-  Atualizado 10/01/2013

Recife: centro histórico

Publicado por: Silvia Oliveira Pernambuco, Recife

É uma questão de gosto. Se você tivesse apenas quatro horas para desbravar algum ponto do Recife, provavelmente ia se embrenhar lá pela praia de Boa Viagem – a melhor da cidade: tem calçadão, ciclovia, um monte de quiosque e sempre está cheia de gente bronzeada. Mas meu GPS interno não permite esses desvios de conduta. O sistema de informação eletrônico do Matraqueando é um disco arranhado: centro histórico, centro histórico, centro histórico.

O que fiz foi caminhar, andar a esmo, perambular pelas ruas da capital de Pernambuco. Vindo do aeroporto de metrô, desça na estação final. Ela está ao lado da Casa da Cultura (que vai ganhar post próprio), onde as lojas de artesanato funcionam dentro do antigo presídio da cidade. Passando por camelôs – gente vendendo de aquários a chaveiros –  e desvendando inúmeras barracas de comidinhas, encontrei o Acarajezinho por R$ 0,20 a unidade. Vinte centavos, você não leu errado. Mais adiante, ele – o afamado queijo coalho por um realzinho. Fissura para os olhos, coloridos e cheirosos carrinhos lotados de cajá e umbu, frutas típicas. Uma porção por R$ 2,00. Essa eu levei. Ah, e tomei uma água de coco m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a por apenas R$ 0,70! Pensei, isso é a antecâmara do céu para nenhum muquirana botar defeito.

Tirei a foto clássica do conjunto de casario da Rua Aurora em frente ao rio Capibaribe – aquele que deu o título de Veneza Brasileira a Recife. (Adoooro estes slogans cafonas, tipassim, Curitiba – Capital Ecológica ou Paris – Cidade Luz!). Em direção ao Recife Antigo – caminho onde todo mundo me alertava para tomar cuidado com a máquina fotográfica – conheci lindos prédios e casarões antigos. Sem contar que o trajeto da estação central ao bairro histórico faz você passar pelo Palácio da Justiça e pelo antigo Liceu de Artes e Ofícios, preservadas edificações do século 19.

Quando os invasores holandeses chegaram ao Brasil, no século 17, houve um período de liberdade religiosa no Recife. Muitos judeus se estabeleceram bem nessa região e deram origem ao bairro mais tradicional da cidade. A atual Rua do Bom Jesus (abaixo)  abriga a Torre Malakoff, o Centro Cultural Judaico e a Embaixada dos Bonecos Gigantes – inaugurada no ano passado. São diversas pontes emoldurando a cidade. Alguns trechos estão bem fedidinhos, é verdade… (lembra, aqui é a Veneza do Brasil!). Mas é uma paisagem muito diferente dos cenários que existem na maioria dos grandes centros urbanos. Fiquei absolutamente vidrada por este lugar!

Leia também:

Onde comer bem e barato em Recife

As atrações culturais e arquitetônicas de Olinda

Olinda: patrimônio histórico e cultural

Hospedagem boa e barata em Olinda

Posts relacionados:

São Luís (MA): sugestão de roteiro pelo centro histórico

Centro Histórico de João Pessoa (PB): modo de usar

Fotos: Sílvia Oliveira 

___________________

A visita ao Recife  faz parte da Expedição Brasil Express, by Matraqueando. Entenda o projeto.



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


24 Comentários

  1. E qual é o estado de conservação? Você realmente achou perigoso andar com a câmera fotográfica?
    Beijos

    responder
    • MARCELO

      SIM NÃO FAÇA TAL LOUCURA

      responder
  2. De dia, com os devidos cuidados, não achei nenhum problema… mas eu num dou sopa… fico atenta o tempo todo! O centro histórico é bonito, conservado (mas precisa de retoques)…

    responder
  3. Carmen

    Gostei do post. Que fotos lindas!

    responder
  4. Silvia, eu sou como você! Troco a praia por um centro histórico! Gosto também de lugares em que dá pra mesclar as duas atrações, como Paraty, Porto Seguro… Até porque meu teor de melanina não permite que eu fique me aventurando pelas praias por muito tempo. 🙁

    Você também morre de raiva desses fios que ficam atrapalhando nossas fotos? 😉

    Beijos!

    responder
    • ODEIO esses fios… você pode reparar que nem tem muita foto do centro histórico em si… simplesmente não dá… acho que eu devia ter falado isso no post… “a olho nu” acho que a gente não vê esse problema com tanto incômodo… mas para fotos… Barbaridade!

      responder
      • Eu perguntei porque eu tenho horror! hehe É tão bom quando a gente encontra uma cidade que tem os fios subterrâneos e pode clicar sem medo, né? 😉

        responder
  5. As fotos estão dignas de Raul… deve ser a convivência.

    responder
    • Silvia Oliveira

      Hahahaha, eu queimo uns tres cartoes de dois giga para salvar alguma coisa! 🙂

      responder
  6. Primeira vez que vejo foto de acarajé! Tá sendo uma verdadeira aula de cultura brasileira esses seus posts 🙂
    Beijos, Angie

    responder
  7. Nathália

    Sauuudades dessa terraaa abençoada. :~~~~~
    Esses acarajés são um suuucessooo. AveMariia!
    HAHAHAHAHA =}

    responder
    • MARCELO

      ACARAJÉS TAPIOCAS PRAIS LINDAS SOL, ETC ..ASSALTO TRAFICO DE PESSOAS ESTRUPO DEMASIADO, ROUBO A PEDESTRE DE DIA E NOITE NÃO TEM POLICIAMENTO PARA SAIR
      DO RECIFE E UMA MERDA NÃO TEM SINALIZAÇÃO AS PLACAS SINALIZADORA E A PIOR QUE
      JA VI NA VIDA AS PRAIAS E CHEIA DE TUBARÃO QUE LUGAR MARAVILHOSO O RIO CAPIBERIBE E PIOR QUE O TIETE DE SAO PAULO RECIFE TINHA TUDO P/SER MELHOR

      responder
      • Turista carioca

        Concordo com algumas coisas que postou. Estou em férias pela cidade e indo ao litoral norte me perdi por não terem placas indicativas, como por exemplo, a praia de maria farinha. No retorno, acabei no centro de Recife, totalmente perdido. As pessoas não a orientam; não visualizei nenhum agente do Estado (Policial, guarda) e acabei – salvo engano – em uma via exclusiva para ônibus em meio a uma passeata. Certamente fui multado (aí o país funciona). Andando pela orla de boa viagem, não vejo policiais, apenas bombeiros. Muitos trombadinhas…. lamentável. E o pior: Não existem canais voltados ao turista. Vou à Porto de Galinhas para conhecer…espero ser melhor.

        responder
  8. Excelente o post. Muito bacana também são as manisfestações culturais que acontecem toda semana no Recife Antigo e em Olinda… Grupos de Maracatu, capoeira, roda, entre outras.

    responder
  9. Sônia

    Silvia
    Adorei o post, somente agora fui olhar, pois estou começando a sonhar com um passeio pelo Recife.
    Você escreveu que adora os slogans cafonas. Meu pai, que morou no Recife por alguns anos se referia assim sobre a cidade: Para o pernambucano no Recife os Rios Capibaribe e Beberibe se unem para formar o Oceano Atlântico!!!!!
    Abraços
    Sônia
    p.s. acho que o meu GPS interno foi produzido na mesma fábrica que o seu: centro histórico, centro histórico….

    responder
  10. Mayra

    Para quem quiser saber o que é ser recifense:

    responder
  11. MARCELO

    O RECIFE E MUITO BONITO SÓ FALTA SEGURANÇA INFRA ESTRUTURA HOSPITAIS AS
    PRAIAS SÃO LINDA MAS E MUITA SUJA LIXO E O QUE NÃO FALTA OS PREDIOS HISTORICOS
    EM MAU CONSERVAÇÃO SÓ TEM NOIA NAS RUAS A NOITE VAI UM AVISO NÃO ARRISQUE
    E PIOR QUE NO RIO DE JANEIRO

    responder
  12. joão dutra

    muito ótimo a riqueza que meu Pernambuco tem, cheio de saudades vou me despedido, e se deus quiser vou um dia chegar de novo no meu Pernambuco…

    responder
  13. Emilly

    eu queria sua ajuda.. Eu preciso fazer um trabalho sobre pontos historicos e turisticos do recife antigo mas, nenhum site me ajudou.. Poderia me ajudar com esse problema?

    responder

Deixe seu Comentário






Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2019 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar