esse é um sobrevivente da desajeitada da minha diarista que já o derrubou umas cinco vezes.

O que comprei em Paris, não, não foi a Torre Eiffel. Imita o formato das placas da cidade e vem escrito Musée du Louvre. E o de Veneza é uma gôndola super delicada. (Quem não abre mão das famigeradas máscaras, elas também estão disponíveis em forma de ímã). Não tenho, na verdade, nenhum critério específico na hora da compra. Prefiro que venha o nome da cidade.

Mas alguns – mesmo não identificando o lugar – são muy hermosos como o casal dançando tango que trouxe de Buenos Aires. Requisito mesmo deve ser o preço: não mais que US$ 3,00 cada. Assim dá para comprar um para mim e meia dúzia para dar de presente.
.
Fotos: Matraca´s Image Bank
.
Post relacionado

Artigos Relacionados


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


20 comentários

  1. Patricia de Camargo
    Comentário do dia 15/10/2008 às 12:15

    Eu também compro os imãs, primeiro porque odeio carregar, qualquer coisa que seja, e eles não pesam nada! E é bem legal estar aí no dia-a-dia, no meio de uma macarronada olhando para aquela galeria particular e pensando: a vida é maravilhosa!
    Beijos

    (Responder)

  2. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 15/10/2008 às 17:26

    Eu também tenho essa sensação de felicidade quando olho meus imãs, minhas fotos, quando reconto meus passeios. Acho que é por isso que gosto de blogar… cada vez que conto sobre um destino, sobre algo que me faça "viajar" no dia-a-dia também acho a vida cada vez mais maravilhosa!

    (Responder)

  3. Nair P. Siqueira
    Comentário do dia 16/10/2008 às 08:14

    Silvia!!!
    Que delicia está o blog!!
    Tive em Curitiba (rapidão pra um curso) e fui jantar num local da Rua Barão do Rio Branco. Achei muito charmoso tudo por lá. Espero em breve voltar com o Joel.
    Nossa…. mas vc e o Raul, heimmm!!! rsrs… nem uma "copita"??
    Beijos pra vcs 3.
    Nair

    (Responder)

  4. Luisa
    Comentário do dia 16/10/2008 às 11:00

    Silvia, eu tenho um ima de Veneza igualzinho!!!

    Resolvi tirà-los da porta da geladeira e montar um painel, justamente para evitar quedas. Meu painel é a coisa mais kitsch do mundo, mas eu adoro!

    Amei o post!

    Bjs

    (Responder)

  5. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 16/10/2008 às 23:27

    Oi NAIR!

    Huummm, ali na barão do Rio Branco tem um restaurante bem legal (e saboroso)mesmo, o Zea Maïs. Seria esse?
    Beijim!

    (Responder)

  6. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 16/10/2008 às 23:29

    Boa, idéia Luisa! Toda vez é um stress para tirar tudo com cuidado para limpar a geladeira! O painel também deve ficar lindo e pode ser deixado no escritório de casa! Bjs!

    (Responder)

  7. Patricia de Camargo
    Comentário do dia 17/10/2008 às 07:52

    Meus imãs ficam no exaustor, a prova de quedas sem fim quando se abre a porta da geladeira!
    Beijos

    (Responder)

  8. Gisela Garcia
    Comentário do dia 17/10/2008 às 10:58

    adoro imãs tb, mas mais da metade já foi pro beleléu, exatamente por causa da minha diarista, uma senhora descendente de russos que não é nada delicada,hehehe…

    (Responder)

  9. Anonymous
    Comentário do dia 17/10/2008 às 16:28

    Uau!!!!
    Eu tb faço esta coleção, vou sacar uma foto e mandar para vc.
    Eu vou fazendo o mapa, de acordo com o lugar onde estou.
    Ensinei muita Geografia para meus meninos com os imãs.
    Beijão para os três.

    (Responder)

  10. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 18/10/2008 às 02:07

    Gisela! Onde você consegiu uma diarista descendente de russo?

    (Responder)

  11. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 18/10/2008 às 02:09

    Por um acaso esse anônimo é a Fernanda de Juiz de Fora? Se não for, desculpe-me. É que parece ela "falando"! hohoho.

    (Responder)

  12. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 18/10/2008 às 10:41

    Pati, os meus não posso colocar no exaustor. Não tem espaço e eu derreteria os pobrezinhos na primeira fritada de bife! 🙂

    (Responder)

  13. Margô
    Comentário do dia 07/4/2009 às 17:00

    Amo meus imãs de geladeira, e essa sensação de felicidade acontece comigo também! Muito Bom!

    (Responder)

  14. Anonymous
    Comentário do dia 26/4/2009 às 02:27

    Eu também gosto dos ímãs – é um tipo de "álbum" que só nos vemos – na nossa memória.

    juliana

    (Responder)

  15. Cristiana
    Comentário do dia 05/11/2009 às 18:17

    Prazer, Sílvia, meu nome é Cristiana e acabo de ser apresentada ao seu saborosíssimo MATRAQUEANDO pelo blog do Ricardo Freire.

    Estou adorando. Seu texto é interessante e leve, sem ser superficial.

    Nesse quesito imãs, vou dar uma sugestão. Vc já prestou atenção nos pins (ou butons ou broches, como quer que chamem) como alternativa de lembrança de viagens? É muito legal, igualmente leve, pode ser dado de presente e vez por outra ainda nos acompanha nas próximas viagens (pregado na mochila, por exemplo).

    Faz um sucesso danado quando alguém encontra "sua" cidade, na "nossa" mochila. Uma empatia entre viajantes e, por vezes, entre viajantes/locais.

    Continue nos fazendo viajar…

    Obg,

    Cristiana/RJ

    (Responder)

  16. Fran
    Comentário do dia 04/4/2010 às 21:39

    Oi Silvia! Te acompanho há bastante tempo, mas nunca escrevi aqui. Também amo minha coleção de imãs e a minha paixão é ficar olhando para eles. Como ela começou a ficar famosa, comecei a ganhar de presente alguns de lugares que ainda não conheço. Muito legal!
    Não tive tanta sorte como vc e a minha empregada quebrou um de porcelana de Bruxelas, que não tive coragem ainda de jogar fora, acredita?
    Beijo e parabéns pelo blog. ADORO.

    (Responder)

  17. Comentário do dia 19/9/2012 às 21:04

    linda as imagems presiso faser um trabalho da arte em movimento escoli o tango ! minha professora de artes se chama maria de jesus ! ela da aula na escola municipal professor osvaldo arns .

    (Responder)

  18. Disiane
    Comentário do dia 17/1/2013 às 16:05

    Olá, tbm comecei a investir nos imãs de geladeira como lembrancinhas, inclusive tenho o de Morretes igual o seu…tbm me faltam de alguns lugares pq qdo tive a idéia já tinha passado por alguns e sem trazer o imã…aliás se alguém for de SP e puder me mandar …hehe eu mando o dim-dim…esse é um dos q me faltam!! Agora essa semana me bateu uma vontade enorme de tirá-los da geladeira e fazer algo especial pra eles…ainda estou pensando!!! tinha pensado em fazer algumas molduras direfentes e fazer quadrinhos com ele, embora eu não tenha feito nenhuma viagem pra fora do país, amo de paixão conhecer outras cidades, inclusive a última q fiz foi aqui no meu RS mesmo, pra Cambará do Sul, voltei morrendo de vontade de voltar!!!! bjs e parabpens pelo seu blog!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Oi, Disiane! Tem gente que coloca os imãs naqueles quadros de metal próprios e deixa no home office ou até na sala para enfeitar! Bjs!

    (Responder)

  19. Comentário do dia 12/7/2013 às 04:59

    Adoramos a coleção que temos aqui em casa! Antes, só a gente trazia das nossas viagens, agora os amigos e parentes começaram a trazer de lembrancinha. O que antes ocupava meia geladeira, agora ocupa a geladeira quase inteira e meio freezer! Adorei a ideia de fazer um quadro e colocar em outro ambiente pq cada queda é um suspiro… A maioria já está remendada, haja super bonder! rs

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Hahahaha, Fernanda! Também já perdi vários deles esbugalhados no chão! Mas os imãs hoje são cool, adoro muito! 🙂

    (Responder)

  20. Aline Lima
    Comentário do dia 19/7/2016 às 13:02

    Amei a coleção… Comecei a minha há pouco tempo e infelizmente não tenho imãs de alguns lugares que já fui. Inclusive se alguém que more em algum estado brasileiro que eu não tenha puder me vender… Rsrs!!

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar