terça-feira, 16 de abril de 2013

Feira de São Joaquim, em Salvador: onde você encontra a Bahia de verdade

Feira de Sao Joaquim Salvador dende

Coloco o pé num corredor pouco iluminado. Uma galinha passa voando na minha frente. (— Galinha voa?) Dou um pulinho para trás e um gritinho contido. Respiro e ando mais três passos. Enfio o pé na jaca. Literalmente. Na barraca ao lado, um bode mugindo. (— Bode muge?) Batizei, crismei. Havia chegado à feira de São Joaquim, a maior feira livre de Salvadô!

Feira de Sao Joaquim Salvador jaca

Feira de Sao Joaquim Salvador abbora

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Banana

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Pimentas Blog Matraqueando

Camarão seco, farinha, quiabo, frutas, peixes, carne. Cerâmica e incenso. Imagens de santos. Batata, tomate, animais vivos. Pimenta, muita. Pimenta vermelha, de cheiro, baiana, dedo de moça e japonesa. Tem jiló, tamarindo e vela preta. Raízes milagrosas. Curam mau olhado, espinhela caída e verruga no queixo. Trago a pessoa amada em três dias.

Feira de Sao Joaquim Salvador Agua dos meninos

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Tomate e Quiabo

É o cenário brasileiro mais rico que conheci. Um mergulho profundo, sem recortes, na realidade cotidiana da população de baixa renda, gente que busca no local alternativas econômicas para encher a sacola. Tomate? Dois real o quilo. (Você não escutou mal, eu falei t-o-m-a-t-e mesmo). Quiabo? 50 unidades pelo mesmo preço. Rapadura, tapioca, xinxim. Chifre de boi. Vai do freguês.

Feira de Sao Joaquim Salvador Raizes

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Aves

A Feira de São Joaquim tem quase 35 mil metros quadrados e ocupa umas 10 quadras na Cidade Baixa da capital baiana. Está em processo de revitalização. Já existe até uma ala nova (ainda provisória), onde os boxes estão distribuídos de forma limpa e ordenada. (Mas a parte xexelenta da coisa é muito mais inusitada).

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Aboboras

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Placas Matraqueando Blog de Viagem

Como há poucos relatos sobre a feira resolvi fuçar no TripAdvisor e encontrei apenas duas resenhas sobre o local: uma avaliava o passeio apenas como razoável e a outra como péssimo. E só por isso deduzi: acho que vou gostar deste lugar (muitas vezes retratado nos trabalhos de Di Cavalcanti, Carybé e Jorge Amado)

Feira de Sao Joaquim Salvador artesanato

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Artesanato

Quase nenhum guia de viagem (para não dizer simplesmente NENHUM) indica uma visita à tradicional Feira de São Joaquim. (Tá, o Guia Quatro Rodas faz uma menção à feira. Em cinco linhas. Para não passar batido. Só.) Lendo sobre a história do lugar percebi ali um enorme potencial para o turismo, digamos, alternativo.

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia farinha e fradinho

Feira de Sao Joaquim Salvador senhora feirante

Feira de Sao Joaquim Salvador camarao 3

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia frutas coloridas

Aqui não tem baiana com roupa colorida nem meninos fazendo show de capoeira para curitibano ver. Você não será abordado por ninguém pedindo dinheiro. As casinhas coloridas do Pelourinho dão lugar a boxes escuros e apertados. O acarajé está in natura, disfarçado de farinha e feijão fradinho.

Feira de Sao Joaquim Salvador banana

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Vendedor

Qualquer incursão antropológica aciona meu software interno do papo cabeça. A antropologia, aliás, aqui não é só modo de dizer. Conhecer a feira é quase um estudo de campo. A observação do cotidiano, das relações estabelecidas entre os personagens e o ambiente renderiam um artigo memorável sobre o baiano de raiz, nossas relações com a África, a história da Bahia ou a memória e identidade do Brasil.

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Barbearia

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Bode vivo

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Carnes

Alguém descreveu que o lugar é sujo e cheira mal. Não é bem assim. Mais honesto seria dizer que boa parte da feira é imunda é fede bagarai! Proooonto. (Como só eles sabem dizer!).

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Coco e Abacaxi

Feira de Sao Joaquim Salvador barracas

Feira de Sao Joaquim Salvador camarao catado

Consciente desta descrição realista, conforme prevê o método etnográfico da antropologia, não há como se decepcionar uma vez que você já sabe o que vai encontrar em boa parte do recinto. Do resto, é maravilhoso. Tem feirante jovem, velho, malandro, simpático e até aquele sem camisa todo trabalhado no Abará. (Suspiro.)

Feira de Sao Joaquim Salvador limão

Feira de Sao Joaquim Salvador feirante

Feira de Sao Joaquim Salvador temperos 1

Os sentimentos se desencontram. Fiquei assustada. Curiosa. Dei risada alta. Tive nojinho. Fiz pergunta boba. Andei desorientada. Passei 20 vezes pelo mesmo corredor. São quatro mil boxes. Sete mil feirantes.

Feira de Sao Joaquim Salvador senhor feirante 1

Feira de Sao Joaquim Salvador produtos

Fiquei mais de duas horas perambulando pelo local. Não vi um turista sequer, assim, tipo eu: cara de tonta com máquina fotográfica na mão. Se havia alguém ali de fora da cidade visitando apenas por curiosidade (assim, tipo eu) estava disfarçado de feirante.

Feira de Sao Joaquim Salvador orixa

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Santos

Feira de Sao Joaquim Salvador guias

Detodosmodis, a Feira de São Joaquim tem sido cada vez mais visitada pelo turista cansado de lugares para… turista. (Aquela lengalenga a que você já está acostumado). O filme Cidade Baixa (2005) do diretor Sérgio Machado (com Wagner Moura e Lázaro ramos como atores principais) tem cenas ambientadas aqui. Depois da estreia (e do sucesso) do premiado longa, não só no Brasil — mas mundo afora, os trabalhadores da feira viram o movimento aumentar.

Feira de Sao Joaquim Salvador feirantes

Feira de Sao Joaquim Salvador frutas

A microssérie O Canto da Sereia, exibida em janeiro deste ano pela Rede Globo, também contribuiu para aguçar a curiosidade de quem gosta de cultura popular. A obra teve diversas cenas gravadas no mercado.

Feira de Sao Joaquim Salvador colares 01

Feira de Sao Joaquim Salvador colares

A feira começou na década de 30 e se chamava Água de Meninos. Mas nos anos 60, dois incêndios destruíram quase todas as barracas. Mesmo sem um plano de reestruturação a feira foi se reerguendo e hoje ocupa uma área gigantesca. Oficialmente a Feira de São Joaquim tem 45 anos, período em que o terreno de ocupação — onde ela começou — foi regulamentado.

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Temperos Matraqueando Blog de Viagem

Descendentes de africanos escravizados ainda trabalham por aqui. O local é polo distribuidor de artesanato em cerâmica do Recôncavo Baiano e de produtos religiosos usados em candomblé. Até cabeça de bode recém-cortada estava exposta para venda. (A feira de São Joaquim é para os fortes, nêgo!)

Feira de Sao Joaquim Salvador Bahia Pimentas

A revitalização tem investimentos de R$ 61 milhões. O Ministério do Turismo está aplicando R$ 29 mi e o Governo da Bahia mais R$ 32 mi. É grana pra dedéu! O plano prevê, principalmente, a melhora da higienização e acessibilidade, preservando as características históricas da feira. Já o IPHAN tenta o título de Patrimônio Cultural e Imaterial do Brasil. E quando a obra terminar e o título for concedido, eu — orgulhosa — vou poder dizer: estive lá nos tempos em que a carne (e a cabeça de bode) era vendida ao ar livre.

Feira de Sao Joaquim Salvador feirante 1

Feira de Sao Joaquim Salvador flores

Feira de Sao Joaquim Salvador melão

A feira de São Joaquim é seu número. Isso, para você aí que reclama tanto dos lugares manjados e coalhados de turistas. É o tipo de experiência que mostra um mundo por trás da garrafa de dendê. Vá sem medo. Só não aceito reclamações depois! :mrgreen:

SERVIÇO

Feira de São Joaquim
Local: Av. Oscar Pontes, s/nº | Comércio | Salvador – BA
Funcionamento: segunda a sábado, 6h às 17h e domingo, das 6h às 13h.
Como chegar: você pode pegar o ônibus “Ribeira – Via Dendenzeiros” em frente ao Mercado Modelo e pedir para descer próximo à feira. Passagem R$ 2,80. O táxi do Mercado Modelo à feira custa em torno de R$ 12 — domingo, bandeira 2.

Posts relacionados

Igreja e Convento de São Francisco: a obra máxima do barroco na Bahia

Restaurante Ramma: cozinha natural no centro histórico de Salvador

Salvador: pelourinho de todos os santos

Leia também

Feira de Açaí, Belém: a essência da identidade paraense

Fotos: Sílvia Oliveira | Todos os direitos reservados. 

Share