-  Atualizado 29/01/2016

Almoço no Jacobina

Publicado por: Silvia Oliveira Curitiba
Parece uma mercearia, mas é restaurante. Botequim, para os íntimos.

Recheado de objetos antigos, a decoração já vale a visita. Uma espécie de antiquário moderno. Assim, feito de coisas velhas… mas que fizeram parte da nossa infância, como o refrigerante Crush e o porquinho da Poupança Bamerindus.

O Jacobina, em Curitiba, é um dos lugares mais criativos e aconchegantes da cidade. Bom para petiscar ou tomar vinho. Legal para jantar ou provar carne de onça.

O cardápio varia a semana inteira. No almoço, são cinco ou seis opções por dia.

 
Na segunda-feira, virado à paulista ou vatapá. Terça tem dobradinha. Mas dá para pedir escondidinho de carne seca. Chelept! Já na quarta a casa oferece língua com purê de batata. Quinta-feira, entre outras opções, o nosso barreado. Escolhemos a dedo e fomos na sexta. O Raul pediu a moqueca de peixe e eu comi ossobuco com polenta. A arrumação dos pratos é toda especial. Meu arroz veio meio desmoronadinho, é verdade.

 

Mas o estilo secos e molhados do Jacobina permite… Afinal quando poderia comer algo tão saboroso, detalhe, pagando tão pouco? O meu ossobuco – que dava para duas pessoas – custou R$ 12,90. A moqueca, R$ 14,90. Mas a consagração veio na sobremesa: sorvete de tapioca com calda de vinho. Feito com a farinha da tapioca, leite de côco, creme de leite, especiarias (?) e o toque azedinho do vinho. Sai R$ 7,00. Dividimos o doce. Mas depois de um tacho de moqueca e uma panela de ossobuco nem conseguimos comer a taça inteira.

 

No sábado, feijoada completa com direito a samba e chorinho. E todos os dias – para quem não se dá bem com o exótico da comida brasileira – tem bife acebolado e frango grelhado. À noite, o menu muda. Entram pratos populares… da cozinha internacional: quesadillas, burritos, fajitas, entre outras delícias.

Além disso, o Jacobina – que completou quatro anos – tem uma boa carta de vinhos. Mesmo sendo um empreendimento relativamente novo, já recebeu vários prêmios da Revista Veja Gastronomia: melhor boteco, melhor petisco e melhor happy-hour.

 

E hoje, parte da decoração, que inclui coleção de relógios e de latas de pó royal, é doada pelos próprios clientes – que presenteiam a casa com objetos antigos de família. O Jacobina tem, ainda, uma preocupação importante. Durante o almoço, os pratos não demoram mais que 10 minutos para chegar à mesa.

O objetivo é fazer com que os clientes aproveitem ao máximo o período de folga antes de voltar ao trabalho. Taí a dica para seu  feriado. Eles vão abrir no 21 de abril. Funciona das 11h às 1h, menos aos domingos.

Posts relacionados

Curitiba | Vinhos Durigan: parada estratégica em Santa Felicidade com degustação grátis

Linha Turismo Curitiba: como aproveitar o city tour oficial da cidade

Curitiba: faça da cidade seu melhor destino de inverno

23 motivos para você conhecer e se apaixonar por Curitiba

Cinco atrações grátis e estreladas em Curitiba

Leia também

Vila Velha, Paraná: sítio geológico de 300 milhões de anos está a uma hora de Curitiba

Lapa: como organizar um bate e volta perfeito saindo de Curitiba

Colônia Witmarsum: café colonial, história alemã menonita e descanso ao lado de Curitiba

Parque Histórico de Carambeí: espaço temático reproduz um pedaço da Holanda no Paraná

Cidades Históricas, Serra do Mar e Estrada da Graciosa: quando ir?

Estrada da Graciosa

Passeio de trem pela Serra do Mar

Antonina

Morretes

Ilha do Mel

____________ 

Fotos: Raul Mattar | Todos os direitos reservados.



Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


9 Comentários

  1. Margarida Nobre

    Vou anotar o Jacobina na listinha,porque na minha próxima viagem ao Brasil não vou perder uma visita a Curitiba!!

    Bjs

    responder
  2. Priscila Goldman

    Silvinha, estamos na região! Viemos fazer o passeio de trem, graças ao MATRAQUEANDO! E já anotmamos. vamos ao jacobina na terça! Muuuuito obrigada!

    responder
  3. Anonymous

    Bonito lugar para comer. Com issas fotos se abre o apetite…
    Bjs
    Carmen

    responder
  4. SÍLVIA OLIVEIRA

    Meninas: eu não sou restaurantóloga, aliás minha veia mão-de-vaca-muquirana não me permite esses luxos frequentemente. Mas o Jacobina me parece uma coisa deliciosa de original e deve entrar no roteiro de vocês, sim! Bjs!

    responder
  5. Luisa

    São vários os lugares que abriram depois que fui embora… humpf!
    Ainda bem que tem o Matraqueando para me manter informada! 😉
    Dica anotadissima para a proxima viagem!
    Bjs

    responder
  6. fernanda

    Oi,
    Estou adorando saber do Jacobina, um dia vou ai.
    Agora eu sei fazer um ossobuco maravilhoso tb.
    Beijo pros 3.

    responder
  7. Joaninha Bacana

    Adorei as latinhas de fermento :o) Que decoracao original!!! Além dos pratos parecerem muito, muito gostosos! Nhac! :o)
    Beijos, Angie

    responder
  8. SÍLVIA OLIVEIRA

    Luisa: Curitiba passa por UP há alguns anos.. virou referência para quase tudo! Bjs!

    Fernanda: então já sabe, né? quando nós formos para Juiz de Fora, quere-mos ossobuco, que-remos ossobuco!

    Angie: tudo lá é muito original e a decoração dá de 10! Bjs

    responder
  9. Carol Wieser

    Ahhh o Jacobina!
    A feijoada lá no sábado é divina!!\
    YummmY!!!

    responder

Deixe seu Comentário






Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2019 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar