-  Atualizado 01/04/2015

Lapa, Paraná: como organizar um bate e volta perfeito saindo de Curitiba

Publicado por: Silvia Oliveira Curitiba, Lapa

Lapa Parana Matriz

Fico aqui imaginando se os destinos que envolveram a Revolta da Chibata, a Guerra do Contestado, a Revolução de 1930 ou a Intentona Comunista (outros momentos de audácia e valentia da biografia brasileira) atrairiam tanto um turista como a simplória Lapa, no Paraná.

Lapa Parana Praca General Carneiro Como Chegar

Praça General Carneiro

A cidade entrou para os livros por conta do Cerco da Lapa, batalha militar que impediu o avanço das tropas contrárias à proclamação da República durante a Revolução Federalista de 1894. Mesmo os legalistas sendo derrotados neste episódio, a resistência na Lapa foi fundamental para a consolidação da República.

Lapa Parana Casario Historico

O pequeno município, a 65 km de Curitiba, possui o maior conjunto arquitetônico preservado do Paraná e abriga um pedaço orgulhoso da História do Brasil. São 14 quadras e 258 construções tombadas pelo patrimônio nacional. A cidade em si virou uma rara exposição ao ar livre que preserva e conta, em cada esquina, uma pouco da vida e dos enfrentamentos do século 19.

O QUE FAZER NA LAPA

Lapa Parana Tropeiros

Logo na entrada da cidade (trevo da BR 476) você encontra o Monumento ao Tropeiro (foto acima), um painel feito em azulejos pelo famoso artista paranaense Poty Lazzarotto. É um retrato dos tropeiros que faziam da Lapa ponto de parada entre as viagens de Viamão (RS) a Sorocaba (SP).

Você entra na cidade pelo mesmo caminho que os tropeiros faziam antigamente. Por isso, a Avenida Dr. Manoel Pedro também é chamada de Avenida das Tropas. A grande alameda se tornou point de encontro dos moradores da Lapa e dos turistas que passam por ali. É toda arborizada e rodeada de lanchonetes, restaurantinhos, sorveterias e padarias.

Lapa Parana Taxa de Visitacao Unica Museus

Um passeio tradicional por aqui deve começar pelo centro histórico (a umas duas quadras da Avenida das Tropas). O município tem feito um esforço para ficar conhecido como a “Cidade dos Heróis” e, por isso, investe em pequenos museus e atrativos que reconstituem os 26 dias de cerco. Existe um passaporte único (R$ 3) para conhecer três deles: Theatro São João, Museu Histórico e Museu de Armas. Você compra o passe no primeiro atrativo que visitar e nos outros recebe um carimbo de controle.

Lapa Parana Theatro Sao Joao

O Theatro São João (foto acima), em frente à Praça General Carneiro, foi construído em 1873 e chegou a receber a visita do Imperador D. Pedro II. O palco tem estilo italiano e a platéia, elizabetano. A fachada recebeu influência do neoclássico.

Com capacidade para 212 espectadores, durante o Cerco da Lapa o teatro virou uma enfermaria improvisada e foi bastante atingido pelas balas de canhões das tropas que invadiam o lugar. É absolutamente lindo e preservado por dentro.

Lapa Parana Museu Historico Horario de Visitacao

Já o pequeno Museu Histórico (foto acima), ao lado do teatro, mostra o contexto do Cerco da Lapa. O local guarda documentos e objetos pessoais do General Carneiro (considerado o grande herói do conflito) como a espada, a carabina, as medalhas, o diário e até um lenço machado com o sangue do militar. Uma linda pintura em tela reproduz o leito de morte do general.

Lapa Parana Camara e Cadeia

A 200 metros, na mesma rua, subindo uma suave ladeirinha, você encontra a Casa de Câmara e Cadeia (foto acima), onde está o Museu de Armas. Aqui, estão expostas as armas da Revolução Federalista e as que foram usadas pelo Exército Brasileiro durante o período do Império.

Lapa Parana Museu das Armas

São canhões, fuzis, metralhadoras e muitas balas, dos mais variados tipos e tamanhos, algumas retiradas da Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, na Ilha do Mel. Algumas fotos, recontam trechos do episódio militar que marcou a história da cidade. No piso superior, funciona a Câmara de Vereadores da Cidade.

Lapa Parana Placas Panteon

Após essa introdução ao aspecto histórico do acontecido vá em direção ao Panteon dos Heroes (escrito desta forma, quase tudo em espanhol, porque faz uma referência ao portuñol dos combatentes do Cerco da Lapa. Total influência daquele perrengue do Tratado de Tordesilhas que – lá nos primórdios – cedia boa parte do sul do país aos espanhóis).

O panteon fica a umas duas quadras da Casa de Câmara e Cadeia e todo o trajeto – desde o Theatro São João – pode ser feito tranquilamente a pé.

Lapa Parana Panteon dos Herois

Aqui estão os restos mortais do General Gomes Carneiro e de seus bravos companheiros. Os canhões que adornam o monumento são originais, abandonados pelas tropas federalistas durante o recuo para o sul.

Lapa Parana Casa Lacerda

Já deu para perceber que todos os caminhos da Lapa levam você a algum ponto da zica que foi o conflito. Em frente ao Panteon, por exemplo, está a Casa Lacerda (foto acima), onde foi assinado o ato de rendição da cidade entre Maragatos e Pica-Paus. Hoje, convertida em museu, retrata como vivia uma família de classe média na época.

Lapa Parana Conservacao Museus

Os móveis estão impecáveis e para proteger o piso de madeira original o visitante é obrigado a colocar um chinelo especial para circular pela casa. Por ser um museu federal, a Casa Lacerda não entra no passaporte de museus municipais da Lapa. Mesmo assim, a entrada é simbólica: R$ 3.

Lapa Parana Casa dos Cavalinhos

Lapa Parana Casa da Memoria

Matraqueando Instagram

Ao lado do Panteón dos Heroes fica a Casa da Memória (foto acima), mais conhecida como Casa dos Cavalinhos. É uma das minhas construções preferidas na cidade. Recebeu este nome por causa do desenho dos 10 cavalos alados na fachada e laterais.

A casa foi comprada e restaurada pela prefeitura. Atualmente abriga documentos históricos do município, incluindo livro raros e antigos atingidos por balas durante o Cerco da Lapa.

Lapa Parana Sao Benedito

O turismo religioso da Lapa concentra-se no  Santuário de São Benedito (foto acima) e na Igreja de Santo Antônio (foto abaixo). Esta última (em frente ao Theatro São João) é a edificação mais antiga da cidade (tombada pelo IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1938). Já o santuário, mais moderno, guarda uma imagem de São Benedito da antiga capela erguida por escravos em 1870.

Lapa Parana Igreja Matriz de Santo Antonio

Um pouco mais afastado do centro (3,5 km), no final da Avenida Getúlio Vargas, está o Parque Estadual do Monge. O local foi morada de um monge conhecido como João Maria D’Agostinis, ermitão que vivia no que ficou conhecida como Gruta do Monge.

A gruta é centro de peregrinação religiosa. Há vários depoimentos de graças alcançadas e de visões da Virgem Maria. Dizem que só os puros de coração conseguem ver a santa. Eu (glupt!) não vi nada. Atualmente o parque passa por obras de revitalização e você só tem acesso à trilha que leva até à Pedra Partida, a tal gruta onde viveu o místico João Maria.

Lapa Parana Erva Mate Legendaria

Outro ponto interessante é a visita à fábrica Erva Mate Legendária, onde está localizado o Museu do Mate. O ciclo da erva-mate marcou o século 19 na região e foi importantíssimo para o desenvolvimento econômico e social do estado do Paraná.

O pequeno museu conserva peças usados na colheita, produção e distribuição do produto, além dos utensílios necessários para servir o afamado chimarrão. O museu é particular e a visita tem que ser agendada pelo telefone (41) 3622-1303. Rua Octavio Jose Kluss, 800. Está perto do centro.

Lapa Parana Cachaca Na Bunda

Organize-se para conhecer o Alambique doLara que há mais de 15 anos fabrica a cachaça artesanal DoLara, daquelas envelhecidas em barril de carvalho. Mas o produto mais famoso do alambique é a cachaça Na Bunda, que virou o souvenir preferido dos turistas que visitam a cidade por causa do divertido rótulo. :mrgreen:

O alambique está a 6 km do trevo que dá acesso à Lapa e a 300 metros da Potencial Biodisel. A visita tem que ser agendada pelo telefone (41) 9989-3962 ou (41) 9926-7415. Caso você queira só comprar a cachacinha é possível encontrá-la em diversos pontos da cidade.

ONDE COMPRAR NA LAPA

Lapa Parana Casa Vermelha

Lapa Parana Museu do Tropeiro

A Casa Vermelha é o centro de artesanato da cidade. Também abriga o pequenino (mas interessante!) Museu dos Tropeiros e a Sala da Congada.  Foi construída no sistema de “taipa” (ou pau a pique), estilo “arquitetônico” que pode ser visto com um recorte feito na parede do lugar.

Antigamente era uma espécie de armazém de secos e molhados. Hoje o lugar vende diversos tipos de artesanatos  produzido pelas associações da cidade, inclusive a cachaça do Alambique DoLara. Está na esquina das Ruas Barão do Rio Branco e Hipólito Alves de Araújo.

ONDE COMER NA LAPA

Lapa Parana Comida Tropeira

Restaurante Espaço Único: sistema self service com comida tropeira.

Visitar a Lapa é sua grande  oportunidade para aproveitar a deliciosa culinária lapeana: costela de porco frita, feijão tropeiro e quirera feita com milho quebrado, cozido e socado no pilão. Para mim, lembra muito a comida mineira.

Apenas três restaurantes oferecem a comida típica: Lipski Restaurante (o melhor e mais caro), O Casarão (com preços médios – Alameda David Carneiro, 307. Tel: (41) 3622-0020. Em frente à Câmara e Cadeia) e o Espaço Único (mais econômico com sistema self service  a quilo durante a semana e livre nos fins de semana – Praça Castelo Branco, 326. Tel: (41) 3622-8114. Fica ao lado da Igreja Matriz). Alguns hotéis e pousadas também servem, mas somente sob encomenda.

Coxinha de Farofa Lapa PR

Mesmo que você não queira almoçar aqui prove a fantástica e mítica Coxinha de Farofa. Sua origem é controversa, mas reza a lenda que há muitos anos, durante a festa de São Benedito, acabou a comida e começaram a fazer a “coxinha” com sobras de frango e massa de pastel.

É levemente crocante por fora e recheadíssimo por dentro. O quitute se tornou uma iguaria e virou símbolo da Lapa. Eu compro sempre na Padaria Zeni (Avenida das Tropas). Custa R$ 2,85 cada e é possível levar para viagem. Mas a coxinha é vendida é outros pontos da cidade.

Lapa Parana A Biscoiteria 01

Outra delícia da região é vendida na Biscoiteria (Rua Des. Westphalen, 430. Tel. (41) 3622-7799), que fica ao lado da casa dos Cavalinhos e perto do Panteon dos Heroes. Em caixinhas vintage que contam na embalagem o imbróglio do Cerco da Lapa são vendidos deliciosos biscoitinhos com receita centenária.

Lapa Parana Casario noturno

O slogan “sou brasileiro e não desisto nunca” bem que poderia ter nascido aqui. O Cerco da Lapa é o retrato de um pequeno grupo (pouco mais de 600 homens) que enfrentou os mais de 3 mil rebeldes que queriam manter a coroa portuguesa no país. (Há muitas teorias sobre as motivações dos federalistas. Eu acredito nessa.)

Resistiram durante 26 dias, muitos – inclusive os principais líderes – morreram em combate porque acreditavam na República e queriam ver o Brasil nas mãos dos brasileiros.

SERVIÇO

COMO CHEGAR À LAPA-PR

Saindo de Curitiba pela BR 476, indo pelo município de Araucária. Está a 65 quilômetros da capital paranaense. Há pedágio no trecho.

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS

Central de Informações Turísticas

Praça General Carneiro, 116 – Centro

Tel. 41 3911-1165

E-mail: informações _turísticas@lapa.pr.gov.br

Horários dos museus: terça a domingo, 9h às 17h. Na segunda abre às 13h. A Casa Lacerda não abre às terças.

Posts relacionados

Colônia Witmarsum: café colonial, história alemã menonita e descanso perto de Curitiba

Parque Estadual de Vila Velha, Paraná: sítio geológico de 300 milhões de anos está a uma hora de Curitiba

Passeio de trem pela Serra do Mar

Ilha do Mel: como chegar, o que fazer e onde comer

Morretes: cidade histórica do Paraná

Leia também

Linha Turismo Curitiba: como aproveitar o city tour oficial da cidade

___________________________ 

Fotos: Sílvia Oliveira



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


8 comentários

  1. Carlos
    Comentário do dia 12/11/2014 às 13:09

    Sou paranaense de Ponta Grossa, há anos morando em São Paulo.
    Adoro minha terra (Paraná). Gostei muito do que mostraste da Lapa, onde fui uma única vez, mas passei muitas vezes ao seu largo, indo para RS. Pena não poder enviar para ninguém, pois a foto da cachaça estragou tudo (além de me fazer lembrar dum cachaceiro vermelho). Desculpe

    (Responder)

  2. Rene
    Comentário do dia 18/1/2015 às 22:25

    Excelente artigo!! Fiz minha dissertação sobre Tropeirismo no Brasil e sem dúvida Lapa é um
    dos melhores “acervos ao ar livre” sobre esse pedaço da nossa história. O Santuário de São Benedito é belíssimo!! Nao conheco pessoalmente, mas quero visitar em breve!! Obrigado pelas dicas!!! Bjos Rene

    (Responder)

  3. Comentário do dia 05/8/2015 às 19:15

    Gosto de passear na cidade da LAPA, lá se vê, muitos casarios coloniais, tem bons restaurantes, tive o prazer de conhecer nesse fim de semana (dia 02-08-15) o Restaurante “Casarão” excelente comida, não posso deixar de mencionar o Restaurante Lipski, que já conheço e recomendo a quem quer que seja, muito bom mesmo, adorei a Biscoiteria onde se adquiri biscoitos feitos na região, depois do almoço, dei àquele esticada na Praça, ao sol de verão e a tarde retornei a Curitiba. Só que o Café da Zilda, que fica na Avenida só ab re de segunda a sábado. Domingo estava fechado, qq. dia desses retorno, para tomar àquele Café Colonial.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Que legal, Flavio! Gosto de tudo na Lapa. Abs!

    (Responder)

  4. Jacir R. Costa
    Comentário do dia 14/9/2015 às 21:54

    Lapa-PR, aprazível, pacata e que vale a pena passar um domingo conhecendo a história de seus heróis e dos tropeiros, almoçar em um de seus restaurantes de comida típica, lanchar na Panificadora Zeni (lanches deliciosos e sempre lotada), de repente cruzar com seus veículos antigos de colecionadores, seus casarios belamente preservados, suas ruas de paralelepípedos. Só lamento o descaso com Parque da gruta do monge que há anos dizem que está sendo remodelado e até agora nada foi feito.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Verdade, Jacir! Estive no Parque da Gruta acho que no ano de 2006… depois fechou e nunca mais! 🙁

    (Responder)

  5. Comentário do dia 27/1/2016 às 11:57

    Ilma. Sra. Prefeita Municipal LEILA KLENK e/ou Secretario da Comunicação Social Sr. Claudio Roberto, da legendaria LAPA-PR, poderia estudar a construção de alvenaria de um quiosque na Praça (nas imediações do Museu), onde deveria abrir todos os dias , para fornecer informações do folclore aos TURISTAS, sobre a cidade, sua historia, seu artesanato, seu povo, etç.
    Falta essa informação permonizada aos visitantes, tenho certeza que se assim entender dessa necessidade, trará divisas a municipalidade.
    Os turista vão agradecer.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Sra Flavia! O Matraqueando é um blog de viagem sem qualquer vínculo com a prefeitura. Seu pedido tem mais chances de ser ouvido se deixar sua mensagem na página da prefeitura da Lapa. De qualquer maneira, quando fui tinha um centro de informações turísticas na praça, perto do theatro. Peguei várias informações ali. Abs!

    (Responder)

  6. Comentário do dia 29/6/2016 às 12:58

    oi meu nome e maria queri saber quem é o pesidente(a) da lapa

    (Responder)

    Resposta de Flávio Bovo

    A manda chuva da Republica é a Sra. LEILA KLENK, DD. Prefeita Municipal da legendaria cidade da Lapa, Estado do Paraná.

    (Responder)

  7. Comentário do dia 19/6/2017 às 22:12

    Oi.

    Adorei a dica. Esse pontos turísticos são próximos? podemos fazer a pé?

    Abs!

    (Responder)

  8. ana
    Comentário do dia 23/7/2017 às 13:25

    Olá, gostaria de visitar Lapa enquanto estarei em Curitiba. Sabe me informar em quanto tempo eu consigo ver tudo? menos o Parque. Para nos programar. Nós vamos de ônibus mesmo.

    Obrigada!

    (Responder)

2 Trackbacks

  1. […] Lapa: como organizar um bate e volta perfeito saindo de Curitiba […]

  2. […] Lapa: como organizar um bate e volta perfeito saindo de Curitiba […]

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar