Maceió | Guia de Viagem

MACEIÓ | ROTEIRO TURÍSTICO COM PRAIAS E PASSEIOS

Do bordado filé ao caldinho de sururu, das piscinas naturais às apresentações de folguedos populares, Maceió se revela como peça única do Nordeste.

Com praias de águas mornas e claríssimas, a capital de Alagoas mistura a simpatia de uma cidade pequena com a vaidade de ter o mar mais elogiado do nosso litoral. Não por acaso, o estado todo é chamado de “Caribe do Brasil”.

Terra de cangaceiros valentes, da determinação quilombola e de rendeiras ancestrais, foi de Alagoas que saíram o primeiro presidente do Brasil, Marechal Deodoro da Fonseca, e Zumbi dos Palmares — um dos principais representantes da resistência negra à escravidão do Brasil.

Da combinação de trabalho, história e beleza nasceram artistas talentosos. Djavan, Hermeto Pascoal e Graciliano Ramos levaram a harmonia, o compasso e a alegoria alagoana para o mundo.

Já das mãos habilidosas das artesãs, tradição passada de mãe para filha, saem lindas obras e peças feitas com renda, fibra de bananeira, palha de ouricuri ou barro colorido.

Segundo menor estado do Brasil (só perde para o Sergipe), Alagoas abriga ainda um santuário do peixe-boi marinho, o mamífero aquático mais ameaçado de extinção no país. A Lagoa de Mundaú, ao sul da capital, reserva manguezais, praias isoladas e o melhor pôr do sol da cidade.

Com dezenas de praias paradisíacas, tanto ao norte quanto ao sul de Maceió, não vai ser difícil escolher onde fincar o guarda-sol. As orlas costumam ter extensas faixas de areia, coqueirais a perder de vista e mar com os mais variados tons de azul-turquesa e esverdeados.

GUIA DE VIAGEM COMPLETO | MACEIÓ E ARREDORES

Quantos dias em Maceió?

Maceió é o epicentro geográfico das melhores praias do litoral nordestino. Você pode passar três dias aqui concentrado na orla urbana — incluindo um ou outro bate e volta a praias próximas — ou esticar a estadia para uma semana. Seu orçamento e tempo disponível vão determinar o que é melhor para o contexto das suas férias.

Se você pretende destrinchar todo o litoral sul e norte da capital, seguramente vai precisar de, no mínimo, uns 10 dias. Já se a sua ideia é relaxar nas praias mais próximas, sem ficar maratonando de piscininha natural em piscininha natural, é possível vivenciar a cadência maceioense em 3, 5 ou 7 dias.

O que fazer se você tem 3 dias em Maceió 

1º dia | Orla Central Dedique o primeiro dia às praias urbanas da cidade. Você pode passar uma manhã em Pajuçara e, à tarde, esticar até Ponta Verde para aproveitar as famosas barracas Lopana e Kanoa. Lembrando que de Pajuçara saem as jangadas para conhecer as piscinas naturais. É aqui que fica, também, a fofinha Feira de Artesanato. Se preferir, pode trocar um ou outro período de praia para visitar os atrativos do Centro Histórico da cidade.  À noite, vá jantar em algum dos restaurantes de Jatiúca, a zona boêmia de Maceió. (Veja mais em Onde comer em Maceió.)

2º dia | Litoral Sul – Saindo pela AL 101 você chega à Barra de São Miguel. Com extensa faixa de corais e recifes, a praia oferece piscinas naturais na maré baixa. O point movimentado fica na rústico-chic barraca Praêro, uma espécie de beach lounge com duchas, pufes para descanso, piscininha, banheiros e até redes confortáveis. É na Barra de São Miguel que fica a Praia do Gunga, onde o mar se encontra com a Lagoa do Roteiro. O local tem um mirante com uma vista inacreditável da “fazenda de coqueiros” formada na região.

3º dia | Litoral Norte – Subindo ao norte de Maceió estão Pratagi (20 km), Ipioca (23 km) e Pirapueira (33 km). As três apresentam o combo já conhecido das praias alagoanas com coqueiral, extensa faixa de areia, mar azul-esverdeado e barracas conhecidas. Em Ipioca fica a célebre Barraca Hibiscus e o recém-inaugurado Guarda Rios Beach Club. Já em Paripueira está uma das maiores barreiras marinhas do mundo. Na maré baixa é possível caminhar por muitos metros mar adentro.

O que fazer se você tem 5 dias em Maceió

4º dia | Delta do Rio São Francisco   É uma jornada de dia inteiro.  Na foz do Rio São Francisco as águas do maior rio 100% nacional encontram-se com o mar. Os barcos que chegam até à foz saem do vilarejo de Piaçabuçu — a quase 130 quilômetros ao sul de Maceió, praticamente na divisa com o Sergipe. O passeio é uma espécie de Lençóis Maranhenses das Alagoas (guardadas as devidas proporções)! Em dias de sol, as águas do rio ficam verdinhas, o que faz um contraponto perfeito com as dunas que aparecem no meio do caminho, pouco antes do encontro com o mar. Se tiver tempo, o ideal seria passar a noite na histórica Penedo para não ficar muito cansativo o bate e volta.

5º dia | Marechal Deodoro + Praia do Francês Se você dormir em Penedo, saia cedinho de volta a Maceió. No caminho, aproveite para fazer uma parada em Marechal Deodoro, a primeira capital de Alagoas. Nomeada Patrimônio Histórico Nacional, tem centro histórico com casarios antigos. A cidade também é conhecida pelas rendeiras que se reúnem no Mercado de Rendas e Bordados, oferecendo o lindo artesanato alagoano. A mais muvucada orla da região, a Praia do Francês, fica aqui. A área tem mar protegido por arrecifes com água claras e mansas. Costuma estar sempre muito lotada, principalmente aos finais de semana e feriados. 

Marechal Deodoro, primeira capital de Alagoas

O que fazer se você tem 7 dias em Maceió 

6º dia | Maragogi –  Caso opte pelo passeio a Maragogi organize-se para dormir na cidade. São quase cinco horas para ir e voltar de Maceió. Além de o bate e volta ser muito puxado, você corre o risco de perder o principal atrativo do lugar: o maior conjunto de piscinas naturais do estado. As Galés de Maragogi são as mais famosas. Bancos de areia cercados por peixinhos coloridos aparecem na maré baixa a seis quilômetros da costa.

7º dia | São Miguel dos Milagres – Perto de Maragogi (a 37 km, indo em direção a Japaratinga para atravessar o Rio Manguaba de balsa), as praias de São Miguel dos Milagres são extensas, cheias de coqueiros e protegidas por recifes de corais. É um dos trechos mais preservados do litoral alagoano. A partir daqui você consegue fazer o passeio ao Santuário do Peixe-Boi Marinho, na Foz do Rio Tatuamunha, em Porto de Pedras. O peixe-boi é o mamífero aquático mais ameaçado de extinção no país.

IMPORTANTE | Você não precisa ficar nesse vai e vem frenético para ticar o maior número de praias da região. Se sua ideia é apenas relaxar por uma semaninha, escolha uma ou outra praia com boa estrutura de barracas e seja feliz.

DICA EXTRA | O centro da capital alagoana reserva ladeiras, igrejas, mirantes, museus, casarões antigos e centros culturais.  Já o bairro Pontal da Barra, ao sul da cidade, quase na divisa com o município de Marechal Deodoro, tem a famosa Rua das Rendeiras e o melhor pôr do sol na Lagoa Mundaú. Veja aqui os principais Pontos Turísticos de Maceió.

Quando ir a Maceió?

Maceió faz calor o ano inteiro, mas é necessário levar em consideração três variáveis ao visitar a cidade: o período de chuvas, a alta temporada e a tábua de marés.

Partindo da ideia de que você busca sol e mar, a melhor época para viajar à capital alagoana é de setembro a março, considerado o período de seca na região. A cor do mar é um dos mais lindos do Nordeste, mas ele fica realmente esplêndido — nível Caribe — no alto verão.

Eu evitaria os meses mais chuvosos que vão de abril a julho, sendo que maio e junho costumam ter o maior índice pluviométrico na cidade.

Já no verão, principalmente nos meses de dezembro e janeiro, é quando a praia fica mais bonita e com o mar mais claro, naquele padrão azul-esverdeado. Os preços de passagens e hospedagem, porém, costumam dobrar nesta época do ano.

Para encontrar a melhor época versus custo-benefício aposte nos meses de março, setembro e outubro — viajando, claro, fora dos feriadões nacionais.

TÁBUA DE MARÉS

Poucos destinos no Brasil dependem tanto da Tábua de Marés para oferecer os melhores passeios quanto Maceió. Além de evitar os meses de chuva, é muito importante — mas muito importante mesmo — que você entenda como funciona a tábua para conseguir conhecer algumas das piscinas naturais, por exemplo.

A Tábua de Marés é uma espécie de medidor de oscilações do nível do mar. Ela varia de acordo com as fases da lua. A dica simples é priorizar sua viagem em períodos de lua cheia e lua nova. A dica mais complicada, pelo menos para mim que sou de humanas, é acompanhar os sites Tábua de Marés ou Climatempo – Tábua de Marés.

Quando a maré estiver abaixo do nível 0,5, o recomendado é chegar à piscina natural que você pretende conhecer até uma hora e meia antes do horário que aparece no gráfico. Quanto mais baixa a maré, mais incríveis ficam as piscinas naturais.

Para facilitar as coisas: escolha viajar entre os meses de setembro a março em períodos de lua cheia ou lua nova. Quando você chegar a Maceió pergunte ali na beira da praia de Pajuçara a que horas vão sair os passeios na manhã seguinte. Os barqueiros têm todas as informações na ponta da língua.

Para você se programar melhor confira os principais eventos em Maceió:

Se além das praias, você busca as festas locais, a cidade conta com festividades anuais boas para aproveitar durante a viagem. Veja algumas delas, de acordo com os meses do ano em que elas acontecem:

Janeiro

Na noite do dia 5 para o dia 6 de janeiro, a cidade recebe a Festa de Reis. A festa mais tradicional, no entanto, acontece em Poço de Trincheiras, no sertão de Alagoas. Já no dia 20 é realizada a Festa do Padroeiro São Sebastião.

Junho

A cidade de Maceió recebe o São João no mês de junho. Tido como um dos principais do Nordeste, junto a arraiás de Caruaru, Campina Grande e Mossoró, a cidade brilha ainda mais com muita música, comida e tradição.

A festa conta com shows, concursos de quadrilhas e o tradicional coco de roda. Junho é o mês de comemoração dos santos juninos. Santo Antônio abre as festividades no dia 13, seguido por São João no dia 24. A festa de São Pedro, no dia 29, encerra o evento.

Agosto

No mês de agosto acontecem as festividades da padroeira da cidade, Nossa Senhora dos Prazeres, no dia 27. Além da festa religiosa, é feriado. Os eventos acontecem em frente à Catedral Metropolitana.

Os outros feriados locais de Maceió são: Dia de Nossa Senhora da Conceição (08/12) e Emancipação Política de Maceió (09/12).

DICA EXTRA | Para não perder as novidades da capital acesse o portal de eventos e baladas Maceió 40 graus e a programação da prefeitura.

O que fazer em Maceió?

A costa de Alagoas tem 230 quilômetros de praias, sendo que 40 deles estão em Maceió. O trecho é considerado um dos mais deslumbrantes do Brasil.

A área conta com grande preservação de barreira de corais e proteção de recifes, o que acaba deixando as águas mansas e claríssimas em quase toda a extensão litorânea do estado.

A principal dúvida do turista que vem a Maceió é saber qual praia visitar, em qual delas passar mais tempo, se vale a pena os bate e volta e se seria interessante montar base também em alguma cidade próxima.

Para ajudar na sua decisão, vou detalhar as praias urbanas (que ficam dentro da capital) e as que ficam nos arredores, tanto no Litoral Norte quanto no Litoral Sul de Maceió. Assim, você consegue ter uma visão geral de como organizar sua viagem para cá.

Importante lembrar que, embora no período de chuvas as águas das praias do estado também tenham uma cor bonita e límpida, algumas delas podem ficar impróprias para banho por um curto período. Veja aqui o gráfico de balneabilidade das praias de Alagoas.

As praias urbanas de Maceió

Todas as praias de Maceió e arredores têm características em comum: sequência de coqueiros, águas morninhas, tons esverdeados, algumas piscinas naturais e são fáceis de chegar. Não é preciso veículo 4 x 4 para nada, mas alugar um carro para percorrer a região (veja minha experiência aqui) é uma solução inteligente para quem quer otimizar o tempo.

As praias que estão na Orla Central — Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas (essa um pouco mais afastada) — possuem estrutura com calçadão, barracas famosas e ciclovia.

É também nesta região que está concentrada boa parte dos restaurantes, bares e a rede hoteleira de Maceió, com hospedagens que vão de hotéis econômicos a resorts de luxo.

Pajuçara | VEJA NO MAPA

É a praia urbana mais famosa da cidade. Aqui estão alguns dos grandes hotéis de Maceió e a Feira de Artesanato da Pajuçara, um dos principais pontos para compras de souvenirs feitos em renda filé, considerada Patrimônio Imaterial de Alagoas.

Durante a maré baixa, Pajuçara é o ponto de partida das tradicionais jangadas que levam às piscinas naturais, a dois quilômetros da costa. Ainda que estas não sejam consideradas as piscinas mais cristalinas da região, acabam sendo muito procuradas pelo fácil acesso.

Por ser uma das praias mais disputadas da orla urbana, Pajuçara tem excelente infraestrutura: oferece banheiros, duchas, ciclovias, pistas para caminhadas e tem várias barracas e restaurantes nos arredores.

Com o mar quase sempre tranquilo, é boa opção para famílias com crianças. Foi aqui, aliás, onde eu fiquei na minha última vez na cidade. De qualquer maneira, dependendo do período do ano (principalmente na época das chuvas), Pajuçara pode ficar imprópria para banho (mas é raro isso acontecer no verão). Confira sempre o mapa de balneabilidade antes de ir.

+ Hotéis excelentes com até 50% de desconto na Praia de Pajuçara

Ponta Verde | VEJA NO MAPA

A 10 minutos de caminhada de Pajuçara está a praia de Ponta Verde. Tem paisagem natural parecida com a vizinha, cheia de coqueiros, areia fofa, águas esverdeadas e piscinas naturais na maré baixa. É um dos trechos mais bonitos da cidade.

A melhor parte da praia — além de ser ligeiramente menos muvucada que Pajuçara — são as barracas Lopana e Kanoa, consideradas as duas melhores da orla de Maceió. (Veja mais sobre as barracas aqui.)

Com mar de águas calmas, a área é muito boa para esportes como stand up paddle, caiaque e windsurf. Outro detalhe interessante de Ponta Verde é que parte da avenida que contorna a orla fica bloqueada aos domingos, o que aumenta a zona de lazer.

Assim como Pajuçara, Ponta Verde também é uma praia urbana bastante recomendada para quem vai com crianças.

+ Hotéis excelentes com até 50% de desconto na Praia de Ponta Verde

Jatiúca | VEJA NO MAPA

A praia de Jatiúca é considerada a mais badalada da cidade. Quiosques e barracas de tapioca, as melhores que comi na vida, costumam movimentar o calçadão neste trecho da orla de Maceió.

O melhor horário para pegar sol aqui é na parte da manhã, já que no período da tarde os coqueiros já começam a fazer sombra na areia.

Com o mar mais agitado do que as primas Pajuçara e Ponta Verde, Jatiúca atrai quem gosta de praia com ondas, o que acontece sobretudo na maré alta. Mas nem isso tira a beleza das cores das águas, sempre naqueles tons caribenhos hipnotizantes.

De qualquer maneira, preste sempre atenção à tábua de marés e à balneabilidade da praia, pois — assim como acontece com as outras praias da orla central — alguns trechos podem ser impróprios para banho durante o período de chuvas.

+ Hotéis excelentes com até 50% de desconto na Praia de Jatiúca

Cruz das Almas | VEJA NO MAPA

É a praia urbana de Maceió preferida dos surfistas. Por estar em mar aberto, este trecho é caracterizado pelas fortes ondas. Por conta disso, a cor do mar de Cruz das Almas pode destoar das outras praias da cidade, apresentando água mais turva em determinadas épocas do ano.

Como é a parte da orla com menos infraestrutura (tem poucas barracas e um trecho de ciclovia) é também menos recomendada para famílias. Mas pode ser uma boa opção para quem quer areia, mar e muito sossego. Por segurança, só evite circular ali à noite, já que, depois que anoitece, o calçadão fica bem vazio.

Por conta do mar agitado, se não conhece as águas de Cruz das Almas é recomendado ter cuidado ao entrar. Veja a balneabilidade antes de ir para saber se está própria para banho.

7 bate e volta a praias próximas de Maceió

Além das praias urbanas, vale muito a pena fazer passeios de bate e volta a outras mais afastadas da cidade. Aqui, é interessante alugar um carro ou contratar as agências de turismo que fazem traslados. (Veja mais em Como circular em Maceió.)

PRAIAS DO LITORAL NORTE

1. Ipioca | VEJA NO MAPA

A 25 quilômetros ao norte de Maceió, Ipioca pode ser uma opção de sossego ou agito, dependendo de onde você ficar ao longo da orla. É aqui que ficam a famosa Barraca Hibiscus e o recém-inaugurado Guarda Rios Beach Club. São dois locais com excelente infraestrutura. Oferecem banheiros, duchas, mesas, guarda-sol, restaurantes, piscininhas e até jacuzzi.

Tanto em frente à Hibiscus quanto em frente a Guarda Rios (estão 200 metros uma da outra), o mar é mais calmo, claríssimo e a estrutura dos dois locais é perfeita para famílias.

Ipioca conta com coqueiros, trechos longos de areia fofa e um mar verde-azulado (sim, estamos repetitivos, porque não existe melhor descrição para as principais praias de Alagoas!). 🙂

+ Veja mais sobre a Hibiscus e outras barracas de praias de aqui

2. Paripueira | VEJA NO MAPA

A seis quilômetros ao norte de Ipioca (e a 33 quilômetros de Maceió) está Paripueira. Aqui começam os bancos de corais que vão até Pernambuco, formando uma das maiores barreiras marinhas do mundo. Na maré baixa é possível caminhar dezenas de metros mar adentro.

Paripueira é especial para quem busca sossego. A área tem extenso trecho de areia fina, mar de águas claras e paisagem única adornada pelos barquinhos dos pescadores que vivem por ali.

A praia conta com barracas estruturadas e algumas oferecem passeios às piscinas naturais que costumam ser menos disputadas que as de Pajuçara, no centro da cidade.

Em Paripueira, o nível de visibilidade da água, principalmente no verão, é tão grande que no passeio às piscinas você consegue ver a olho nu peixinhos, corais e ouriços.

3. Pratagi | VEJA NO MAPA

Mais uma das opções de praia de água clara, Pratagi é bastante frequentada por famílias que buscam tranquilidade. Tem extensa faixa de areia firme, boa para caminhadas. Com barracas mais rústicas, aqui é recomendado levar seu próprio equipamento de praia, como cadeiras e guarda-sol.

Na maré alta o mar fica mais agitado. Mas na baixa é possível mergulhar nas piscinas naturais e ver lindos peixinhos de perto. Pratagi é recomendada também para praticante de esportes como kitesurf ou windsurf.

Cercada pelo Rio Meirim, coqueiros e Mata Atlântica, a praia oferece estrutura de hotelaria e resorts como o Pratagy Beach Wyndham – All Inclusive. É nessa região onde a área fica mais movimentada.

4. Guaxuma | VEJA NO MAPA

Não chega a ser exatamente um bate e volta, mas é uma opção para quem quer se afastar do centro, sem ter que sair da cidade ou ir muito longe. Guaxuma está a 10 quilômetros da praia central de Jatiúca. O mar não é calminho, calminho…, mas também não é afeito a ondas grandes.

A extensa faixa de areia convida para caminhadas. Tem barracas com estrutura de apoio ao banhista. É ótima para quem busca sossego, águas mornas e clarinhas. Para quem não quer alugar carro nem depender dos traslados das agências, é fácil chegar a Guaxuma de táxi ou Uber.

PRAIAS DO LITORAL SUL

5. Barra de São Miguel | VEJA NO MAPA

Já fora do município de Maceió, outro passeio amado pelos turistas está a 30 quilômetros ao sul da capital. Vá pela AL 101 Sul para aproveitar a boa estrutura da cidade (e praia de mesmo nome) Barra de São Miguel, com uma variedade de restaurantes e barracas próximas ao mar.

As águas são mais tranquilas e, por conta da extensa faixa de corais e recifes, proporciona banho de piscinas naturais na maré baixa. O point movimentado fica na rústico-chic barraca Praêro, uma espécie de beach lounge com duchas, pufes para descanso, piscininha, banheiros e até redes confortáveis.

6. Praia do Gunga | VEJA NO MAPA

É na Barra de São Miguel que fica a Praia do Gunga, onde o mar se encontra com a Lagoa do Roteiro, oferecendo, além da água salgada, um delicioso banho de água doce. Essa é, também, a área com grande movimento de pessoas e grandes barracas com estrutura.

Na Praia do Gunga, é possível também fazer passeios de bugue ou quadriciclo nas falésias. No Mirante do Gunga, você tem uma vista inacreditável do “mar de coqueiros” formado na região.

7. Praia do Francês | VEJA NO MAPA

É uma das praias mais disputadas do Litoral Sul e, por isso mesmo, costuma ser muito lotada, principalmente aos finais de semana e feriados. Localizada no município de Marechal Deodoro (20 quilômetros de Maceió), tem mar protegido por arrecifes com água claras e mansas.

A Praia do Francês é cercada por restaurantes e barracas de praia. Além de ser ponto de encontro de praticantes de esportes de velejo ou stand up paddle, tem boa estrutura para famílias com crianças, mas está longe de oferecer sossego. Tendo outras opções na região, eu evitaria a Praia do Francês.

DICA EXTRA | Ao fazer o passeio às praias do Litoral Sul inclua uma esticada à fofíssima Marechal Deodoro, cidade histórica considerada Patrimônio Histórico Nacional. O município tem acesso oposto à entrada para a praia do Francês.

2 praias que merecem mais do que um bate e volta de Maceió

1. Maragogi | VEJA NO MAPA

É um dos municípios que fazem parte da Costa dos Corais, aquela região do norte de Alagoas onde os recifes formam uma das maiores barreiras marinhas do mundo. Não à toa, a cidade é conhecida pelas Galés de Maragogi, um belíssimo conjunto de piscinas naturais que aparecem na maré baixa a seis quilômetros da costa.

Como está a 130 quilômetros de Maceió —  e a viagem dura, no mínimo, duas horas — não vale a pena tratar esse passeio como um mero bate e volta. Você tem que levar em consideração que se optar por ir e voltar no mesmo dia ficará quase cinco horas na estrada e ainda corre o risco de chegar fora do melhor horário da maré baixa, isso se ela acontecer!

Sem contar que a região de Maragogi tem outras piscinas naturais menos disputadas pelos catamarãs turísticos como Taocas, Barra Grande e Barreira de Peroba, além de oferecer outras praias incríveis ao norte como Burgalhau, Barra Grande, Antunes, Xaréu e Ponta de Mangue, e ao sul como Camacho, São Bento, Japaratinga, Bintigui e Barreiras de Boqueirão.

O trecho com mais agito e estrutura está entre as praias de Barra Grande e Antunes. Nessa área estão concentrados quiosques e algumas barracas, onde você pode alugar cadeiras e guarda-sóis. O disputadíssimo resort Salinas de Maragogi está aqui.

Se tiver mais dias em Maragogi e quiser fazer um passeio fora da rota de praia, aposte na Trilha do Visgueiro, uma caminhada de duas horas em meio à Mata Atlântica. Durante o trajeto, o visitante passa por cachoeiras, conhece a Associação Mulheres de Fibra (artesãs especializadas em trabalhos com fibra de bananeira), até chegar ao principal ponto da trilha, o Visgueiro — uma árvore gigante de aproximadamente 500 anos. É necessário agendar pelo telefone (82) 3296-2087.

+ Hotéis e pousadas excelentes com até 50% de desconto em Maragogi

2. São Miguel dos Milagres | VEJA NO MAPA

Para quem vem de Maceió, São Miguel dos Milagres está antes de Maragogi. A 106 quilômetros da capital, este trecho do litoral alagoano é formado ainda por Barra do Camaragibe e Porto de Pedras.

As praias de São Miguel dos Milagres são longas, cheias de coqueiros e protegidas por recifes de corais. Pousadinhas pé na areia fazem da praia um ótimo lugar para quem quiser fugir dos outros destinos mais disputados. Como tem poucos restaurantes na cidade, muitas hospedagens oferecem alimentação como almoço e jantar. São Miguel dos Milagres abriga, por exemplo, a queridinha Pousada do Toque.

A partir de São Miguel dos Milagres você consegue fazer o passeio ao Santuário do Peixe-Boi Marinho, na Foz do Rio Tatuamunha, em Porto de Pedras. O mamífero aquático está ameaçado de extinção, estima-se que só existam 500 deles na costa brasileira.

O passeio custa R$ 50 por pessoa e todo o valor arrecadado é convertido para a associação que ajuda na preservação do animal. É necessário agendamento antecipado pelos telefones (82) 3298-6247, (82) 99917-2146 ou no whatsapp (82) 99358-7473.

+ Hotéis e pousadas excelentes com até 50% de desconto em São Miguel dos Milagres

3 passeios incríveis a partir de Maceió se quiser ir mais longe

Alagoas é um estado tão pequeno que, se você tiver mais tempo no seu roteiro, consegue incluir alguns passeios sensacionais a partir da capital que fogem um pouco do padrão sol-mar-coqueiro.

1. Serra da Barriga | VEJA NO MAPA

É aqui que fica o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, um marco na luta dos africanos escravizados no Brasil. É o único parque do país dedicado à cultura afro-brasileira. Zumbi foi o rei quilombola mais conhecido, mas foi uma mulher, Aqualtune, uma princesa do Congo escravizada que fundou o Quilombo dos Palmares.

A sede fica na Serra da Barriga, localizada no município de União dos Palmares, a 80 quilômetros de Maceió. A região é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1985 e revela nossa ancestralidade, história e memória preservadas.

O acervo conta com a Casa da Farinha, Terreiro das Ervas, Ocas Indígenas, Casa de Campo Santo, além de um espaço museológico com documentos e áudios com narrações do cotidiano quilombola.

O parque tem placas autoexplicativas, mas não oferece visita guiada. Para aproveitar ao máximo essa oportunidade única na região, sugiro contratar um guia previamente na página Visita ao Parque Quilombo dos Palmares. Os guias cobram R$ 50 por pessoa, ficando um pouco mais barato quando são duas ou mais pessoas. A entrada no Quilombo dos Palmares é gratuita.

2. Passeio à Foz do Rio São Francisco | VEJA NO MAPA

Os barcos que chegam até à foz saem do vilarejo de Piaçabuçu — a quase 130 quilômetros ao sul de Maceió, praticamente na divisa com o Sergipe. Na foz do Rio São Francisco as águas do maior rio 100% nacional encontram-se com o mar. O rio deságua no Oceano Atlântico.

O passeio é uma espécie de Lençóis Maranhenses das Alagoas (guardadas as devidas proporções)! Em dias de sol, as águas do rio ficam verdinhas, o que faz um contraponto perfeito com as dunas que aparecem no meio do caminho, pouco antes do encontro com o mar.

Eu contratei uma excursão na capital e fui num bate e volta de Maceió. É uma jornada de dia inteiro. Se tiver tempo, o ideal seria passar a noite na fofinha Penedo (cidade com várias construções tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional) — a 30 quilômetros de Piaçabuçu — para não ficar muito cansativo. Eu contei minha experiência aqui.

3. Piranhas | VEJA NO MAPA

Piranhas tem pouco mais de 20 mil habitantes distribuídos entre casinhas coloridas, mirantes e o Rio São Francisco. Patrimônio Histórico Nacional, a cidade está no sertão de alagoas, a quase 270 quilômetros de Maceió. Acabou entrando para os livros brasileiros por ter sido o local onde as cabeças de Lampião e de seu bando ficaram expostas após a decapitação durante uma emboscada. Veja meu post completo de lá!

É daqui que sai a Rota do Cangaço. O passeio começa de barco pelo leito natural do Rio São Francisco. São 45 minutos de navegação até a primeira parada: o povoado de Entremontes, um vilarejo conhecido pelo trabalho das bordadeiras de rendedê, herança artesanal passada de geração em geração.

Depois continua numa trilha de 40 minutos até a Grota de Angico, local onde Lampião, Maria Bonita e mais nove cangaceiros foram assassinados durante uma cilada inimiga. Eu contei tudo sobre a Rota do Cangaço aqui!

Principais pontos turísticos de Maceió

Como o equipamento cultural de Maceió não é muito vasto (se compararmos com Fortaleza, Recife e Salvador, por exemplo), as principais atrações acabam sendo as praias urbanas ou nos arredores da cidade. Mas se você é como eu que não deixa escapar um museuzinho ou espaço cultural, os atrativos abaixo são muito recomendados.

Museu Palácio Floriano Peixoto (MUPA)

Antiga sede do governo de Alagoas, o Museu Palácio Floriano Peixoto, também conhecido como Palácio dos Martírios, é parte do conjunto arquitetônico dos Martírios, tombado pelo Patrimônio Estadual.

Inaugurado em 1902, é considerado o mais belo edifício do Estado pela suntuosidade e estilo. No acervo estão quadros de artistas alagoanos como José Zumba, Luíz Silva, Miguel Torres, Lourenço Peixoto e Rosalvo Ribeiro. Dentro do museu ainda é possível visitar o acervo do Espaço Aurélio Buarque de Holanda e o Memorial Lêdo Ivo.

Endereço: Praça dos Martírios, 517 – Centro | VEJA NO MAPA
Horário: terça a sexta, 8h às 17h; sábados, domingos e feriados, 13h às 17h. Entrada gratuita.

Museu Théo Brandão

O Museu Théo Brandão é um dos principais espaços culturais de Maceió. Ele pertence à Universidade Federal de Alagoas. Sua mostra inclui peças nordestinas, na maioria objetos alagoanos, mostrando parte da história folclórica do estado. Destaque para esculturas em madeira, indumentária de folguedos natalinos e os adereços utilizados nas festas populares.

Endereço: Av. da Paz, 1490 – Centro | VEJA NO MAPA
Horário: terça a sexta, 9h às 17h; sábados, domingos, 12h às 17h. Não funciona em feriados. Entrada gratuita.

Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas

O Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas é o terceiro mais antigo do Brasil. Fundado em 1896, ele comporta um raríssimo e extenso acervo. O famoso prédio cor de rosa guarda uma parte da história de Alagoas, incluindo elementos das memórias nacionais e internacionais.

Parte do acervo é composto por telas de pintores famosos, peças utilizadas nos cultos das religiões de matriz africana, documentações e utensílios de diversas etnias indígenas, armas pertencentes a Lampião e roupas originais de Maria Bonita. Situado também no centro de Maceió, está a 10 minutos caminhando do Museu Théo Brandão.

Endereço: Rua do Sol, 382 – Centro | VEJA NO MAPA
Horário: Segunda a sexta, 8h às 12h.
Ingressos: para visitar o acervo são R$ 4, para pesquisar na hemeroteca e biblioteca a entrada custa R$ 3.

Pontal da Barra

Não é um monumento, mas um bairro histórico e colorido tombado pelo patrimônio municipal. Aqui, você encontra a célebre Rua das Rendeiras com diversas lojas — geralmente montadas na frente das casas dos artesão — com as famosas rendas filé, que conquistou recentemente o selo de Identidade Geográfica (IG) como arte tipicamente alagoana.

Um dos atrativos culturais de Pontal da Barra são os ensaios e apresentações de Fandango, folguedo popular em homenagem aos marujos. Mistura dança, música, contos, lendas e orações. O bairro também é cenário para a Flipontal, a Festa Literária do Pontal da Barra.

Pontal da Barra é banhado pela Lagoa Mundaú. Daqui partem os passeios de catamarã pelas 9 Ilhas da Lagoa em dois horários, às 9h e às 13h30. O passeio dura umas quatros horas com paradas na Prainha e passagem por um lindo manguezal. Recomendo que você faça o da tarde para aproveitar o pôr do sol na região, um dos mais bonitos de Maceió. Mais informações na Mar Azul Turismo nos telefones (82) 98806-4293 e (82) 3221- 6417.

Onde comer em Maceió?

As praias de Maceió e arredores são muito bem servidas de barracas de praia, os restaurantes à beira-mar. Embora sejam chamadas popularmente de “barracas”, elas se comportam como beach clubs, oferecendo não só boa comida, mas entretenimento para crianças, música, espaço de descanso e apoio aos banhistas.

Barracas e Restaurantes de Praia

Hibiscus Beach Club | Ipioca

Localizada na praia de Ipioca, a 24 quilômetros de Maceió, a Hibiscus Beach Club é uma das barracas mais famosas de Alagoas. O lugar foi reformulado há alguns anos e é muito bem equipado para receber famílias. Oferece buffet de comidas, área de recreação infantil, piscinas pequenas, está bem próxima ao mar e tem longo trecho de areia.

O acesso à barraca — que dá direito ao Day Use — custa R$ 45 (cartão) ou R$ 40 (dinheiro), por pessoa. Crianças até 11 anos não pagam. Para acessar a área vip (lounge com gazebos exclusivos e atendimento preferencial) custa R$ 165 (cartão) ou R$ 150 (dinheiro) + o valor da entrada. A barraca também disponibiliza passeio de lancha (que só sai na maré baixa), a R$ 60 por pessoa. Funciona todos os dias, 8h15 às 16h30. Tel. (82) 3234-1340.

ATENÇÃO | A entrada é pela guarita do condomínio Angras de Ipioca, próximo ao hotel Danatureza.  VEJA NO MAPA 

Praêro Beach Club | Barra de São Miguel

Opção pé na areia em Barra de São Miguel, a estrutura do Praêro Beach Club é confortável e familiar. Tem música ao vivo, está em frente ao mar e conta com restaurante de praia especializado em drinks e frutos do mar — com preços beeem acima da média, diga-se.

Oferece passeios de lancha para quem quiser se aventurar no mar, com parada no banco de areia, Praia do Gunga, passando ainda pela casa de Djavan, falésias e dando uma volta pela Ilha dos 3 corações. Informações e preços no (82) 99825-0070. Falar com Alexandre.

O banho de mar em frente ao Praêro é classificado como o melhor ponto de Barra de São Miguel. O Day Use custa R$ 30 por pessoa. Crianças até 10 anos não pagam. Tem lounge vip com capacidade para 10 pessoas por R$ 350 (preço pelo lounge) + o valor da entrada para cada um. Funciona de segunda a sexta, 9h às 16h; aos finais de semana e feriados, 9h às 17h. Tel. (82) 99802-1572. VEJA NO MAPA

Lopana | Ponta Verde 

Já dentro da cidade, na praia de Ponta Verde, a Lopana é uma das barracas mais famosas e bastante recomendada. Foi eleita a melhor barraca de praia por anos seguidos. Com cardápio caprichado, o local ainda oferece passeios no Trimarã Lopana, com duração de duas horas e meia, para quem quiser curtir as piscinas naturais. Custa R$ 50 por pessoa. Crianças de 0 a 12 anos pagam R$ 25. Veja aqui os horários de saídas do passeio.

A Lopana é ideal para todos os turistas, seja com família, casal ou grupo. A parte boa é que o visitante tanto pode ficar pé na areia, como almoçar na área fechada, com ar condicionado. Os petiscos e pratos quentes de frutos do mar são o carro chefe da casa. O cardápio também tem opções de pratos infantis. Veja os preços das refeições aqui.

Além de agradar aos praieiros, a casa também é boa opção noturna, principalmente para o público jovem: o local se transforma em bar agitado à noite, com apresentação de música (cobra couvert artístico). Funciona de terça a sexta, 10h à meia-noite; sábado, 9h à 1h da manhã; e domingo, 9h à meia-noite. Fecha às segundas. Tel. (82) 3231-7484 e Whatsapp (82) 99101-9357.  VEJA NO MAPA

Kanoa Beach Bar | Ponta Verde

Ao lado da Lopana, a Kanoa Beach Bar é outra opção na orla de Ponta Verde. Como um dos chamativos da barraca é o happy hour, é mais voltada ao público jovem.

Para usar as espreguiçadeiras no final de semana, o ideal é chegar cedo. Por ser a barraca da orla central mais muvucada, o atendimento pode ser lento. O cardápio, porém, vai desde pratos para quem quiser uma boa refeição a drinks para curtir um final de tarde à beira-mar.

Tem música ao vivo ou ambiente e, em ambos os casos, cobra couvert artístico de R$ 10. Funciona de quarta a segunda, das 9h à meia-noite.  Fechas às terças-feiras. VEJA NO MAPA

Restaurantes fora da praia

 As regões da Pajuçara e Jatiúca reúnem grande parte dos melhores restaurantes de Maceió. Os frutos do mar estão quase sempre presentes nos cardápios, sendo o prato típico mais requisitado. Veja sugestões de alguns lugares na cidade:

Bodega do Sertão | É um dos meus locais preferidos para provar a autêntica comida nordestina. O restaurante tem decoração temática e funciona no sistema self service (R$ 77,50 o quilo) com toooodos os pratos típicos que você pode imaginar como carne de sol, escondidinho, peixada, baião de dois, além da deliciosa sobremesa Cartola – feita com queijo coalho, banana e canela. É possível conhecer várias iguarias da região num só lugar. Foi aqui que eu comi pela primeira vez a famosa buchada de bode. E, como você pode ver, sobrevivi para contar a história. 😀 Fica em Jatiúca. VEJA NO MAPA

A enorme variedade de pratos nordestinos do restaurante Bodega do Sertão

JANGA | Dos mesmos donos do Bodega do Sertão, o Janga é um dos melhores lugares da capital para comer frutos do mar. O carro chefe é o Camarão Jangadeiro Alagoano, um prato que serve até três pessoas com camarões, arroz, queijo e molho branco gratinado por R$ 149. Apesar do extenso cardápio com pescados, lagostas e mexilhões, a casa também oferece carnes (como o cordeiro grelhado, acompanhado de risoto de funghi porcini), opções sem glúten, sem lactose e vegana como a Moqueca de Banana da Terra.  Um casal gasta, em média, R$ 120 – sem bebidas. Tem duas unidades na cidade, o Janga Ponta Verde, (82) 99120-3331 e o Janga Praia Pajuçara (82) 98233-1030.

Imperador dos Camarões | Camarão na Moranga, Camarão Pajuçara e Chiclete de Camarão (este último é prato registrado criado pela casa) feito salteado no dendê ao molho de cinco queijos gratinados. Custa R$ 132 para duas pessoas. Deu água na boca? Além dos pratos tradicionais com peixes e frutos do mar, o Imperador dos Camarões oferece também o tradicional caldinho de sururu (R$ 8,90) e pastel de siri (R$ 15,50). Para quem não abre mão das carnes, o Filé Alto com Crosta de Tomate Seco sai por R$ 58 (01 pessoa) ou R$ 103 (2 pessoas). Se por algum motivo você não quiser sair do hotel, a casa também faz delivery. Fica na Pajuçara. VEJA NO MAPA.

Restaurante Filé do Zezé | Gastronomia popular em ambiente agradável e despojado. O Restaurante Filé do Zezé é reconhecido por ter a melhor carne de sol da capital alagoana. Aproveite e peça a macaxeira frita para acompanhar. Oferece ainda pizzas e porções de petiscos. Aos sábados, serve feijoada. No almoço tem pratos executivos, uma opção para quem não quer gastar muito: Carne Guisada Com Pirão e Arroz (R$ 21,90),  Carne ao Molho de Ervas (R$ 22,90) e Tiras de Filé ao Molho Madeira com Arroz (R$ 24,90). Fica em Jatiúca.  VEJA NO MAPA.

Massagueirinha | Já ouviu falar em sururu? O crustáceo vive em mangues e lama de lagoas e é uma das especialidades nordestinas. Você pode comê-lo em caldo, com leite de coco ou com azeite de dendê. No restaurante Massagueirinha, é especialidade da casa e custa R$ 5,25. A promessa de oferecer “a melhor casquinha de siri do Brasil” também se cumpre. O tira-gosto enorme custa R$ 15. De segunda a sexta serve pratos executivos com carne, peixe ou frango. O restaurante tem duas unidades, uma em Ponta Verde e outra em Jatiúca (esta não abre às segundas-feiras). VEJA NO MAPA.

Caldinho de sururu, entradinha típica nas mesas de Alagoas

Bali | Eu não me imagino numa praia do nordeste sem ter uma boa sorveteria para bater ponto todos os dias. A Bali é uma das melhores de Maceió. A casa oferece diversos sorvetes com sabores de frutas típicas da região como graviola, cupuaçu, sapoti, além do já famoso sorvete de tapioca. Além dos sorvetes em bola, tem ainda picolés, paletas, milk shake, açaí, banana split e outras combinações. Tem unidades nas praias de Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca, além de filiais nos shoppings Maceió e Pátio.

Onde comprar em Maceió?

Ir para o Nordeste e voltar sem uma lembrancinha de artesanato é praticamente impossível. E não seria diferente em Maceió. São quatro os lugares mais recomendados para encontrar diversos tipos de produtos feitos por artesãos locais e das redondezas. Você vai achar desde objetos de madeira, rendas, azulejos, bolsas, chapéus, chinelos de couro até castanha e cachaça.

Feira de Artesanato da Pajuçara | Com grande variedade e produtos de artesanato alagoano, a Feira de Artesanato da Pajuçara é um grande galpão com quase 200 barracas à beira mar. Aquele universo regional da palha, da cerâmica, da fibra de coqueiro, da madeira e do barro. Vendem desde roupas e calçados, até os tradicionais imãs de geladeira. Veja aqui meu post sobre a feirinha. Funciona todos os dias, 10h às 22h. Av. Dr. Antônio Gouveia, 68 – Calçadão da Praia de Pajuçara, ao lado do quiosque Kanoa. VEJA NO MAPA

Pavilhão do Artesanato | Fica em frente à Feira de Artesanato da Pajuçara, então você pode aproveitar para ir nos dois lugares no mesmo dia. A proposta é bem parecida, com a mesma variedade de produtos. A diferença é que o local ainda conta com estacionamento. Funciona todos os dias, 10h às 22h. Av. Dr. Antônio Gouveia, 1447 – Pajuçara. VEJA NO MAPA

Rua das Rendeiras | É no bairro Pontal da Barra que você vai avistar as fachadas coloridas da famosa Rua das Rendeiras. Uma rua inteira com lojinhas de artesãos vendendo colchas, toalhas de mesa, jogos americanos e até roupas da renda filé, típica de Alagoas. Quase sempre é possível ver algumas rendeiras por ali trabalhando nos seus teares. Aproveite a visita e combine com o pôr do sol na Lagoa do Mundaú. Funciona de segunda a sábado, 9h às 18h. Nem todas lojinhas abrem aos domingos. Rua Alípio Barbosa da Silva, 317-519 ou Rua das Rendeiras. VEJA NO MAPA

Mercado Central (ou do Artesanato) | Ambientação rústica com preços beeem mais competitivos do que as lojas localizadas na orla de Maceió. O Mercado Central é excelente para achar objetos de decoração feitos de cerâmica, palha, couro, madeira, renda, além de souvenirs e roupas para crianças. Funciona de segunda a sábado, 7h às 17h; domingos, 7h às 12h.  Parque Rio Branco, nº 71, Centro. Atenção: por estar numa região pouco turística não costuma ser muito seguro circular livremente por aqui, há relatos de assaltos. Vá de táxi ou Uber e desça na porta do mercado. VEJA NO MAPA

CURIOSIDADE | O bordado da renda filé é tão importante para o estado que foi registrado como Patrimônio Imaterial de Alagoas. A tradição, cheia de ancestralidade, é passada pelas mulheres rendeiras de geração em geração desde o período colonial.

Onde ficar em Maceió?

A maior parte da rede hoteleira de Maceió fica mesmo nas praias mais frequentadas da cidade. Hotéis com melhores estruturas estão, principalmente, em Ponta Verde, Pajuçara e Jatiúca. Mas também é possível ficar em resorts, alguns com opção all inclusive, nas praias dos arredores.

Opções econômicas para quem quer boa localização pagando pouco

Pousada Aquarela do Brasil | Hospedagem estilo pousada, simples, confortável e com ótimo custo benefício. Excelente localização: fica a 60 metros da Praia de Pajuçara, uma das mais frequentadas em Maceió e de onde saem os passeios às piscinas naturais da orla central. A Pousada Aquarela do Brasil também conta com quartos para família e acomodações no térreo com varanda e rede. Média de diária: R$ 129 em quarto duplo. Café da manhã à parte por R$ 25 por pessoa. Veja mais fotos e faça sua reserva aqui.

Hotel Gogó da Ema | Opção simples na praia de Ponta Verde em Maceió, o Hotel Gogó da Ema tem ótima localização e quartos confortáveis. As acomodações são equipadas com ar-condicionado, telefone e frigobar. Alguns quartos incluem uma minicozinha com micro-ondas. É ideal para viagem em dupla. Média de diária: R$ 140 em quarto duplo. Café da manhã incluído. Veja mais fotos e faça sua reserva aqui. Cancelamento gratuito.

Quarto de casal do hotel Gogó da Ema

Opções confortáveis com bom custo-benefício

Meridiano Hotel | Situado bem próximo às piscinas naturais da praia de Pajuçara, o Meridiano Hotel é uma boa opção para quem pode pagar um pouco mais e ter conforto em acomodações modernas. O hotel ainda oferece quartos para famílias, academia, bar e suítes com vistas para o mar. É um hotel 5 estrelas disputado e muito bem avaliado pelos usuários, com nota 9,3. Média de diária: R$ 400 em quarto duplo com 1 criança. Café da manhã incluído. Estacionamento disponível por R$ 15 a diária. Veja mais fotos e faça sua reserva aqui. Algumas opções de quartos têm cancelamento gratuito.

A piscina com vista para o mar do Meridiano Hotel

Soft Inn Maceió Ponta Verde | Um dos campeões de vendas na cidade é o hotel da rede Soft Inn localizado na praia da Ponta Verde. Considerado uma boa opção 3 estrelas, os quartos não são muito grandes, mas acomodam bem duas pessoas. Boa localização e atendimento. Em todos os andares há um micro-ondas e um ferro de passar roupa disponíveis para os hóspedes. Média de diária: R$ 200 em quarto duplo. Café da manhã excelente incluído. Estacionamento no local por R$ 20 a diária. Veja mais fotos e faça sua reserva aqui. 

Opções para seu momento extravagância

Jatiúca Hotel & Resort | Localizado na praia de Jatiúca, dentro da cidade de Maceió, a opção 5 estrelas é uma das mais econômicas para quem busca se hospedar em hotéis de categoria resort. O Jatiúca Hotel & Resort oferece opções de quartos para casal, duas pessoas ou família. Tem quadras de tênis, salão de jogos e serviços de massagem (custo adicional). Média de diária: R$ 650 na alta, em quarto duplo. Café da manhã e jantar incluídos (meia pensão). Veja mais fotos e faça sua reserva aqui. Cancelamento gratuito para algumas opções de quartos.

O Jatiúca Resort é um dos hotéis 5 estrelas com melhor custo-benefício da cidade

Pratagy Beach Resort | Um resort completo cercado por praia, rio e piscina. Fora do centro de Maceió, localizado na praia de Pescaria, o Pratagy Beach Resort fica em área de proteção ambiental. É um hotel categoria 4 estrelas que oferece regime all inclusive e conta com toda estrutura para receber famílias. Para reservar, é preciso ficar, no mínimo, 3 noites. Média de diária: R$ 880 (tudo incluso, café da manhã, almoço e jantar) em quarto duplo. Veja mais fotos e faça sua reserva aqui. Cancelamento gratuito

Kenoa Exclusive Beach Resort | Localizado na praia de Barra de São Miguel, este resort sofisticadíssimo é para quem busca luxo à beira-mar. Tem área privativa na praia, academia e spa (com custo adicional). Algumas suítes oferecem vista panorâmica do mar e banheira em estilo japonês. Roupas de cama são de algodão egípcio. Para reservar, é preciso ficar, no mínimo, 2 noites. Média de diária R$ 1.980 para 2 pessoas ou R$ 2.772 para acomodação de três. Estacionamento gratuito no local. Veja mais fotos e faça sua reserva aqui.

Onde agitar em Maceió?

Fora as barracas de praia que também funcionam à noite, o bairro de Jatiúca é considerado o mais badalado da cidade. Seguem algumas sugestões para quem quiser curtir a noite de Maceió com boa música, petiscos e bebidas.

A famosa feijoada do Bar Alagoana

Alagoana | Um bar padrão botequim com decoração vintage. É famoso pelo chopp gelado e pelo espetinho de cordeiro com queijo coalho. Aos sábados, das 11h às 16h, o Alagoana oferece uma disputada feijoada. Tem boa música ao vivo (cobra couvert). Fica em Jatiúca, numa das ruas mais boêmias da cidade. VEJA NO MAPA

Pelo Mundo | Bar animado com música ao vivo. Conhecido pelos excelentes petiscos e pela cerveja gelada (Petra e Devassa 600 ml por R$ 8,90 cada). Ótima opção para o happy hour. Fica em Jatiúca. VEJA NO MAPA

Choparia Maikai | Com ambiente amplo e voltado para a boa música, o Maikai é recomendado pelos chopps, petiscos e pelo forró que toca em alguns dias na semana. É conhecido como um dos melhores bares noturnos de Maceió. Confira a programação aqui. VEJA NO MAPA

Divina Gula | Na noite maceioense há mais de 30 anos, o Divina Gula abriu as portas em 1987 como uma casa de comida mineira. Hoje, além de manter no cardápio um dos primeiros pratos como Frango Caipira com Quiabo (R$ 81 para duas pessoas), oferece ainda petiscos, pratos com grelhados e frutos do mar. De entradinha peça a tradicional Carne de Sol Acebolada com Macaxeira Frita (R$ 39,80). Já o Arroz de Polvo (R$ 102) serve até três pessoas. Ambiente agradável, rústico e bem decorado. Fica em Jatiúca. VEJA NO MAPA

Como chegar a Maceió?

O Aeroporto Zumbi dos Palmares fica na cidade de Rio Largo, a 26 quilômetros de distância de Ponta Verde, a principal praia urbana de Maceió. Veja como chegar de avião, ônibus ou carro.

De avião:

A capital do Alagoas tem voos diretos vindos de algumas das principais cidades do Brasil como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Recife, Belo Horizonte e Aracaju. Caso você saia de outra cidade, o voo terá conexão em algumas dessas capitais.

Se você estiver procurando passagens econômicas baratas, garanta seu voo aqui pelo menor preço, com compra simplificada e atendimento eficiente no pré e pós venda!

De ônibus:

Algumas das principais empresas que operam até Maceió são Guanabara, Viação Nacional, Real Alagoas, Rota Transportes e Viação Progresso. De Natal para Maceió são 11 horas de viagem com a Viação Nacional. A passagem sair por R$ 134. Já de Recife você faz o trajeto com a Real Alagoas em cinco horas no ônibus convencional (R$ 63) ou em 4 horas no executivo (R$ 84).

De carro:

Para quem vai pelas estradas, tanto do Norte como do Sul do país, é preciso ir pela BR-101. Para os que forem pelo Sul do Brasil, na altura de São Miguel dos Campos já é possível acessar a AL-220 para Barra de São Miguel. Aí, a estrada já estará duplicada na AL-101.

Está procurando carro para alugar barato em Maceió? Eu conto aqui a minha experiência! Descontos incríveis de até 60%, sem IOF nas reservas internacionais, parcelamento em até 12 vezes e cancelamento gratuito. Faça sua simulação e reserve agora mesmo aqui!

Como circular em Maceió?

O transporte público de Maceió é bem servido com ônibus, principalmente na zona de maior movimento de turistas e hotelaria, que são as praias de Ponta Verde, Pajuçara, Jatiúca e Cruz das Almas. Caminhar também é uma opção, pois a cidade é relativamente pequena. Táxis e aplicativos de transporte funcionam bem.

Do Aeroporto para Ponta Verde

– De ônibus | Saindo do Aeroporto Zumbi dos Palmares não há muitas opções de ônibus de linha. A Viação Veleiro — que faz o trajeto para algumas áreas da cidade como Ponta Verde — opera com a linha 1002 (Aeroporto–> Ponta Verde), das 4h20 às 22h. A passagem custa R$ 4. Tem guichê da empresa no aeroporto aberto das 5h às 22h. Veja os horários, dias de circulação e rotas no site da empresa.

– De táxi | A opção mais rápida, porém mais cara, é o táxi. No terminal de passageiros do aeroporto está a ASTRIL (táxi comum) e a empresa COMTAL (táxi especial que funciona 24h).

– De Uber | O Uber funciona normalmente em Maceió. A corrida do aeroporto até Ponta Verde fica em torno de R$ 50-60.

– De carro | Existem cinco empresas de aluguel de carro no aeroporto: Avis, Hertz, Localiza, Movida e Unidas. Você pode fazer uma cotação e reservar aqui seu carro on-line para retirada lá no dia em que chegar.

Da cidade para as praias nos arredores

Para conhecer as bonitas praias nos arredores de Maceió não há muitas opções de transporte público. A melhor delas ainda é alugar um carro, para ter liberdade de ir e voltar, ou de passar mais tempo em um ponto mais distante.

Agências de turismo também ofertam passeios para regiões como Pratagi e Ipioca, com opções de vans e ônibus turísticos. A própria Viação Veleiro oferece esse serviço.

A WS Tur tem traslado para locais como Maragogi (a partir de R$ 69 por pessoa), São Miguel dos Milagres (a partir de R$ 58 por pessoa) e a Rota das Lagoas (a partir de R$ 30 por pessoa).

A Jaraguá Turismo oferece tanto excursões como transporte e a maioria tem saída todos os dias, ou de acordo com a tábua da maré.

A Touron faz tour para a Praia do Gunga (a partir de R$ 48,90 por pessoa), para a barraca Hibiscus (a partir de R$ 43,90 por pessoa) e para a Foz do Rio São Francisco (a partir de R$ 79,90 por pessoa). Valores de mar/2020.

Está procurando carro para alugar barato em Fortaleza? Eu conto aqui a minha experiência! Descontos incríveis de até 60%, sem IOF nas reservas internacionais, parcelamento em até 12 vezes e cancelamento gratuito. Faça sua simulação e reserve agora mesmo aqui!

Transporte público em Maceió: ônibus

Um ônibus Circular da cidade faz a conexão entre essas praias e o bairro de Pontal da Barra, onde fica a Rua das Rendeiras, um dos locais de compra da cidade. A própria Viação Veleiro também tem itinerários em alguns dos principais pontos dentro da cidade.

A cidade também conta com micro-ônibus e vans intermunicipais que levam para praias do Francês e do Gunga, Paripueira ou Piaçabuçu. Aplicativos como o Google Maps e Moovit ajudam a visualizar as melhores rotas.

MACEIÓ | INFORMAÇÕES ESSENCIAIS

Site: www.maceio.al.gov.br 

DDD: 82

Distância de outras cidades:  Recife 260 km, João Pessoa 380 km, Natal 546 km, Salvador 585 km, São Luís 1628 km, Rio de Janeiro 2085 km, São Paulo 2425 km e Curitiba 2830 km.

Fotos | Sílvia Oliveira e Marco Ankoski – Todos os direitos reservados ©. 

Política editorial | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Sempre nos hospedamos anonimamente nos hotéis indicados. O Matraqueando não faz post patrocinado. Alguns posts contêm links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Assim, você ajuda o Matraqueando a se manter sem publicidade! Tudo o que você encontra aqui foi determinado unicamente pelo interesse do leitor, nosso gosto pessoal ou critério particular. Isso é transparência e credibilidade. Pode confiar! Para ajudar a manter o blog sempre com dicas fresquinhas adquira também nossos guias na Loja Matraqueando. Desde já agradecemos a preferência! 😉

_____________________________________

Colaboração: Denise Mustafa – Travessia Conteúdo & Branding | Especial para o Matraqueando