-  Atualizado 15/04/2010

Superando estou. Pronto.

Publicado por: Silvia Oliveira Expedição Brasil Express

Arre égua. Se  já sou um bicho desengonçado na praia, imagine à beira do rio. Quem me acompanha sabe que tenho medo de água e, em alguns casos, nojo. Quase não uso a piscina (térmica!) do meu prédio nem entro no mar quando vou à praia. No máximo, molho as Havaianas.

Pois para me testar, São Pedro não só me colocou hoje na foz do Rio São Francisco – o sexto maior em extensão do Brasil – como providenciou um temporal no início do passeio. Fui a única do barco a pedir uma boia – quando o guia condutor me explicou calmamente que aquilo se chamava salva-vidas. Mas ao entrar no Velho Chico fiquei calma, não me apavorei, nem tive siricotico ou ataque de pereba, como de costume. Comportamento exemplar.

Aquela imensidão só pode mesmo ter sido abençoada pelo santo que batizou o rio. Até fiquei na beiradinha (tudo devidamente registrado pela guia do barco), sentindo aquela água morninha – na única parada do passeio para apreciar as dunas que se formam por ali. As ondinhas aparecem porque estamos muito próximos do encontro das águas, rio-mar. Fresca, não. Problemática.

Fotos: Matraca’s Image Bank (menos as da montagem que foram feitas pela guia Cintia Costa. Ela ficou segurando minhas coisas enquanto eu passava pelo meu momento-Deepak-Chopra.)


Artigos Relacionados


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


10 comentários

  1. Virginia
    Comentário do dia 15/4/2010 às 02:09

    Sílvia, você é igual a mim! Quer dizer que eu ainda posso ter cura, né? Tenho medo de água, não sei nadar… Só que eu sou uma medrosa abusada pra caramba, eu encaro – na verdade, como você está fazendo. Quando vou a Arraial do Cabo adoro fazer o passeio de escuna, é maravilhoso. Parabéns pela superação!! Beijos

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Então, olha só, eu sei nadar! Fiz natação, sei mergulhar e ,inclusive, boiar! hahaha! Mas tenho pavor (e nojo, como disse) de alguns ambientes, digamos, aquáticos! Aquela coisa da água até o pescoço. O interessante é que adoro banho (esse do dia a dia) e tenho maior mania de limpeza, vivo lavando as mãos. hahaha. É uma relação totalmente conflituosa com a água! Eu não tive coragem, por exemplo, de encarar a jangada que leva até as piscinas naturais, a 3 quilômteros da orla, aqui em Maceió. Mas fiquei com muuita vontade! Inda bem que hoje não dei muito vexame! hahaha! Agora sou eu quem pergunto: será que tenho cura?

    (Responder)

  2. Comentário do dia 15/4/2010 às 09:24

    hehehe só você mesmo!!! LIndo passeio.
    Beijos

    (Responder)

  3. Silvia I.
    Comentário do dia 16/4/2010 às 00:10

    Viximaria! Fico um dia sem aparecer aqui e vc já voou novamente!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Amei o post do Velho Chico…
    Beijos!

    (Responder)

  4. Carmen
    Comentário do dia 16/4/2010 às 04:36

    Também eu tenho medo das águas turvas que não veis nada ou águas profundas que imaginas coisas….
    Bjs

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Hahahaha! Tenho pavor quando alguma coisa enrosca no meu pé dentro do mar e eu não sei o que é… tô fora! =)

    (Responder)

  5. Comentário do dia 16/4/2010 às 10:04

    Esta historinha de água e Curitibanos, nos conhecemos muito bem aqui em Floripa. Rsrs
    Reamente mar não combina com vocês.

    Beijão e bom fim de semana.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Mas eu não sou curitibana, sou londrinense! E sou assim desde sempre! Rá! =)

    (Responder)

  6. Comentário do dia 16/4/2010 às 10:37

    “siricotico”, “fresca não, problemática”kkkkkkkkkkkkkkk, além de ser um site de utilidade pública para os viajantes do Brasil, o matraqueando ainda é divertidíssimo!

    (Responder)

  7. Comentário do dia 16/4/2010 às 18:46

    as they say: face your fears 😉 lindas fotos

    (Responder)

  8. Comentário do dia 17/4/2010 às 12:14

    Esse é um dos passeios mais lindos do Brasil, não só pela beleza, mas pelo conteúdo histórico do Velho Chico. Não sei se ainda pode ser feito à tarde, quando coincide com o pôr-do-sol.
    Abs!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Sim, pode ser feito à tarde. Mas a previsão era de chuva e eu não quis arriscar com medo que chovesse justo no fim da tarde e ficasse muito escuro, prejudicando não só o passeio, mas, também, as fotos… só que aconteceu justamente o contrário: caiu o maior toró pela manhã e abriu um solzão , à tarde! hahahahaha! Mesmo assim, foi maravilhoso!

    (Responder)

  9. Angela Neves
    Comentário do dia 25/4/2010 às 20:10

    Além do conteúdo super interessante, sua forma de escrever é hilária! Adorei! Parabéns!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Opa, brigadão Angela! 😀

    (Responder)

  10. Liduina Lopes
    Comentário do dia 17/3/2014 às 15:52

    Olá, estava atrás de notícias sobre esses lugares, pois agora nas férias minha família e eu iremos conhecer essas bandas, que dizem ser uma aventura e tanto. No entanto me deparei com suas experiências e me identifiquei, embora adore viajar tenho medo de muuuita coisa e inclusive de água, rsrsrs. Sei que preciso me trabalhar, mas vendo seus comentários até que achei engraçado, vou mostrar esse site para o meu marido e dizer que estou me familiarizando com o lugar e que não sou a única paranoica com água. (mesmo morando numa cidade litorânea como Fortaleza) kkkkkkk.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Liduina!!! vamos montar uma confraria? 🙂

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar