-  Atualizado 30/05/2017

Deserto do Atacama: roteiro de cinco dias

Publicado por: Silvia Oliveira América do Sul, Atacama, Chile

altiplano-geral-2

Se eu tivesse que eleger as cinco viagens da minha vida, o Deserto do Atacama entraria no tópifaive com folga. Apesar de estar numa região com paisagens inóspitas é fácil chegar lá. Hospedagem também não é problema, já que você encontra desde hotéis de luxo a flats compactos, passando por hostels fim de carreira.

A região está totalmente preparada para o turismo e até mochileiros frescos como eu são surpreendidos. Os passeios, de modo geral, não exigem muito esforço físico. O mais difícil mesmo é organizar o roteiro em si, saber o que fazer dentro do tempo que você tem disponível.

Quantos dias ficar no Atacama?

O deserto mais árido do mundo fica a 1600 quilômetros ao norte de Santiago, no Chile. Fazer bate e volta a partir da capital é algo impensável. Se você vasculhar as caixas de comentários dos nossos posts sobre os passeios no Atacama vai encontrar gente cogitando essa possibilidade só porque o voo de Santiago até lá dura duas horinhas. Emoji do zoinho revirando.

socaire-geral-1

Ficar dois dias pode ser válido para pegar o gostinho. Mas somente leve em consideração passar apenas 48 horas no Atacama se você não puder, de jeito nenhum, investir mais tempo aqui. Com três dias (sem contar o de chegada e o de saída) você faz o básico.

Mas com cinco dias inteiros é possível fazer os principais passeios oferecidos na região num ritmo bem agradável. Se você dedicar sete ou mais dias ao destino – sonho!!! – muito provavelmente terá feito a viagem da sua vida.

atacama-placa-san-pedro

Como chegar a San Pedro de Atacama

San Pedro de Atacama é a cidade porta de entrada para o deserto. Aqui você encontra toda a estrutura turística necessária como hotéis, hostels, restaurantes, mercadinhos, agências de turismo e casas de câmbio. Veja aqui nosso post completo com dicas de como chegar a San Pedro de Atacama de avião, ônibus ou carro. Inclui tarifas e tempo de viagem.

Qual a melhor época para ir ao Deserto do Atacama

Assim, na bucha, eu diria o ano inteiro. Mas vou levar em consideração alguns detalhes. O deserto tem uma característica pessoal que é a amplitude térmica. Pode fazer muuuito calor de dia e muuuuito frio à noite.

atacama-centro

Outono e Primavera

Como em muitos lugares do mundo, os melhores meses para visitar o Atacama — aqueles com temperaturas mais amenas de dia e mais agradáveis (ou menos sofríveis) à noite — são março, abril, maio, setembro, outubro e novembro. Ou seja, outono e primavera.

Verão

De uma maneira geral chove muito pouco. Em algumas partes chove nunca. Não à toa é considerado o deserto mais seco do planeta. Só que de uns anos para cá algo surpreendente vem acontecendo, principalmente nos meses de verão (janeiro, fevereiro e março).

Neste período ocorre o chamado inverno altiplânico, que nada mais é (ou era) do que uma chuvinha rala. RALA? Veja a experiência da Camila Navarro do blog Viaggiando. Pelas fotos a gente pensa que ela teve que sair a nado de San Pedro de Atacama.

Embora seja um fenômeno raro, as tormentas têm se intensificado nos últimos anos, provocando até o cancelamento de passeios. Sem contar que é nesta estação, por exemplo, que o calor racha o bico.

Quem for mais sensível a altas temperaturas vai sofrer em alguns tours — como no Vale da Lua e da Morte — que exigem um pouco de caminhada.

Destaco que no Natal e no Ano Novo, período turístico bombado em qualquer parte do Chile, tudo funciona normalmente no Atacama.

+ Alugue seu carro aqui com segurança e percorra o Chile com mais economia!

tatio-trio-geiseres

Inverno

Já no inverno (junho, julho e agosto) os dias prometem ser perfeitos com temperaturas em torno de 20ºC, 22ºC. Mas à noite… ah, rapá, prepare-se para frio absurdo chegando facilmente a números abaixo de zero. Sempre pergunte se na sua hospedagem tem calefação. Acho difícil não ter, mas não custa confirmar.

O maior sofrimento (fala aqui uma pessoa sem condições psicológicas de avaliar nada em baixas temperaturas) são os passeios que saem de madrugada e te levam a altitudes elevadas como os gêiseres, lagunas altiplânicas e salar de tara.

Para você ter uma ideia, nós viajamos em novembro e peguei -8º C às 6h da manhã nos Geysers El Tatio. O Raul foi sozinho ao Atacama em outra oportunidade durante o mês de julho (veja o relato aqui) e neste mesmo lugar, nos gêiseres, a temperatura chegou a -16º C. Vade retro.

O que levar na mala para o Atacama?

O único ser vivo a desembarcar em San Pedro de Atacama com uma mala de rodinhas… fui eu! Não há dúvidas de que o lugar combina muito mais com mochilões ou com bagagem que você não tenha que arrastar pelas ruas empoeiradas do deserto. Não cheguei a me arrepender, só consegui me sentir mais jacu do que sou. Rá!

O importante aqui é ressaltar que a altitude e a secura da região interferem diretamente — e já no primeiro dia — no nosso organismo.

Carregue o tempo todo com você protetor labial de marca boa com alto poder humectante, protetor solar, colírio que imita a lágrima (à venda nas farmácias) e soro fisiológico para hidratar o nariz. Sem hidratação os olhos ardem, a garganta seca e os lábios sangram. E isso, assim, do dia para a noite. É punk!

Pensando nisso, elaborei um Manual de sobrevivência sobre o que levar ao Atacama, incluindo os tipos de roupas, calçados e acessórios. Confira aqui.

Deserto do Atacama | Roteiro 1º dia

Conhecendo San Pedro de Atacama

Prepare-se para entrar num deserto de paisagens lunares, rodeado de vulcões, com inversões térmicas bruscas – chegando a 30 graus de dia e a menos dois na madrugada. Pouco mais de cinco mil pessoas vivem em San Pedro, a cidade-base para todos os principais passeios.

deserto-atacama-san-pedro-de-atacama-como-chegarmatraqueando-instagram1

Um vilarejo feito de casas com paredes de barro e telhados de palha. Apenas para proteger do sol. Descrever aquele grupo de quarteirões como uma vila de faroeste seria muito simplista.

atacama-igreja-noite

Há uma enorme infraestrutura (bares, restaurantes, cafés, lojinhas, mercados) para receber os turistas que vão desde mochileiros, passando por senhores dinamarqueses cheios da grana até chegar às frescas muquiranas. (Serei eu, mestre?)

Um curioso SOLmáforo mostra qual é o índice dos raios ultravioletas na cidade. Sempre no grau máximo.

+ Veja aqui meu post completo sobre a cidade de San Pedro de Atacama

Valle de la Muerte e Valle de la Luna

Depois de entrar no universo julioverniano de San Pedro, o passeio de estreia é quase o mesmo para todo mundo: Valle da la Muerte e Valle de la Luna. Os dois vales estão bem próximos da cidade. O Valle de la Muerte fica a apenas três quilômetros e o da Lua, a 17. Muita gente chega lá a pé ou de bicicleta.

valle-luna-por-do-sol-03

É um enorme silêncio, uma vastidão, rochas avermelhadas, dunas douradas. Muito, muito calor. Justamente por isso o tour começa mais pro fim da tarde, às 16h para dar tempo de pegar o pôr do sol ali do lado, no Valle de la Luna – outro acinte geológico.

O vento e a ação de outros agentes atmosféricos esculpiram uma visão lunar. Um ambiente perfeito para trekking, off-road e mountain bike, verbetes absolutamente inexistentes no meu dicionário MatracaHouaiss.

+ Leitor Matraqueando tem 15% de desconto no seguro viagem. Pegue seu cupom aqui!

valle-luna-van1

Quanto custa o passeio ao Valle de la Luna e Valle de la Muerte:  a partir de 15 mil pesos.
Entrada no Valle de la Luna: 3 mil pesos (estudantes com carteirinha têm desconto).
Duração: mais ou menos umas 4,5 horas, com saídas às 16h no verão e às 15h no inverno.

IMPORTANTE | Valores de novembro de 2016. Horários e preços podem mudar, dependendo da agência. Se você fechar vários passeios com uma mesma empresa descontos são aplicados.

+ Veja aqui meu relato completo sobre o Valle de la Luna e o Valle de la Muerte

Deserto do Atacama | Roteiro 2º dia

Tour arqueológico e Lagunas Cejar e Tebinquiche

Por causa da altitude, é sempre recomendado fazer nos primeiros dias os passeios mais próximos de San Pedro, dando tempo ao corpo de adaptar-se ao clima da região.

O Tour Arqueológico quase sempre é dispensado pela maioria dos turistas, já que não reserva paisagens tão inquietantes como os outros lugares. Mas faz parte do combo para quem quer entender um pouco mais sobre as civilizações que viveram aqui. Reserve uma manhã e você não vai se arrepender.

tulor-menino

Comece por Pukará de Quitor, um sítio arqueológico a apenas três quilômetros do centro de San Pedro. Quitor foi uma antiga fortaleza pré-Inca, construída no século 12 – hoje em ruínas. É uma edificação espantosa.

São pedras grandes e pequenas entrelaçadas com uma massa de barro. Tinha caráter estratégico e defensivo. No século 16 foi invadida e parcialmente destruída pelos espanhóis.

tulor-vulcao

Dali, fomos para a Aldea Tulor, a 10 quilômetros de San Pedro de Atacama. Está no mesmo caminho que leva ao Valle de la Luna. É o vestígio habitacional mais antigo do Salar, uma aldeia tipicamente pré-colombiana.

Acredita-se que a Aldea Tulor tenha quase 3 mil anos. O curioso são as construções de argila, em forma circular, antigas casas geminadas.

tulor-placa-02

Quanto custa o Tour Arqueológico: a partir de 20 mil pesos
Entrada em Pukará de Quitor: 3 mil pesos (estudantes com carteirinha têm desconto)
Entrada na Aldeia Tulor: 3 mil pesos (estudantes com carteirinha têm desconto)
Duração: média de três horas, pode ser feito de manhã ou à tarde.

IMPORTANTE | Valores de novembro de 2016. Horários e preços podem mudar, dependendo da agência. Se você fechar vários passeios com uma mesma empresa descontos são aplicados.

+ Veja aqui meu relato completo sobre o Tour Arqueológico

laguna-cejar

Depois do Tour Arqueológico na parte da manhã, você terá tempo de almoçar e descansar para fazer o passeio da tarde: Lagunas Cejar e Tebinquiche. Quem diria, mas há lagoas (aos montes) no meio do deserto mais árido do mundo. A maioria é formada pela água de degelo das montanhas ou por lençóis subterrâneos.

A Laguna Cejar é prima-irmã do Mar Morto (que fica no Oriente Médio). De tão salgada, o corpo não afunda. As margens estão cristalizadas pelo sal e a água, verdinha, é cercada por matinhos dourados — com o vulcão Licancabur ao fundo.

laguna-cejar-flutuacao

A parada na Laguna Cejar dura quase uma hora e meia. É recomendável não andar descalço nas margens. As crestas de sal são afiadas e podem cortar os pés. Avançamos mais um pouco e chegamos aos Ojos del Salar ou Ojos de Tebinquiche. Duas crateras enormes de água doce.

cejar-ojos

O passeio finaliza na Laguna Tebinquiche, onde está previsto mais um pôr do sol acompanhado de snacks e pisco sour (bebida típica chilena que lembra nossa caipirinha) – oferecidos pelas agências.

laguna-cejar-geral

Quanto custa o passeio às Lagunas Cejar e Tebinquiche: a partir de 38 mil pesos
Duração: média de 4,5 horas, com saídas às 15h (inverno) ou às 16h (verão)
Entrada no parque nacional: 17 mil pesos

IMPORTANTE | Valores de novembro de 2016. Horários e preços podem mudar, dependendo da agência. Se você fechar vários passeios com uma mesma empresa descontos são aplicados.

+ Veja aqui meu relato completo sobre as Lagunas Cejar e Tebinquiche

Deserto do Atacama | Roteiro 3º dia

Salar de Tara

A partir do terceiro dia você já pode arriscar os passeios com maior altitude. Um deles — o meu preferido, aliás — é o Salar de Tara, a 4.400 metros acima do nível do mar. É uma viagem de dia inteiro. Passa por uma das paisagens mais impressionantes do Altiplano. É o tour mais completo na minha opinião: tem salar, vulcão, flamingos e formações rochosas inexplicáveis.

tara-catedrais-3

O Salar de Tara pertence a Reserva Nacional dos Flamingos e está a 140 quilômetros de San Pedro de Atacama, 50 deles derrapando num areião sem fim.

Toda a reserva está cheia de estruturas vulcânicas, declives e formas modeladas pelo vento. Os Monges de Pacana são verdadeiros moais atacamenhos. Enormes rochas verticais de 30 metros de altura, solitárias no meio do nada.

salar-de-tara-atacama

Quando a gente acha que já está bom, que já valeu a pena… encontra um paredão gigante – as Catedrais de Tara – colossais esculturas de pedra que se assemelham a um grande castelo. Uma experiência exótica, absoluta.

Próximo dali o salar, propriamente dito. Cheio de flamingos. Se você tivesse um único dia no Atacama eu diria para fazer este passeio ou o que leva às Lagunas Altiplânicas.

tara-geralfla

Quanto custa o passeio ao Salar de Tara: a partir de 45 mil pesos. Inclui café da manhã e almoço.
Duração: dia inteiro, com saídas às 8h e volta em torno de 15h ou 16h, dependendo da agência.
Entrada: não existem taxas extras. Atenção: não há banheiros durante o trajeto. Qualquer desconforto é aliviado no matinho mais próximo. 🙂

IMPORTANTE | Valores de novembro de 2016. Horários e preços podem mudar, dependendo da agência. Se você fechar vários passeios com uma mesma empresa descontos são aplicados.

+ Veja aqui meu relato completo sobre o passeio ao Salar de Tara. 

Deserto do Atacama | Roteiro 4º dia

Lagunas Altiplânicas e Salar do Atacama

O Salar de Tara é um dos passeios mais completos, mas o que leva às Lagunas Altiplânicas foi o meu preferido. Vamos percorrer pequenos povoados atacamenhos, ingressar no Salar de Atacama e conhecer as lagunas Miscanti e Meñiques, as mais gritantes e fabulosas de todo o deserto.

lagunas-altiplanicas-atacama

Em quase todos os passeios você encontrará enormes regiões com salares. Mas existe o específico Salar de Atacama, onde fica a Laguna Chaxa – uma das paradas do passeio. Ao redor, uma abissal crosta de cristais de sal produzidos pela evaporação de águas salinas subterrâneas.

lagunas-altiplanicas-atacama-chile

Subindo mais um pouco, a quase 3 mil metros de altitude, está Socaire – outro povoado altiplânico. Já foi uma cidade importante por causa das enormes minas de ouro. Hoje tem apenas 380 habitantes e uma igreja feita de barro e argila, tombada pelo patrimônio nacional.

A 4 mil metros de altitude e a 18 quilômetros de Socaire, o encontro com elas – as lagunas Miscanti e Meñiques.

lagunas-altiplanicas-deserto-do-atacama

Até o Raul deixou a máquina de lado e sentou para observar o que parecia mais um delírio da natureza. Simples assim: uma erupção vulcânica do Meñiques, há um milhão de anos, provocou o estancamento das águas criando essas lagunas de intenso azul e margens brancas.

altiplano-silvia

Quanto custa o passeio às Lagunas Altiplânicas e Salar do Atacama: a partir de 35 mil pesos. Inclui café da manhã e almoço.
Entrada nas Lagunas Altiplânicas: 2,5 mil pesos
Entrada na Laguna Chaxa: 2,5 mil pesos
Duração: dia todo, com saídas a partir das 6h e retorno entre 15 e 16h.

IMPORTANTE | Valores de novembro de 2016. Horários e preços podem mudar, dependendo da agência. Se você fechar vários passeios com uma mesma empresa descontos são aplicados.

+ Veja aqui meu relato completo sobre as Lagunas Altiplânicas e Salar do Atacama

Deserto do Atacama | Roteiro 5º dia

Geysers El Tatio

O tour aos Gêiseres El Tatio é considerado o mais cruel pela maioria dos visitantes. É o passeio que exige roupas para frio intenso. Quando eu fui era novembro e fazia -8º C quando chegamos lá. A estrada que leva até o campo geotérmico é perigosa, cheia de curvas e sem sinalização.

geiseres-el-tatio-02

Além de sentir o mal das alturas (também chamado de soroche), alguns turistas ficam enjoados com a descompostura da van, que chacoalha sem parar.

Os gêiseres do Atacama estão localizados na cordilheira andina, a 100 quilômetros de San Pedro. São quase duas horas de viagem até lá. O fenômeno começa bem cedinho, mais ou menos às 6h da manhã, e a temperatura é quase sempre abaixo de zero.

geiseres-el-tatio-01

Enormes fumarolas escapam através de buracos e fendas no solo. Lençóis subterrâneos de água entram em contato com rochas quentes, provocando pequenas explosões. Alguns jatos chegam a 10 metros de altura, a quase 80º C.

É uma experiência sensorial. Você desce da van, encaranga devido ao frio, respira com dificuldade por causa da altura. Cinco passos são suficientes para observar a fotografia que o lugar proporciona.

+ Hospedagem com descontos incríveis e cancelamento grátis em San Pedro de Atacama

geiseres-el-tatio-03

A composição é gerenciada pelo sol. Quando ele começa a aparecer, os gêiseres entram em ação com mais força. Há várias placas indicativas alertando para não se aproximar muito do fenômeno.

Recentemente houve um acidente fatal no lugar (uma turista norueguesa se distraiu ao tentar tirar uma foto e caiu dentro de uma das crateras). A tragédia chegou a fechar o acesso aos gêiseres por uns dias.

geiseres-el-tatio-pueblo-machuca

Na volta, há uma parada no vilarejo atacamenho de Machuca, onde é possível comer deliciosas empanadas de queijo de cabra. Por ser um dos passeios mais “exigentes” do Atacama (frio intenso e trajeto sinuoso), a recomendação é fazê-lo no último dia.

Quanto custa o passeio aos Gêiseres El Tatio: a partir de 30 mil pesos. Inclui café da manhã e uma parada no povoado Machuca.
Entrada no campo geotérmico: 10 mil pesos (estudantes com carteirinha têm desconto).
Duração: umas 7 horas, com saídas às 4h ou 5h da madruga e retorno por volta do meio dia.

IMPORTANTE | Valores de novembro de 2016. Horários e preços podem mudar, dependendo da agência. Se você fechar vários passeios com uma mesma empresa descontos são aplicados.

+ Veja aqui meu relato completo sobre o passeio aos Geysers El Tatio

Outros passeios no Atacama

Há, pelo menos, mais uma dezena de passeios para você fazer no Atacama, incluindo até escalada em vulcão. Alguns são menos conhecidos (as agências da região estão sempre “caçando” roteiros novos), enquanto outros você pode encaixar dentro da sua viagem de acordo com seu gosto, dinheiro e disposição.

Termas de Puritama

As Termas de Puritama estão a 35 quilômetros de San Pedro de Atacama. São nascentes de águas termais a 3,5 mil metros de altitude. Oito piscinas naturais com propriedades terapêuticas proporcionam banhos relaxantes no meio do deserto. Tudo rodeado por uma vegetação mais verdinha do que o habitual por essas bandas. Veja o relato deste passeio feito pelo Fred do blog Sundaycooks.

Quanto custa o passeio às Termas de Puritama: a partir de 15 mil pesos. Geralmente inclui snacks e bebidas.
Entrada: 15 mil pesos. A partir das 14h a taxa cai para 9 mil pesos.
Duração: umas três horas, com saídas de manhã (8h) e à tarde (14h).

Valle del Arcoiris

O Vale do Arco-íris recebeu este nome por ter rochas com mil e uma cores provocadas pelos diversos minerais da região. O passeio também revela os petróglifos de Yerba Buena, maior centro de arte rupestre da zona arqueológica de San Pedro. Veja o relato deste passeio feito pela família do blog Malas e Panelas.

Quanto custa o passeio ao Valle del Arcoiris: a partir de 28 mil pesos. Geralmente inclui snacks e bebidas.
Entrada para ver a arte rupestre: 2,5 mil pesos.
Duração: umas três horas, com saídas de manhã (8h) e à tarde (16h).

Subida ao Vulcão Lascar

É o passeio para quem tem mais preparo físico e coragem. Ou seja, não foi feito para mim. 😀 O Lascar é um vulcão ainda ativo. A subida é feita em 2 ou 3 horas e a descida em uma hora. Devido às condições climáticas extremas (temperaturas abaixo de zero), é necessário ter vestimentas adequadas como botas de montanha, bastão de trekking e toda a parafernalha para não morrer de frio, literalmente. Veja o relato deste passeio feito pelo Alan do blog Guia Mundo Afora.

Quanto custa a subida ao Vulcão Lascar: a partir de 150 mil pesos. Geralmente inclui café da manhã, snacks e bebidas.
Duração: umas 8 horas, com saídas às 8h (ou mais cedo, depende da agência) e retorno por volta das 15h ou 16h.

Tour astronômico

De todos os passeios que não consegui incluir quando estive no Atacama, o Tour Astronômico foi o único que eu senti muito por não ter feito. A região tem um céu tão maravilhoso à noite (devido a pouca luz artificial quando escurece) que o deserto é sede do programa ALMA (Atacama Large Millimeter Array), um observatório cheio de antenas poderosíssimas com capacidade para visualizar galáxias distantes.

O ALMA ainda não pode ser visitado, mas para ver o céu deslumbrante acompanhado de explicações há o chamado Tour Astronômico. Veja o relato deste passeio feito pela Bruna do blog Expressinha.

Quanto custa o Tour Astronômico: a partir de 20 mil pesos na Space (não são todas as agências que fazem o tour).
Duração: umas duas horas. Se estiver um pouco nublado ou for lua cheia o tour não acontece.

Onde contratar os passeios em San Pedro de Atacama

Existem várias agências e com preços bem diferentes entre si. Os números colocados aqui são dos valores médios entre os pesquisados. Mas há empresas que cobram o dobro (eu disse o DOBRO) desses preços. As que cobram mais caro alegam ter um atendimento diferenciado, comidinhas melhores e carros mais confortáveis. É a gourmetização do deserto. Bocejo do emoji com zoinho revirado.

Olha, não é porque você vai pagar (muito!) mais que vai ter o melhor guia, nem que vai pagar menos e vão te colocar numa vanzinha pau de arara. Vai de custo-benefício e de quanto a gente está disposta a pagar na viagem como um todo (que de barata não tem nada). No final, todo mundo te leva para o mesmo lugar com a mesma paisagem, você pagando 15 mil ou 30 mil pesos no passeio.

 geiseres-el-tatio-pueblo-machuca-01

Eu fiz tudo com a Lickan Antay, uma empresa pequena e familiar que desde sempre tem os preços mais baratos entre todas as agências. Se você comprar vários passeios com eles os descontos são incríveis. O dono é o Señor Jesús. Mas o site está inativo e é difícil contato com a empresa aqui do Brasil. Fica na rua Caracoles, 101 – Tel.: (+56) 55 2 591799.

Outras agências que fazem os passeios são: Vive Atacama, Colque Tours, Ayllu, Grado 10, SunawayFlavia Bia Expediciones, TuristourCosmos Andino, entre outras. O que eu sugiro: além de mandar e-mail (entre nos sites acima e clique em “contato”) para todas estas agências solicitando um orçamento dos tours (pode escrever em português mesmo), você também deve digitar o nome de todas elas no TripAdvisor e ver a avaliação de cada uma sob a ótica de quem contratou os serviços.

Embora o TripAdvisor ande com a credibilidade meio em crise, ainda é o maior site de resenhas turísticas do mundo. Acho que dá para ter uma base do serviço que você vai contratar.

Sobre comprar os tours aqui no Brasil ou lá na hora, eu sempre recomendo deixar tudo acertado com antecedência, principalmente se for alta temporada. MAS PESQUISE E PECHINCHE MUITO ANTES.

No entanto, conheço muita gente que chega a San Pedro de Atacama e percorre as ruas Caracoles e Toconao (as principais da cidade) fazendo cotação entre as dezenas de agência e fecham tudo por lá mesmo. Eu mesma fiz isso, comprei os pacotes na hora, mas sempre existe o risco de não encontrar mais vagas em determinado passeio, principalmente se for para o mesmo dia!

deserto-atacama-coletiva-imprensa-ford

ATENÇÃO | Os valores mencionados no post são de novembro de 2016 e estão em pesos chilenos (CLP). Faça a conversão para o Real ou Dólar aqui. Horários e preços podem mudar, dependendo da agência. Caso feche vários passeios com uma mesma empresa descontos são aplicados. Se você tiver alguma sugestão de passeio a fazer ou empresa a contratar, a caixa de comentários é toda sua!

Matraqueando Instagram

IMPORTANTE | O Chile não tem acordo com o Brasil em termos de saúde pública. Se você precisar de uma consulta ou simplesmente tomar um sorinho terá que pagar pelo caríssimo atendimento particular. Por isso, é muito recomendado fazer um seguro de viagem internacional. A boa notícia é que leitor do Matraqueando tem 15% de desconto no seguro internacional da Mondial Assistance. Pegue o seu cupom aqui e viaje tranquilo! Vale para mochileiro, viajante solo, luxo, aventureiro e família. E ainda dá para dividir em até 6 vezes! Promoção por tempo limitado!

Posts relacionados

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Leia também

Santiago: bairro a bairro – 1º dia

Santiago: bairro a bairro – 2º dia

Santiago: bairro a bairro – 3º dia

Como ir por conta à vinícola Concha y Toro

Como ir do aeroporto ao centro de Santiago

E ainda

Valle Nevado: como é (e quanto custa) o bate e volta à estação de esqui mais badalada da América do Sul

banner-venda-santiago

___________
Política editorial | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Sempre nos hospedamos anonimamente nos hotéis indicados. O Matraqueando não faz post patrocinado. Alguns posts contêm links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Tudo o que você encontra aqui foi determinado unicamente pelo interesse do leitor, nosso gosto pessoal ou critério particular. Isso é transparência e credibilidade. Pode confiar! Para ajudar a manter o blog sempre com dicas fresquinhas adquira nossos guias na Loja Matraqueando. Desde já agradecemos a preferência! 😉

Fotos: Raul Mattar | Todos os direitos reservados.

FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER | LOJA MATRAQUEANDO



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


8 comentários

  1. Comentário do dia 18/11/2016 às 14:06

    Silvia,
    Mais um post seu super prático para ajudar os viajantes!!!
    E que delícia ver um link pro meu blog aqui! Ainda mais esse do Tour Astronômico em que falo do Nostalgia de La Luz, um filme tão delicado e lindo.
    Super peguei dicas para minha viagem pro Atacama no Matraqueando, inclusive de hospedagem, que amei!
    Um beijo, sua linda!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Oi, Bruna! Pois foi essa sua dica do Nostalgia de la Luz que me chamou a atenção para seu post. Descrever um tour todo mundo faz, mas dar um “molho” ao relato é que são elas! Bjs! 😉

    (Responder)

  2. Marcela Campos
    Comentário do dia 18/11/2016 às 16:04

    Que coisa mais linda de texto, fotos, completo tudo que eu queria. Planejamento para 2017. Muito grata Silvia.

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Eu que agradeço a visita. 😉

    (Responder)

  3. Comentário do dia 21/11/2016 às 16:44

    Oi, Sil. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Obrigadão! É sempre uma alegria estar no linkódromo! Bjs!

    (Responder)

  4. Andrea Raminelli
    Comentário do dia 21/11/2016 às 18:58

    Que demais! Vou em janeiro de 2017 e suas dicas caíram do céu!

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Opa, aproveite! Boa viagem! 😉

    (Responder)

  5. Comentário do dia 19/12/2016 às 11:10

    Ô vontade que eu tenho de voltar no Atacama! Por causa da chuva meu roteiro ficou totalmente prejudicado. Tive a chance de ver neve no deserto, mas não sei se o perrengue todo compensou a experiência.

    (Responder)

  6. Comentário do dia 26/1/2017 às 20:06

    Oi Silvia.
    O Atacama também entra na nossa lista de top 5 fácil fácil! Lendo este post deu uma vontade danada de voltar, refazer os passeios que fizemos e conhecer as Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas que não deu tempo.
    Obrigado por lembrar da gente!
    Abraços

    (Responder)

    Resposta de Silvia Oliveira

    Valeu! Bjs!

    (Responder)

  7. Comentário do dia 21/6/2017 às 13:54

    Maravilhosos seus comentários e sugestões sobre o deserto de Atacama.
    Fiquei com uma imensa vontade de ir.

    (Responder)

  8. Comentário do dia 11/7/2017 às 18:11

    Gostei muito do artigo e adorei as dicas… Realmente é um lindo lugar e que acaba de entrar na minha lista de desejos dos lugares à conhecer.

    (Responder)

Comente você também

Seu e-mail ficará em sigilo. Campos obrigatórios estão marcados com *

Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar