Silvia Oliveira

Dicas de viagem

sexta-feira, 06 de janeiro de 2017

10 coisas que aprendi viajando | #matraqueando10 anos

10-coisas-que-aprendi-viajando

1. Todo mundo pensa que você é rico.
Hellooou! Prioridades, migo. O livre arbítrio existe para que a gente decida o que fazer com o próprio dinheiro. Eu invisto em experiências. Mas não se prenda por mim. Fique à vontade para gastar com roupa, tecnologia ou tratamento de beleza.

Continue lendo o texto…

Share
sábado, 17 de janeiro de 2015

Viagens pelo Brasil: cinco dicas para economizar nas próximas férias

Centro-Historico-Joao-Pessoa-Paraiba-O-que-visitar-Pontos-Turisticos-22

Centro Histórico de João Pessoa

Vira e mexe alguém diz que prefere viajar para o exterior porque dentro do Brasil sai bem mais caro. É fato que alguns destinos internacionais consagrados como Buenos Aires, Orlando e Cancun conseguiram oferecer um ótimo custo/benefício ao turista estrangeiro. Não nego, claro, que ainda precisamos criar melhores condições e estrutura para baratear roteiros que levam, entre outros lugares, a Fernando de Noronha, Amazonas ou Pantanal.

Mas viver na ponte aérea São Paulo-Miami com a desculpa de que o Brasil não cabe no seu bolso é desvalorizar um dos países mais impressionantes do mundo: o seu! Sabemos que não é necessário atravessar o Atlântico para ter férias perfeitas. Com uma pequena mudança no olhar você se sentirá atraído a percorrer os Lençóis Maranhenses, visitar as praias de João Pessoa, decifrar as ruínas de São Miguel de Missões, deslumbrar-se com as Cataratas do Iguaçu ou empanturrar-se com as iguarias de Belém.

Piranhas Alagoas Rota do Cangaço Centro Historico Mirante Secular 1

Piranhas, Alagoas: cidade porta de entrada para você fazer a Rota do Cangaço

Na dúvida, contemple seu próprio estado. Observe o que ele pode fazer por você e você por ele. Reconheça as regiões turísticas que estão aos seus pés. Valorize a comida regional, o artesanato típico e a cultura inconfundível que circunda a maioria das cidades brasileiras. Para ajudar, siga estas cinco dicas e você verá que viajar pelo Brasil é muito mais barato do que seu salário poderia idealizar.

1. Pesquise seu destino | Mesmo que você compre um pacote ou uma excursão procure entender o modus-operandi do lugar que você vai visitar. Quem não sabe o que vai conhecer nem o que encontrar acaba comendo mal, comprando errado e, quase sempre, pagando muito. Leia sites, revistas e blogs especializados. São fontes de informação que ajudam você a entender quais serão suas prioridades e preferências durante a viagem.

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Pimentas Blog Matraqueando

Feira de São Joaquim, Salvador: onde você encontra a Bahia de verdade

2. Compras com moderação | Entenda, não é o hotel ou a passagem aérea que vão encarecer sua viagem, mas – sim – aquele monte de bugigangas que você for adquirindo durante o passeio. Concordo, comprar faz parte da viagem. Quando entramos em férias mudamos de posto na nossa hierarquia pessoal. É como subir na vida por 15 dias. O segredo é estipular um valor para nosso lado emergente. Você saberá determinar quanto custa para ser feliz!

3. Entre nos supermercados | Quando você vai a Paris o piquenique com queijos, frutas e vinhos em algum parque da cidade já faz parte do roteiro. Já o turista nacional tem medo de fazer o mesmo aqui e ser chamado de farofeiro. Bobagem. Empórios e mercados rendem lanchinhos incríveis para matar a fome durante a tarde ou até mesmo para selar seu jantar. Bolos, sucos, frios, pães e chocolates podem ser adquiridos em qualquer esquina e garantem uma deliciosa refeição sem você ter que gastar os tubos.

Lençois Maranhenses quando ir como chegar melhor epoca 3

Lençóis Maranhenses: paisagem brasileira irresistível

4. Fuja dos feriados | É um conselho batido, mas que nem sempre dá para seguir. Muitos brasileiros tiram férias uma vez por ano ou só têm folga nos grandes feriadões. O ideal é negociar com a família e/colegas de trabalho para evitar a alta temporada ou aquelas escapadelas que duram quatro dias e custam 10 vezes mais. Se não houver outra saída e você só conseguir folga nesses períodos planeje tudo com muita antecedência para garantir alguma barganha em hotel ou passagem aérea. Se nada disso der certo lembre-se daquele seu enorme esforço para conhecer a Europa, viagem que quase sempre você faz de tudo para ser em baixa temporada.

5. Tenha um momento de extravagância | Viajar 100% mão-de-vaca-muquirana é deprimente. Gastar menos não significa ter que expiar todos os pecados durantes as férias. É bem provável que você não escape da classe-chicoteia do avião. Mas defina um momento de extravagância que pode ser desde um jantar estrelado, um sobrevoo de helicóptero ou até passar uma noite da sua viagem em um hotel de sonho . Mais do que isso, o que vai definir o valor da sua extravagância é a experiência que você leva dela!

inhotim-helio

Inhotim, a 60 km de Belo Horizonte: maior complexo museológico a céu aberto do mundo

_______________________

Veja por onde já passamos neste Brasilzão e escolha seu próximo roteiro:

Alagoas | Amazonas | Bahia | Maranhão

Minas Gerais | Pará | Paraíba | Paraná

Pernambuco | Rio de Janeiro | Rio Grande do Norte

Rio Grande do Sul | Santa Catarina | São Paulo | Sergipe

_______________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
quarta-feira, 06 de março de 2013

Diquinha básica: confirme seus voos um dia antes de viajar para evitar perrengues

Tenho um ritual na véspera das minhas viagens: preparar minha pastinha de documentos referentes às reservas  e às informações do passeio. Vai do voucher do hotel  ao bilhete do voo, ambos impressos. Os ambientalistas (escutem as vaias!) ficarão horrorizados com tamanho desperdício de papel.

Mas eu ainda não consigo confiar 100% na tecnologia. Sim, está tudo lá no meu e-mail devidamente registrado. Aliás, hoje em dia já dá até para mostrar o bilhete eletrônico pela tela do celular. Mas vai que… a bateria acaba, não tenho conexão wi-fi, o iPad some…  enfim!

Costumo inclusive ligar no hotel para confirmar se eles “enxergam” minha reserva e se está tudo certinho para a minha chegada. O check-in do voo, sempre que possível, também faço pela web e já imprimo o cartão de embarque. O detalhe é que quando se viaja com criança não dá para fazer o check-in antecipado, só no totem de auto-atendimento ou direto no balcão.

Por conta disso, não fiz o web check-in antes e, MARQUEI TOUCA, também não confirmei os horários dos vôos Curitiba – Aracaju. Sim, queridos, horários de voos mudam sem que a companhia aérea venha avisar você!

É comum até que a gente lembre de fazer este tipo de confirmação em viagens internacionais, mas nem todo mundo está atento que alterações também podem ocorrer – e vêm ocorrendo com frequência – nas rotas domésticas. Eu sempre dou uma olhadinha até porque costumo emitir os bilhetes com muita antecedência.

Pois bem , o inesperado – mas não improvável – aconteceu. Cheguei ao aeroporto, ontem, às 8h para pegar o vôo das 8h58… mas a malha aérea havia sido mudada e a rota, antecipada para às 7h43. Perdemos o avião. A GOL jura que me enviou um e-mail avisando e eu, claro, tenho certeza de que não recebi nada.

Resultado prático:  deram um tíquete de alimentação no valor de R$ 18 para cada e fomos reacomodados num voo mais tarde. Chegamos a Aracaju no começo da noite enquanto que a previsão inicial (com o voo anterior) era chegar bem mais cedo.

Lições:

1.  Um dia antes de viajar entre no site da companhia  e, caso não possa ou não consiga fazer o check-in antecipado, pelo menos consulte seu voo para ver se houve alguma alteração. Em último caso, ligue na Central de Atendimento.

2.  Taí a prova de que os dias de chegada e partida não devem ser incluídos nunca no seu roteiro de viagem. Eles são uma espécie de café-com-leite, simplesmente não devem ser considerados. Para quem pensava em dar uma volta na orla da praia ao chegar à capital sergipana só restou jantar e ir dormir.

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
quarta-feira, 09 de maio de 2012

Etiqueta para quem viaja acompanhado


Viajar sozinho é bem mais fácil do que parece. Somos donos do nosso próprio itinerário. Fazemos e desfazemos roteiros a nosso bel-prazer sem avisar ninguém, com risco zero de desagradar o outro. Não há ninguém para reclamar, impor condições, nem dizer “não gosto disso”, “não quero ir” ou “estou cansado”.

Já quem viaja acompanhado deve saber trabalhar em equipe. Acredite, o seu parceiro pode ser bem diferente daquele que você conhece há anos depois de caminhar três quilômetros todos os dias vasculhando os bairros da capital francesa. O pensador norte-americano, Mark Twain, dizia que para descobrir se você ama ou odeia uma pessoa basta viajarem juntos.

Quando se viaja acompanhado o trabalho é dobrado. Seja tolerante, respeite os limites do outro, ofereça ajuda e esteja preparado para os imprevistos. Na verdade, os imprevistos são testes. Resta saber como você passará por eles.

1. TOMEM AS DECISÕES EM CONJUNTO

A escolha do passeio adequado, de acordo com o tempo (e disposição) do grupo, conforme o orçamento do dia e moldada aos nossos gostos e preferências talvez seja o momento mais difícil do processo. Analise (e descarte) opções, peça a opinião um do outro. Fale baixo, seja suave e amoroso – mesmo quando perderem o trem, errarem o caminho ou pedirem o prato errado.

2. PLANEJEM NA NOITE ANTERIOR

Acordar sem saber para onde ir é um erro terrível em qualquer viagem, a não ser que seu destino seja um resort. Mesmo que você tenha optado por um roteiro mais flexível, pelo menos um dia antes, estude o que vai fazer após o café da manhã. Defina seus objetivos. Selecione os programas do passeio. Leve em conta possíveis variáveis: sol, chuva, calor frio, montanha, praia, cidade pequena, cidade grande. Busque oportunidades: vá aonde ninguém quer ir. Depois me escreva para contar que descobriu um lugar que nenhum guia ou blog indicou. Nem este.

3. SUPEREM JUNTOS OS DESAFIOS DA VIAGEM

Não tenha medo do desconhecido. As viagens, olhe só, são boazinhas. E até aquelas que não saem exatamente como a gente planejou têm seu valor. Quando você erra, invariavelmente, aprende! Por isso, quando algo parece não sair conforme o imaginado é hora de se sentar – de preferência num lindo parque primaveril – para reconduzir o roteiro, readequá-lo ou revê-lo, se isso for imperativo.

4. SAIBAM OUVIR UM AO OUTRO

Influencie positivamente seu acompanhante.  Não fique mal humorado nem desconte no outra a dor no calcanhar. Nem reclame do excesso de museu e igreja. Saiba ouvir, entre em um acordo e busque paciência até onde não pode imaginar.

5. SEJAM CRIATIVOS

Os seres resilientes são capazes de vencer dificuldades, de aprender com a adversidade e – através de soluções criativas – de superar qualquer problema. Viajar não é fácil. Além de planejamento e dedicação, algumas coisas podem sair do seu controle. O voo é cancelado, a comida faz mal, chove sem parar. Supere e pronto. Ria da situação e, anote aí, perrengues fazem parte do genoma das viagens.

Posts relacionados

O mundo acabando e você aí, falando de viagens?

Farofeiros de raiz, uni-vos!

Ofício de blogueira versus espírito de viajante: como manter um sem acabar com o outro

Sílvia Oliveira, a moça do tempo

Pela atenção, muito obrigado!

Generalizar é pecado

Qual é a viagem certa para você?

Como diferenciar uma hospedagem simples da pobre de espírito

Como se livrar do enochato?

Turismo de compras: como não ir à falência

Os sete pecados capitais do turista

Foto: Raul e Silvia no Atacama. Viajando juntos há 16 anos!

———————–

Siga o Matraqueando no Twitter | @matraqueando

Curta nossa página no Facebook | Matraqueando

Estamos no Instagram | @matraqueando

Assine nossa Newsletter | Matraca News por e-mail

Adquira os Guias Matraqueando | Loja Matraqueando

Share
segunda-feira, 18 de abril de 2011

Como gerenciar seu dinheiro durante a viagem

COMO GERENCIAR SEU DINHEIRO DURANTE A VIAGEM
 
Não dá para pensar em viagem – curta ou longa – de uma maneira racional. Por mais econômico que seja o seu destino, ainda assim você vai gastar em uma semana fora de casa o que provavelmente desembolsaria durante um mês ficando nela.
 
É como subir na vida por 15 dias. Mas se você acha que vou responder aqui à clássica pergunta “quanto devo levar de dinheiro”… pode tirar o cavalinho da chuva.
 
A proposta é outra: fazer você entender que quem determina seu orçamento são suas expectativas, grau de exigência e índice de tolerância.
 
O turista profissional Ricardo Freire sempre diz que toda viagem é uma extravagância. “Os que viajam na 1ª classe deveriam estar na executiva. Os que embarcam na executiva, seguramente deveriam viajar pela econômica. E todos que estão na econômica nem deveriam ter saído de casa”, diz. Tremenda verdade.
 
É bom saber que os gastos vão muito além de diárias de hotel/albergues, alimentação e transporte. Os passeios, um lanchinho, gorjetas, as comprinhas…
 
Investir num badulaque qualquer, aliás, faz parte do processo psicológico ao qual somos submetidos durante uma viagem. Quando saímos de férias subimos um posto na nossa hierarquia pessoal. Ir às compras vai consagrar esse estado emergente.
 
O segredo é estipular um valor para os souvenires. E obedecer a planilha à risca. Lembrando que, em algum momento, você pode optar por um táxi, principalmente na chegada à Europa, depois de um voo transatlântico. Acrescente este gasto na conta final.
 
Importante: leve um caderninho, uma agendinha e uma minicalculadora (agora tem smartphone, né 🙂 ) e controle tudo na ponta do lápis.
 
Não, fazer as contas no fim do dia não é coisa de gente mão de vaca muquirana nem de pobre pé rapado. Saber quanto estamos gastando – ou melhor, investindo – é questão de organização.
 
Isso nos faz repensar as prioridades e adequar o orçamento para o dia seguinte. Deixar de controlar o dinheiro em uma viagem qualquer não é um atentado ao bolso, mas à inteligência.
 
Divida seu orçamento assim:
 
Hospedagem | Determine quanto quer gastar para dormir, se o quarto tem que ser espaçoso ou se você não abre mão de wi-fi grátis.
 
Alimentação | Gosta de comer bem, mas quer gastar pouco? Contente-se com o menu do dia.
 
Transporte nas cidades | Eleja o meio mais cômodo para você. Caso prefira o táxi, só espere pagar mais por isso.
 
Atrações | Se a ideia é economizar verifique quais as atrações grátis do dia. Apenas prepare-se para enfrentar uma baita fila.
Comprinhas | Ninguém mais do que você é capaz de determinar quanto custa para ser feliz!
 
Momento-extravagância | A extravagância é a experiência em si. Não exatamente quanto você vai pagar por ela.
 
Viajar 100% mão de vaca é deprimente. Não se trata de desrespeitar um orçamento restrito, mas, sim, de ter a mente aberta para entender o que são verdadeiros luxos para você.
 
Gastar menos não significa ter que expiar os pecados durante a viagem, mas há restrições – que podem variar do hotel-pelourinho à classe chicoteia do avião, do almoço de um prato-só ao piquenique no parque.
 
Faça uma planilha de gastos, estipule valores diários, priorize o urgente e dê preferência ao importante. Chique é voltar para casa e debruçar nas lembranças… e não na conta do cartão de crédito para pagar.

Posts relacionados

O mundo acabando e vocé aí, falando de viagens!

Farofeiros de raiz, uni-vos!

Sílvia Oliveira, a moça do tempo

Pela atenção, muito obrigado!

Generalizar é pecado

Por favor, deixem o turista em paz!

O que se aprende com uma viagem

Os 10 mandamentos do viajante

Os sete pecados capitais do turista

_______________-

Foto: Stock Xchng

Share
sábado, 16 de abril de 2011

O que levar na mala?

Que fique claro. Mala é um ser vivo com vontades próprias. Se você não ensinar para ela que quem manda na viagem é você, terá uma tremenda dor de cabeça ao se submeter às vontades da moça. Mala é um karma coletivo sendo resgatado por todo viajante. Isso significa que a mala que você planta, você colhe!

Como sabemos, mala pesa ou empaca! E não adianta, por mais que você escolha a melhor espécie, algum problema ela vai causar. Deve ser um defeito no genoma das malas. Dito isso, decreto: opte por roupas com tecidos leves e peças versáteis – que combinem entre si.

Para montar uma mala inteligente leve em consideração o tipo de viagem: praia, montanha, cidade e época do ano. Na hora de decidir a quantidade de camisetas ou calças, a velha regra ajuda: coloque tudo o que gostaria de levar em cima da cama e corte pela metade.

Dica da Matraca | Um dia antes de viajar pesquise em sites de previsão do tempo como estará o clima no destino para evitar surpresas.

+ Leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro viagem da Mondial. Pegue seu cupom aqui!

Mala vermelha

O que levar na mala que será despachada

– calças
– camisetas
– camisas
– cuecas, calcinhas e meias suficientes (lave as roupas íntimas no chuveiro)
– bermuda
– blusa de lã estilo sweater ou jaqueta
– roupa de dormir
– casaco sintético para noites muito frias. (Pesa menos)
– vestidinho
– 1 par de tênis OU 1 par de calçados confortáveis
– 1 sapato mais socialzinho confortável
– 1 par de chinelos de borracha, preferencialmente, para que possam ser usados no banho.

Dica: um dos calçados da bagagem deve sair nos seus pés.

+ Alugue seu carro aqui com segurança e viaje com mais economia

O que levar na mala de mão

– máquina fotográfica e celular
– bloquinho e caneta para anotar suas impressões de viagem
– uma muda de roupa básica (no caso de extravio da mala grande)
– laptop (ou tablet) e todos os carregadores necessários
– casaquinho de frio (ar condicionado em ônibus e aviões)
– toalhinhas umedecidas íntimas (para a falta de papel higiênico)
– escova e/ou pente de cabelos
– todos os documentos (lembrando de levar os mais importantes no money port, aquela bolsinha que a gente coloca debaixo da roupa).

O que levar no nécessaire

– xampu
– condicionador
– desodorante
– cosméticos
– algodão (apenas um chumaço), cotonete (algumas unidades bem embaladas)
– pinça
– remédios como analgésicos, antitérmicos e outros de uso diário.
– escova, pasta de dente e fio dental e lâmina de barbear

+ Dicas de hotel bom e barato: sem taxa de reserva e cancelamento grátis

Dica: lembre-se das novas regras da Organização Internacional de Aviação Civil para bagagens de mão: o viajante só pode transportar líquidos em frascos de até 100 ml. Os líquidos em frascos maiores do que o permitido não serão aceitos, mesmo que não estejam totalmente cheios. E eles pegam tudo naquela maquininha de raios-X. Caso necessite transportar algum frasco com quantidade maior coloque na mala que será despachada, assim como todo e qualquer objeto cortante — desde um canivete suíço até o alicatinho de unha.

Itens que podem fazer a diferença e a gente sempre se esquece de incluir:

– adaptador universal de tomadas
– sacos plásticos para roupas sujas
– pen drive para salvar as fotos da viagem
– chinelos de borracha para usar no banho
– toalhinha leve, dessas que secam rápido
– máscara e tampão de ouvidos (se o sono for leve)
– kit de primeiros socorros
– lencinho removedor de esmalte
– capa de chuva.

Dica: modere nas bijuterias, cintos e demais acessórios. Menos sempre vai ser mais!

Obviamente que nossa ideia de como arrumar a mala é apenas uma sugestão que visa à praticidade. Cabe a cada um decidir o que pode ser interessante ou não incluir na bagagem. E para você, o que é essencial e/ou dispensável na hora de montar sua mala?

Bannerzinho Mondial Assistance

Leia também

Farmácia de viagem: o que levar?

O que levar na mala do bebê?

PLANEJE SUA VIAGEM COM QUEM ENTENDE

Reserve hotel no Booking.com | Cancelamento grátis!

Seguro de viagem na Mondial Assistance | 15% de desconto p/ leitor Matraqueando

Alugue carro com economia na Rental Cars | Menor preço garantido.

Diversos passeios e excursões  na Viator | Economize aqui!

Ingresso antecipado para museus e atrações | Evite filas!

Matraqueando Instagram

TODOS  OS DESTINOS DO MATRAQUEANDO

AMÉRICA DO NORTE

Nova York

AMÉRICA DO SUL

Argentina | Chile | Uruguai

BRASIL

Alagoas | Amazonas | Bahia | Maranhão | Minas Gerais | Pará | Paraíba | Paraná | Pernambuco | Rio de Janeiro | Rio Grande do Norte | Rio Grande do Sul | Santa Catarina | São Paulo | Sergipe

EUROPA

Alemanha | Espanha | França | Grécia | Holanda | Inglaterra | Itália | Portugal

ÁFRICA

Egito | Marrocos

ÁSIA

Israel

______________

Disclaimer | Este post contém links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. O Matraqueando não faz post patrocinado. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Assim, você ajuda  a manter o blog com dicas fresquinhas e não paga nada mais por isso. Desde já agradeço a preferência! 😉
______________

Foto: Jenny W. | Freeimages.com

Share
sexta-feira, 15 de abril de 2011

Perdi meu passaporte. Como faço para obter outro?

Toc-Toc. Pé-de-pato, mangalô, três vezes. Uma das coisas mais chatas durante uma viagem internacional é perder os documentos. Não importa se você deixou em algum lugar ou se foi roubado. O fato é que estará sem passaporte para seguir viagem. Primeira coisa: procure imediatamente a delegacia de polícia mais próxima e registre um boletim de ocorrência.

Com o documento da polícia na mão, siga para a embaixada ou consulado brasileiro. (Consulte aqui a lista de consulados e embaixadas do Brasil no exterior). Além do boletim de ocorrência, você deve apresentar o original ou cópia autenticada no Brasil de sua carteira de identidade brasileira, prova de quitação com o serviço militar (para homens, entre 18 e 45 anos) e prova de estar em dia com as obrigações eleitorais.

Lá, eles darão a você uma autorização para voltar ao Brasil. Você não poderá continuar a viagem sem passaporte. Para continuar a viagem é necessária a segunda via do passaporte que pode levar dias para ficar pronta. Portanto, guarde muito bem seus documentos no money port, aquelas pochetes/bolsinhas que são feitas para usar debaixo da roupa e que são encontradas facilmente em lojas que vendem malas.

Foto: Matraca’s Image Bank

Share
domingo, 03 de abril de 2011

Dica de viagem: lenço removedor de esmalte

Momento mulherzinha: se você, assim como eu, não sabe o que fazer com o vidro de acetona na mala – que sempre corre o risco de abrir e fazer um baita estrago (mesmo estando bem embalado) – agora pode agradecer de joelhos.

A empresa Océane Femme lançou os Lenços Removedores de Esmalte. Não contém acetona e podem ser encontrados em várias fragâncias ou sem perfume.  Numa embalagem que cabe em qualquer buraquinho da bagagem (de mão, inclusive), os lencinhos são umedecidos com uma espécie de óleo – que não deixa as unhas esbranquiçadas e ajudam a hidratar a cutícula. Um luxo!

A embalagem, bem charmosinha, vem com 25 unidades. Cada lenço dá para tirar o esmalte de até três unhas ou da mão inteira se o esmalte não for muito escuro. O produto é vendido em farmácias e casas de cosméticos. Preço: em torno de R$ 4,50.

Fotos: Matraca´s Image Bank

Share
sexta-feira, 20 de agosto de 2010

As 10 melhores praias de nudismo do mundo

Eu não dou muito sorte com praia. Se alguma bolinha de frescobol estiver passando perto… é na minha cabeça que ela vai fazer o gol.  Se bater um pé de vento… pode deixar, provavelmente vai ser o meu guarda-sol o primeiro a alçar voo. O meu bronzeado, por exemplo, nunca passa do rosa escuro. Sem contar que detééésto melecar a buzanfa na areia. Pelada então, nem morrrta! Mas a quem interessar possa, o TripAdvisor lançou mais uma daquelas listinhas Top 10. Dessa vez foram eleitas as melhores praias para quem gosta de praticar o naturismo. São elas:

1. Cap d’Agde Pueblo Naturista  | Fica no sul da França e todo mundo ali, até os residentes são adeptos do gênero Adão-e-Eva.

2. Isla de Sylt | Na conservadora, olhe só, Alemanha. Tem clima agradável e praias que permitem o naturismo.

3. Red Beach |  Na famosa ilha grega de Santorini.  Mescla praias nudistas e beleza incomparável.

4. Orient Beach | A praia caribenha de St Martin tem media anual de 30ºC, o paraíso em pessoa para quem gosta de ficar peladão, numa boa.

5. Playa de ES Trenc | Em Mallorca, nas Ilhas Baleares. Na primeira parte da praia só é permitido fazer topless. Caminhando um pouco mais o naturismo está liberado.

6. Isla de Rugen | Olha a Alemanha de novo aí, gente! É uma das ilhas mais populares do país com praias extensas, muitas para nudistas.

7. Banana Beach | Os amantes europeus que praticam o naturismo adoram essa praia de Zakynthos, na Grécia. Há mais duas praias similares na região.

8. Grand Saline Beach | Em St. Bartolomé, Caribe. O de sempre neste trecho do planeta: areia fina e mar azul-verde-calcinha-bebê.

9. Paradise Beach | Uma das praias mais charmosas e turísticas. Um refúgio para os naturistas de todo o mundo. Fica em Mikonos, na Grécia.

10. Valalta Camp Naturista | Está num pedaço de paisagem espetacular, junto ao estuário Limski Kanal, em Rovinj, na Croácia. Acabou de completar seu 40º aniversário como camping naturista.

E você? Conhece ou já esteve em alguma praia naturista bacana? Conte pra nós! A caixa de comentários é toda sua!

Leia também:

10 hotéis por até € 15 euros a diária

Share
sexta-feira, 25 de junho de 2010

10 hotéis por até 15 € a diária

Não é pegadinha, não. A lista foi divulgada pelo TripAdvisor – site que reúne milhões de resenhas sobre diversos tipos de hospedagens.  São 10 hotéis (eu disse hotéis, não albergues, ainda que alguns tenham pinta de hostel!) espalhados pelo mundo chamando a gente para uma imersão mão-de-vaca-muquirana. Com dignidade, cRaro.

Hotel Babdag | Hisaronu, Turquia
Diárias a partir de 13 €. Oferece quarto duplo ou triplo com banheiro privado.

Dreams Hotel | Dalat, Vietnam 
Diárias a partir de 13 €. Quartos com ar-condicionado, banheiro e wi-fi.

Happy Up Guest House | Lima, Peru
Diárias a partir de 13 €. Hotel novo, com pinta de hostel. Quarto duplo (esse que custa 13 €) com banheiro privativo. Tem quarto coletivo – máximo quatro pessoas – a 8 € por pessoa.

Villa Haydee Gusman Chiroles | Vinales, Cuba
Diárias a partir de 14 €. Ambiente familiar. Café da manhã incluído. 

Red Lantern House | Pequim, China
Diárias a partir de 8 €. Hotel simples, mas bem avaliado. Próximo à Cidade Proibida.

Pansion Robi | Medjugorje, Bosnia e Herzegovina
Diárias a partir de 15 €. Quartos com banheiros privativos e wi-fi. 

Casa Jardín | Cristóval de las Casas, México
Diárias a partir de 8 €. Ambiente simples, banheiro compartilhado. 

Hotel Niaouly | Antananarivo,Madagascar 
Diárias a partir de 10 €. Com banheiro privativo e café da manhã incluído.

Maya Guesthouse | Pulau Perhentian Kecil, Malasia
Diárias a partir de 15 €. Alguns quartos têm vista para o mar.

Penguin Villagge | Dahab, Egito
Diárias a partir de 13 €. Alguns quartos têm vista para o mar. Dahab é uma boa base para subir o Monte Sinai!

E você? Conhece ou já esteve em algum hotel  bacana e barato? Conte pra nós! A caixa de comentários é toda sua!

Leia também:

As 10 melhores praias de nudismo do mundo

Share
quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Cinco roteiros cênicos de carro pelo Brasil

Existem tantas vantagens em viajar de carro que eu nem sei por que abandonei este gênero de passeio há anos. Estou falando daquelas expedições com tempo, cheias de contemplação em que a gente empaca onde quer, quando dá, do jeito que for.

 Talvez a facilidade dos pacotes nacionais, a entrada de companhias aéreas low-cost nos país ou ainda o acúmulo de milhas me levaram mais aos aeroportos do que às estradas. Concordo, o que cobram pelo combustível é uma deselegância e há regiões com pedágios de valores indignos.

 Mas viagens de carro costumam ser mais econômicas. É justamente a forma de transporte (para duas, três ou quatro pessoas peregrinando juntas) que barateia o custo final. O Brasil tem dezenas de roteiros cênicos – um mais charmoso do que o outro. Algum deles vai caber direitinho no seu bolso.

 BELO HORIZONTE – OURO PRETO | Minas Gerais

Bem perto da capital mineira, você encontra um dos maiores e mais importantes conjuntos arquitetônicos e artísticos do Brasil. A viagem passa por Sabará que guarda inúmeras relíquias do período colonial. Mais adiante, em Caeté, a atração é a serra da Piedade – onde há um santuário no alto que proporciona uma suntuosa vista. Para chegar a Barão de Cocais são 30 quilômetros de estrada de terra, mas bem conservada. Uma espécie de Toscana brasileira. De Mariana – que abriga uma das catedrais mais ricas em ouro do Brasil – chega-se ao auge, em Ouro Preto, que dispensa apresentações. Dali para Tiradentes é um pulinho. Ao todo, são 167 quilômetros, num trajeto que deve ser percorrido em três ou quatro dias.

ESTRADA DA GRACIOSA | Paraná

É uma antiga trilha traçada pelos tropeiros para abrir um caminho entre planalto e litoral. Para chegar às cidades históricas do Paraná não é preciso descer, necessariamente, pela BR 277 – pagando R$ 12,70 de pedágio. A melhor opção é curtir esse pequeno e fofo trajeto. A estrada – de 33 quilômetros – passa por um trecho preservadíssimo da Mata Atlântica. É cheia de riachos, cachoeiras, bichinhos, flores e quiosques. Parte dela foi declarada Reserva da Biosfera pela UNESCO. A Estrada da Graciosa pode fazer parte de um bate-volta ou estar incluída numa viagem maior, passando por Morretes (onde você prova o prato típico do Paraná, o Barreado) e Antonina (que além do casario tem o melhor pastel de siri do estado) até chegar ao porto de Paranaguá.

LINHA VERDE | Bahia

Quem vem de Salvador deve pegar a Estrada do Coco (BA-099) até Itacimirim. Aqui começa a Linha Verde. Logo se chega a Arembepe – uma comunidade hippie que pouco mudou seu modo de vida desde que foi fundada na década de 60. A próxima parada, Praia do Forte, é um dos ápices do roteiro. Com uma vila sedutora, abriga o Projeto Tamar, um centro com vários tanques cheios de tartarugas. Ótimo para crianças. Dali até Imbassaí, um afinado vilarejo agreste cheio de coqueiros e hospedagens rústicas, são 10 quilômetros. Ao lado está o Costa do Sauípe, o primeiro resort da região. Já quem prefere o naturismo vai encontrar sua praia em Massarandupió, em Sítio do Conde. A sossegada Mangue Seco é a última parada da Linha Verde, já na divisa com o Sergipe. Foi aqui a filmagem da novela Tieta. Tem pouca estrutura, mas para os aficionados do gênero é a antecâmara do céu. Todo o percurso tem pouco mais de 200 quilômetros, mas a viagem exige pelo menos sete dias.

PARATI – RIO DE JANEIRO | Rio de Janeiro

O trecho fluminense da Rio-Santos é um dos mais harmônicos atrativos para quem se deleita com viagens cênicas. Baías, ilhas e cachoeiras serpenteiam 250 quilômetros da rodovia que forma o caminho. Depois de passar pelo centro histórico de Parati (onde é proibido circular de carro) aparece a baía de Angra dos Reis e suas mais de 300 ilhas. A 1h30 de barco de Angra está Ilha Grande, uma bem-sucedida parada antes de voltar à estrada. A região é montanhosa, com poucos trechos de ultrapassagem. Ao chegar próximo à capital, o trânsito fica mais intenso. Antes, faça uma paradinha em Grumari, uma das praias mais preservadas do Rio de Janeiro. Quatro dias de viagem, no mínimo.

VITÓRIA – ALTO DO CAPARAÓ | Espírito Santo a Minas

Pouco conhecido pela maioria dos brasileiros, este trecho pela serra capixaba revela uma parte do país que mistura paisagem, agroturismo e imigração. Já na BR-262 – em direção a Belo Horizonte – os 25 quilômetros até Domingo Martins são lentos e cheios de curva. A cidade, colonizada por alemães e italianos, está cheia de casinhas de madeira e restaurantes típicos. Mais adiante está o distrito de Pedra Azul, com uma rocha de mesmo nome que muda de cor conforme a posição do sol. O Parque Estadual da Pedra Azul é uma das principais atrações do roteiro. A 15 quilômetros do parque está Venda Nova do Imigrante, italianíssima cidade serrana. Pule para a Rodovia Pedro Cola (ES-166), onde há fazendas de agroturismo, vendendo produtos típicos. Mais 110 quilômetros e já está na estrada mineira que leva até o Alto do Caparaó, para a famosa caminhada ao Pico da Bandeira. Os 250 quilômetros rendem melhor se feitos calmamente em quatro dias.

Foto: Estrada da Graciosa, roteiro cênico no Paraná. (Raul Mattar)

 Texto originalmente publicado na minha coluna “Viagens econômicas e inteligentes”, que sai  toda semana no portal Descubra Brasil.

Share
terça-feira, 20 de outubro de 2009

Seção mão-de-vaca-muquirana: qual o melhor aeroporto para dormir?

Não, eu já passei dessa fase. Também não indico isso como uma prática frequente. A coisa tem que estar muuuito preta para enfrentar os bancos duros e gelados dos arrival e departure. Mas sempre digo: o que seria um suplício para você pode ser a mais divertida experiência para o outro – principalmente se ele tiver uns 20 anos. 🙂

Interessou? Existe até um site – o Sleeping In Airports – com dicas dos melhores aeroportos para passar a noite e quais são as melhores áreas para montar o cafofo até a hora de embarcar.

A Deise do blog Viagem Pelo Mundo (de onde eu surrupiei essa dica) fez uma análise interessante para quem está contando todos os cents durante a viagem. Os principais voos econômicos das aéreas low cost costumam sair em horários – como a madrugada – que não facilitam em nada a vida do turista muquirana. Muitas vezes é preciso pagar uma diária de hotel/albergue para descansar as costelas por poucas horas e ainda ir de táxi ao aeroporto. Para ler o post completo da Deise, clique aqui.

Que fique claro, passar a noite em aeroportos por economia é o mesmo que fazer viagens noturnas de trem para não gastar com hotel: você vai acordar um bagaço, todo amarrotado e sem disposição. Pode custar o seu dia. E tempo é o bem mais valioso – na verdade não tem preço – da sua viagem. Analise sempre o custo-benefício dessa empreitada.

Posts relacionados:
Europa a 50 euros por dia

P.D. Ui, sei que estou atrasada com a série Europa Barata (o próximo país é a Inglaterra), mas só neste fim de semana recebi alguns dos e-mails de que precisava para atualizar informações de atrações, hotéis e restaurantes. Aguarde, vem coisa boa por aí!

Share
sexta-feira, 09 de outubro de 2009

Como montar sua viagem pela Internet

[Post atualizado em Dezembro/2013]  Se você gosta de organizar sua viagem sozinho, aprecia desbravar possibilidades, contempla encontrar bons preços, tem prazer com o planejamento e valoriza as dicas de blogueiros e sites especializados vai ser uma brincadeira bem divertida. Com um clique do mouse você chegará ao destino bem antes de pôr os pés lá. A Internet oferece — além da compra de passagens aéreas e reservas em hotéis — um intercâmbio de informações jamais visto ou imaginado sem essa ferramenta de comunicação. Para ter êxito na sua empreitada siga alguns passos.

1º passo | ESTUDE SEU DESTINO

Muita gente decide aonde vai e em seguida compra a passagem aérea, só porque viu a propaganda de um bilhete promocional. Calma. Primeiro investigue um pouco sobre seu destino. Entre nos fóruns, blogs e sites especializados para conhecer o modus operandi do lugar. Quem já foi e escreveu sobre o lugar quase sempre tem boas dicas de companhias aéreas, hotéis ou vôos locais. Ao comparar opções você pode tomar a melhor decisão.

Confira estes sites:

Viaje na Viagem – Blog do turista profissional Ricardo Freire. Completíssimo, abrange quase todos os destinos do mundo com dicas práticas e guias das capitais brasileiras.
Blogs da ABBV — A ABBV (Associação Brasileira de Blogs de Viagens) reúne mais de 100 blogueiros que atualizam as dicas diariamente aqui. Favorite já!
Mochileiros – Um dos maiores fóruns do Brasil sobre viagens econômicas.
Virtual Tourist – Comunidade de viajantes com lindas fotos e relatos.
Matraqueando – Blog da jornalista Sílvia Oliveira. Mestre em Turismo e doutoranda em Psicologia da Comunicação. Ela não entende muito do assunto e vive se metendo em roubadas. Mas adora por o pé na estrada ou na escadinha do avião.  Seu lema: aquela que vai antes para você não se estrepar depois.
Google —  Coloque no Google o destino que você quer visitar junto com a palavra “blog”. Seguramente, aparecerão muitos blogs com relatos completíssimos sobre o lugar.

2º passo: PESQUISE SOBRE HOSPEDAGEM

Há diversos sites disponíveis para reservar hotéis, albergues, apartamentos ou bed & breakfast. Alguns vão cobrar só a primeira diária, outros apenas 10% do valor da reserva ou, às vezes, nem isso. O passo a passo deles é bem detalhadinho, embora alguns só estejam disponíveis em inglês. Mas já existem ótimas opções em patropi. Dica: depois de cotar com os sites especializados faça uma pesquisa individual diretamente com o hotel escolhido para efeito de comparação. Veja:

Trip Advisor – Completíssimo site com avaliações de mais de 200 mil hotéis feitas por viajantes.
Hostel World – Para albergues e hotéis econômicos. Traz nota e depoimento dos hóspedes. Apresenta descrição detalhada das hospedagens.
Vou de Mochila  – Tem uma ferramenta parecida com a do Hostel Word.
Venere –  Dá boas respostas para hotéis simples na Europa. O que facilita são uns mapinhas que localizam o hotel desejado na cidade de destino. Não debita nada na reserva.
Booking –  São mais de 100 mil hotéis no mundo inteiro com quase 4,5 milhões de resenhas feitas por quem de fato se hospedou neles.Tem versão em 23 línguas, inclusive a nossa. Não debita nada na reserva.
Hotéis.com –  É a versão em português do Hotels.com. Tem atendimento telefônico 0800 para brasileiros (isso não tem preço!) e um banner específico para as ofertas de última hora.
Eurocheapo –  Especializado em hotéis baratos na Europa, incluindo diversas hospedagens Bed & Breakfast. Detalhe: as resenhas são feitas pelos editores do site e não pelos viajantes.
Hotwire –  Inusitado. Você pode conseguir facilmente um hotel quatro ou cinco estrelas pelo preço de duas. Importante: você escolhe o bairro e a categoria, mas só descobre o nome do dito cujo quando finaliza a reserva. Perigo: as diárias são debitadas no seu cartão e não há reembolso. Em relação à qualidade do hotel, acredito que não haverá problema, uma vez que um padrão quatro estrelas não costuma desagradar. Mas e se você desiste da viagem? Faça tudo de caso bem pensado.

ALUGUEL DE APARTAMENTOS NO EXTERIOR

Ao ficar mais do que cinco dias no destino pode valer muito a pena experimentar o aluguel de um apartamento. Há muita opção em cada um dos sites abaixo. Faça incansáveis buscas e você encontrará algo que seu bolso e disposição possam pagar.

Amsterdã – Stay Amsterdam
Berlim – Berlin Apartaments

Buenos Aires : Apartaments BA, Desig Buenos Aires  e Homes BA
Espanha, Barcelona, Madri e Lisboa – Friendly Rental  e Rent 4 Days
Europa – Oh Holidays  e Apartaments Apart
Paris – Mon Paris e Rent Paris
Paris, Londres e Nova Iork – NY Habitat
Roma – Rental Rome
Veneza – Dimora e Magica Venezia

3º passo: COMPARE VALORES DE PASSAGENS AÉREAS

Você pode ligar para seu agente de viagens e ele fará isso pelo cliente. Mas as opções e as ofertas são tantas que é bem capaz que nem ele encontre o que você pode achar pululando de site em site.

Melhores Destinos – Maior blog do Brasil para promoção de passagens áreas. Siga o twitter deles @passagensaereas e receba as promoções em primeira mão!
Submarino Viagens – É uma das maiores maiores agências de viagens on-line. Apresentam diariamente diversas promoções e, em algumas oportunidades, facilitam a forma de pagamento em até 18 vezes.
SkyScanner –  Faz uma busca e reúne as principais aéreas low cost. Fornece todas as rotas possíveis — ordenadas pelos melhores preços com links para as companhias.
Kayak –  Pesquise aqui também para verificar se há companhias tradicionais operando o mesmo trajeto com tarifas promocionais.

4º passo: CONSULTE OPERADORAS DE VIAGEM

Depois de ter em mãos o preço da passagem aérea e dos hotéis separadamente, não custa nada fazer uma cotação nas principais operadoras brasileiras. Muitas vendem pacote (oi, falei pacote – não excursão) que incluem avião e hospedagem por preços imbatíveis. Algumas delas:

Abreutur, Accor Tour, CVC, Lusanova, New Age, Queensberry, Bon Voyage, Expressway, Flot, Nascimento, RCA Tours

5º passo: FAÇA AS MALAS E BOA VIAGEM!

Dica da Matraca: planejar com bastante antecedência é tudo numa viagem bem sucedida. Entende-se por antecedência um mínimo de três meses antes do embarque.

Foto: Sílvia Oliveira

Share
quinta-feira, 08 de outubro de 2009

Seguros de viagem

Já tirou o passaporte, comprou as passagens e reservou o hotel. O próximo passo, antes de seguir com os preparativos, é comprar um seguro de viagem. Não, tomara que não aconteça nada com você. Como o próprio nome diz é apenas um seguro. Esperamos que você não precise usá-lo.

Mas se por acaso precisar – e não estiver prevenido – a conta pode sair bem cara. Pior, no caso da Europa o turista que não chegar com cobertura mínima de 30 mil euros pode até ser deportado, segundo as normas do Tratado de Schengen.

Você pode adquirir seu seguro por conta ou em qualquer agência de viagem confiável. A maioria das empresas de cartão de crédito oferece algum tipo de seguro, caso você compre as passagens aéreas utilizando o cartão. Consulte a sua operadora.

Para escolher o plano certo para você leve em conta as seguintes variáveis: destino, dias de passeio, idade do segurado e o tipo de cobertura. No mínimo, o seguro deve oferecer assistência médica, odontológica (imagine um tratamento de canal em Londres!), seguro de acidentes pessoais, assistência e/ou reembolso em caso de extravio de bagagem.

Abaixo segue uma lista de algumas empresas que oferecem o serviço no Brasil.

Assist Card – 0800 176133
Global Travel Assistance (GTA) – (11) 3150.4511
Intermac Assistance – 0800 7272076
ISIS – (11) 3266.2420
Mapfre – 0800 7754545
Mondial Assistance – (11) 4331.5121
MIC – (11) 3236.9696
Prestur – (11) 5572.1332
Tourist Card – (11) 3257.8577
Travel Ace – 0800 722 7333
Unibanco – (11) 4004.3053
World Plus – (11) 2144.0044

IMPORTANTE:

1. O seguro NÃO pode ser comprado no país de destino. Ele deve ser adquirido aqui, com antecedência.

2. Caso tenha dificuldades com qualquer idioma verifique se a operadora oferece atendimento em português.

3. Contribuintes do INSS e dependentes podem solicitar atendimento médico nas redes públicas dos seguintes países: Argentina, Cabo Verde, Chile, Espanha, Grécia, Itália, Luxemburgo, Portugal e Uruguai. É necessário tirar uma carteirinha aqui antes de viajar. Para emitir o Certificado de Assistência Médica Durante Estadia Temporária o Ministério da Saúde vai solicitar passaporte, os três últimos comprovantes de contribuição do INSS e os três últimos contracheques. O documento é grátis. Informações pelo telefone (61) 3306.7337.

Post relacionado
Vacinas obrigatórias para viajantes

Share
terça-feira, 15 de setembro de 2009

Tudo o que você deve fazer para aproveitar sua viagem

1. Diga não às encomendas. Ficar zanzando de lojinha em lojinha procurando o perfume francês preferido da sua tia fará você perder tempo e paciência.

2. Divida a bufunfa que você vai levar. Dinheiro vivo, cheques (no Brasil), cartões de crédito e cartão travel money (no exterior).

3. Esteja sempre atento. Não aceite informações que não são solicitadas e desconfie quando algum nativo quiser muuuito mostrar um lugar que você não sabe quem frequenta nem onde fica.

4. Enfrente o transporte público. Metrôs são rápidos e ônibus promovem city-tour pelo preço de um ticket. Deixe o táxi para o seu momento-patrão.

5. Fotografe só o que for permitido. Caso contrário, você pode perder não só as fotos como a máquina junto.

6. Reserve, sempre. Encontrar hotel bom (e barato) na última hora é trabalho para David Copperfield. Só mesmo fazendo mágica.

7. Fique pelo menos quatro dias nas grandes cidades. Não importa se estamos no Brasil, na Europa ou nos Estados Unidos. É  o tempo ideal para visitar o básico.

8. Dê gorjetas. Mas não esbanje. Seus pseudos-funcionários (garçons, taxistas e camareiros ) sabem diferenciar quem tem dinheiro de verdade de quem é tonto.

9. Faça um seguro-saúde. Fora do Brasil ele é a segurança de que uma torcida no pé não vai custar mais do que a viagem toda.

10. Informe-se antes de ir. Quem não lê sobre o destino que quer conhecer, quando chegar provavelmente vai ter dificuldade em estabelecer prioridades.

11. Leve um calçado usado para caminhadas. Estrear sapato novo só porque você está na Champ Élysées pode ser o fim do passeio.

12. Use roupas adequadas. Minissaia e decote sempre vão chamar a atenção. De gente bem ou mal intencionada.

13. Feche sua mala com cadeados. Mesmo no hotel. E guarde as chaves em local seguro.

14. Prove comidas típicas. Sem experimentar os sabores locais fica difícil entender o temperamento do destino. 🙂

15. Aprenda algumas palavras do idioma do país que vai visitar. No mínimo, “obrigado” e “por favor”.

16. Comporte-se, respeite as regras e acate orientações de segurança. Lembre-se: você é turista e não o dono do lugar.

Share
Páginas:12
Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio