-  Atualizado 13/01/2019

Feira de São Joaquim, em Salvador: onde você encontra a Bahia de verdade

Publicado por: Silvia Oliveira Salvador

Feira de Sao Joaquim Salvador dende

Coloco o pé num corredor pouco iluminado. Uma galinha passa voando na minha frente. (— Galinha voa?) Dou um pulinho para trás e um gritinho contido. Respiro e ando mais três passos. Enfio o pé na jaca. Literalmente. Na barraca ao lado, um bode mugindo. (— Bode muge?) Batizei, crismei. Havia chegado à Feira de São Joaquim, a maior feira livre de Salvadô!

Feira de Sao Joaquim Salvador jaca

Feira de Sao Joaquim Salvador abbora

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Banana

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Pimentas Blog Matraqueando

Camarão seco, farinha, quiabo, frutas, peixes, carne. Cerâmica e incenso. Imagens de santos. Batata, tomate, animais vivos. Pimenta, muita. Pimenta vermelha, de cheiro, baiana, dedo de moça e japonesa. Tem jiló, tamarindo e vela preta. Raízes milagrosas. Curam mau olhado, espinhela caída e verruga no queixo. Traz a pessoa amada em três dias.

Feira de Sao Joaquim Salvador Agua dos meninos

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Tomate e Quiabo

É o cenário brasileiro mais rico que conheci. Um mergulho profundo, sem recortes, na realidade cotidiana da população de baixa renda, gente que busca no local alternativas econômicas para encher a sacola. Tomate? Dois real o quilo. (Você não escutou mal, eu falei t-o-m-a-t-e mesmo). Quiabo? 50 unidades pelo mesmo preço. Rapadura, tapioca, xinxim. Chifre de boi. Vai do freguês.

Feira de Sao Joaquim Salvador Raizes

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Aves

A Feira de São Joaquim tem quase 35 mil metros quadrados e ocupa umas 10 quadras na Cidade Baixa da capital baiana. Está em processo de revitalização. Já existe até uma ala nova (ainda provisória), onde os boxes estão distribuídos de forma limpa e ordenada. (Mas a parte xexelenta da coisa é muito mais inusitada).

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Aboboras

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Placas Matraqueando Blog de Viagem

Como há poucos relatos sobre a feira resolvi fuçar no TripAdvisor e encontrei apenas duas resenhas sobre o local: uma avaliava o passeio apenas como razoável e a outra como péssimo. E só por isso deduzi: acho que vou gostar deste lugar (muitas vezes retratado nos trabalhos de Di Cavalcanti, Carybé e Jorge Amado)

Feira de Sao Joaquim Salvador artesanato

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Artesanato

Quase nenhum guia de viagem (para não dizer simplesmente NENHUM) indica uma visita à tradicional Feira de São Joaquim. (Tá, o Guia Quatro Rodas faz uma menção à feira. Em cinco linhas. Para não passar batido. Só.) Lendo sobre a história do lugar percebi ali um enorme potencial para o turismo, digamos, alternativo.

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia farinha e fradinho

Feira de Sao Joaquim Salvador senhora feirante

Feira de Sao Joaquim Salvador camarao 3

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia frutas coloridas

Aqui não tem baiana com roupa colorida nem meninos fazendo show de capoeira para curitibano ver. Você não será abordado por ninguém pedindo dinheiro. As casinhas coloridas do Pelourinho dão lugar a boxes escuros e apertados. O acarajé está in natura, disfarçado de farinha e feijão fradinho.

Feira de Sao Joaquim Salvador banana

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Vendedor

Qualquer incursão antropológica aciona meu software interno do papo cabeça. A antropologia, aliás, aqui não é só modo de dizer. Conhecer a feira é quase um estudo de campo. A observação do cotidiano, das relações estabelecidas entre os personagens e o ambiente renderiam um artigo memorável sobre o baiano de raiz, nossas relações com a África, a história da Bahia ou a memória e identidade do Brasil.

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Barbearia

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Bode vivo

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Carnes

Alguém descreveu que o lugar é sujo e cheira mal. Não é bem assim. Mais honesto seria dizer que boa parte da feira é imunda é fede bagarai! Proooonto. (Como só eles sabem dizer!).

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Coco e Abacaxi

Feira de Sao Joaquim Salvador barracas

Feira de Sao Joaquim Salvador camarao catado

Consciente desta descrição realista, conforme prevê o método etnográfico da antropologia, não há como se decepcionar uma vez que você já sabe o que vai encontrar em boa parte do recinto. Do resto, é maravilhoso. Tem feirante jovem, velho, malandro, simpático e até aquele sem camisa todo trabalhado no Abará. (Suspiro.)

Feira de Sao Joaquim Salvador limão

Feira de Sao Joaquim Salvador feirante

Feira de Sao Joaquim Salvador temperos 1

Os sentimentos se desencontram. Fiquei assustada. Curiosa. Dei risada alta. Tive nojinho. Fiz pergunta boba. Andei desorientada. Passei 20 vezes pelo mesmo corredor. São quatro mil boxes. Sete mil feirantes.

Feira de Sao Joaquim Salvador senhor feirante 1

Feira de Sao Joaquim Salvador produtos

Fiquei mais de duas horas perambulando pelo local. Não vi um turista sequer, assim, tipo eu: cara de tonta com máquina fotográfica na mão. Se havia alguém ali de fora da cidade visitando apenas por curiosidade (assim, tipo eu) estava disfarçado de feirante.

Feira de Sao Joaquim Salvador orixa

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Santos

Feira de Sao Joaquim Salvador guias

Detodosmodis, a Feira de São Joaquim tem sido cada vez mais visitada pelo turista cansado de lugares para… turista. (Aquela lengalenga a que você já está acostumado). O filme Cidade Baixa (2005) do diretor Sérgio Machado (com Wagner Moura e Lázaro ramos como atores principais) tem cenas ambientadas aqui. Depois da estreia (e do sucesso) do premiado longa, não só no Brasil — mas mundo afora, os trabalhadores da feira viram o movimento aumentar.

Feira de Sao Joaquim Salvador feirantes

Feira de Sao Joaquim Salvador frutas

A microssérie O Canto da Sereia, exibida pela Rede Globo, também contribuiu para aguçar a curiosidade de quem gosta de cultura popular. A obra teve diversas cenas gravadas no mercado.

Feira de Sao Joaquim Salvador colares 01

Feira de Sao Joaquim Salvador colares

A feira começou na década de 30 e se chamava Água de Meninos. Mas nos anos 60, dois incêndios destruíram quase todas as barracas. Mesmo sem um plano de reestruturação a feira foi se reerguendo e hoje ocupa uma área gigantesca. Oficialmente a Feira de São Joaquim tem 45 anos, período em que o terreno de ocupação — onde ela começou — foi regulamentado.

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Temperos Matraqueando Blog de Viagem

Descendentes de africanos escravizados ainda trabalham por aqui. O local é polo distribuidor de artesanato em cerâmica do Recôncavo Baiano e de produtos religiosos usados em candomblé. Até cabeça de bode recém-cortada estava exposta para venda. (A Feira de São Joaquim é para os fortes, migo!)

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Pimentas

A revitalização tem investimentos de R$ 61 milhões. O Ministério do Turismo está aplicando R$ 29 mi e o Governo da Bahia mais R$ 32 mi. É grana pra dedéu! O plano prevê, principalmente, a melhora da higienização e acessibilidade, preservando as características históricas da feira. Já o IPHAN tenta o título de Patrimônio Cultural e Imaterial do Brasil. E quando a obra terminar e o título for concedido, eu — orgulhosa — vou poder dizer: estive lá nos tempos em que a carne (e a cabeça de bode) era vendida ao ar livre.

Feira de Sao Joaquim Salvador feirante 1

Feira de Sao Joaquim Salvador flores

Feira de Sao Joaquim Salvador melão

A Feira de São Joaquim é seu número. Isso, para você aí que reclama tanto dos lugares manjados e coalhados de turistas. É o tipo de experiência que mostra um mundo por trás da garrafa de dendê. Vá sem medo. Só não aceito reclamações depois! :mrgreen:

SERVIÇO

Feira de São Joaquim
Local: Av. Oscar Pontes, s/nº | Comércio | Salvador – BA
Funcionamento: segunda a sábado, 6h às 17h e domingo, das 6h às 13h.
Como chegar: você pode pegar o ônibus “Ribeira – Via Dendenzeiros” em frente ao Mercado Modelo e pedir para descer próximo à feira. O táxi do Mercado Modelo à feira custa em torno de R$ 15.

Posts relacionados

Igreja e Convento de São Francisco: a obra máxima do barroco na Bahia

Restaurante Ramma: cozinha natural no centro histórico de Salvador

Salvador: pelourinho de todos os santos

Leia também

Feira de Açaí, Belém: a essência da identidade paraense

Feira de São Cristóvão, Rio de Janeiro: o repente da saudade

Feira da Ladra, Lisboa: o mercado de rua mais popular da capital portuguesa

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados ©

PLANEJE SUA VIAGEM COM QUEM ENTENDE

Reserve hotel no Brasil e no mundo pelo Booking.com | Cancelamento grátis!

Seguro de viagem na Mondial/Allianz | 30% de desconto para Leitor Matraqueando

Alugue carro no Brasil e no mundo na RentCars | Sem IOF e parcelamento em 12x

Política editorial | Pagamos todas as nossas contas de viagem. Não aceitamos convites nem cortesias. Sempre nos hospedamos anonimamente nos hotéis indicados. O Matraqueando não faz post patrocinado. Alguns posts contêm links para programas de afiliados, parceiros comerciais do blog, inseridos espontaneamente pela autora. Por questão de transparência, comunicamos que se você optar por comprar por meio destes links nós recebemos uma pequena comissão. Tudo o que você encontra aqui foi determinado unicamente pelo interesse do leitor, nosso gosto pessoal ou critério particular. Isso é transparência e credibilidade. Pode confiar! Para ajudar a manter o blog sempre com dicas fresquinhas adquira nossos guias na Loja Matraqueando. Desde já agradecemos a preferência! 🙂


Newsletter

Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades


62 Comentários

  1. Nildo

    Era impensável ver a feira de são joaquim retratada desta maneira, tão leve, bonita e despojada! Voc~e disse muito bem, o lugar é sujo, tem mal cheiro, mas é a cara da bahia, do brasil, nosso história pura. As fotos estãp belíssimas! parabéns!

    responder
  2. Gil

    Deu vontade de conhecer. Não conhecia a feira, valeu pela dica!

    responder
  3. Luis Carlos

    Que overdose de (ótimas) fotos! Mas acho que ‘só’ assim para traduzir o local. Muito bacana mais uma vez. Fugir dos pontos batidos só melhora a viagem.

    responder
  4. Oii Silvia, sem duvida uma bagunça organizada e bonita de se ver pelas suas lentes rss ,o retrato de Salvador, ficaram ótimas as fotos, não conheço Salvador ainda, na listinha de prioridades ela está bem no final rsrs mas quem sabe qualquer hora surge uma oportunidade inesperada! Bjosss

    responder
  5. Maria Braga

    Matéria maravilhosa!!! Com certeza é uma mergulho “na alma baiana”.
    Parabéns pela sensibilidade e obrigada por esse passeio….
    abraço
    Maria.

    responder
  6. Youko Watanabe

    Olá, encontrei seu site por acaso e adorei esse post. Sou Baiana e a Feira de São Joaquim foi muito bem retratada aqui. Parabéns!

    responder
  7. antonia

    amei a matéria. Parabéns, você é mesmo porreta.

    responder
    • Silvia Oliveira

      Êita! 🙂

      responder
      • Mariana Oliveira

        Oi bom dia Silvia,

        Estou a trabalhar num documentário cinematográfico sobre a Ferrovia no Brasil, e estamos a procura de um “feirante”, de um comerciante que utilize o trem para ir trabalhar na feira de São Joaquim. Será que nos pode ajudar nesse sentido, a encontrar alguém que possa conversar um pouco connosco?

        Obrigada

        responder
        • Silvia Oliveira

          Olá, Mariana! Talvez seja interessante entrar em contato diretamente com os organizadores da feira! Abs!

          responder
  8. LUIZ CARLOS MACHADO

    Sou baiano de coração e fiel admirador da sua cultura popular, seu artesanato suas belezas naturais, e principalmente pelo nosso povo com o seu jeito, seu “dengo”, seu jeito de falar e pela força em vencer as grandes dificuldades com garra, alegria, fé e otimismo.
    A sua matéria foi demais: clara, direta, verdadeira, retratando esta linda , “feia” , humana e pitoresca Feira de São Joaquim mas de uma beleza plástica fantástica, como você bem retratou em suas belas fotos.
    PARABÉNS SÍLVIA

    responder
    • Silvia Oliveira

      Valeu, Luiz! Obrigadão! 🙂

      responder
  9. e a mapa para chegar?

    responder
    • Silvia Oliveira

      Olá, Dave! Não precisa de mapa, o “Como chegar” está no final do texto! 😉

      responder
  10. Absolutametne amei o teu post, as tuas fotos . Me senti andando por esta feira contigo tal o poder da tua narrativa.E vou anotar para quando voltar a Salvador um dia.

    responder
    • Silvia Oliveira

      Legal, Valentina! 🙂

      responder
  11. Tuca Aguirre

    Amo a feira! Vou lá sempre q venho para cá ( umas 4 vezes por ano) . adorei sua descrição!,, idem, idem e idem para tudo. Assino em baixo!,

    responder
    • Silvia Oliveira

      Valeu, Tuca!

      responder
  12. Salve Silvia Oliveira

    Parabéns pela belíssima matéria sobre a Feira de Sao Joaquim, é um local de uma riqueza cultural e que representa muito a diversidade de Salvador.

    Vai uma dica próxima oportunidade não deixe de visitar o Recôncavo Baiano é uma experiência única na terra do massapé.

    responder
    • Silvia Oliveira

      Claudio, obrigada pela dica. Quero muito conhecer essa região, sim! abs!

      responder
  13. Ana Ricarda

    Sabe Silvia, passo pela Feira todos os dias e o meu olhar era sempre do cotidiano: viciado e e sem beleza. Até que um dia me vi interessada em escrever sobre a Feira de São Joaquim, muitos acharam inusitado outros me lançaram um olhar de indiferença. Quando li a sua matéria, cheia de detalhes e sensibilidade obtive a certeza de que não estou errada.
    Obrigada por tratar a comunidade de maneira tão simples e ao mesmo tempo tão rica de sensibilidade.
    Um abraço

    responder
    • Mariana Oliveira

      Oi bom dia Ana,

      Estou a trabalhar num documentário cinematográfico sobre a Ferrovia no Brasil, e estamos a procura de um “feirante”, de um comerciante que utilize o trem para ir trabalhar na feira de São Joaquim. Será que nos pode ajudar nesse sentido, a encontrar alguém que possa conversar um pouco connosco?

      Obrigada

      responder
  14. celenita morais

    amei esse lugar estava fazendo uma pesquisa procuro uma pessoa que tinha barraca ai seu luiz santos esposo de Berenice morais santos procuro esse casal a 45 anos mim ajuda ai a encontra-los eles são meus tios não os conheço obrigado!!!!

    responder
  15. Paula Lima

    Parabéns pelo post. Somos “entupidos” por pontos turisticos e quase não vemos o estado de verdade. A Feira não é para turista que quer “turistar”. A feira é para quem mete o pé na jaca mas consegue enxergar a beleza disso. Existem vários ângulos que podemos enxerga-la. Todos só veem o lado negativo. Mas você conseguiu transformar a feira em poesia, num post belissimo!
    Parabens!

    responder
    • Silvia Oliveira

      Obrigada, Paula! Você resumiu bem, não é uma feira para turistar, é para ver a essência das coisas! 🙂

      responder
  16. Glicia saldanha

    estive na feira de São Joaquim fazendo uma visita técnica pela faculdade, amei o povo : alegre , comunicativos e muito sabedor da historicidade da feira, principalmente os mais antigos feirantes. A feira globaliza a Bahia no geral, pois, traduz um pouco das culturas regionais de nosso estado. O local, realmente precisa de uma boa higienização, porém, será que não perderia as características naturais de uma feira!? pisa-pisa de gente pra tudo que é lado, correria, suor, cerveja e beleza, paquera, pois há espaço pra tudo, eta povo guerreiro! Parabéns pelo trabalho.

    responder
    • Mariana Oliveira

      Oi bom dia Glicia,

      Estou a trabalhar num documentário cinematográfico sobre a Ferrovia no Brasil, e estamos a procura de um “feirante”, de um comerciante que utilize o trem para ir trabalhar na feira de São Joaquim. Será que nos pode ajudar nesse sentido, a encontrar alguém que possa conversar um pouco connosco?

      Obrigada

      responder
  17. angelica

    Oi estou indo a Salvador pela primeira vez procurando temperos baianos me vi diante de alguem muito sensivel e sem frescura vou ficar na barra mais vou visitar esta feira muito legal so quero saber se posso trazer alguns temperos no avião pois vou arrebentar na minha comida aqui no rio vai ser pimenta pra tudo quanto e lado kkk e muito camarão desde ja aguardo sua resposta vou viajar em 28 de outubro

    responder
    • Silvia Oliveira

      Oi, Angelica! Pode trazer temperos, sim, desde que bem armazenados! Abs!

      responder
  18. Viviane

    Cheguei em Salvador e fui hoje (sábado de manhã) conferir esta feira, que depois de ler o post fiquei muito curiosa e também queria aproveitar pra comprar os produtos que são vendidos! Infelizmente, nos primeiros dez minutos aconteceu algo bem ruim que estragou o passeio: arrancaram minha corrente do pescoço. Era grupo de quatro meninos. E pela de reação de todos em volta, parecia que era algo normal. Era uma corrente simples, não era chamativa, mas depois fui informada por um motorista de taxi que esse tipo de coisa acontece lá. Por isso, aconselho quem for a ficar atento pra isso.

    responder
    • Silvia Oliveira

      Ah, que chato, Viviane! Espero que você esteja bem! Pois é, isso pode acontecer em qualquer lugar. Minha tia foi roubada em Barcelona e uma amigo, aqui em Curitiba em pleno centro da cidade, de dia. Obrigada pela dica! Temos que estar atentos, sempre!

      responder
  19. Jurema Carrilho

    Oi, tudo bem? Muito boa sua reportagem da feira de São Joaquim, faz tempo queria ir lá, mas como é longe de onde moro e sempre tem o estigma da sujeira, sempre deixo para depois, mas estava com aquela vontade “danada” rs rs, de ir lá e comprar várias coisinhas, tempero, cerâmica, nossa, ficaram lindas as fotos, bem o retrato do povo trabalhador esse da feira, sabe, aquele lugar que tem tudo, de modo simples e bacana. Parabéns, vou lá,d ar uma passadinha.

    responder
  20. Josianne

    Ola conheço o mercado é um mundo incrivel, mais quando estive foi a passeio sou de Curitiba e gostaria de saber se há um telefone para que eu passa comprar alguns produtos. talves aja um tel de administração.
    desde de ja obrigada a todos.

    responder
  21. jorge Pacheco

    Comi a melhor muqueca de salvado na feira deSao Joaqim restante vermalho uma maravilha..

    responder
  22. Marcia Rossetto

    Amo ir a Feira, até lá Salvador.

    responder
  23. Bela saída fotográfica. Amei o trabalho fotográfico e o texto.
    Quando foram tiradas as fotos?

    responder
    • Silvia Oliveira

      Em março de 2013. Abs!

      responder
  24. Bianca

    Ahh, adorei a matéria! Só fiquei meio grilada pq sou vegetariana rs, e ver cabeça de bode exposta será meio complicado. Mas seu texto foi belíssimo e agradeço muito por colocar o endereço e o transporte público pra chegar até o local, pq até agora não tinha achado (e olha que já estou a um tempo procurando).

    mt obrigada!

    responder
    • Silvia Oliveira

      Olha, Bianca, eu que não sou vegetariana quase tive um treco… é forte ver aquilo! Por isso que eu disse que a feira não é para os fracos! 🙂

      responder
  25. cecilia luiz

    Conheci a Feira dos Meninos em 1982, em minha primeira viagem, com uma amiga baiana, dizendo que os preços eram melhores e que era o local onde os baianos compravam, diferente do Mercado Modelo, eu adoro feira e mercados, sempre que viajo vou a todos, fico horas andando e procurando coisas que me rementam a infância. Estive na feira pela penúltima vez em 2008, e sempre que vou levo meus amigos, que ficam espantados com as bugigangas e com os preços, retorno amanhã em Salvador, e na 6° estarei na feira, apresentando para meu marido, espero tudo de bom.

    responder
  26. adorei ver a feira,fiquei com vontade de ir ate la,quero saber o telefone dos vendedores de camarao,que vi na feira,e possivel?preciso urgente.

    responder
  27. Silvia, cheguei aqui por acaso. Faço pós em Formação de Escritor, aqui em Sampa, e estava com a incumbência, de final de disciplina, de escrever um conto. Arrisquei em enveredar pelo que a memória me trouxe nos exercícios de aula: um dia em que eu e uma amiga, com 11 e 09 anos, respectivamente, tomamos pela primeira vez, sozinhos, o trem que ia da Calçada para o subúrbio, onde morávamos, em Salvador, Ba. Daí, comecei a relembrar, pesquisar sobre a área, sobre a Baia de Todos Os Santos, as feiras e cheguei aqui. Como me diverti com o seu texto. De cara, ri do Salvadô… Eu pronuncio assim… rsss… e nem me dava conta…rsss. Ri, também, do “bagarai”, embora eu ouça mais e pronuncie o “pacarai”. Seu texto é vivo e vc viva no texto. Muito bom ter apreciado um recorte inteligente, sem os preconceitos costumeiros, mas cheios de verdades. A feira de São Joaquim vive em todos nós baianos, pelo menos nos da minha geração. Minha mãe é uma fã da Feira e desde menino me levava com ela, quando saíamos para comprar os ingredientes do cozidão do sábado. Muito legal acompanhar um outro olhar que olha pra nossa gente e costume com humor, mas, acima de tudo, com respeito. Parabéns!!

    responder
    • Silvia Oliveira

      Que bacana, Zeel! Obrigada pela visita! 😉

      responder
  28. Giovanna Liguori

    Sou baiana de coração e acho esse lugar fantastico! Viagem no cerne da bainidade. Ha uma banca de venda de camarão seco na entrada que tem o feirante mais lindo do Brasil seu codinome é pai- de-santo! Ele rala coco na hora e tem o melhor camarao seco da feira!

    responder
  29. NORMA CARDINS

    É DELIRANTE ENCONTRAR PESSOAS COMO VOCÊ SILVIA .ESSA É UMA DAS FORMAS DE PRESERVAR O NOSSO PATRIMÔNIO ,BELO,MAS ESQUECIDO. SÃO POUCOS AQUELES QUE VALORIZAM O QUE TEM E O QUE DESCOBRE,CONTINUE ASSIM PORQUE TEMOS MUITO O QUE DOCUMENTAR. OBRIGADA E VÁ EM FRENTE.

    responder
    • Silvia Oliveira

      Valeu, Norma! Obrigada pelas palavras! 😉

      responder
  30. Fernanda

    Ótimo texto. É exatamente como voce falou é lugar pra o turismo alternativo, para aqueles que cansaram da mesmice dos pontos turísticos, pra quem mora na cidade não passa de uma feira mas quem é de fora ver realmente a cara do Brasil. Levei um amigo japonês na feira e ele adorou 🙂

    responder
    • Silvia Oliveira

      Que bacana, Fernanda! 🙂

      responder
  31. maria clara

    gostei porque fala espécificamente dos alimentos vendidos na feira meu pai ja esteve la varias vezes e ama fazer compras la na feira

    responder
  32. Romano

    Parabéns!
    Sou de Salvador gostei muito da Materia, la na feira o passeio e indescritível, você encontra todos os tipos de coisas, Objetos religiosos, Açougues,peixarias,etc..
    Vale a pena fazer uma visita,Novas descobertas e atraz de cada coisinha tem um pedacinho da nossa história, com foi dito o lugar não cheira muito bem (Alguns lugares) pelo fato dos alimentos frescos expostos, visitem e seja bem vindo a Salvador!

    responder
  33. Jéssica neves

    Cara, que bela descrição! Confesso que moro em Salvador, mas nunca fui à feira. Depois dessa, vou correndo conhecer. Parabéns pelo resumo bem feito da sua visita. Fiquei encantada…

    responder
    • Silvia Oliveira

      Valeu, Jéssica! Tem que ter o olhar apurado para reconhecer a essência da Feira de São Joaquim! Abs!

      responder
  34. eu quero saber ser tei coisa pra canoble em chapeu e ropa tei muita e

    responder
  35. lar tei chapeu pra canoble

    responder
  36. Luiz Alberto

    É possível encontrar pau de cabinda na feira de são joaquim?

    responder
  37. josenildo

    a feira de sao joaquim e massa eu quase toda semana estou la e as coisas la e muito mais enconta,e depois bato uma gelada a melhor cerveja de salvador esta na feira de sao joaquim e a carne do sol de bete da rua do fato e a melhor quando vc for na feira va ne bete pra vc ver que carne do sol e a melhor da bahia

    responder
  38. Ana Caroline

    Olá, gostaria de saber se vende galinha caipira abatida?!

    responder
  39. Ola, gostei mto da materia, sou feirante há 15 anos, e concordo com tudo q foi colocado,
    Sigam a pagina no Instagram @feiradesaojoaquim e venham conhecer mais ainda os detalhes dessa maior feira livre de Salvador.

    responder
  40. Sou de salvador e você conseguiu passar uma visão quase romântica da feira de são joaguim, compro muita coisa la, muito coisa que vem dos interiores, belo artigo e belas fotos

    responder
  41. Alexandre Lacerda

    Penso que, para conhecer um lugar você tem que vislumbrar como um povo vive, os produtos típicos dessa terra e a forma como esse povo se comporta. A feira de São Joaquim traz um pouco disso tudo e onde o caótico tem a sua beleza!!! Nós deparamos com um povo educado, simples e sem o desejo de explorar o turista.

    responder
  42. lais

    Oi, concordo 100% com seu post, que amei, saiba que quem trouxe p la foi meu marido, advogado italiano, que eu paulista conheci num reveillon em Salvador. Ele foi p la ja em 2003, atras das historias de Jorge Amado. Ja levamos nossas filhas no Natal do ano passado, foi uma viagem no tunel do tempo, e do espaço alias, ja que moramos em Milao …

    responder

Deixe seu Comentário






Comentários do Facebook

Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2019 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
×Fechar