sexta-feira, 19 de junho de 2015

Orlando sem carro: como ir do aeroporto ao centro e como circular usando o transporte público + o I-Ride Trolley

Orlando Magic Kingdom

Eram apenas seis dias de viagem. Pouco dinheiro e muita disposição. Por certo, o que a gente gasta com ingresso nos parques (ainda mais em família) dá quase para dar entrada num carro popular. Como não é possível pensar em férias de forma racional — o que você investe em uma semana de hotel equivale ao seu aluguel do mês — nosso lema da viagem (que incluía Nova York) era economizar muito sem perder a dignidade.

Quando cogitei não alugar carro em Orlando quase apanhei do meu irmão, da minha mãe e dos meus amigos. Chorei as pitangas no Facebook e eis que surge o querido Carlos Monteiro do blog Para a Disney e além! mostrando um post que ele fez justamente sobre essa possibilidade: Orlando sem carro.  Carlos, gradicida eternamente pela graça alcançada.

Foi uma luz e a confirmação da minha suspeita: é mais fácil se locomover com automóvel, sim. Mas você sobrevive muito bem sem ele se fizer um roteiro organizado e priorizar um hotel com traslado gratuito para os parques — nossa opção, aliás.

Alugar um carro em Orlando implica não só no valor do aluguel em si (que até costuma ser bem mais barato que em muitas cidades do mundo), mas também em custos como gasolina, estacionamento dos parques (média de US$ 20 por dia) e pedágios.

Também acho que a cidade é feita para quem está sobre rodas. O veículo se torna fundamental, por exemplo, se você alugar uma casa mais afastada da International Drive – ID (principal avenida de Orlando) ou quiser fazer compras em diferentes shoppings  e lojas da cidade.

Mas já adianto, pegamos apenas um único táxi em Orlando — do hotel ao aeroporto. Porque até na chegada fomos do aeroporto para o hotel usando ônibus de linha. (Cê sabe, a Matraca vai antes para você não se estrepar depois!) 😀

Duas empresas de transporte operam na cidade, a Lynx — que circula em Orlando e “região metropolitana” (Lake Buena Vista e Kissimmee) e o I-Ride Trolley, uma espécie de ônibus fantasiado de bondinho da alegria, que percorre basicamente a região mais turística da International Drive.

Como sair do aeroporto de Orlando usando o transporte público

Como nossa hospedagem ficava colada na International Drive (já falamos dela aqui) pegamos o ônibus Aeroporto – International Drive (linha nº 42) da empresa Lynx. Descemos na parada nº 27 da ID, praticamente em frente ao hotel. A passagem custa US$ 2 e a viagem durou 1h40. (Bom, pode parecer muito, mas recentemente fiquei duas horas dentro do ônibus executivo para ir do aeroporto Santos Dumont à Barra da Tijuca no Rio de Janeiro. Nhé!) De táxi seriam US$ 45.

Importante destacar que eu não estava chegando do Brasil, eu vinha de Nova York — um voo curto de 2h30. Enfim, estava descansada e com o entusiasmo no grau máximo: primeira vez na Disney. Gritinho Big Brother, u-huuu!

Por isso, pense bem antes de enfrentar essa odisseia se estiver vindo de um voo intercontinental. (Imagine você saindo de Porto Alegre, fazendo conexão em Guarulhos, de lá voando para Orlando, chegando a Orlando e.. pegando um ônibus que demora 1h40 para chegar ao hotel? Poizé! Eu fui antes para você não se estrepar depois.)

Orlando sem carro Lynx

Para ir do Aeroporto a Orlando Downtown (centro) pegue a linha 11 ou 51. Já para fazer o trajeto Aeroporto – Florida Mall utilize a linha 42 (a mesma que eu peguei) ou a 111 (que também leva à Walt Disney World). Os percursos são sempre bem demorados, taí a grande desvantagem para quem tem pressa. Se você optar pelo transporte público — porque não quer/pode dirigir — leve doses extras de paciência e disposição na bagagem. O  ponto da Lynx no aeroporto está no Ground Transportation (Level 1), localizado no lado A do terminal principal. As plataformas vão da A37 a A41 (a linha 42 para no ponto da 41). É só perguntar que indicam para você o caminho.

Importante | Se você estiver hospedado dentro dos hotéis da Disney (sooonho meu!) há o Disney’s Magical Express, que faz o traslado gratuito do aeroporto até o complexo. E lá dentro há ônibus gratuitos para os hóspedes se locomoverem entre um parque e outro da Disney.

Como circular em Orlando usando o I-Ride Trolley

Para quem fica hospedado na região da International Drive o I-Ride Trolley é um excelente opção. São ônibus (não municipais) fofíssimos, meio retrô com bancos de madeira.  Existem passes de 1, 3, 5, 7 e 14 dias.  Eu comprei o passe de cinco dias (US$ 9 por pessoa) e poderia usar o trolley quantas vezes quisesse neste período.

Orlando sem carro I Ride Trolley Estados Unidos

Com ele você chega tranquilamente aos dois principais outlets da cidade (Premium Vineland e Premium Intrenational Drive), além dos parques Sea World, Aquática e Wet’n Wild. Sem contar que ao longo da International Drive há d.e.z.e.n.a.s de restaurantes e lojinhas. São quase 80 paradas.

Há duas linhas, a Red Line Trolley (linha vermelha) e a Green Line Trolley (a linha verde). A Red Line percorre toda a ID – do Outlet Premium International Drive ao Outlet Premium Vineland (cada um fica num extremo da gigante avenida). O Red Line passa a cada 20 minutos.

Orlando sem carro I Ride Trolley pass

A Green Line tem paradas semelhantes, mas em alguns trechos ela pega vias paralelas e alcança a Universal Boulevard, por exemplo. A Green Line passa a cada 30 minutos. Eu só usei praticamente a Red Line. Veja o mapa aqui. (Ao entrar no I-Ride Trolley você também pega o mapinha que, além de esmiuçar todas as paradas, ainda vem com vários cupons de desconto para comida, compras  e lazer.)

Orlando sem carro I Ride Trolley

Atenção, as duas linhas oferecem a direção South Bound ou North Bound. Dependendo de onde você quiser ir observe se é a Red Line South Bound ou a Red Line North Bound. O mesmo vale para a linha verde. No começo eu me confundi, peguei para o lado errado… aquela mesma barata tonta no metrô de Nova York confundindo as direções Uptown com Downton. 😀

A Cici’s Pizza, lugar bom e barato para comer em Orlando, fica na parada nº 14 da Red Line North Bound. Mas existe outra unidade da pizzaria na parada nº 20 da Red Line South Bound.

Onde comprar o passe do I-Ride Trolley

Os passes são vendidos em centenas de lugares (pergunte no seu hotel o local mais próximo) — desde lojas, farmácias (como a Walgreens) e on-line. Veja aqui todos os pontos de venda.

Se sua opção for comprar via web, você receberá o voucher por e-mail. É só apresentá-lo ao motorista que ele troca pelo passe oficial, o mesmo que você vai usar durante todo o período de validade escolhido por você.

Orlando sem carro I Ride Trolley single fare

Os passes não são vendidos a bordo, somente o tíquete avulso. O motorista não trabalha com troco, portanto, tenha dinheiro exato para comprar o bilhete single: US$ 2. Crianças de 3 a 9 anos pagam US$ 1 pelo tíquete avulso. (Já os passes têm o mesmo valor para adultos e crianças.)

Horário de funcionamento do I-Ride Trolley

O serviço funciona todos os dias — incluindo sábados, domingos e feriados — das 8h às 22h30. Nos pontos de paradas do I-Ride Trolley você encontra um número gratuito para enviar uma mensagem de texto no celular e saber a que horas vai passar o próximo “bondinho”. Você envia a mensagem e em seguida recebe outra com estas informações.

Como circular em Orlando usando o transporte público Lynx

Confesso que só usei os ônibus da Lynx uma única vez: saindo do aeroporto de Orlando. O I-Ride Trolley me atendeu tão bem que não precisei usar os coletivos da cidade.

A vantagem da Lynx em relação ao I-Ride Trolley é que o bondinho-bus só circula na região mais turística da International Drive, enquanto que os ônibus municipais levam você aos parques da Disney, a regiões como Lake Buena Vista e Kissimmee, ao Walmart, aos shoppings — além do aeroporto, of course.

Mas como meu hotel tinha o traslado gratuito para os parques que eu queria conhecer durante a minha estada (Magic Kingdom, Epcot, Hollywood Studios e Universal) e não estava focada em compras não foi necessário pegar ônibus.

Universal Studios

A vantagem do transporte público é o preço: US$ 2 (bilhete avulso) e US$ 16 (passe semanal). Mas a grande desvantagem é exatamente o tempo: são extremamente demorados.

Não dá para sair do parque, dar uma passadinha no outlet e depois ir jantar naquele restaurante badaladinho… de ônibus. Não porque seja incômodo (em Curitiba isso seria muito fácil), mas porque você levaria umas quatro horas (não é exagero) indo e voltando.

Para você ter uma ideia, do meu hotel ao Walmart (coisa de oito quilômetros) levava mais de uma hora (a gente via a previsão pelo mapa google). Não compensava — para nós — pegar o transporte coletivo para fazer este tipo de passeio/compras, o jeito era ir de táxi (uns US$ 30 dólares ida e volta). Ou seja, nos contentamos com a Walgreens 24 horas que  havia em frente ao hotel. :mrgreen:

O site da Lynx é muito completo e organizado. Você consegue ver itinerários e horários , mapas das rotas  e as linhas que percorrem os destinos mais populares. Os ônibus são elétricos híbridos, possuem elevador para pessoas com necessidades especiais e têm ar condicionado.

Para a Universal, por exemplo, pegue as linhas 21, 37 ou 40. Já para a Walt Disney World pegue as linhas 50 ou 56. Atenção: algumas linhas para os parques não são diretas — ainda tem isso! Você tem que fazer uma espécie de baldeação, descer num ponto e pegar outro ônibus para seguir viagem.

As transferências são ilimitadas e gratuitas desde que você solicite o tíquete do transfer diretamente ao motorista assim que pagar a passagem. Dentro dos ônibus há livretos gratuitos com itinerários e horários da Lynx.

Onde comprar o passe da Lynx

Os passes são vendidos em diversos lugares. Entre aqui e coloque o Zip Code (CEP) de onde você estiver para saber o ponto de venda mais próximos ou veja aqui todos os endereços.

É possível comprar on-line também. Para o passe semanal escolha a opção Fixed Route 7-Day Standard Pass (US$ 16) ou o Fixed Route All-Day Pass para o passe diário (US$ 4,50).

Horário de funcionamento

O horário de funcionamento varia de linha para linha. Algumas começam às 6h30 e terminam às 19h30. Outras começam às 5h30 e o último ônibus passa às 21h. Alguns vão até meia-noite. Veja os horários aqui.

Vantagens de ficar sem carro em Orlando

Economia. Se isso for fator determinante para você, usar o transporte público vai ser um negócio da China. Eu aguentei bem seis dias sem carro, mas acho que se passasse disso começaria a me irritar. Fiquei com vontade de ir a alguns lugares (lojas e restaurantes mais afastados), mas não fui para não ter que enfrentar o busão (e não queria gastar com o caríssimo táxi da cidade).

Desvantagens de ficar sem carro em Orlando

Demora nos trajetos e poucas linhas servindo os principais pontos de interesse da cidade. Não há opção para voltar para o hotel depois da balada. As empresas param de operar cedo para quem gosta de curtir a noite. Num dia de chuva ou cheio de sacolas voltando do outlet… enfrentar o ônibus é para os — muquiranas — fortes!

Matraca Na Disney Instagram 1

+ 5 dicas para se dar bem em Orlando sem carro

1. Priorize um hotel em Orlando que tenha traslado gratuito para os parques com horários convenientes (o que significa sair cedo e voltar no final do dia). Algumas hospedagens oferecem transfer, mas a van chega mais de 11h no parque e volta às 17h. Oi? No hotel onde ficamos, nos dias de festas especiais como o Mickey’s Very Merry Christmas Party (o Natal do Mickey), tínhamos vans disponibilizadas pelo hotel que voltavam em horários diferenciados (mais tarde), uma vez que a festa começa às 18h e termina à meia-note. Isso foi uma grande vantagem!

2. Se sua ideia é conhecer o Busch Gardens (que fica na cidade de Tampa, a 130 km de Orlando) use o traslado gratuito oferecido pelo próprio parque. Para ter acesso a este benefício compre o ingresso e depois agende o transporte aqui. O detalhe é que o ônibus passa em vários hotéis (incluindo os da Disney) e você chegará por volta de 11h30 ao parque. O horário de saída vai depender de onde você pegar o traslado.

3. O Legoland (que fica na cidade de Winter Haven, a 40 minutos de Orlando) também oferece transporte, mas não é gratuito. Custa US$ 5 por pessoa (mais taxas) e a viagem dura em torno de uma hora. O ponto de embarque é único: International Drive, 360. Saídas às 9h. É recomendável chegar com 30 minutos de antecedência. Reserve aqui.

4. Se você estiver hospedado nos hotéis da Disney e quer vir para a região da International Drive sem carro talvez a solução mais econômica seja pegar um táxi até o Outlet Premium Vineland (calcule uns US$ 30 a corrida) e de lá usar o I-Ride Trolley.

5. Bom, nossa ideia de não usar carro em Orlando foi para economizar. Mas se você não dirige e dinheiro não é problema existem táxis e shuttle. Como disse acima só usei o táxi no último dia de viagem para ir do hotel ao aeroporto. Calcule as tarifas pelo site Taxi Fare Finder.  Algumas empresas (como a SuperShuttle)  fazem traslados de/para o aeroporto a partir de US$ 18 por pessoa (parando em vários hotéis) ou exclusivo a partir de US$ 75 por carro (com capacidade para 7) levando você diretamente ao destino. Já Mears (a maior companhia de transporte privado de Orlando) faz vários tipos de traslados na cidade, incluindo hotel-parques-hotel. Consulte valores aqui.

A pergunta que não quer calar? Eu voltaria para Orlando sem carro? Se for para uma estadia curta e ficando num hotel que tivesse os traslados necessários para o meu roteiro, sim, com certeza! Calculamos nessa brincadeira uma economia de US$ 350 dólares no aluguel do carro (incluindo gasolina e estacionamento dos parques). Dimdim muito bem guardado para a próxima viagem! 😉

Posts relacionados

Red Roof Inn International Drive: hotel bom, bonito, barato e bem localizado em Orlando

Bibbidi Bobbidi Boutique: como é, quanto custa e como reservar o dia de princesa para sua filha na Disney

Cici’s Pizza: buffet à vontade de massa, pizza, sopa e sobremesa

Leia também

Hotel bom e barato em Nova York: dicas testadas e aprovadas

Nova York pela primeira vez: roteiro de 3 dias

Nova York | Como chegar e sair do aeroporto JFK

Nova York | Como comprar e usar o MetroCard

Como tirar o visto americano: passo a passo ilustrado

___________________

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados.©

Share