-  Atualizado 04/02/2019

Embu das Artes: o que fazer no maior polo artístico de São Paulo

Publicado por: Silvia Oliveira Aparecida, Embu das Artes

A vocação artística de Embu das Artes desenhou um dos maiores polos culturais do Brasil. Localizada a pouco mais de 30 quilômetros de São Paulo, a cidade passou a ser uma das paradas a caminho da nossa viagem anual a Aparecida.

Não é só a célebre Feira de Artes e Artesanato que compõe este cenário. Embu das Artes reúne tendências de artistas populares e contemporâneos desde a década de 60.

Os anos de transformação social, política e os novos padrões de comportamento ajudaram a moldar a essência do município.

Foi a partir do 1º Salão de Artes Plásticas de Embu, realizado em 1964, que a cidade passou a ser reconhecida no mundo inteiro como referência artística nacional.

O evento agregou trabalhos de diversos artistas renomados e influenciou a criação dos salões de outras cidades brasileiras, inclusive a própria bienal paulista.

O QUE FAZER EM EMBU DAS ARTES

Feira de Arte e Artesanato

A Feira de Arte e Artesanato acontece todos os finais de semana e feriados, das 9h às 18h. São mais de 500 expositores distribuídos em quatros quarteirões com ruas de paralelepípedos e recheados de casinhas coloniais. Criada no dia 31 de janeiro de 1969, a feira acaba de completar 50 anos.

Pinturas, esculturas, porcelanas, roupas, objetos de decoração, móveis, instrumentos, bijuterias, bordados, cestaria e outros artigos formam o reduto mais colorido e festivo do estado de São Paulo.

Ao longo dessas cinco décadas, as barracas improvisadas e as exposições dos hippies que aconteciam no Largo dos Jesuítas foram tomando conta de todas as ruas do Centro Histórico de Embu, que só em 2011 ganhou o “das Artes” no nome, após uma consulta popular.

Cerca de 40 mil pessoas visitam a cidade nos finais de semana, gente do Brasil e do mundo atraída pela performance artística do lugar. Um dos pioneiros e grandes articuladores responsáveis pelo crescimento e divulgação da rota de artes da pacata cidade foi Mestre Assis do Embu.

O artista, falecido em 2006, estimulava a vinda de expositores da então feira da Praça da República, em São Paulo. Mestre Assis deixou um vasto legado e produção cultural, o que ajudou a abrir as portas para o reconhecimento internacional de Embu das Artes.

Atualmente, a feira se distribui pelas principais ruas do centro histórico como a Rua Boa Vista, Rua Joaquim Santana, Travessa Marechal Isidoro Lopes e Largo 21 de Abril.

Centro Histórico de Embu das Artes

Se você vier à cidade durante a semana não vai trombar com as barraquinhas, mas vai encontrar um centro histórico agradável e pitoresco para passear.

O sucesso da feira trouxe diversas lojas fixas de artesanato, além de galerias, antiquários e lojas de móveis rústicos.

Os preços variam muito e saber se é caro ou barato vai depender de quanto você está disposto a investir numa obra de arte, numa escultura ou num móvel exclusivo.

Rua Nossa Senhora do Rosário concentra o maior número de antiquários, decoração e artesanatos.

O universo criativo da cidade não tem limites. Os artistas e artesãos trabalham com todos os tipos de materiais como vidro, velas, madeira, feltro, pelúcia, tecidos, biscuit, entre outros.

Só para citar alguns lugares, não deixe de passar pela Florbela Móveis e Decoração (loja linda com uma cafeteria deliciosa), pela Pino Giacobini Artes (produtos vintage), pelo Engenho Velho (uma casa laranja colorida com artes variadas), pela Tenda dos Tapetes (com produção de tapete de tear e sisal) e pela Kravo e Cahnela (produção de belíssimas velas artesanais).

Mesmo que você não queira comprar nada é um passeio que faz brilhar os olhos e apurar o gosto!

Um dos espaços mais fotogênicos do centro histórico de Embu das Artes é a Viela das Lavadeiras, uma passagem entre a Rua Nossa Senhora do Rosário e a Rua Siqueira Campos que já recebeu a visita de ninguém menos que Mick Jagger há mais de 20 anos.

É um pequeno beco com grafite com postes antigos, bancos e floreiras que valem a foto! A entrada do Antiquário Marcelo Aguila é disputadíssima entre instagramers que buscam o melhor ângulo-pinterest do passeio. 🙂

É nesta ruazinha que ficam também o Empório São Pedro, um dos restaurantes — que também é antiquário — mais badalados da cidade e a gigante loja de Móveis São Benedito.

O ponto nevrálgico do centro histórico de Embu das Artes fica no Largo dos Jesuítas, onde começou toda a movimentação em torno da cidade na década de 60.

Aqui ficam a construção da antiga Igreja Nossa Senhora do Rosário (século 17) e da residência dos jesuítas. Ambos formam o conjunto arquitetônico mais valioso da cidade.

Erguida por padres jesuítas da Companhia de Jesus, a igreja teve o espaço litúrgico e todo o mobiliário religioso confeccionado por indígenas e sacerdotes jesuítas.

Já a residência dos padres, hoje transformada no Museu de Arte Sacra, tem decoração barroca com peças sacras esculpidas em madeira. São oratórios, altares e imagens. O acervo, apesar de inestimável valor histórico, é pequeno.

O museu não tem visita guiada e não permite tirar fotos internas, mesmo sem flash. O ingresso custa R$ 8. Meia entrada sai R$ 4. Largo dos Jesuítas, 67. Abre de terça a domingo e feriados não religiosos, 9h às 17h. Fecha no almoço, das 12h às 13h.

Outro clássico para mim é comer o coquinho doce vendido no centro. Sempre crocante e morninho. Custa R$ 5 o pacotinho!

As cachaçarias de Embu das Artes

Embu das Artes tem pelo menos três cachaçarias que valem a visita. Os locais não vendem só a bebida, mas doces em compotas, molhos de pimentas, geleias, doces em latas, queijos e embutidos. Sempre há degustação gratuita dos produtos!

Todas estão no quadrilátero mais famoso do centro histórico e cabem perfeitamente na sua andança entre uma lojinha e outra. A Casa da Jabuticaba (Rua Nossa Senhora do Rosário, 42) tem decoração fofa. Ficou conhecida pela cachaça que dá nome à casa, a de jabuticaba.

Já o empório O Barão (Rua Nossa Senhora do Rosário, 129), além de muita diversidade de doces e rótulos de cachaça, vende a maravilhosa goiaba cascão da Zélia, uma das mais tradicionais do Brasil. É neste lugar também que eu compro meu molho de pimenta biquinho defumado.

O Alambique (Largo dos Jesuítas, 215) é a loja que mais preserva a cara dos antigos engenhos. O local abriga vários barris com dezenas de cachaças. Oferece degustação de queijos, salames, molhos e geleias, tudo acompanhado de torradas e pãezinhos.

Capela de São Lázaro

Já fora do centro, mas ainda bem próximo da muvuca das lojas, está a singela Capela de São Lázaro (Rua da Matriz, 111). Dentro está a imagem do santo, esculpida em madeira nos anos 20.

É uma das obras mais importantes do artista Cássio M´Boy, um dos grandes nomes artísticos da cidade. Cássio foi uma referência tão grande na arte brasileira que chegou a ser professor de talentos como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral e Alfredo Volpi.

Memorial Sakai

O memorial é um espaço cultural com exposição de trabalhos do famoso artista Sakai, nascido no Japão. Ao chegar à cidade, em 1952, Sakai de Embu – como ficou conhecido – tornou-se um dos maiores escultores em terracota do Brasil. Juntamente com Cássio M’Boi e Mestre Assis do Embu, Tadakiyo Sakai ajudou a consolidar a produção de obras de arte do município.

Além do acervo que ajuda a recontar a história artística da cidade, o local oferece oficinas e cursos gratuitos para quem quiser aprender um pouco da técnica do terracotista. Funciona de segunda a sexta, 8h às 17h, e sábado e domingo, 10h às 16h. Rua Rebolo Gonzáles, 185. Tel. (11) 4241-5993. Importante: está a um quilômetro do centro, mas tem uma subida íngreme para chegar até lá! De carro é melhor!

OUTROS ATRATIVOS DE EMBU DAS ARTES

Paralelamente à Feira de Artesanato acontece a Feira do Verde. São pequenos produtores que se reúnem na Rua Siqueira Campos (paralela à Rua Nossa Senhora do Rosário) para expor e vender flores e plantas.

Embu das Artes também tem um polo moveleiro estabelecido. São mais de 60 lojas para mobiliar desde uma residência até o jardim, instaladas ao longo da Avenida Elias Yazbek, que liga a BR 116 ao centro da cidade.

O QUE FAZER NOS ARREDORES DE EMBU DAS ARTES

Uma parada interessante para quem está com crianças é a Cidade das Abelhas, um parque-apiário focado em mostrar a vida das abelhas e a importância do inseto para toda a vida animal e vegetal. Há diversas atrações como abelhas e colmeias gigantes, observatório, trilhas e pontes para fazer “arbelhismo”, um arvorismo não radical para os pequenos.

Abre de terça a domingo, inclusive feriados, 8h30 às 17h. Ingresso: R$ 25. Menores de 3 anos e maiores de 60 não pagam. Dica: em alguns sites de vendas coletivas como o Peixe Urbano você pode encontrar o ingresso pela metade do preço! Estrada da Ressaca, Km 7. Veja mapa e como chegar.

A 10 quilômetros do centro de Embu das Artes, já no município de Cotia, fica a Basílica Nossa Senhora do Rosário de Fátima, também chamada de Igreja dos Arautos do Evangelho. Ao chegar à entrada do templo já ficamos impactados com a parte externa. Parecia um castelo. Mas nada, NADA poderia ter me preparado para aquela visão do éden que viria em seguida. Veja aqui meu post completo sobre a igreja dos arautos!

Construída em estilo neogótico, o templo é esplendoroso. Uma manifestação de beleza que eu não me lembro de ter visto em outro lugar do mundo. Por causa de uma reforma, as visitas guiadas estão suspensas no momento. Mas você pode conhecer o lugar durante as missas que acontecem de segunda a sexta, às 19h30. Sábado, às 17h. Domingos, 8h, 10h, 17h e 19h. Rua dos Agrimensores, 183 – Cotia. Tel: (11) 4614-8827.

Na mesma rua da basílica está o Templo Budista Tibetando Odsal Ling. O templo tem arquitetura típica oriental e oferece retiros, ensinamentos e cerimônias.  Abre para visitação aos finais de semana e feriados, das 10h às 16h, menos quando há retiros. Ligue antes de ir para confirmar. Rua dos Agrimensores, 1461 – Cotia. Tel. (11) 4703-4099.

ONDE DORMIR EM EMBU DAS ARTES

Hospedagem boa e barata em Embu das Artes não é tarefa fácil. As melhores opções próximas ao centro histórico são a Pousada O Garimpo com diárias para casal a partir de R$ 260 e a Pousada Du Valle com diárias para casal a partir de R$ 210. Outra opção muito elogiada pelos hóspedes só que um pouco mais afastada do centro é a Villa Serena Bed & Breakfast com diárias para casal a partir de R$ 320. Clique nos links para ver mais fotos e fazer a reserva!

Nas duas vezes em que estivemos aqui ficamos no Ibis Budget Osasco, a 20 minutos do centro de Embu das Artes. As diárias para até 3 pessoas saem a partir de R$ 140 sem café da manhã. Em frente ao hotel tem uma cafeteria bem fofa onde você pode garantir um espresso e um pão de queijo por preços bem honestos. Clique no link do hotel para fazer a reserva!

COMO CHEGAR A EMBU DAS ARTES

Carro | Embu das Artes fica a 40 minutos do centro de São Paulo. A melhor via de acesso é a Rodovia Régis Bittencourt (BR 116) pelos quilômetros 279 e 289 que você pega a partir da Marginal Pinheiros, pela Rodovia Raposo Tavares ou pela Avenida Professor Francisco Morato. O trajeto possui pedágios. Ao chegar à cidade existem diversos estacionamentos privados que cobram de R$ 15 a R$ 20 pelo período.

Ônibus |  Os ônibus que operam o trecho São Paulo-Embu das Artes partem de vários pontos da capital como Terminal Butantã, Capão Redondo e Largo do Batata. Da estação de metrô Campo Limpo sai o ônibus com o letreiro Embu-Centro que deixa você bem no centro da cidade. A viagem dura em torno de 1h30 e a passagem custa a partir de R$ 4,30 (os preços variam dependendo do ponto onde você pegar.) Veja no site da EMTU todas as linhas e horários para chegar a Embu das Artes.

Posts relacionados

Santuário de Aparecida: guia completo para visitar o maior complexo mariano do mundo

Arautos dos Evangelho: basílica neogótica em Cotia

Lavandário de Cunha: como visitar os campos de lavando no interior de São Paulo

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados. ©

ACOMPANHE NOSSAS DICAS EM TEMPO REAL

FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER | YOUTUBE | PINTEREST

Política editorial | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Sempre nos hospedamos anonimamente nos hotéis indicados. O Matraqueando não faz post patrocinado. Alguns posts contêm links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Tudo o que você encontra aqui foi determinado unicamente pelo interesse do leitor, nosso gosto pessoal ou critério particular. Isso é transparência e credibilidade. Pode confiar! Para ajudar a manter o blog sempre com dicas fresquinhas adquira nossos guias na Loja Matraqueando. Desde já agradecemos a preferência! 🙂


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


2 comentários

  1. Luiz Henrique
    Comentário do dia 02/2/2019 às 22:31

    Que lugar interessante, Sílvia! Já ouvi falar muito de Embu (sou arquiteto e trabalho com decoradores), mas nunca tinha pensado em realmente fazer uma visita ao lugar. Já vi que é uma cidade muito inspiradora. Obrigada mais uma vez pela dica. Abraço

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Olha, se eu que não entendo nada de arte e decoração já amei, imagine você que já tem o gosto mais apurado e saberá reconhecer as verdadeiras obras primas que Embu das Artes tem para oferecer! 🙂

    (Responder)

  2. Comentário do dia 04/2/2019 às 15:49

    Oi, Silvia. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    (Responder)

    Resposta de Sílvia Oliveira

    Oba, muito obrigada! 🙂

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2019 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar