terça-feira, 30 de junho de 2009

Gramado: dicas para uma viagem econômica

Não, nada de hospedagem em pardieiro nem alimentação em qualquer birosca. Em Gramado – como em muitas cidades que você considera os olhos da cara – é possível encontrar um lugar decente para ficar e uma bodega diferente (e econômica) para comer.CUIDADO COM AS COMPRAS. Adquirir roupas de inverno em Gramado é assinar seu atestado de perdulário. Prefira novamente as cidades vizinhas. Feirinha, lojas de rua e shopping estão em todas elas.Além disso, você acaba incluindo novas paragens no seu roteiro.COMPRE UM PACOTE. Isso mesmo. Você não leu errado. Pacote não é excursão. Caso queira ir de avião e não encontre passagens aéreas bem baratas, pesquise como andam os pacotes. Algumas operadoras – fora da altíssima temporada – dão nó em pingo d’água para desovar o estoque. Ao adquirir hotel e avião juntos, você pode encontrar a barbada do ano. Consulte uma agência de viagem! Ou navegue pelos sites especializados como Submarino Viagens e Decolar. No nosso caso, CVC e TAM fizeram uma promoção e consegui um pacote – com hotel e avião saindo de Curitiba para Gramado – por R$ 700,00 o casal, com três diárias de hotel. (No caso, desci em Porto Alegre e aluguei um carro na LocarAlpha por R$ 49,00 a diária + seguro, com quilometragem livre). Ficamos no Hotel Di Marco, na Av. das Hortênsias a 3 quilômetros do centro da cidade. Diárias a partir de R$ 180,00. Em junho tinha 20% de desconto. Com o pacote, o hotel (ótimo e com excelente atendimento) saiu praticamente de graça.

CONTROLE SEU IMPULSO CHIQUINHO SCARPA. Não use o telefone do quarto do hotel, não consuma as guloseimas do frigobar nem abuse do táxi. Entre nos mercadinhos para comprar bolachas, barrinhas de cereais e sucos de caixinha. Se o destino é caro e você não está podendo como queria, nem pense em gastar mais do que deve. Seja criativo, desbravador e racional. Ser mão-de-vaca-muquirana significa economizar de um lado para poder cometer as devidas extravagâncias do outro!

Fotos: Raul Matar

FUJA DO MÊS DE JULHO. Garanto, não vai perder a graça. Estamos falando de uma cidade serrana, estrategicamente posicionada. Faz friozinho o ano inteiro. Mesmo fora de temporada os chocolates continuam lá, na avenida principal. É possível comer nos mesmos restaurantes, mas sem o alvoroço das filas de espera. E com promoções do dia imperdíveis! Caso queira conhecer o famoso Natal Luz, não vá em dezembro. E, sim, na segunda quinzena de novembro. Vai ser a mesma coisa, menos para sua conta bancária.

HOSPEDE-SE NUMA CIDADE VIZINHA. Isso serve para Veneza ou Campos do Jordão. Gramado, incluso. O Ernesto – especialista em viagens bacanas sem gastar os tubos – me indicou a Pousada Vila Rica, em Nova Petrópolis a 30 quilômetros de Gramado. O empreendimento é novo. A diária para o casal está a partir de R$ 90,00 e o café da manhã (estilo colonial) é servido até meio-dia! Pesquisando algo similar em Gramado encontrei a Pousada Ares da Serra, pertinho da rodoviária. Ótima para quem vem de ônibus de Porto Alegre. Pero… R$ 140,00 o casal. Na baixa temporada, claro. Em último caso, corra para Canela, a 7 quilômetros dali.

ESQUEÇA OS MEGA-HIPER-SUPER-INDICADOS RESTAURANTES. Sim, eles devem fazer parte do seu roteiro. Mas se você não quiser trabalhar hoje para comer ontem, não tenha medo de caminhar, perguntar e descobrir algum lugar onde os gramadenses comeriam num dia de festa. Nós encontramos em plena Rua Coberta o Sabor de Frutas (54 3286.4714). Uma espécie de confeitaria que também serve pratos deliciosos. E baratos! Num dia pedimos um Tagliatelli a Quatro Queijos com Isca de Mignon a R$ 17,00 para duas pessoas. (No cardápio diz que é para uma pessoa, mas a porção é bem servida e duas pessoas comem bem!) Em outra oportunidade, no mesmo restaurante, quis provar o À La Minuta: arroz, chuletas, ovos fritos e batata frita. R$ 25,00 para duas pessoas. E ainda sobra! Economizando no almoço você faz miséria no jantar… porque sequência de fondue, como sabem, não é nenhuma pechincha.

 

Veja tudo o que já publicamos sobre Gramado, Canela e Bento Gonçalves!

Fotos: Raul Mattar

 

Share