terça-feira, 30 de março de 2010

Itália a 50 euros por dia – Parte 2

+ 15 DICAS DA ITÁLIA

1. Em Roma, para ir do aeroporto de Fiumicino ao centro a opção mais econômica é tomar o trem (€ 11,00) até a estação Termini. É mais barato do que o táxi (que deve ficar em torno de 50-60 euros, dependendo do número de malas) e também mais rápido – cerca de trinta minutos, porque evita o trânsito pesado da capital italiana. Já do aeroporto Ciampino, onde chegam muitos voos low cost, a opção é tomar um ônibus que vai até a estação Termini e custa € 8,00.

2. O principal centro de informações de Roma está na estação de trem Stazione Termini, próximo à plataforma 24 – em direção à rua. Aberto todos os dias das 8h-21h. Do lado, há um quiosque que reserva hotéis e cobra € 3,00. Em alguns casos, este valor pode ser descontado da diária. Nos centros de informação turística você pode pegar mapas gratuitos e comprar o Roma Pass – que dá descontos em várias atrações.


Detalhes de Roma. (Foto: Raul Mattar)

3. Para circular na cidade, o melhor mesmo é andar a pé. Para distâncias maiores (como o Vaticano) use metrô, bonde ou ônibus. O bilhete simples custa € 1,00 (válido por 75 minutos).

4. Os Museus do Vaticano – um conglomerado de instituições culturais da Santa Sé – podem ser considerados uma atração cara se você pensar só no valor do ticket: € 15,00. O detalhe é que reservam um acervo de valor inestimável. A Capela Sistina revela uma das mais extraordinárias obras de arte: os afrescos bíblicos de Michelangelo, que levou quatro anos para concluir o trabalho. Na parede do altar, sua obra prima O Juízo Final representa as almas reencontrando-se com Deus. É uma visão avassaladora, que só poderia ter sido reproduzida por um gênio como Michelangelo. Fique sem jantar um dia, se for preciso. Mas não perca por nada aquele que vai ser um dos maiores eventos culturais da sua viagem a Itália.

5. Ao redor da estação Termini há restaurantes simpáticos e não tão caros. Outra boa opção é a região entre a Piazza Navona e o Campo dei Fiori. É fácil  encontrar por ali o menu turístico – com primeiro e segundo pratos, sobremesa e vinho da casa – a partir de € 11,00.

6. Nos arredores de Florença, há vários outlets de grandes grifes com descontos de até 50%. O mais conhecido é o The Mall. Informe-se na rodoviária sobre os horários dos ônibus que vão de Florença para lá. Lembrando que uma bolsinha Gucci, básica, mesmo com desconto pode custar o equivalente a uma semana de hospedagem.

7. Para viajar pela Toscana procure o maior escritório de turismo da região, que está em Florença, perto da Duomo, a principal igreja da cidade. Fica na Via Cavour 1r. Aberto seg/sáb 8h30-18h30 e domingos 8h30-13h30. Oferecem mapas, informações de hotéis e dicas para viajar por todos os vilarejos que compõem o lado brejeiro da Itália.

8. Pisa – a famosa cidade da torre inclinada – está a uma hora de trem, partindo de Florença. É o bate-volta perfeito, que pode ser feito em uma manhã. Para entrar na torre são 15 pilas, digo, euros! Numa viagem com orçamento apertado, fique só com aquela foto de fora: você fingindo que está segurando a bendita! Caso queira entrar, prepare-se para enfrentar uma fila quilométrica. Se preferir, compre seu ingresso na Bilheteria On-line de Pisa. Reserva a € 2,00. Querendo comer por ali, em frente à estação de trem há (havia pelo menos) uma deliciosa e barata pizzaria que vende pizza al taglio, ou seja, por quilo.

9. Já falei no post anterior que o Roma Pass ajuda a evitar a superfila para entrar no Coliseu. Mas pior do que essa, só a que você vai enfrentar nos Museus do Vaticano, caso não compre o ingresso antecipado. Ao comprar seu ticket na Bilheteria On-line do Vaticano – além do valor da entrada (€ 15,00) – você paga uma taxa de € 4,00 pela reserva. Sim, fica bem caro. Mas eu prefiro ter um siricotico agora, do que lá na hora, três horas em pé, esperando para entrar.


Veneza: a cidade improvável da Itália. (Foto: Raul Mattar)

10. Em Florença acontece a mesma coisa. Se bobear, a gente passa mais tempo na fila do que dentro do museu. Além do que, às vezes a espera para ver sua obra de arte preferida é tanta que já entramos esgotados nas galerias. Para amenizar esse quiproquó, a cidade passou a oferecer um sistema de reserva on-line que cobra € 3,00- € 4,00 por bilhete. Como economia de tempo é sempre um bem maior nas viagens, faça sua reserva pelo site Firenze Musei. É só retirar o ticket na hora marcada.

11. Não é muito comum alguém incluir Milão numa viagem com o orçamento tão restrito. Mas caso você tenha vindo para cá, numa espécie de up grade da viagem, aproveite para fazer um bate-volta ao Lago di Como, na fronteira com a Suíça. Está a uma hora de Milão.

12. Em Milão, a forma mais econômica para ir do aeroporto Bergamo (onde chegam voos da Ryanair, uma das principais low costs europeias) ao centro é pegar o ônibus da empresa Terravision. Custa € 10,00 (ida) ou € 16,00 (ida e volta). Os ônibus saem a cada 30 minutos durante o dia e com menor frequência, à noite. A viagem dura 1h. Veja os horários aqui.

13. Se você estiver visitando Nápoles, não deixe de fazer um bate-volta a Pompéia – a antiga cidade romana destruída durante uma erupção do vulcão Vesúvio. O sítio arqueológico está a 35 minutos de distância de Nápoles. A passagem custa  € 2,40. Compre seu bilhete na estação central da cidade. A entrada nas ruínas custa € 11,00. Maiores de 65 anos não pagam.

14. Quem disse que Capri não é para seu bico? A famosésima e paradisíaca ilha está próxima do continente. Linhas regulares de barco levam você até lá. Demora de 40 minutos a 1h30 de Nápoles ou 20-40 minutos saindo de Sorrento. A passagem custa entre € 9,60 e € 16,00. Tempo de viagem e valor do bilhete dependem do tipo de embarcação: Aliscafi – uma espécie de lancha de alta velocidade ou Traghetti – embarcações menores e mais lentas. Não ouse  pensar em dormir por lá, a não ser que seja seu momento-extravagância da viagem. Mas dá para visitar a Gruta Azul, onde a luz penetra na água dando um visual interessante, um tom azul-neón. Tem gente que ama, tem gente que odeia o passeio. As excursões que saem da Marina Grande custam a partir de € 23,00 (com o ingresso incluído). Para economizar, pegue um ônibus na Anacapri por € 1,40 e pague a entrada diretamente na gruta (€ 4,00). Só não perca o retorno à Nápoles: o último barco sai às 18h.

15. Dá para conhecer a Costa Amalfitana pela janelinha do ônibus! A empresa SITA opera diversos trajetos na região, com passagens a partir de € 7,00.

AMANHÃ: Comida boa e barata na Itália. E AINDA: Hospedagem econômica em Roma, Florença, Veneza e até Milão!

Posts relacionados:

Europa a 50 euros por dia: introdução..
Europa a 50 euros por dia: manual do usuário.
Europa barata: 10 dicas para economizar com dignidade.
Europa barata:  hospedagem, alimentação e transporte.
Alemanha – Parte 1 | Alemanha – Parte 2 | Alemanha – Parte 3.
Espanha – Parte 1 | Espanha – Parte 2 | Espanha – Parte 3.
França – Parte 1 | França – Parte 2 | França – Parte 3.
Grécia – Parte 1 | Grécia – Parte 2 | Grécia – Parte 3.
Holanda – Parte 1 | Holanda – Parte 2 | Holanda – Parte 3.
Inglaterra – Parte 1 | Inglaterra – Parte 2 | Inglaterra – Parte 3
Itália – Parte 1 | Itália – Parte 2 | Itália – Parte 3
Share