quarta-feira, 02 de junho de 2010

INHOTIM | Parte 1 – O complexo

Não tente definir o Inhotim. O instituto nasceu para ser interpretado. Não existem acepções ou significados concretos por aqui. Tudo o que você vai trazer dessa experiência será transcrito de acordo com seus interesses e expectativas pessoais.

Há quem chame o complexo de museu de arte contemporânea. Para outros, trata-se de uma criativa reserva ecológica. Seriam pavilhões distribuídos em um parque ambiental? Talvez um imenso Jardim Botânico com espécies raras e uma grande variedade de plantas tropicais. Quem sabe, um inusitado centro de inclusão e cidadania.

Antes de seguir lendo, saiba: nada do que for relatado neste microssérie, nem uma coleção inteira de fotos poderá retratar o estado de espírito do Inhotim. A única certeza: ele é único. Ideia do genial empresário Bernardo Paz, o projeto nasceu nos anos 80. Bernardo era amigão do paisagista Burle Marx que acabou dando diversas sugestões na criação dos jardins – hoje, uma concepção paisagística de proporções gigantescas na cidade de Brumadinho, a 60 quilômetros de Belo Horizonte.

Cheguei ao Inhotim com medo, confesso. Todos os caminhos remetiam à perfeita conexão entre arte e acervo botânico – dois temas que passam longe do meu universo intelectual. Estava ali movida pela curiosidade, pelo inusitado da proposta. Mais do que isso: havia escutado falar do Inhotim há pouco mais de dois anos, lendo alguma matéria num jornal de domingo.

Fiquei boquiaberta, aquilo estava no Brasil. Pesquisando mais um pouco, fiquei foi assombrada com minha incrível iNgnoranÇa: há muito tempo o Inhotim estava entre as atrações cinco estrelas do Guia Quatro Rodas.

Nota merecida para o acervo que compreende quase 500 obras contemporâneas de mais de 100 artistas de 30 diferentes nacionalidades. São esculturas, fotografia, instalações, vídeos e pinturas – tudo criteriosamente espalhado por aquilo que, para os íntimos, chama-se fazenda do Nhô Tim. Inhotim.

Fotos: Matraca’s Image Bank

Leia também:

INHOTIM | Parte 1 – O complexo
INHOTIM | Parte 2 – Jardim Botânico
INHOTIM | Parte 3 – Cidadania e educação
INHOTIM | Parte 4 – Arte contemporânea

Como chegar ao Inhotim?

———
Minha visita ao Instituto Inhotim faz parte da Expedição Brasil Express, by Matraqueando. Entenda o projeto.

Share