-  Atualizado 27/07/2017

Lavandário de Cunha: como é a visita aos campos de lavanda no interior de São Paulo

Publicado por: Silvia Oliveira Cunha

Era para ser só uma parada estratégica na estrada que leva a Paraty, nosso destino final das férias de julho. Mas o Lavandário de Cunha, cidade a pouco mais de 50 km de Aparecida (veja nosso manual completo para visitar o maior complexo mariano do mundo) e a 220 km de São Paulo, tornou-se a surpresinha fofa da viagem.

Embora você possa passar o dia inteiro aqui, uma visita bem feita — com direito a caminhadas e parada para o chá de lavanda — não dura mais do que uma hora.

Um dos diferenciais é que o Lavandário tem flores o ano inteiro devido ao plantio e poda feitos em rodízio e de forma escalonada. São 40 mil pés plantados e mais de 10 mil sempre estão em plena floração.

A propriedade tem caminhos demarcados por onde podemos caminhar entre as flores. Alguns mirantes estrategicamente construídos oferecem uma vista absolutamente maravilhosa do Vale do Paraíba.

Nós não chegamos a ficar até o pôr do sol porque queríamos chegar a Paraty antes do anoitecer. Mas pelo que vi em fotos é um dos mais lindos da região.

O local tenta trazer um pouco dos campos de lavanda que existem na Provence, região do sudeste da França conhecida pelo cultivo desta flor. O espaço é dedicado à pesquisa, cultivo e preservação, além de destilação do óleo essencial.

Vários produtos com a essência de lavanda são vendidos na lojinha do Lavandário como shampoo, condicionador, sabonetes, chás, azeites, essências, óleos de massagem, aromatizantes, etc.

A casa-sede em estilo provençal abriga ainda um café com diversos produtos comestíveis à base de lavanda. Foi aí que a jacuzice bateu forte e quisemos experimentar tudo.

Quando você se sentir muito trouxa lembre-se dessa sua amiga aqui que pagou R$ 15 conto num bule de chá de lavanda, R$ 14 num sorvete de lavanda e R$ 6,50 num cupcake salgado de lavanda… pra num gostar de nada e ainda ficar com gosto de perfume na boca. Rá!

Bem, sejamos justos. A Mariana adorou o sorvete e tomou praticamente sozinha. O cupcake salgado é saboroso, mas é o que menos tinha gosto de lavanda e mais gosto de comida de verdade.

Já o bule ficou praticamente cheio. A gente deixa o salário no chá mas, pelo menos, garante as fotos pro instragã. 🙂

Matraqueando-Instagram1

Só um pequeno parêntesis sobre o atendimento da loja-café: é ruim! Apenas uma moça cansada e mal humorada para servir as comidas, vender os produtos e cobrar no caixa. E pelo que eu li depois nas resenhas da própria página deles no Facebook o problema é recorrente.

A questão, a princípio, não é a atendente, mas a sobrecarga que recai sobre ela. Então, se for consumir qualquer coisa espere enfrentar filas chatas e serviço sofrível.

Voltando. Falando em fotos, quando publiquei algumas dessas imagens no meu Instagram alguns leitores disseram que estiveram em fevereiro e abril no local e que não estava tão florido como agora.

O detalhe é que estamos falando de agricultura, área totalmente vinculada às intempéries do tempo. Uma chuva forte ou uma geada, por exemplo, podem comprometer a floração. Portanto, alinhe suas expectativas. Isso não é a Provence.

Dificilmente você vai conseguir fazer aquelas fotos divas com vestido esvoaçante e chapéu de palha naquele mar roxo francês. Até porque a cor que predomina no Lavandário é o verde do chamado “mar de morros” de Cunha. Sempre vão existir áreas floridas, áreas podadas e áreas sendo plantadas.

Para fazer ensaios fotográficos profissionais, diga-se, o Lavandário cobra R$ 100. Tem ainda massagens terapêuticas com óleo essencial de lavanda feita por fisioterapeuta (R$ 180).

Já o Dia de Vivência (os próximos acontecem em 16 de setembro, 7 de outubro, 11 de novembro e 9 de dezembro de 2017) é formado por grupos de até 15 pessoas que participam do plantio, poda e acompanham o processo de destilação do óleo essencial. Custa R$ 70. Os serviços podem ser comprados e agendados pelo site. Valores de julho de 2017.

A propriedade também é destinada ao cultivo de ervas aromáticas como alecrim, manjericão e verbena. O cheiro do Lavandário é exuberante. Você se sente imerso num balde de Seiva de Alfazema©. #souvintage

Por fim, o que a gente leva daqui é a infinita sensação de paz e relaxamento diante de uma vista belíssima do vale, onde as lavandas ajudam a compor o cenário.

DICA DA MATRACA

Só quando eu já havia desenhado essa visita é que descobri que existe também em Cunha o Contemplário. Trata-se de outro campo de lavanda, a poucos quilômetros do Lavandário, com a vantagem de ser gratuito.

Parece que é um pouco menor, mas também tem uma lojinha que vende produtos com essência do óleo de lavanda e um chalé para hospedagem no local. Se você já foi até lá conte aí o que achou!

SERVIÇO

O Lavandário

Local: Estrada Cunha-Paraty, SP 171 – km 54. Para quem está indo a Paraty, a propriedade fica do lado esquerdo da pista.

Telefone: (11) 9 8334-7172 | E-mail: olavandario@lavandario.com.br

Horário: de sexta a domingo, 10h até o pôr do sol. Nas férias abre também às quintas. Confirme antes de ir.

Entrada: R$ 10. Crianças até 12 anos não pagam. Pessoas com mais de 60 pagam meia. Valor de julho de 2017.

Importante: O Lavandário oferece estacionamento gratuito. Você paga o ingresso e pode entrar com seu carro (menos ônibus e vans) ou deixá-lo nas vagas disponíveis na frente do portão principal. Mas a estradinha (uns 50 metros) que leva até os campos de lavanda é extremamente íngreme, estreita e sinuosa (passa um carro de cada vez).

Como chegar ao Lavandário:

Nós fomos de carro. Então, os aplicativos de trânsito Waze e Google Maps resolvem o babado. Quem vem de São Paulo pega a Dutra até Guaratinguetá (ou a SP-070 Ayrton Senna e Carvalho Pinto até Taubaté e depois continua pela Dutra até Guaratinguetá) e, em seguida, pega a SP 171, que já é a Estrada Cunha-Paraty.

Se você quiser vir de São Paulo de ônibus prepare-se porque não há transporte direto da capital. Você tem que ir a Guaratinguetá com a Viação Pássaro Marron ou Cometa e de lá pegar um buzão da Viação São José para Cunha. O trajeto Guaratinguetá-Cunha dura uma hora e custa R$ 14,20. Da rodoviária de Cunha pegue um táxi até o Lavandário. Valores de julho de 2017.


Distâncias de Cunha a:

Paraty: 47 km
Rio de Janeiro: 300 km
São Paulo: 220 km
Aparecida: 56 km
Curitiba: 630 km

Cunha combina com:

São Paulo
Aparecida

Leia também

Le Jardin: o primeiro parque de lavandas do Brasil chega a Gramado
________
Fotos: Sílvia Oliveira e Raul Mattar | Todos os direitos reservados. ©

ACOMPANHE NOSSAS DICAS EM TEMPO REAL

FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER | YOUTUBE | PINTEREST

Política editorial | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Sempre nos hospedamos anonimamente nos hotéis indicados. O Matraqueando não faz post patrocinado. Alguns posts contêm links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Tudo o que você encontra aqui foi determinado unicamente pelo interesse do leitor, nosso gosto pessoal ou critério particular. Isso é transparência e credibilidade. Pode confiar! Para ajudar a manter o blog sempre com dicas fresquinhas adquira nossos guias na Loja Matraqueando. Desde já agradecemos a preferência! 😉 

Artigos Relacionados


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


5 comentários

  1. Sheila Eduardo Oliveira
    Comentário do dia 25/7/2017 às 12:48

    Amo suas postagens, parabéns mais uma vez pelo olhar detalhista isso faz uma diferença incrível.

    (Responder)

  2. Comentário do dia 25/7/2017 às 15:27

    Parabéns pela matéria! Acertou em tudo sobre o Lavandário!
    O local é simples (comparado com a gringa) mas é lindo, romântico e caro igual! rs

    O Contemplário é bem menor em plantação, mas a visita compensa pelo visual que tb é lindo, e no café o atendimento é ótimo 😉 e vc não leva aquela facada 😉

    Cheguei a realizar Ensaios Fotográficos no Lavandário e tb no Contemplário, para quem quiser conhecer um pouquinho mais dos locais, segue o link :

    Ensaio no Lavandário: http://julianamirandafotografia.com/marcela-e-daniel

    Ensaio no Contemplário: http://julianamirandafotografia.com/vanessa-fabricio-davi

    Bjocas 😉
    Ju

    (Responder)

  3. Sirlene
    Comentário do dia 25/7/2017 às 15:48

    Que maravilha, Silvia! Nem sabia que existia. Obrigada por esta dica incrível e ainda tão pertinho de Aparecida onde vou todos os anos!

    (Responder)

  4. maria
    Comentário do dia 25/7/2017 às 16:24

    eu conheci Cunha em junho..fui de excursão…lindo lavandario peguei assim florido e cheiroso…a subida cansa..mas vale a pena a vista maravilhosa …eu recomendo

    (Responder)

  5. Lu
    Comentário do dia 02/8/2017 às 10:48

    Oi Silvia, tudo bom? Lindas fotos, parabéns! Fui a Cunha também recentemente, conheci o Contemplário, mto lindo, vale a pena, é um pouco a frente do Lavandário, que não consegui visitar pois estava fechado. Cunha também é a cidade da cerâmica, tem vários ateliês, vale uma visita. Bjx

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar