-  Atualizado 03/12/2012

Meu primeiro lanche comprado a bordo

Publicado por: Silvia Oliveira Matraca News

Eu sou do tempo da Varig. Aquela companhia que servia lanchinho quente em vôos de 1 hora com talheres de inox. Garanto: não foi por isso que a empresa faliu. Um agrado nunca sai caro, é sempre um investimento. Portanto, jamais vou me acostumar com a sovinice das low costs que nem são tão de “baixo custo” assim. Nem caio no conto do vigário de que os preços estão mais atrativos, de que agora ficou mais fácil viajar, de que você paga menos e, por isso, tem que se contentar com menos, nhé, nhé, nhé. Experimente comprar uma passagem da ponte aérea em cima da hora para ver quanto vai pagar!

Peguei um vôo de Curitiba para São Luís com conexão em Brasília. Nem desci do avião. Foram praticamente cinco horas de viagem sem escutar um “aceita água, refrigerante ou suco, senhora?” Nunca tive tantas saudades da goiabinha. O que eles colocam na sua mesinha é um cardápio com sugestões de sanduíches, bebidas quentes e frias e snacks para você… comprar, se quiser!

Foi uma bobeada minha. Como faz tempo que não viajo com a GOL não estava atenta a esta política dos lanches a bordo. (Os voos de Curitiba-Londrina, que duram 35 minutos, ainda têm, pelo menos, um suquinho.) Porque se eu tivesse me lembrado desse detalhe teria comprado um cheese salada e água na lanchonete popular do aeroporto de Curitiba e pago menos da metade do que tive que investir dentro do avião. Comprei um sanduíche que se chamava “Sugestão do Chef”: pão de leite com parmesão, queijo cremoso, peito de peru e queijo gruyère. R$ 12. O refrigerante e a batatinha chips saem por R$ 5 cada! Como eu comprei o trio, o combo ficou R$ 20.

Não é barato, mas também não chega a ser nada impossível de pagar quando seu estômago já colou nas costas. O detalhe, repito, é aquela falta de afago, poderia ter pelo menos um cream cracker da Bauducco grátis, além do cardápio oficial, digamos. Daí, quem quisesse comer mais que pagasse por isso. Mas nanãninanô. Bem, já que quando não tem tu vai tu mesmo, o resultado até que não é ruim. Pela foto você pode ver que o sanduíche que servem é bem parecido com o da foto. Por dentro é meio desmilinguido, mas é gostoso, embora mais gelado do que deveria. Enfim… volta goiabinha, volta!

Posts relacionados

Meu primeiro voo na Azul

Leia também

Aeroporto de Curitiba ganha primeira lanchonete popular do Brasil

Fotos: Sílvia Oliveira



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


23 comentários

  1. Andrea
    Comentário do dia 30/8/2012 às 09:38

    Olá Silvia!!
    Em março deste ano tive a minha primeira experiência da compra de lanche no avião, num vôo da Gol para Sampa. Achei tão esquisito… é de sentir msm saudade dos tempos dos lanchinhos quentes.
    Beijão!

    (Responder)

  2. vera queiroz
    Comentário do dia 30/8/2012 às 10:25

    O mesmo que comi na volta de fortaleza há um mês, e concordo com tudo: o paodurismo, a falta de gentileza de oferecer sequer um copo d’água, uma enorme diferença da Tam que estou começando a conhecer e gostando mais, claro. Na última viagem Gol tive um piti claustrofóbico e tiveram de me mudar de lugar – os espaços pra sentar estão cada vez mais exíguos, nessa empresa em particular, acho. beijo, vera

    (Responder)

  3. Comentário do dia 30/8/2012 às 11:05

    Ó, Silvia anote aí: em 27 de julho, voando Curitiba – Santos Dumont pela Gol, não pude comprar um desses (ou qualquer outro). Motivo? Oferta de sanduiche menor que a demanda. O voo era no horário de almoço e foram vendidos uns 10 sanduiches/lanches. Da fila 15 até o final, quem queria ficou sem!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Chocada!

    (Responder)

  4. Comentário do dia 30/8/2012 às 11:50

    Sabe que eu comprei esse famigerado lanche pela primeira vez em junho, no trecho GRU-FOR, justamente para fazer um post que acabei nunca escrevendo? :/ Eu fiquei bem decepcionada no saldo final: com o atendimento, com a qualidade do lanche (gelado!!!), com a frieza de tudo. CustpXbenefício bem ruinzinho na refeição. E concordo: mimo é bom e todo mundo gosta. Principalmente levando em consideração os preços dos voos nacionais, que já não são mais nenhuma maravilha.

    (Responder)

  5. Didi Iashin
    Comentário do dia 30/8/2012 às 12:23

    E quando te servem “comida” que parece tudo, menos comida? Minha experiência com a refeição servida nos vôos da United (SAO-Washington-SAO) foram uma tortura? Por que a gente não pode levar o próprio farnelzinho?

    (Responder)

  6. Comentário do dia 30/8/2012 às 13:03

    É….que saudade do amendoin!! Sempre voo de Gol e sei bem como é…agora eu mesmo levo um lanche na minha mochila. Ao menos nos serviram água, diferente de alguns amigos que comentaram que nem isso.

    (Responder)

  7. Cleide
    Comentário do dia 30/8/2012 às 14:50

    Menina, estranhei demais essa história d lanche pago no avião (faz tempo q não viajo d avião)!!! Estranhei ainda mais o PREÇO do lanche (muito caro). Não bastasse o desconforto da aeronave!! Não consegui dormir sequer 15 min; detalhe, numa viagem de 3 hs e 15 min.

    (Responder)

  8. Ilma Madureira
    Comentário do dia 30/8/2012 às 15:11

    Realmente muito estranha essa história de ter que pagar para comer “algo dentro das aeronaves” e concordando que um afago, um agrado nao iria deixar nenhum cia mais pobre. Aff :(:(

    (Responder)

  9. Maryam
    Comentário do dia 31/8/2012 às 08:47

    Gente !!! Outros tempos ! E assim nos voos domesticos no mundo inteiro. So falta voces ficarem com saudades da primeira coca cola nas asas da PanAir! Viajar de aviao deixou de ser luxo faz muito tempo!!!

    (Responder)

    Resposta de Joelma

    É que ninguém falou de luxo aqui. O tema do artigo é outro: falta de gentileza e agrado mínimo, principalmente quando a empresa cobra R$ 1600,00 uma passagem SP-Fortaleza-SP. Não é porque o mundo inteiro faz errado que deveriamos fazer também.

    (Responder)

    Resposta de Raquel

    O problema é pagar R$3000,00 (ida-volta GRU-FOR) em um avião super apertado sem nenhum conforto; o comissário pegando no alimento e em dinheiro ao mesmo tempo e ser praticamente forçado a comprar um lanche de péssima qualidade! Vamos botar a cabeça pra funcionar e parar de fingir que é celebridade pra colocar no facebook!!

    (Responder)

  10. Cleide
    Comentário do dia 31/8/2012 às 15:16

    Maryam, desculpa por eu viajar apenas dentro do Brasil!!! Desculpa, tb, por fazer 12 anos q não viajo d avião, afinal, viajar(principalmente pro exterior) eh pra quem pode, mesmo q seja sem luxo!!!!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Concordo com Joelma e Cleide! Até porque se eu estivesse falando de luxo estaria analisando a Singapore Airlines, não a GOL. 🙂

    (Responder)

  11. Comentário do dia 03/9/2012 às 10:58

    CONCORDO, CONCORDO milhões de vezes. Tambem sinto falta do amendoim, da goiabinha, do lanchinho quente, e sem duvida, não se trata de questão de custos. Ha outros fatores que deveriam ser olhados que trariam maiores lucros para as empresas, eficiencia e melhor tratamento aos clientes são 2 que me veem a cabeça agora. So um pitaco sobre os voos de curta duração na europa, eles ainda oferecem bebidas não acoolicas e algum dry snack, chocolate, lanchinho (as vezes) – não conheço todas, mas posso falar pela British, Air France, KLM e Swiss.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Com certeza, Catia! A GOL e Webejet seguem o – mau – exemplo daquelas que aboliram tudo, até o copo de água cortesia. Como disse, não foi o lanchinho que faliu a Varig!

    (Responder)

  12. Débora Gueiroa
    Comentário do dia 04/9/2012 às 11:21

    Comigo aconteceu pior, fiz o vôo Rec – SP e quando pedi meu sanduíche pelo cardápio, TODOS O SANDUÍCHES ESTAVAM EM FALTA! A desculpa do comissário de bordo foi que o vôo já vinha de outro lugar e os lanches haviam praticamente todos acabado. Achei ridículo, como ele pode passar um cardápio para pessoas que estão em uma viagem de praticamente 3h, não ter quase nada e ele ainda soltar uma desculpa dessa?!
    Saudade dos tempos de Varig…

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Nossa, que horror! Imaginando que eu viro um bicho quando estou com fome… teria surtado no avião!

    (Responder)

  13. Comentário do dia 04/9/2012 às 14:07

    Cobrar caríssimo pelas passagens se você precisar fazer um voo de última hora é fácil, e nem oferecer um lanchinho? Nem água?
    Se ainda fosse um lanche justo… Por esse preço eu como mal, mas como melhor até no McDonald’s. Se o sanduíche da foto pelo menos lembrasse o sanduíche de verdade,.. O da foto deve ter 4x mais ingredientes que o sanduíche mesmo… melhor as barrinhas de cereal.

    (Responder)

  14. Flávia
    Comentário do dia 04/9/2012 às 17:41

    Desculpa, mas tenho que discordar de você. Não sei onde você mora (não achei), mas moro em Manaus e também sou da epoca dos talheres de inox na Varig. Naquela epoca, eu nao lembro quanto custava a passagem, mas lembro que eu só podia viajar uma vez por ano…
    Hoje, eu consigo passagens a 400 reais (ida e volta) pra são paulo. E isso é MUITO barato para a realidade do norte do país…
    Eu detesto viajar de gol, mas sou muito grata à empresa por iniciar os low cost… Eu prefiro comer qualquer porcaria (aqueles amendoins) ou pagar pelo meu lanche, mesmo que caro e ruim, do que pagar mais caro do que já pago por passagens aereas.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    A TAM pratica os mesmos preços da GOL, às vezes, até mais baratos e não aboliu lanches. E em qualquer voo com mais de duas horas eles servem comida quente. Logo…

    (Responder)

    Resposta de Priscila Goldman

    Flavia, encontrar uma passagem para Manaus-SP por 400 reais, só se for uma vez na vida e outra na morte! DE um maneira geral, voar para o norte e nordeste é caríssimo. E as promoções quase nunca abarcam estes destinos. Ou colocam poucas passagens baratas à disposição (3 por vôo por exemplo).

    (Responder)

  15. Flávia
    Comentário do dia 04/9/2012 às 17:43

    E, quanto ao preço de ultima hora… bom, isso é custo de oportunidade… Quando minha vó faleceu paguei 1.800 reais manaus – rio (SÓ IDA) para embarcar em um voo que iria sair em uma hora… Fazer o que??? Na hora do desespero, não dá pra barganhar

    (Responder)

  16. nisia
    Comentário do dia 15/9/2012 às 21:03

    Qdo viajei no ano passado pela gol, de Recife pra Buenos Aires, saindo 5hs da manhã,com conexão em Sampa e escala em Assunção, só serviram 1 sanduiche depois q passamos a fronteira e chegamos em B.A. às 2 da tarde!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Um absurdo! 🙁

    (Responder)

  17. Jussara
    Comentário do dia 15/9/2012 às 21:21

    Oi, Sílvia,
    Leio o Matraqueando pelo Google Reader, então acho que nunca comentei. O lanche acabou saindo um pouco mais caro ou talvez o mesmo preço das lanchonetes de aeroportos, não? Só de ver a foto do sanduíche me deu tristeza, pois lembra o mesmo pão amanhecido e FRIO que servem no voo de São Paulo a Buenos Aires, o que acho um absurdo total. Além do que não servem nenhuma bebida quente mesmo nos voos matutinos. A GOL tá barrelando muito, e olha que não sou das que reclamam de comida de avião, pelo contrário. Não tenho saudade da goiabinha nem do amendoim, mas se é pra vender que pelo menos seja algo de qualidade. Algumas pessoas falaram de sanduíche quente, mas a GOL nunca serviu comida quente, já? Só se foi no começo, mas só passei a voar com a GOL há uns três anos. Sei lá, não gosto de comida fria, então ter que comer um pão frio E ruim, e ainda não poder tomar uma bebida quente às seis da manhã acho muita falta de consideração (sendo que dentro do avião a temperatura é congelante – para os meus padrões).

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Olá, Jussara! Neste voo tinha café e chocolate quente. Mas era café solúvel, por exemplo. 🙁

    (Responder)

  18. Comentário do dia 17/9/2012 às 14:51

    Silvia, que saudades do tempo da Varig!!!! Eu ficava ansiosa imaginando o que iriam servir… as viagens internacionais então, geravam ainda mais expectativa! Te digo, sinceramente, que hoje em dia, sempre dispenso os lanchinhos, a não ser que seja o sanduíche de queijo quente com peru da TAM. Esse eu acho bem gostoso e a cia aérea também serve cerveja a bordo. Acho que é a única no país atualmente que serve bebida alcoolica gratuitamente, se não me engano. Mas também é uma latinha só, sem chance de repeteco, rsrsrsrs! Fiquei impressionada com o ótimo serviço da Turkish Airlines, em uma viagem recente pela Turquia. Em um voo de menos de uma hora, comi sanduíche de queijo com um tipo de carne, saladinha de berinjela e mousse de chocolate com banana, além de uma garrafinha de vinho!!!!! E estava tudo bem saboroso! Um beijão!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Eu já Viajei com a Turkish há muitos anos e foi uma viagem rápida também, de Atenas para Istambul. Não me lembro o que serviram, mas fiquei muito satisfeita com a cia aérea! Bjs!

    (Responder)

  19. Marilia Boos Gomes
    Comentário do dia 03/10/2012 às 15:48

    Domingo passado, 30.9.12, tive o desprazer de viajar por uma tal de WEB JET, na perna Brasília-Rio. Comprei passagem de ida pela Gol, mas não reparei que a volta ao Rio seria por esta coisa. Para início de conversa, o espaço entre as poltronas foi tão reduzido, tão reduzido, que retiraram os botões controladores da reclinação dos espaldares. Como tenho sempre na bolsa uma daquelas fitas métricas de papel, fiz questão de medir o espaço e fotografar: 21cm! E o lanche? Caí na asneira de pedir um “Cup Noodles”. Do alto de sua antipatia, a aeromoça (Que mal pergunte: ainda existem aeromoças? Gente! Aquelas moças lindas, bem maquiadas, perfumadas, esbeltas, escolhidas a dedo pelas companhias aéreas, que portavam seus uniformes elegantes com orgulho, onde estão? Que vento as levou? Alguém se lembra delas aqui no Brasil?) serviu-me um copo quente com a recomendação de aguardar 3 ou 5 minutos para então abrí-lo. Esperei 6 minutos e abri a tampa do copo. Dentro, havia um punhado de “minojo”, boiando em um mar de água; pura lavagem que devolvi intacta para a “aeromoça”, sob protestos. O desrespeito da WEB JEGUE é tão grande que, além de transportar passageiros como se fossem animais, sem o mínimo conforto, ainda tem a cara de pau de oferecer esse tipo de coisa como lanche. Juro minha mãe mortinha, que JAMAIS! piso em um jegue voador destes. Não será surpresa alguma se daqui a algum tempo começarem a transportar passageiros em pé. Revoltante!

    (Responder)

  20. Agata
    Comentário do dia 18/1/2013 às 13:36

    Mas, afinal, vocês compram passagens aéreas para viajar ou seja, se transportar de um local á outro, ou para se alimentar? Companhia aérea não é restaurante!!! Por acaso quando vocês vão á um restaurante ganham uma passagem de avião? Pessoas sem noção….

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Bem se vê que você nunca viajou, muito menos de avião! A questão aqui é bem mais ampla…

    (Responder)

  21. Alvaro
    Comentário do dia 17/9/2014 às 13:34

    Ao contrario do colocado no inicio, as passagens , SIM, custam hoje muito menos do que no passado, possibilitando um maior numero de pessoas viajarem rapidamente de um lugar para outro, e obviamente essa brutal redução de valores teria que vir acompanhada de redução na oferta de serviços. Isso acontece inclusive na Europa e EUA, onde as verdadeiramente low cost, chegam a cobrar bagagem despachada.
    No caso da Gol, ela anteriormente já não servia grande coisa, o que serviam não resolvia mesmo, então da tudo na mesma. Quem precisar se alimentar no voo, tem a opção de comprar antes, o que tb custa caro nos Aeroportos, ou tem agora a opção de comprar na propria aeronave.

    Eu prefiro mil vezes pagar menos na passagem, e gastar a diferença comendo num bom restaurante.

    Agora entendo que os que estavam acostumados a regalias sintam falta, mas não venham dizer que não diminuiu o preço das passagens em relação aquela época.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Você não entendeu o que eu disse: reforcei que não caio no conto do vigário de que as passagens são mais baratas e que, por isso, temos que nos contentar com menos. Ou seja, para mim uma coisa NÃO justifica a outra porque os preços dessas ditas “low costs” brasileiras ficam bem a desejar quando você mais precisa. A Varig era um luxo só e não faliu porque servia lanche quente nas aeronaves. 😉

    (Responder)

  22. Jucelma de Paula
    Comentário do dia 12/2/2015 às 12:22

    Viajamos de Campo Grande-MS até Recife, com escala em Guarulhos, em família num total de 11 pessoas, como saímos muito próximo do horário do almoço tipo umas 10:30 achamos que ao chegar em Guarulhos iríamos almoçar,”sqn” qdo chegamos já tivemos q embarcar de imediato, moral da história, entramos no avião famintos, não víamos a hr de começar a vender as guloseimas q tinha no cardápio, para nossa surpresa venderam até a potrona 8 e os lanches acabaram, passamos muita fome, pedimos sopinha instantâneas, batatas, uma falta de preparo que só!!

    (Responder)

  23. Comentário do dia 02/4/2016 às 15:35

    Tenho 65 anos e, preciso muito voltar a Belém, para buscar minha mala que está com minhas roupas. Infelizmente ficou inutilizada na última viagem que fiz pela TAM. preciso de uma cortesia, se for possível. Ficarei muito agradecida. Gosto muito da GOL. Viajei muito nessa companhia, e ainda tenho o cartão de milhas.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Dinair, você deve entrar em contato direto com a cia aérea! Abs!

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar