-  Atualizado 24/08/2010

Cataratas do Iguaçu

Publicado por: Silvia Oliveira Foz do Iguaçu

 Confesso, pequei. Pecado mortal na ordem celestial dos mochileiros levados à breca, dos estrangeiros descolados e dos brasileiros que sabem dar valor ao próprio país. O delito: conheci as Cataratas do Niágara em 2004 – quando visitei Toronto – mas sequer ventilava a possibilidade de passear por Foz do Iguaçu, que fica a 650 quilômetros da minha casa. But, ladies and gentlemen… neste fim de semana consegui minha redenção! Só não desci de joelhos a trilha que leva às quedas d’água porque somente o fato de decidir ir já me livrou da penitência.

  

Não é novidade para ninguém: mato, água e bicho não combinam comigo. Não faço trekking, não sou adepta a esportes náuticos e animais, apenas no zoológico… por favor. Mas longe da pequenez das minhas considerações pessoais estou, com uma certa dedicação, tornando-me uma pessoa melhor e aberta a novos desafios. A proposta de conhecer Foz num roteiro apertado – mas intenso – me motivou a passar um mês pesquisando o lugar. Não que aqui será possível encontrar alguma informação inusitada ou espetacular. Tudo o que já tinha para ser dito e escrito sobre as Cataratas do Iguaçu – Patrimônio Natural da Humanidade – você encontra num clique de mouse em qualquer googlada rápida.

Além disso, o site do Parque Nacional do Iguaçu é completíssimo: informa e tira dúvidas. Cabe a mim, então, tentar passar o que significa chegar tão perto do que eu jamais consegui imaginar que poderia ser… sem antes estar lá.  Foi tudo muito mais, muito melhor e muito maior do que o esperado. A chegada ao centro de visitantes já impressiona. A estrutura é dos grandes parques europeus e parece que existem mais estrangeiros do que brasileiros por ali. Aliás, nunca vi tanta gente importada em uma cidade patropi. Nem no Rio, nem em Salvador, nem em Manaus. Eu mesma conversei (ou troquei informações) durante as duas horas de caminhada com uma israelense, depois com um francês, em seguida com um casal de alemães e, de quebra, gastei meu castelhano com um grupo de espanhóis.

A porta de entrada do centro é bonita, limpa e bem sinalizada. Tem loja de souvenir e balcão de informações. Compramos as entradas – que têm preços diferenciados para brasileiros e gringos – e embarcamos em um dos ônibus coloridos (e decorados com a fauna do lugar) que levam os turistas à trilha mais próxima das Cataratas. São 11 quilômetros e o trajeto dura 15 minutos. Quando você desce do ônibus descobre que tem mais 1200 metros e 500 degraus para chegar lá. Já comecei a chamar Jesus de Genésio e urubu de meu louro. Qualquer escada com mais de 10 lances me paralisa. Fiquei cansada só de pensar.

Por outro lado, eu tinha que me redimir. Estava ali para isso. Para provar para mim mesma que posso, que sou capaz de ter um contato feliz com a natureza. Trilha vai, trilha vem e aparecem umas quedinhas de água lááá longe, ralinhas, ralinhas. Estamos na época da seca e víamos mais rocha do que cascata. Êita, decepção! Não é possível, serão as Cataratas esse visu mais chocho do mundo? Mas graças ao meu anjo da guarda, mochileiro da gema, alguns metros mais e aparece a Garganta do Diabo, a maior de todas as quedas e a top dos cartões postais.

 

 

Em cinco minutos, de desenxabida passei a tiritar. De bitolada passei a considerar a minha inteligência. E a super queda d’água, de bagaceira, se transformou no velho chavão, mas muito apropriado: um espetáculo da natureza! O bochicho começa, porém, quando alguém – nós, por exemplo – resolve conhecer também as Cataratas no lado argentino. E sai falando que lá é melhor.

Não é bem assim. Sendo diplomata e muito puxa-saco do Brasil eu diria que um lado não vive sem o outro. A visão do lado brasileiro é ampla e panorâmica. Não há dúvida, aqui é melhor para fazer fotos gerais e apreciar todos os saltos. Mas foi no lado argentino que eu quase desmaiei. Não é força de expressão, estou falando de desmaio mesmo, falta de ar, medo, emoção, taquicardia. Depois de pegar um trenzinho dentro do Parque Nacional Iguazu desembarcamos na passarela de 1100 metros de distância que nos leva à cabeceira de la Garganta del Diablo.

É muito barulho, muita água (e ainda se fala em estiagem!), uma força estranha, excêntrica, inexplicável. Nenhuma foto consegue retratar o tamanho desse passeio. Talvez tenha sido por isso que me surpreendi tanto. Por mais que você leia, veja imagens… não é possível imaginar a delícia que é estar ali. A roupa encharca, os óculos embaçam. Mas nada que impeça de ver o arco íris que vai e vem. De olhar lá para baixo e ver o fim do mundo. Ou um mundo sem fim. Literalmente, debaixo dos seus pés.

Fotos: Raul Mattar

SERVIÇO:

Parque Nacional do Iguaçu
Horário: aberto diariamente, das 9h às 17h (ou até às 18h no horário de verão)
Ingresso: R$ 13,65 para brasileiros. Estrangeiro paga um pouco mais e quem vive nas redondezas paga um pouco menos. Veja tabela completa  de preço aqui.

Parque Nacional Iguazu
Horário: no verão, das 9h às 19h (01 de outubro a 28 de fevereiro) e no inverno das 9h às 18h (01 de março a 30 de setembro)

Ingresso: $ 30 (pesos argentinos) para brasileiros.
IMPORTANTE: pra entrar na argentina é necessário fazer imigração apresentando passaporte válido ou carteira de identidade com até 10 anos. E na hora de comprar a entrada só aceitam pesos.
 
Posts relacionados:


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


64 Comentários

  1. Marcia Cristina

    Silvinha, que fantástico. Quanto tempo dura a trilha para chegar até as cataratas? Eu pensei que era só entrar no parque e já se via as quedas. Pelo que entendi você disse que o lado argentino é mais legal? rsrsrsrs. Bejim

    responder
  2. Priscila Goldman

    Que coisa mais liiiiinda! Talvez nada se compare com estar lá e ver tudo isso d eperto, mas eu consegui viajar com você!

    responder
  3. Patricia de Camargo

    Eu estou de acordo contigo, tem que ir nos dois lados, até porque muitos serviços só se oferecem do lado brasileiro, como o Macuco Safari, e do lado argentino, você fica praticamente cara a cara com a Garganta do Diabo!
    Beijos

    responder
  4. SÍLVIA OLIVEIRA

    Marcia: depende do seu ritmo, em uma hora fizemos a trilha toda, mas com as paradas nos mirantes pode chegar a duas horas e meia! 🙂

    responder
  5. SÍLVIA OLIVEIRA

    Priscila: é mesmo difícil descrever o que se sente estando ali do lado daquele aguaceiro! Só indo mesmo para saber o que é… mas que bom que você pOde embarcar com a gente! 🙂

    responder
  6. SÍLVIA OLIVEIRA

    Pati: um lado não vive sem o outro! O passeio deve incluir os dois, com certeza! Bjs!

    responder
  7. Muricando

    Você sempre inventando moda! Agora a Sirlene que é ir para lá! E ficar no Mabu Resort ainda por cima!

    responder
  8. zero

    Adoro seu blog! Ele tem informação, diversão e muito, muito entreteRimento! Hehehe!! Besos!!

    responder
  9. Anonymous

    Não tenho a menor dúvida que o lado argentino é melhor!!! É realmente emocionante!!!!
    PS: se sobrar tempo, passem aqui em Cascavel…eu levo vocês para uma tour de fotos: têm as torres gêmeas, a mão que segura a santa, o dedão huahuahuahuahua
    Olha só, no fim de semana depois da páscoa, se der certo, irei para Curitiba e quero conhecer a Mariana…
    A gente se fala! Beijos!!!!

    responder
  10. Anonymous

    Silvia!!
    Pura verdade! Acho que a gente só tem noção da "dimensão e força" da natureza, quando dá de cara com aquela água toda caindo. Nós, quando fomos recusamos a proteção daqueles jalequinhos de plástico. E fomos então "batizados" pela Maravilha do Mundo. Parabéns mais uma vez, pelos posts. Estão fenomenais…
    bjs
    Nair
    PS. Feliz páscoa! e muitos ovinhos pra Mariana…hehe!

    responder
  11. SÍLVIA OLIVEIRA

    Murilo: HAHAHAHAHA! Sobrô! Agora guenta! 🙂

    responder
  12. SÍLVIA OLIVEIRA

    Zero! Pô, escrevi para você umas duas vezes, mas você me iNgnorou! Que bom que apareceu aqui! Puxa, essa do entreteRimento é minha cruz… vou levar pra sempre! hahahaha! Bjs!

    responder
  13. SÍLVIA OLIVEIRA

    ANÔNIMO "que não tem a menor dúvida que o lado argentino é melhor", por um acaso você é a ALESSANDRA (já que você menciona Cascavel)? É que não assinou o comentário… Pois então, o lado argentino é muito impactante, pulsa na veia… mas as melhores fotos estão do lado de cá. hohohoho. SE VIER A CURITIBA, POR FAVOR, ENTRE EM CONTATO! Bjs!

    responder
  14. SÍLVIA OLIVEIRA

    Nair, não tinha ninguém distribuindo jalequinho de plástico, em nenhum dos lados. Não sei se as coisas mudaram (faz tempo que você foi???) ou se não tinha muito vazão e por isso não molhava tanto! Feliz Páscoa procêis também! Bjs!

    responder
  15. Malu - Floirda

    Meu marido ficou babando aqui!

    responder
  16. Camila

    Sílvia, eu só conheci o lado argentino, mas você já definiu bem: só estando lá pra sentir a magnitude do lugar! Também saí impressioanada!

    Beijos!

    responder
  17. Ozenilda Amorim

    Mulher, somos muito parecidas, também detesto acampamento, banheiro coletivo, sou muquirana, somos iguais. Exceto…
    Não me enrolo com os temperos!
    😉
    Adorei seu blog e vou lê-lo com detalhes durante a semana.
    Bijos.

    responder
  18. Arnaldo - Fatos & Fotos de Viagens

    SÍLVIA, que matéria bacana, fresquinha, recém saída do forno! Puxa, você estava viajando sexta-feira e já publicou TUDO ISSO! Que dias pegou! Que céu, que fotos. Sabe, sempre que posso faço um vôo de helicóptero turístico. Já fiz no Havaí (Oahu) e na África do Sul (Cape Town), também no Rio de Janeiro. Esse vôo está dez! parabéns;

    responder
  19. Ozenilda Amorim

    Valeu pela visitinha.

    responder
  20. Luis Fernando Guerreiro

    que lindos os bichinhos, que espécie são? Não conheço as Cataratas ainda, mas já mostrei para minha namorada seu blog e ela ficou entusiamsda. Quem me indicou aqui foi a Lilian, sua aluna, para ver as dicas de Buenos Aires! Muito legal!

    responder
  21. SÍLVIA OLIVEIRA

    Malu, tem que trazer o maridão para cá logo… lembrando que ele vai pagar mais caro por todos os ingressos. hehehe! 🙂

    responder
  22. SÍLVIA OLIVEIRA

    Camila, volte para conhecer o lado brasileiro. Não é tão pulsante, mas completa a visão do outro! 🙂

    responder
  23. SÍLVIA OLIVEIRA

    Nilda! Você é minha ídola… afinal compartilhamos a mesma filosofia… mas você ainda por cima sabe diferenciar o alecrim do orégano! 🙂

    responder
  24. SÍLVIA OLIVEIRA

    Arnaldo! Ossos do ofício… quando viajei já tinha muita informação pronta, depois é só descrever o ponto de vista! Mas de fato, dá certo trabalho, ser blogueira em tempo real NÃO é fácil! 🙂

    responder
  25. SÍLVIA OLIVEIRA

    Luis, acho que você se refere aos quatis… são a marca registrada do parque! Apareça mais vezes! 🙂

    responder
  26. Rê Marques

    Lindíssimo mesmo! Estive em Curitiba ano passado e pensei em ir. Mas o tempo era curto e resolvi esticar até Floripa pra não "perder" muito tempo em viagem. Mas um dia ainda volto pra conhecer. E os dois lados! 🙂

    responder
  27. Luis Fernando Guerreiro

    Olá! Se não for incomodar preciso de indicações de hotéis. É melhor ficar no centro ou perto das cataratas? Obrigado

    responder
  28. Sylvia Lemos

    Menina , estivemos no mesmo lugar e nos mesmos dias !!
    ( esqueci meu pin desta vez )

    responder
  29. SÍLVIA OLIVEIRA

    : volte mesmo! Vale a pena!

    Luis: estou preparando um post sobre hospedagem… aguarde novidades!

    Sylvia: uia, que coincidência! Bom, talvez você tenha me visto: uma baixinha, de óculos embaçado, tendo vertigem nas cataratas. hahahaha! 🙂

    responder
  30. Guta

    Foz é um dos lugares que mais me surpreendeu no Brasil! O fator "Uau" lá é imenso!
    Acho que é pq ninguém fala muito de Foz aqui no Brasil e nem é tão caro assim! Alias, dependendo da onde vc está pode ser uma viagem bem barata, com um ótimo custo benefício!
    A infra estrutura do parque é maravilhosa! Não é por menos que foz é um dos destinos mais visitados por estrangeiros aqui no Brasil!
    O passeio de barco é indescritível! Alias amei a foto que mostra o barco bem embaixo da cascata! E o pior que é assim mesmo! Não recomendado p quem tem pavor de água!
    Um dia, se der, volto p lá!Tenho ainda uma longa lista de lugares p ir!eheh! Ai, ai!
    Boa páscoa!
    bjus

    responder
  31. Anonymous

    Incrível lugar!!!
    O texto e as fotos invitan a ir a esse lugar tão maravilhoso! Eu quero visitar as Cataratas do Iguaçú.
    Parabéns a Raul pelas fotos.
    Carmen

    responder
  32. SÍLVIA OLIVEIRA

    Guta: como eu sou mão-de-vaca muquirana assumida, achei muita coisa cara, na verdade, os preços são europeus! Ou seja, o circuito especial da Itaipu custa R$ 30,00 mangos! Mas isso seriam mais ou menos uns 10 euros… menos que a Torre Eiffel ou os Museus do Vaticano. Mas sendo criativo… dá para fazer uma excelente viagem sem gastar os tubos! Bjs!

    responder
  33. SÍLVIA OLIVEIRA

    Carmen! Quando você vier, avise-nos! Podemos ser seu guia! 🙂

    responder
  34. Priscila Goldman

    Gostei da foto do óculos!

    responder
  35. Deise

    Silvia, eu sou suspeitíssima (nascida e criada na fronteira), mas mesmo assim tenho que dizer que o passeio das Cataratas é realmente "um espetáculo da natureza" (he he he). Estive 12 dias por lá esse mês de férias e fui duas vezes nas Cataratas.
    Concordo plenamente que os dois lados se completam e além disso, tem o passeio noturno da lua cheia (que infelizmente não estava tendo agora), que é indescritível, tem arco-íris com a luz da lua. Fe-no-me-nal!!!

    responder
  36. msilvianeuro

    Oi, Silvia !!!
    Estive esta semana em Foz e utilizei várias dicas suas!!
    Acho imperdível a ida ao cassino de Puerto Iguazú !!!Pode-se participar de um mini torneio de poquer ,para os jogadores amadores !!
    Mas a programação deve incluir um jantar a francesa no restaurante do cassino !!!Você será recebido com um maravilhoso espumante , o atendimento é primoroso , e a comida é divina !!!Jamais um jantar desta categoria em nosso país seria possível pelo mesmo valor , e você escolhe se quiser pagar em dolares, reais ou em pesos argentinos !!!

    responder
  37. SÍLVIA OLIVEIRA

    Msilvianeuro: quando voltar a Foz vou fazer esse passeio, adorei a dica. Quando estive lá, deixamos para ir ao Casino depois da visita às Cataratas do lado argentino… mas voltamos ao hotel por causa do cansaço… e só acordamos no outro dia, na hora de voltar para casa! hahahaha! Valeu pelas informações! 🙂

    responder
  38. Sil, tudo bem?
    Seu blog está nos meus favoritos faz bastante tempo, mas acho que nunca deixei um comentário por aqui…

    Estou com uma super dúvida:

    Quand vc foi pra Foz vc ouviu falar do passeio até as Missões Jesuitas?

    Eu vi uma indicação no site de Itaipu. Eles dizem que é um passeio de um dia inteiro e vc conhece alguns pontos entre Paraguai, Argentina e Brasil. Mas é preciso contratar uma agência. Pesquisando agências que fazem esse passeio, só encontrei passeios que duram no mínimo 3 dias 🙁

    Pedi para minha agente cotar e ela disse que só conseguiu esse passeio de um dia por 570 reais por pessoa. Puutz muito salgado.

    Será que é melhor pedir alguma indicação no hotel ou tentar achar alguma agencia quando chegar lá?

    Costumo viajar com tudo programado e reservado. Tomara que de tudo certo e faça sol. 🙂

    Obrigada pela atenção.

    Beijos
    Natalie

    responder
    • Silvia Oliveira

      Oi Natalie! Sei, sim, desse passeio. É super longe, são quase 280 quilômetros da fronteira para chegar até os primeiros sinais das ruinas, em Encarnación (Paraguay). Então é super cansantivo fazer em um dia… por isso algumas agências oferecem três dias (mas a maioria promete em um dia, são quase 15 horas de passeio-estrada-paradas). De Foz do Iguaçu, é possível conhecer as missões paraguaias, cruzar a fronteira entre Encarnación e Posadas (já na Argentina) e visitar as 14 missões no território argentino. Vale uma viagem SÓ para essa região, mas não um bate-volta desde Foz. na minha opinião, claro. 🙂

      responder
      • Sil,
        Muito obriga pela resposta tão atenciosa!
        Pensando bem é meio cansativo optar por esse passeio longo em apenas um dia. Acho que são lugares que merecem um pouco mais de tempo e dedicação. Conversei com a minha mãe e ela falou que tudo bem… é melhor fazer o passeio mais completo em Itaipu 🙂

        responder
  39. Natália M Gastão

    Cheguei de Foz na semana passada! Em primeiríssimo lugar, quero agradecer por todas as dicas! Foram imprescindíveis para o sucesso da viagem!
    Troquei o Macuco Safari (Brasil R$ 140,00) pelo Aventura Nautica (AR R$ 52,00), que literalmente dá um banho (mais emocionante), a gente fica embaixo (mesmo) das quedas dos 3 Mosqueteiros e chega mto próximo à Garganta del Diablo, área que os brasileiros não chegam. Adorei o lado argentino!
    No lado brasileiro, fiz o rapel de 55m de altura – INCRÍVEL!!! Fiz o rafting pelo Rio Iguaçu com os barquinhos do Macuco passando pela gente. O visual é fantástico e banhar-se no Rio Iguaçu olhando as Cataratas ao fundo é indescritível. Valeu mto à pena!
    Não consigo nem dizer qual o meu lado preferido, pois definitivamente um completa o outro! É divino!

    responder
    • Silvia Oliveira

      Aventura náutica? Rapel? Menina, você precisa fazer um relato pra eu publicar aqui! :mrgreen:

      responder
  40. Natália M Gastão

    Será uma honra!!!!!! Vou fazer e lhe mando ok? =))

    responder
  41. Vou em Foz no próximo janeiro….. estamos ansiosos para acrescentar Foz do Iguaçú em lugares visitados no nosso site: http://www.verdejava.com.br.
    Parabéns, um abraço à todos
    Muriaé-MG

    responder
  42. Pedro Cunha

    Do lado argentino dá para ficar um dia inteiro, fazendo as cataratas por baixo e por cima. A sensação é mais intensa do que do lado brasileiro, de onde se vê melhor as cataratas. E se do lado argentino não tem o Macuco Safari tem a “Aventura Náutica”, que é o mesmo serviço só que mais barato e indo em outras cachoeiras também, que não estão do lado brasileiro…

    No mais, excelente post. A tua sensação foi muito parecida com a minha e tu conseguiste expressá-la em palavras, o que não é fácil

    responder
    • Silvia Oliveira

      Brigada, Pedro! 🙂

      responder
  43. Lubia

    Só fui no lado Brasileiro…e foi emocionante se depois disso eu estivesse q volta para casa já havia valido a viagem…Pois é algo inesplicavel….lindo lindo lindoooOO. Minha vontade qnd estive ali pe q tda minha familia q a amo um dia possa conhecer aquele lugar.
    A caminhada é grande de mais eu penssei q não ia conseguir fazer toda a trilha mas qnto mas perto estava mas rápido eu andava pra chega logo naquela maravilha.

    responder
  44. cristianne

    Qual seria a melhor época para conhecer Foz do Iguaçu?

    responder
  45. Barbara

    Pessoal, super adorei o blog de vocês. Acabei de voltar de foz, e está muito frio lá. Fiquei hospedada no Hotel Tarobá, é pequeno, mas muito limpo, e adorei o atendimento. Eu fiz todos os passeios com a agência Ecofoz Turismo, com o senhor Pacheco, e ele me cobrou bem menos do que os taxis do hotel e ainda ganhei os transfer de cortesia. Ali proximo ao hotel, também há uma churrascaria imperdível, a Búfalo Branco. O bom, é que fica no centro da cidade, perto de tudo, e para o que não é perto, eu tinha a agência para nos levar.
    A melhor época para ir a Foz, definitivamente não é este mês, pois o frio que passei lá, quase me fez sentir na Europa. Mas quero voltar em Outubro, com meus pais agora, eles querem muito conhecer. Boa viagem a todos!!

    responder
  46. Katy

    Olá Silvia,

    Adoro seu blog, é leitura obrigatória quando penso numa viagem. Sempre venho aqui pegar suas dicas e só me dei bem. Material de primeira, parabéns!

    Vamos a Foz do Iguaçu em Janeiro com crianças de 8 e 5 anos.

    E tenho duas perguntinhas:

    – Pelo site do Macuco Safari vi que não tem limite de idade. Será que o menor de 5 anos vai curtir o Macuco Safari? Meu filho de adora essas coisas “radicais”, mostrei um vídeo do passeio e ele ficou empolgadíssimo, mas fico na dúvida se na hora ele pode ser assustar e chorar no meio do passeio. Você chegou a ver crianças dessas idade fazendo o passeio? O que você acha? Levaria sua filha?

    – Você recomenda uma ordem pra visitar os lados brasileiro e argentino? É melhor ir primeiro no brasileiro e depois no argentino? O contrario? Tanto faz?

    Bjs e obrigada!

    responder
    • Silvia Oliveira

      Oi, Katy!

      Eu nunca fiz o Macuco, mas pelo que dizem, apesar de parecer “radical” é super tranquilo, as pessoas só tomam um banho debaixo das cachoeiras! Em março do ano que vem voltaremos a Foz e meu esposo vai com minha filha (5 anos) fazer o Macuco, eles estão super empolgados. Sei de história de crianças de 3 anos que vão e adoram. Olha, para mim tanto faz a ordem de visitar um ou outro lado – argentino ou brasileiro. O lado brasileiro oferece a melhor vista das quedas e o argentina te aproxima da grande “cascata”, a Gargante do Diabo. 🙂

      responder
  47. Alessandra

    Olá!!

    estou programando uma viagem para Foz mês que vem porém tenho uma dúvida: você alugou carro para ir até o parque? No site cataratasdoiguacu não tem a informação sobre transporte público até o parque… na vdd o link não abre…
    Obrigada!

    responder
    • Silvia Oliveira

      Alessandra!
      Uma vez eu eu fui de ônibus comum (transporte público), mas não me lembro o número do ônibus. Demora uns 40 minutos do centro até o parque, mas é bem tranquilo. Também já fui de táxi (fica caro, não me lembro quanto, mas se você estiver em grupo pode compensar!). A empresa Loumar Turismo também faz o traslado, http://www.loumarturismo.com.br.
      Abs!

      responder
  48. Oi, Silvia

    Pergunta meio bobinha mas que estou meio confusa: onde vc comprou o ingresso para as Cataratas do lado argentino? So se paga em pesos, correto? Pretendo levar apenas Reais, vc recomenda algum lugar para fazer o cambio?

    Grata
    Vanessa
    http://www.ciaoviaggio.com

    responder
    • Silvia Oliveira

      Oi, Vanessa!
      Comprei diretamente no parque. Fiz o câmbio na rua (mas não recomendo porque pode-se pegar notas falsas, eu arrisquei mesmo porque a cotação estava boa).
      Abs!

      responder
  49. rejane

    Silvia, adorei o blog.
    Estive em Foz de Iguaçu no período de 03/05 a 08/05. Fui com 4 amigas do trabalho. Ficamos encantada com tanta beleza. Um verdadeiro espetáculo da natureza. Visitamos as Cataratas Brasileira e Argentina. Fizemos o macuco safari. Fomos ao parque das aves, duty free na Argentina, Itaipu, Mesquita libanesa, Templo budista, Paraguai, Ice bar em Pueto Iguazu, Churrascaria Rafain, Restaurante La Mafia tudo na companhia da nossa guia turística Nilsa Witt. Nilsa nos acompanhou em todos os passeios, sempre com muita tranquilidade, simpatia e solicitude. Seguem email e telefone para contato de Nilsa: 45 91083151 [email protected] .com

    responder
  50. Oi, pessoal,
    Estou passando para deixar uma dica de passeio diferente, para quem quer fugir dos passeios óbvios durante a viagem, não quer gastar muito e gosta de cachoeira: o Sendero Macuco, dentro do parque argentino, que leva à cachoeira Arrechea. Fiz esta aventura no segundo dia em que fui ao Parque Nacional Iguazú (o lado argentino das Cataratas). A trilha, de 7k (ida+volta) é super tranquila, plana em 95% do trajeto e larga, de terra batida. O mais bacana foi que consegui tomar banho no poço formado pela água da cachoeira (que tem 20 metros de altura). Deixei todas as dicas sobre esse passeio lá no meu blog: http://www.viciadaemviajar.com/sendero-macuco-cachoeira-alternativa-perto-de-foz-do-iguacu/
    Abraço,
    Marcelle

    responder
  51. ótimo texto! só pra constar, agora a entrada pro lado argentina tá em 200$!!!
    quase 100% a mais no valor, tudo bem que é quase 2016, mas mesmo assim.. muito acima!

    beijos

    responder
    • Silvia Oliveira

      Obrigada. Em breve atualizarei meus posts de Foz! 😉

      responder
  52. Olá Silvia! Trabalho com transporte turístico em Foz, li seu post sobre a cidade região tudo bem explicado realmente muito bom .Parabéns suas imagens ficaram lindas! Esperamos que retorne e sugiro que faça o City Tour em Ciudad del Este no Paraguai passeio pouco conhecido,porém muito lindo. Vale muito a pena conhecer. Bjs!

    http://pgviajantes.com.br/

    responder
  53. Valmyr e Wilma

    Oi “Matraca”! Ó nóis aqui travez!
    Pergunto (já que em agosto nosso destino será Foz):
    Quanto tempo se gasta em cada lado das cataratas? Um dia para cada? No Parque das aves gasta-se um dia? Nossa ideia é cinco pernoites. Está de bom tamanho para conhecer bem? Muito, pouco ou ideal para os principais passeios?
    Um grande abraço!

    responder
    • Silvia Oliveira

      Olá, Valmyr e Wilma! Cinco noites é um período excelente para Foz. Um dia inteiro para cada lado das cataratas, sendo que o Parque das Aves é pequeno e fica em frente ao parque nacional do iguaçu. Os dois combinam bem no mesmo dia! Abs!

      responder
  54. Seu blog continua ótimo!! parabéns! com muitas informações legais de nossa cidade, Foz do Iguaçu com certeza deveria ser visitada por todos os Brasileiros, eu estou inciando um blog com dicas, de uma nativa, “Dicas Foz by Nilsa”, são informações que como guia de turismo acho muito importantes, como documentação…
    também gostaria de deixar meu contato a disposição trabalho com transfer para todos os passeios, contribuo para que sua viagem seja inesquecível, e que esse momento se eternize, na sua vida, através de pensamentos cheio de lembranças boas.
    Guia Nilsa Witt
    45 991083151 whats

    Se quiser ver ref. do meu trabalho veja: Tripadvisior Iguassu Life
    Não deixe de visitar nosso paraíso!!

    responder

Deixe seu Comentário






Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2019 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar