-  Atualizado 21/01/2013

Inglaterra a 50 euros por dia – Parte 1

Publicado por: Silvia Oliveira Inglaterra


Tower Bridge: você vai bater uma foto na frente dela. (Foto: Scott Liddell)

Sei, na alfândega nem sempre é assim. Mas se você cumprir as exigências necessárias e for realmente a turismo é raro que seja mandado de volta para a casa. Londres, a capital, é a cidade com mais etnias por metro quadrado do planeta. Indianos, árabes, chineses, peruanos e toda sorte e espécie de punk, góticos e emos se esbarram sem nem prestar atenção um no outro necessariamente.

Não há outro lugar no mundo em que o conceito de “aldeia global” – criado pelo sociólogo canadense Marshall McLuhan – é tão visível e presente. Pubs e chá das cinco convivem harmonicamente, cada um no seu quadrado. De Charles Chaplin aos Rolling Stones, de Hitchcock aos Beatles, sempre vai existir uma Inglaterra que cabe em você.

O VALOR DA LIBRA

Meça o valor da Inglaterra: conseguiu impor uma forma de governo obsoleta, tem religião própria e manteve a moeda – a libra esterlina – bem longe da zona do euro. Não é pouco. Os preços proibitivos do país não devem minar seus sonhos de passar uns dias aqui. Mas gastar 50 euros por dia em Londres, algo como 44 libras, pode tornar sua viagem uma expiação dos pecados se você não entrar no espírito do nosso modelo 5.0 de viagem.

Se a gente subir a conta para 50 libras, ainda assim, vai ser uma viagem modesta. Modesta, mas inesquecível. Sua cama provavelmente vai estar em algum albergue, seu almoço seguramente vai ser em algum restaurante chinês ou grego. Sua janta, o kit-salvamento-do-supermercado. Nos intervalos, fique com as praças, os parques e os museus públicos da capital do país – alguns dos melhores do mundo – que são gratuitos o ano inteiro.

Apesar de uma ou outra restrição você está na Inglaterra. Muita gente com tempo e dinheiro não vem para cá. Porque o patrimônio que a gente busca nem mesmo a libra esterlina pode comprar. 🙂


Atração gratuita em Londres: troca de guarda no Palácio de Buckingham. (Foto: Akivasha)

O BARATO DA INGLATERRA

LONDRES – O seu roteiro por Londres deve ser influenciado pelo número de dias na cidade. Partindo do pressuposto de que você é obediente e segue as regras do Matraqueando, fique – no mínimo – quatro dias inteiros por aqui. Uma semana seria o ideal. O que não quer dizer que conseguirá esgotar a capital da Inglaterra durante esse período. Comece a explorar a cidade pela tradicional Piccadilly Circus, uma área cheia de… turistas. Não torça o nariz, você é um deles, lembre-se. Ali perto está a Trafalgar Square, a praça mais popular de Londres. Em frente, o National Gallery – uma das mais importantes galerias de arte do mundo com sete século de história da arte europeia. Entrada gratuita. Do lado, na Leicester Square – outra movimentadíssima praça – você encontra o Covent Garden, um antigo mercadão que se transformou num delicioso universo londrino de bares e lojas. Tome um café por aqui. Dali você pode ir a pé – mas se preferir pegue o metrô e desça na estação Westminster ¬– para, enfim, conhecer o Big Ben, a famosa torre do relógio do Parlamento. O edifício foi construído no século 19 em estilo gótico vitoriano, seja lá o que isso signifique. Custa 12 libras para conhecer o complexo, mas as sessões parlamentares são abertas ao público. A partir daqui você já está abraçando o lendário Rio Tamisa, que corta a cidade. Poucas quadras adiante você encontra o Palácio de Buckingham, a residência oficial da família real. As visitas acontecem somente em agosto e setembro (quando a rainha sai de férias) e custam caro: a partir de 16,50 libras. Com orçamento apertado já fique muito satisfeito com a célebre troca de guarda, uma bando de soldadinhos numa coreografia que atrai milhares de pessoas todos os dias no verão e em dias alternado no inverno – sempre às 11h30. Gratuito. Chegue cedo, pelo menos com uma hora de antecedência se não quiser compartilhar o “show” com um cotovelo no seu nariz. É claro que você não vai fazer isso, mas se tivesse que escolher um único museu fique com o British Museum, um dos mais fascinantes do planeta. Guarda a Pedra de Rosetta entre outras peças absolutamente importantes para a história do mundo. Gratuitíssimo, apesar da sugestão de 2 libras como doação. Próximo do museu, nas redondezas do Soho e Chinatown você vai conhecer um bairro mais londrino (1ª opção) e uma comunidade de imigrantes típica, onde se pode comer mais em conta (2ª opção). Para bater ponto no principal endereço da arte contemporânea do país conheça o Tate Modern. Entrada gratuita, exceto para exposições temporárias. Uma das mais importantes catedrais da Inglaterra – com a segunda maior cúpula do mundo – a Catedral de St. Paul’s  cobra carésimas 10 libras. No entanto, durante as missas (7h30, 8h, 12h30 e 17h) a entrada é gratuita, mas o número de pessoas é controlado. Chegue cedo. Aqui aconteceu o funeral de Winston Churchill e o televisionado casamento do Príncipe Charles e Diana. Torço para que você pegue pelo menos um dia ensolarado e conheça o Hyde Park, o badalado parque londrino. Entrada gratuita. Entre as atrações pagas, eu ficaria com duas. A Abadia de Westminster , ao lado do Parlamento, é uma delas. Um construção do século 8 onde ocorre a coroação dos monarcas britânicos e foi ali o funeral da princesa Diana, em 1997. Entrada a 15 libras. Estudantes têm desconto. Para a melhor vista de Londres suba na London Eye, uma roda gigante de ferro com 135 metros de altura, praticamente em frente ao Big Ben, só que do outro lado do Rio Tamisa. Ingresso a partir de 17,50 libras. Se fizer a reserva antecipada pelo site, ganha 10% de desconto. Site da cidade: www.visitlondon.com

LIVERPOOL – Como sabemos, os verdadeiros reis da Inglaterra se chamam Beatles. Durante muito tempo a segunda maior cidade do país só era lembrada por causa disso. O que não é pouco, convenhamos. Mas em 2008, Liverpool foi eleita a nova capital da cultura da Europa (Liverpool08.com) o que deu uma repaginada no Albert Dock – antigo porto, por exemplo – onde está o Tate Liverpool , enorme galeria e museu de arte moderna. Entrada Gratuita. Para os beatlemaníacos: bata o cartão no Beatles Story. O ingresso do museu custa 12,25 libras . Estudantes e maiores de 60 anos pagam 8,30 libras. Ou vá no The Beatles Shop  para comprar qualquer coisa do grupo. Site da cidade: www.visitliverpool.com.

BATH – A cidade de Bath, construída em torno de termas romanas, está a 180 quilômetros de Londres. Uma hora e meia de trem. Preserva desde o século 18 um ar de pompa, quase luxuoso. Roteiro clássico: ruínas das Termas  por 11 libras e os vitrais da Abadia de Bath por módicos (para os padrões ingleses) 5 libras. Site da cidade: www.visitbath.co.uk.


O relógio mais famoso do mundo. (Foto: Domiwo)

OXFORD E CAMBRIDGE – Os principais pólos universitários, não só da Inglaterra, mas de todo o Reino Unido estão em Oxford e Cambridge. Em ambas os melhores passeios são conhecer os colleges mais famosos. Em Oxford, o maior e o mais conhecido deles é o Christ Church College. Entrada a 4,90 libras. Estudante paga 3,90. Foi fundado em 1529. Treze primeiros-ministros britânicos estudaram aqui, além do escritor Lewis Carrol, autor de Alice no País das Maravilhas. A célebre escadaria foi cenário do filme Harry Porter. De Londres a Oxford leva uma hora de trem. Passagens a partir de 12 libras. Site da cidade: www.visitoxford.org. Já de Cambridge saíram mais de 60 ganhadores do prêmio Nobel. Visite o King’s College, com uma capela ilustre. Paga-se 5,30 libras para entrar. Estudantes pagam 3,50 libras. Mas é possível entrar gratuitamente no King’s durante a apresentação do prestigiadíssimo coral do estudantes. Segunda a sábado, às 17h30. Domingos às 10h30 e 15h30. (Menos no período de férias). Apesar do espetáculo ser free, o número de pessoas é controlado. Cambridge também está mais ou menos a uma hora de trem de Londres. Site da cidade: www.visitcambridge.org.

BRIGHTON – Imagine pegar um tempo firme, quente e com muito sol na Inglaterra. Tá bom, caí da cama e acordei. Mas, ao menos que chova sem parar, não deixe de conhecer o movimentado balneário de Brighton. Descolado, cheio de estudantes e turistas – muitos brasileiros, inclusive. Passeie pela orla. Quando não, pelo menos molhe os pés na água gelada e visite um fabuloso palácio, o Royal Pavilion – todo em estilo indiano – uma espécie de Taj Mahal inglês. Entrada por 8,80 libras. Estudantes pagam 6,60.


O misterioso monumento pré-histórico de Stonehenge. (Foto: Peter Sem)

PARA FUGIR DO ÓBVIO

Eu sei que o tempo é curto. Mas não saia da Inglaterra sem conhecer o monumento pré-histórico mais célebre da Europa. Stonehenge  fez parte, provavelmente, de uma grande civilização neolítica. Foi construído entre 3000 e 1500 a.C. O misterioso conjunto de pedras fica em Salisbury, a 120 quilômetros de Londres. Ingressos a 6,50 libras. Estudantes pagam 5,60.  Mais barato do que a Torre de Londres, que não tem mistério algum.

SEM MARCAR TOUCA

O caro passe London Pass  promete acesso a diversas atrações. Geralmente secundárias no seu roteiro. Um dia custa 39 libras, dois dias saem a 54 libras e três, por 60 libras. É bem provável que não valha à pena.

AMANHÃ: Dicas de passeios nas feiras e nos mercados mais famosos, pubs, novas atrações gratuitas, castelos e como economizar no caríssimo transporte público.

Posts relacionados:
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Artigos Relacionados


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


21 comentários

  1. Gustavo - Viajar e Pensar
    Comentário do dia 09/11/2009 às 10:41

    Realmente Londres é uma cidade fascinate, e uma hospedagem, camarada, não é boa, mais não é péssima são os hoteis da EasyJet, os EasyHotel, fiquei no da Estação Victoria, suberlocalizado, com estação Victoria ao lado, e paguei menos de 40 libras de diária o casal.
    Como você falou Londres respeita bem as etnias e vai do afternoon Tea ao Pubs, com grande facilidade.
    Boa Viagem!!!

    (Responder)

  2. Jaqueline Mendes
    Comentário do dia 09/11/2009 às 10:58

    Estava esperando pelo inicio das dicas da Inglaterra. Vou para lah daqui a duas semanas. Muito legal!

    (Responder)

  3. Priscila Goldman
    Comentário do dia 09/11/2009 às 12:19

    Uauuu, quanta atração gratuita. Eu nem sabia que LOndres tinha tanta coisa para afzer sem pagar nada!

    (Responder)

  4. Alethea Marie Dantas
    Comentário do dia 09/11/2009 às 20:08

    Excelente post, Sílvia! Aliás, como sempre!
    Também achava que não havia atrações gratuitas em Londres assim como a Priscila! Rs.
    Bom saber que algumas coisinhas são free!
    Ótimas dicas para quem estiver indo pra essas bandas!
    Beijão.

    (Responder)

  5. Margarida Nobre
    Comentário do dia 09/11/2009 às 20:16

    Adoro Londres!Adoro Londres!Adoro Londres!E a Inglaterra em geral…pelo menos a parte que eu já conheço…hehe!
    Fico á espera de mais dicas porque para mim são muito úteis…estou sempre prontinha para viajar até lá!

    beijos

    (Responder)

  6. Lana Cristina
    Comentário do dia 09/11/2009 às 22:47

    Silvia
    Não gosto do idioma Inglês, apesar de ja ter tentado aprendê-lo, sem sucesso, por algumas diversas vezes…
    Tenho amigos que moram em Londres e que já me ofereceram uma caminha quentinha pra dormir e ajuda no tour pela cidade…
    já fui 2 vezes a Europa e to planejando a 3ª, porém a Inglaterra nunca fez parte de meus sonhos…
    Ou seja, sou daquelas que falam: "não eu não quero conhecer a Inglatera", mesmo sabendo que posso ser apedrejada…rs

    Agora to com medo…e a culpa é toda sua!

    Eu temia, desde o princípio, que eu corria o risco sério de me apaixonar por todo e qualquer lugar que vc descrevesse no seu blog…

    Eu não estava errada…acabei de ler esse post sobre a Inglaterra e já mandei um e-mail pra um dos meus amigos que moram por lá, dizendo: "julho do ano que vem acho que desembarco por ai!"

    É isso!

    A cada dia sou mais e mais "matraqueadora"…

    Beijocas de viajante!

    (Responder)

  7. SÍLVIA OLIVEIRA
    Comentário do dia 09/11/2009 às 23:50

    Lana, pois você não está sozinha. Eu não sou fã de Inglaterra. (Tá, podem começar as vaias…) Fui, gostei e acho que vale a pena passar uma semaninha ali. Mas não é o meu canto preferido. Assumo e pronto. O detalhe é que acho que todos os lugares têm seu charme e Londres, especificamente, tem algo que me fascina: excelentes museus, daqueles que fazem a gente crescer como pessoa, cidadã e, principalmente, intelectualmente. E você, ainda com uma cama quentinha dos amigos… TEM QUE IR! Bjs!

    (Responder)

  8. Anonymous
    Comentário do dia 10/11/2009 às 05:26

    Quando estuve em Londres (faz muitos anos) me alojé em um B&B preto de Londres, mais as aforas da cidade, em o campo. A comunicação com centro da cidade era muito boa. O trem deixa a centro de Londres.
    Agora despois destas dicas se vou a Londres me hospedaré em a "city".
    Boas dicas
    Um saludo (desculpe não sei escrever melhor em o seu idioma)
    Carmen

    (Responder)

  9. Comentário do dia 26/8/2010 às 12:27

    Silvia – adorei seu blog – no meu What´s new, Lili? (endereço acima) tenho dicas sobre Orlando, Disney e Universal (nossa viagem de 2009) – confira e me conte sua opinião, por favor – sou blogueira iniciante.
    Mas, vamos ao que interessa – ano que vem é a vez de minha 2a visita à Inglaterra – desta vez, com meu marido – em agosto/setembro.
    Fã dos antigos Frommer´s, monto meus próprios roteiros e gostei de suas dicas – embora não consiga me enquadrar na maioria das cláusulas de seu Manual do Usuário.
    Deste seu post Inglaterra parte 1 – irei a Londres, Bath e Salisbury – mas o foco de nossa viagem é o chamado countryside da Inglaterra – chamei o roteiro bolado por mim (sou historiadora) de Circuito das Lendas Arturianas.
    Londres será, apenas, o ponto de entrada e saída da Inglaterra – vamos passar pelas cidades e locais que se refiram a Artur e seus cavaleiros, a Morgana e as druidesas de Avalon – Winchester, Salisbury (Stonehenge), Bath, Glastonbury (Avalon), Tintagel na Cornualha (ruínas de Camelot) – gostou? Pode copiar.
    Será uma viagem econômica – porém sem sacrifícios (essa região é cara) – mas sem muitas compras – o objetivo é outro.
    Vou ler os outros posts e continuar em contato – abraços viajantes…

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Bacana! Depois conte tudo no seu blog para a gente poder acompanhar! 🙂

    (Responder)

  10. Almeida
    Comentário do dia 23/10/2010 às 16:13

    Sai de Londres hoje, to fresquinha. Estou em Paris, que de longe perde horrores no sentido de estrutura e amistosidade para a capital inglesa.

    Fiz 5 dias em Londres sem sacrificio e nao fiz muitas contas, eu vinha de Genebra entao jah estava horrorizada com os precos de la. Excelente surpresa saber que eu podia comer horrooooores (eu cmo muito muito mesmo) pagando 6 libras em um prato mais 1,80 se quisesse beber alguma coisa.

    O albergue YHA Central London nao eh sacrificio algum. Super familia, mega organizado, os proprios funcionarios sao de fora entao voce ironicamente se acha ali no meio do povo. Varias areas comuns, conheci 4 ou 5 brasileiros (que renderam papo) e saimos no grupo dos viajantes solitarios: tiramos fotos uns dos outros e etc. Cozinha PERFEITA, tinha tudo e era grande, soh faltou socador de alho =P

    Entrei na torre de Londres, deve ser questao de gosto. Nao tem mesmo nada demais. Madame Tussauds depende da companhia pode valer a pena. No resto nao deu tempo de entrar.

    Na proxima vou tentar suas dicas.. dessa vez nao deu. Ano que vem eu deponho ^^

    CONCORDO: 1. Dificil ser deportado se provar que esta a turismo.
    2. Fazer tudo com antecedencia salva muito o orcamento. Gastei horrores por fazer uma viagem de ultima hora.

    ACRESCENTO: ter nocoes da lingua ajuda a nao gastar. Me senti tao perdida na Suica francesa e na Franca, que fazia besteira sem ver. Na Inglaterra, foi tudo o contrario. Entao, recomendo saber pelo menos fazer perguntas basicas como ‘que bilhete de metro eh melhor para 3 dias?’ e pedir direcao.

    Abraco e valeu pelas dicas, foram uteis!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Obrigada, valeu pelo feedback!

    (Responder)

  11. Paula Pereira
    Comentário do dia 08/7/2011 às 22:41

    Oi, Silvia

    Como ir a Stonehenge de Londres? qual o meio mais rapido?

    (Responder)

  12. Comentário do dia 08/7/2011 às 23:37

    De trem. Mais ou menos 1h40 de viagem. Na estação de trem de Salisbury (cidade onde está Stonehenge) há um ônibus que leva à atração. Abs!

    (Responder)

    Resposta de leila

    Olá, aonde pego o trem para Salisbury

    grata, leila

    (Responder)

  13. Mateus
    Comentário do dia 20/7/2011 às 14:43

    Boa Tarde Silvia,
    estou indo pra europa em agosto/11 e entrarei pela inglaterra. Minha grande dúvida é a respeito da entrada (alfandega) se devo levar Libra ou Euro? Já comprei Euro. Preciso ter libras em mao?
    desde já,
    Grato

    (Responder)

    Resposta de Sílvia Oliveira

    Não é obrigatório ter libras, mas é bem recomendado para as primeiras despesas no país. Sinceramente não sei se um taxista aceitaria euros na hora de receber a corrida em Londres! Caso volte aqui, conte pra gente como foi! Abs!

    (Responder)

  14. Comentário do dia 22/8/2011 às 12:24

    Como uma curiosa que pesquisa bem antes de ir, encontrei seu site e não desgrudei mais dele!
    Para mim, o grande barato da viagem começa com o planejamento!
    Esta viagem será um presente para a minha mãe, mas eu e minhas filhas seremos as maiores beneficiadas! Serão 3 gerações curtindo harmonicamente o Velho Mundo e suas dicas com certeza vão ajudar bastante
    Já estou achando tudo ótimo e, graças a você, meu bolso vai esvaziar menos do que eu estava prevendo! Valeu!!!

    (Responder)

  15. Suzana
    Comentário do dia 09/2/2012 às 14:59

    Silvia,
    Vou a Londres em Maio/2012 pela primeira vez e gostaria que você me indicasse um hotel bem localizado, com bom preço e quartos não tão pequenos. O tamanho dos quartos está me assustando ….
    Obrigada,
    Suzana

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Suzana, o que que recomendo de hotel bom e barato está na parte 3 desta série! Abs! 🙂

    (Responder)

  16. Ana Gabriela
    Comentário do dia 31/10/2012 às 13:07

    Sílvia…estou planejando minha 1ª viagem para fora para o ano que vem. Estou iniciando agora as pesquisas, não tenho nenhuma idéia e quero iniciar pelo destino mais em conta no
    geral……. hotéis, alimentação, atrações… Europa, EUA, Canada, Austrália…….o que você sugere?
    Obrigada

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Olá, Ana Gabriela! Vixe, aí fica difícil. Não conheço seu estilo, suas expectativas… Na Europa, por exemplo, existem destinos mais caros (França, Inglaterra) e mais em conta (Portugal e Espanha). Vai depender muito do que você busca com essa viagem! Abs!

    (Responder)

  17. Gustavo
    Comentário do dia 31/1/2013 às 18:08

    Oi, Silvia. Estou devorando seu site! Farei uma viagem mão de vaca pela Europa, em julho de 2013 (apesar de ser alta temporada, não custa tentar economizar) e tudo aqui será mais do que útil pra mim! O jeito que você escreve também é muito bom!

    Gostaria que você esclarecesse uma dúvida minha. Além das exigências de passaporte, estadia, dinheiro e tudo mais, existe a obrigatoriedade de ter alguma vacina? Um amigo meu foi pra Europa e disse ter tomado contra febre amarela (apesar de não terem pedido nada a ele) e fiquei na dúvida. Meu roteiro começa por Londres, depois sigo para França, Espanha e termino em Portugal.

    Obrigado e seu trabalho é excelente!

    (Responder)

    Resposta de Sílvia Oliveira

    Oi, Gustavo!
    Esses países não exigem vacinas obrigatórias de brasileiros!
    Abs!

    (Responder)

  18. Conceição
    Comentário do dia 28/5/2013 às 18:22

    Olá Silvia,
    Somos em 6 pessoas (3 casais). Iremos a Europa em setembro/2013 começando por Londres, depois Paris, Roma e Portugal. Estamos com dificuldade de encontrar hospedagem em Londres. Não sabemos aonde ir buscar. Queremos uma hospedagem de boa localização e bom preço. Outra coisa não falamos inglês, como devemos proceder. Nos ajude por favor com suas dicas.
    Obrigada.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Olá, Conceição!
    Procure no Booking.com, Hoteis.com e Hostelword.com
    Abs!

    (Responder)

  19. Debora Melo
    Comentário do dia 02/1/2014 às 15:34

    Olá Silvia…já sua fã de viagens!!!

    Queria que me falasse quanto que devo levar para alimentação e extras. A hospedagem já está paga, já tenho Travelcard, London Pass, Ticket de trem para Escócia. Só preciso saber um valor razoável para alimentação e possíveis extras.. me dá uma dica? ahahah sou mochileira..

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Umas 80 libras por dia (sendo beeeem mão de vaca muquirana). Querendo gastar mais, 100 libras por dia. 😉

    (Responder)

  20. Maria da Graça Duarte
    Comentário do dia 04/2/2015 às 16:31

    Olá Silvia,
    Já conheço Londres, mas fiquei pouco tempo. Estou me preparando para passar de um a 2 meses lá. Sei que o preço da estada é caro, principalmente para quem quer ficar todo esse tempo. Estou considerando a possibilidade de ficar na zona 3 ou atá 4 ou numa cidade de interior próxima à Londres. Meu objetivo é vivenciar a cultura e desenvolver meu inglês. O que me sugeres: ficar numa cidade próxima a Londres ou nas zonas mais afastadas. PS. Sou uma senhora aposentada de 50 anos.

    Muito obrigada, desde já.
    Graça

    (Responder)

  21. Comentário do dia 04/2/2016 às 14:48

    Olá Silvia,
    Será minha segunda vez em Londres, em meados de ago/2016. Graças a você, poderei desfrutar dos meus três dias neste pedaço do mundo que eu adoro. (tá, eu assumo)
    Agradeço imensamente suas preciosas dicas e infinita generosidade no compartlhamento tão bem elaborado deste ‘montão’ de coisass gostosas pra fazer por lá.
    Abraços via &mail (dá certo?)
    Dalva Maraci

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Valeu, Dalva! Obrigada! Boa viagem!

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar