-  Atualizado 07/01/2015

Viagem para o céu

Publicado por: Silvia Oliveira Matraqueando

Todo cristão busca o mesmo destino: a vida eterna. Mas poucos se animam em arrumar as malas e realmente partir. A Bíblia, único guia disponível sobra a rota, não dá muitos detalhes. E quem foi nunca voltou para contar história.

O certo é que, segundo os evangelistas (considerados os primeiros jornalistas de que ouvimos falar), só os de coração puro chegam lá. E ainda: tem de se arrepender de todos os pecados e pedir perdão antes de fazer o check-in. Mesmo assim alguns ainda terão de pedir visto no purgatório.

Finalizados os trâmites burocráticos não se pode mais voltar atrás. Com os vouchers celestiais nas mãos é hora de pegar o trem. Dizem que o caminho é bem bacana. Um monte de anjo pega na sua mão e vai fazendo a maior festa

até chegar à porta do céu.
São Pedro, chefe da alfândega, sempre acolhedor e sorridente, revisa todos os documentos, faz as perguntas de praxe – turismo, negócios ou estudo? – e põe um carimbão de boas-vindas no passaporte para a vida eterna.Destino sem volta, definitivo e determinante. Aqui, na hora da partida, fica todo mundo de lencinhos abanando – num chororô só – como as despedidas no porto. Lá em cima, dizem, armam o maior pagodão e todo mundo veste roupa de domingo para receber mais um filho de Deus.

Não há muitas atrações turísticas no local, porque o destino é a atração em si. Os que vão fazer turismo gostam de tocar harpa, comer maçã e flutuar sobre as nuvens. Outros, a negócios, geralmente investem na criação de asas para se tornar um dos arcanjos com suas legiões de querubins! Os que foram estudar aproveitam para assistir as aulas-magnas com Ele.

Vida dura? Que nada. Quem viajou para o céu já havia cumprido todas as rotas previstas aqui embaixo. E independente do estilo do viajante uma coisa a gente sabe: todos estão lá principalmente para olhar por nós!

** Esse texto é uma homenagem à Vó Dorinha que resolveu farofar com os anjos um dia depois do nascimento da Mariana e à Vó Iolanda que, no domingo passado, decidiu fazer um mochilão pro céu.

Foto: Matraca´s Image Bank

Posts relacionados:

Os 10 mandamentos do viajante
Os sete pecados capitais do turista



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


5 comentários

  1. Claudia Pimenta
    Comentário do dia 12/11/2008 às 13:54

    oi sílvia! que texto lindo! estou emocionada… parabéns pela sensibilidade e delicadeza ao tratar de um tema tão difícil! os anjos com certeza acolheram as duas com o maior carinho! bjs, querida!

    (Responder)

  2. malu
    Comentário do dia 12/11/2008 às 16:38

    Lindo…lindo! Precisava entender isso! Obrigada. Bjs

    (Responder)

  3. Patricia de Camargo
    Comentário do dia 12/11/2008 às 16:40

    Parabéns pelo texto e faço minhas as palavras da Claudia!
    Beijos

    (Responder)

  4. Anonymous
    Comentário do dia 12/11/2008 às 21:36

    Fiquei emocionada… sem palavras…
    Lindo, minha filha, muito lindo…
    Beijos!

    Silvia Imaculada

    (Responder)

  5. Anonymous
    Comentário do dia 13/11/2008 às 15:36

    Oi Silvia, cheguei aqui procurando receitas no google!
    Adorei seu blog, parabéns pelos textos… este especilamente. Minha mãe faleceu no ano passado aos 93 anos, mas viajou até os 90! E imagino que a "viagem" final dela foi bem como você falou, a maior festa! UM abraço!
    Cecília Amorim – Recife

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar