sexta-feira, 01 de julho de 2011

Coluna social do Matraqueando: festa lilás para o aniversário de 3 anos da Princesa Mariana


Como podem ver, a holding Sílvia Oliveira – Eventos Criativos (ou Matraca’s Party Designer)  não para de crescer. Nosso último — e trabalhosíssimo evento — foi o aniversário de três anos da Matraquinha. Tudo começou quando eu decidi que a festinha ia ser com o tema da abelhinha. Num súbito rompante de rebeldia precoce, a minha “nenê” tascou: eu quero uma festa da Barrrbie – assim, com o “r” bem norte-americano.

Foi um choque. Eu nunca nem sequer havia comprado Barbies para a Mariana. E ela também não tinha nada (roupas ou acessórios) da famosa boneca. Além do que, não sou fã daquelas festas cheias de painéis e balões, muito menos com esses personagens tradicionais, quando não, cafonas! Para mim, esse tipo de decoração polui um pouco o visual — além de atrapalhar o fundo das fotos na hora do Parabéns! (Ai, sou chatíssima, eu sei!)

Para não dar o braço a torcer, fiz a tal festa da abelhinha na escolinha dela aqui em Curitiba. Já a festa da Barrrbie (que na verdade foi transformada em um delicado encontro cheio de princesas) foi na casa da minha mãe, em Londrina. Penei um monte para tentar montar o “projeto” da festa. Mas o primeiro passo foi definir as cores. A Mariana só falava em “rosa” e eu só pensava em “lilás”.

Como eu ainda tenho algum domínio sobre a minha filha de três anos decidi que ia ser lilás, com alguns toques de rosa (para agradar à pequena) e violeta. Modéstia às favas, achei a escolha acertadíssima, porque o resultado final ficou exatamente como imaginei. Concentrei meu trabalho na montagem das mesas dos convidados e na mesa de doces.

Mandei fazer bases de sousplat em MDF no Pradela Móveis & Design (de Curitiba) e pedi para o Ateliê Julia Maria (de Londrina) confeccionar capas para os suportes de pratos nos tons lilás puro e lilás com delicadas florzinhas brancas. A ideia de fazer os guardanapos em forma de laço – bem apropriado para uma festa infantil – também veio do ateliê e eu aprovei na hora.

Já minha mãe – juntamente com suas 262 irmãs – vestiram, no melhor estilo Victor Valentim, mais de 20 bonecas Barbies, com um modelo de vestido mais deslumbrante do que o outro. Elas criaram, costuraram e colocaram as bonecas em ação.  Elaboraram pequenas jóias (brincos e colares) e fizeram penteados especiais.

Não satisfeitas com a produção, minhas tias também vestiram mais umas 30 bonequinhas, uma espécie de microbarbie, para a felicidade absoluta da aniversariante que estava radiante! Na verdade, quando minha mãe me falou que ia vestir algumas bonecas eu fiquei contrariada, não sabia se aquilo ia dar certo, se ficaria bonito ou trash. Mas quando vi o resultado, quase caí dura.

Ficou simplesmente lindo! Até a Mariana ganhou uma Barbie-Sósia, uma das bonecas estava com uma roupa (feita pela vovó também)  igualzinha a da aniversariante.

Um mês antes do evento preparei os convites (que levavam um delicado vestidinho lilás feito em scrapbook e decorado com strass) e já comecei a confeccionar os itens que iam compor a mesa de doces.

Tudo, incluindo o cardápio que ficou sobre as mesas, seguia a linha do convite – além de manter o monograma com a letra “M” que também acompanhou vários elementos na decoração das guloseimas.

Uma das coisas que eu mais queria fazer eram as garrafinhas de água decoradas. Apostei num tom violeta para contrastar. São super fáceis de montar e achei que ficou bem bacana.

Utilizando técnicas e ferramentas de scrapbook produzi algumas latinhas que levavam balinhas dentro. Preste atenção no detalhe do strass colado na latinha. Fofo!!!

Aproveitando a mesma linha de cores e papéis aproveitei para embalar deliciosas barras de chocolate que havia recém trazido de Gramado. Sem contar que – sei que você não vai acreditar – TODOS os doces especiais também foram feitos por mim. POR MIM! Pronto, falei mais alto para você não pensar que estava tendo alucinações ao ler este blog!

De Brigadeiro de Copinho a Cupcakes, passando por delicados Petit Verres de Chocolate Noir a Cestinhas de Chocolate com Physalis, a mamãe Silvinha (como carinhosamente sou chamada pela Mariana) quase teve um siricotico de tanta correria… mas deu conta do recado.

Até meu pai botou a mão na massa e cuidou das bebidas e tratou de providenciar na última hora  o bolo – o BOLO! – que eu havia esquecido de encomendar! Claro que jurei por tudo e por todos que nuuuunca mais ia fazer uma festa na vida… até começar a pensar na próxima. Hohohoho!

O  clã da Família Oliveira.

Já as comidinhas do evento foram inseridas num regado café colonial. Um cardápio simples, sem muita complicação. Até queria ter enfeitado mais a mesa dos salgados, mas sem chance. Às duas da tarde (a festa já estava praticamente começando) eu ainda estava tostando – no sentido mais literal da palavra – algumas receitas de cupcake.

Mas as minhas queridas garçonetes Margareth e Rose deram conta do recado e montaram uma charmosa mesa com frios, pães, geléias, café, sucos e todos os etcs que convém a esse tipo de menu. A festa, apesar de todos os detalhes, foi um encontro familiar. Reunimos pessoas queridas, minhas amigas que conheci há 20 anos na universidade (e até hoje fazem parte da minha vida) e até um casal de amigos curitibano percorreu 400 km para prestigiar a herdeira.

O clã da Família Mattar veio especialmente de Maringá.

Os arranjos de flores também foram montados por nós, quer dizer, pela minha mãe – para ser mais exata. Comprei estes baldinhos de alumínio na loja Tok e Stok. As flores – que mesclavam vários tons de lilás, rosa e branco – nós adquirimos em maços fechados na Floricultura Shangri-lá de Londrina. Fica quase três vezes mais barato você comprar o ramalhete e montar do que pedir para a floricultura fazer este trabalho.

Família Matraca, ativar!

Mas o tranchã mesmo da festa foi a lembrancinha oficial, um sachê em forma de vestidinho que vinha pendurado num micro cabide. Um fascínio! Também produção e execução do Ateliê Julia Maria – com apoio e finalização das 262 irmãs da minha mãe, claro!

Além disso, tivemos todas aquelas atividades inerentes a um evento com este público: cama elástica, bolha de sabão, pintura, massinha e outra mesa (além da oficial) com quitutes disponíveis para a molecada como gelatina, pipoca, marshmalow e docinhos tradicionais. A Mariana, em êxtase com sua “Festa de Barbie”, realizou o sonho dela… e eu, com certeza, também alcancei o meu! Rá!

 

Você já conhece meu blog-mulherzinha-festas? Corre lá no www.silviaoliveira.com.br | Está cheio de dicas e passo a passo para você fazer festas e organizar eventos gracinhas na sua casa!

=======================================================================================

Sabe onde você pode encontrar um monte de coisas bacanas para suas festinhas? Na Rua 25 de Março em São Paulo. Se você não mora na cidade, procure no Booking.com várias opções de hospedagem boa e barata localizada na região do maior centro atacadista da América Latina. O sistema não cobra taxa de reserva e tem cancelamento grátis! :D

=======================================================================================

Leia também:

Coluna social do Matraqueando: aniversário do Raul

Coluna social do Matraqueando: festa indiana, aniversário da Matraca I

Fotos: Raul Mattar, Alessandro Pradela e Sílvia Oliveira

Share