Silvia Oliveira
  • Silvia Oliveira e sua incrível capacidade de repetir destinos. Essa sou eu. No mês passado revisitei Foz do Iguaçu pela quarta vez. Eu poderia até colocar a culpa no blog: “fui a trabalho”. Mas a proposta era descansar e fazer […]

  • Sabe aquele centrinho gastronômico rodeado por lojas de artesanato — com direito a feirinha  descolada — e que deveria estar em Foz do Iguaçu? Então, fica na vizinha Puerto Iguazu. Nos últimos anos, a  cidade argentina soube aproveitar a demanda […]

  • Diz aí: quem vai para Foz do Iguaçu e só pensa nos doces árabes feitos por um libanês radicado na cidade? Sim, eu! Sei que é inevitável falar de Foz e não associar o destino às fenomenais cataratas, à colossal […]

  • Belém é o bairro cartão-postal de Lisboa. A impressionante torre de arquitetura manoelina já é sua conhecida das latas de azeite e talvez seja o atrativo turístico mais lembrado quando se fala em Portugal. O monumento fica à beira-rio, exatamente […]

  • A região mais artística e cosmopolita de Lisboa chegou a ser devastada por um incêndio em 1988. Embora tenha perdido na tragédia parte dos edifícios Art Nouveau do século 18, o Chiado foi reconstruído e remodelado com a ajuda do […]

  • A capital portuguesa possui bairros emblemáticos e com características próprias. Alfama é o mais tradicional deles e, também, o mais antigo da cidade. A região está cheia de escadinhas e ruelas pitorescas, onde portinhas singelas podem esconder as principais casas […]

  • Um local inspirado na saudade. Regado a produtos de criação e fabricação portuguesa que resistiram ao longo dos anos, o estoque da loja A Vida Portuguesa contém itens que entraram para a memória do país. Algumas marcas, por exemplo, mantêm […]

  • Qualquer padaria, bodega, restaurantim ou birosca em Lisboa vende o célebre pastel de nata, o doce mais famoso do país. O Pastel de Belém está para os portugueses assim como o brigadeiro está para os brasileiros. A diferença é que […]

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Iguassu Resort: hospedagem luxo em Foz do Iguaçu (sem ir à bancarrota)!

Iguassu Resort  Hospedagem perto das Cataratas Foz

Silvia Oliveira e sua incrível capacidade de repetir destinos. Essa sou eu. No mês passado revisitei Foz do Iguaçu pela quarta vez. Eu poderia até colocar a culpa no blog: “fui a trabalho”. Mas a proposta era descansar e fazer passeios básicos (meus pais, que foram juntos, ainda não conheciam a cidade) num dos destinos mais incríveis do Brasil.

Iguassu Resort  Apartamentos com Piscina

Depois de me hospedar nos ótimos hotéis Nadai e Bella Itália e no econômico e simpRão Villa Canoas (todos no centro de Foz), desta vez optamos por uma hospedagem mais chiquetê, cheia de lero-lero. Sabe aquele seu momento emergente? Então, era o nosso.

Ficamos no Iguassu Resort, da rede GJP. Entre os hotéis de alto nível de Foz, o Iguassu Resort é o mais novo, com nota mais alta no Booking.com (9,1) e o que apresentava melhor custo-benefício para nós.

Iguassu Resort  Foz do Iguacu Como chegar

Reserva | Pelo Booking.com. O sistema não cobra taxa de reserva e tem cancelamento grátis para a maioria dos quartos. Inclusive este! Você coloca um cartão para garantir a reserva, mas o pagamento, no caso desta hospedagem, é no local. Você também pode fazer a reserva diretamente com o resort, mas o valor da diária é o mesmo. Prefiro a praticidade do Booking.

Iguassu Resort  Quartos

O quarto | Ficamos no Quarto Duplo Premium, indicado para um casal com filhos. Vem com duas camas de casal. O quarto é novo, amplo e apresenta decoração sofisticada. Oferece todas as comodidades esperadas num resort deste padrão como ar-condicionado, secador de cabelo, amenities fofíssimos, TV de tela plana com canais a cabo e frigobar. Veja mais fotos dos quartos aqui.

Wi-fi | Excelente e está incluído no valor da diária.

Iguassu Resort Meia Pensao Foz do Iguacu

Localização | Está a cinco quilômetros do Parque Nacional do Iguaçu e a quatro de Puerto Iguazu (cidade porta de entrada para o lado argentino das cataratas). Fica entre o centro da cidade e o aeroporto, localizado a 15 minutos do resort. Não existe nada no entorno, a não ser outros hotéis, mas quase tudo de que você precisa estará dentro do complexo.

Igussu Resort Restaurantes

Check-in | Rápido e gentil.

Check-out | Permitiram o check-out later (a diária vencia às 12h e nos deixaram sair às 15h). Aceita todos os cartões.

Atendimento | Ultrassimpático. (Sacumé, resorts são lugares que o-b-r-i-g-a-m você a se socializar!) :)

Iguassu Resort  Hospedagem perto das Cataratas Foz  Restaurante

Vantagem | O resort tem piscina, campo de golfe, quadra de tênis, pesca (meu pai e o Raul foram ao lago, até a vara e a isca o hotel providencia), salão de jogos, jacuzzis particulares em frente aos apartamentos e um Club Kids com atividades o dia inteiro para as crianças. São três restaurantes, incluindo um japonês. Você pode optar por diária com café da manhã (ma-ra-vi-lho-so!) ou meia-pensão (café da manhã e jantar). O complexo é muito grande e alguns apartamentos podem ficar longe da recepção. Para evitar qualquer desconforto oferecem vans e carrinhos de golf que podem levar você para cima e para baixo.

Iguassu Resort  Hospedagem Hall

Desvantagem | O resort em si não apresenta desvantagem alguma. Mas se for sua primeira vez em Foz do Iguaçu talvez compense um hotel mais barato (ou no centro da cidade) porque você passará boa parte do dia nos passeios e atrativos de Foz e, portanto, não aproveitará toda a infraestrutura (ponto alto da hospedagem) que o lugar oferece.

Iguassu Resort  Foz do Iguacu Localização

Preço | Quarto Duplo Superior (uma cama de casal) a partir de R$ 368 com café da manhã. O Quarto Duplo Premium (com duas camas de casal, indicado para quem vai com crianças) está a partir de R$ 423 com café da manhã. A diária com meia-pensão custa em torno de R$ 120 a mais. Nós escolhemos a meia-pensão. #MomentoExtravagância :mrgreen:

Serviço

Iguassu Resort

Local: Avenida das Cataratas, 6845 | Foz do Iguaçu

Tel. 0800 600 80 88

Posts Relacionados

Cataratas do Iguaçu

Itaipu Circuito Especial

Parque das Aves

Leia também

Rota de compras no Paraguai: lojas, impostos e chipa

Roteiro árabe em Foz do Iguaçu

AQVA: restaurante para provar a melhor carne argentina em Puerto Iguazu

____________________________

Veja tudo o que já falamos de Foz aqui.

____________________________

O Matraqueando paga todas as suas despesas de viagem. Sempre nos hospedamos anonimamente nos hotéis indicados. A proposta é mostrar para você uma resenha íntegra e isenta do lugar . Aqui, você pode confiar!

Disclaimer | Este post contém links para o Booking.com (parceiro comercial do blog) inseridos espontaneamente pela autora.
____________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
sexta-feira, 04 de abril de 2014

Matraqueando é o blog do mês no site Skyscanner e destaque no portal Expedia

Em 2013 tive a honra de ser eleita a Melhor Blogueira de Viagem no concurso anual realizado pela escocesa Skyscanner, a maior consolidadora de voos do mundo.  A escolha do vencedor foi pelo voto popular, o que me deixou muito orgulhosa dos matraquetes que votaram em mim e que fazem a nossa história crescer dia a dia.

Blog do Mes Skyscanner Matraqueando

Este ano eis que voltamos  a “conversar” com  a Skyscanner:  fomos eleitos o brogue do mês no site da empresa! Levando em consideração que o Brasil tem, no mínimo, 300 blogs de viagem atuantes, acredito que ter o nosso nome lembrado neste mar revolto que é a Internet é sempre  motivo de comemoração.  Eu conversei com a Editora de Conteúdo, Priscila Yamany Medeiros,  que recontou  um pouco da minha trajetória de “apresentadora de TV”  a uma feliz e realizada blogueira de viagem. Veja a entrevista completa aqui!

Quando eu ainda nem tinha me recuperado da satisfação de ver o Matraqueando subindo mais esse degrauzinho, fico sabendo que fomos indicados no blog do portal Expedia como referência em viagens mão de vaca muquiranas.  Para quem não sabe, o Expedia é uma das maiores agências de viagem on-line do planeta.

Blog destacado Expedia

Melhor: estamos ao lado de uma lista de blogs e blogueiros que amo como Viaje na Viagem, Conexão ParisViajando com Pimpolhos e Nós No Mundo. A especialista em Mídias Digitais Natalie Soares (também blogueira e autora do ótimo Sundaycooks) foi a responsável pela seleção que entrou na coluna Dicas de Viagem da Expedia. Corre lá bisoiá!

Ah, e hoje vamos gravar um bate papo no programa Revista Curitiba da ÓTV, canal a cabo da RPC, afiliada da Rede Globo no Paraná. O tema não poderia ser melhor: Espanha (meu país favorito na Europa). Quando o programa for ao ar, aviso! :D

Posts relacionados

Matraqueando  palestra no BloggerCon de Puerto Rico

Matraqueando no Seminário Viajosfera: maior encontro de blogueiros do Brasil

Matraqueando na revista Conselhos da Fecomércio de São Paulo

Matraqueando é destaque na revista Viagem e Turismo

Entrevista da Matraca no programa Encontro com Fátima Bernardes

Sílvia Oliveira eleita a melhor blogueira de viagem do Brasil no prêmio Bloscars Skyscanner 2013

________________________

Imagens: reprodução dos sites Skyscanner e Expedia

Share
quarta-feira, 02 de abril de 2014

AQVA: restaurante para provar a melhor carne argentina em Puerto Iguazu

Restaurante Aqua Puerto Iguazu Como chegar

Sabe aquele centrinho gastronômico rodeado por lojas de artesanato — com direito a feirinha  descolada — e que deveria estar em Foz do Iguaçu? Então, fica na vizinha Puerto Iguazu. Nos últimos anos, a  cidade argentina soube aproveitar a demanda turística local e criou algumas experiências interessantes para o viajante que atravessa a fronteira.

Restaurante Aqua Puerto Iguazu Localizacao

Minha ideia era conhecer três dos principais restaurantes da cidade: El Tío Querido, La Rueda e o AQVA. Mas como desta vez ficamos hospedados num resort (subi na vida, béin) não sobrou espaço — nem tempo — para a devassidão alimentícia que nos esperava.

Aplicamos  o infalível uni-duni-tê e ficamos com o AQVA, altamente recomendado pelos viajantes gourmets. Meu medo era que o restaurante cobrasse uma pequena fortuna por um trisco de carne, por exemplo. Há muitos relatos positivos no Tripadvisor, gente dizendo que os preços são honestos. Mas como “caro” ou “barato” são termos muito subjetivos ainda me restavam dúvidas.

O detalhe é que eu estava com meus pais e não podia fazer feio. Rá! Então fomos na linha seja-o-que-deus-quiser e o acerto foi geral. Ótima comida, ambiente aconchegante, atendimento acima da média (mas sem bajulação demais) e a continha final foi só alegria.

Restaurante Aqua Puerto Iguazu Onde fica

Bife de Chorizo com risoto de cebola e Bondiola de Cerdo ao molho barbecue 

Éramos em quatro adultos e uma criança. Pedimos quatro pratos. Eu fui de Bondiola de Cerdo (um corte da nuca do porco), meu pai e o Raul apostaram no Bife de Chorizo (contra-filé) e minha mãe pediu um Fettuccine com Lagostim para dividir com a Mariana. De entrada, apenas uma salada tradicional. O restaurante também oferece alguns pãezinhos deliciosos como couvert.

Restaurante Aqua Puerto Iguazu Precos

Fettuccine com lagostim e camarões com creme de tomate seco 

Comemos muuuito bem (gostei mais desta Bondiola do que a que comi no Crizia em Buenos Aires, que já era boa). Não coube sobremesa. Mas depois fiquei sonhando com o que poderia ser o Caayucayari do cardápio: um creme brulee de erva-mate, mandioca caramelizada com amêndoas e espuma de contreau.

A conta final, incluindo bebida (não pedimos vinho), ficou em R$ 175,00 — ou seja, R$ 87,50 por casal. Repetindo:  couvert, salada, prato principal e bebida por menos de R$ 90 o casal. E a gente ainda estava no estrangeiro! #JacuFeliz

SERVIÇO

AQVA Restaurant 

Local: Av. Córdoba e Carlos Thays (ao lado do Terminal de ônibus) | Puerto Iguazu – Argentina

Tel. (+ 54) 03757 422 064 / Cel. 03757 1567 1939

Forma de pagamento: aceitam cartões de crédito, Pesos e Reais. A cotação estava 4 por 1. Ou seja R$ 1 equivalia a 4 pesos.

Dica da Matraca | Para atravessar a fronteira é necessário ter RG em bom estado, passaporte ou CNH (válida somente para circular em Puerto Iguazu). Crianças devem ter RG ou passaporte (acompanhado da certidão de nascimento).

Posts relacionados

Roteiro árabe em Foz do Iguaçu

Templo Budista de Foz do Iguaçu

Cataratas do Iguaçu: lados brasileiro e argentino

Sobrevoando as Cataratas do Iguaçu

Itaipu: circuito especial

Parque das Aves

____________________________

O Matraqueando paga todas as suas despesas de viagem. Sempre nos hospedamos e comemos anonimamente nos locais indicados. A proposta é mostrar uma resenha íntegra e isenta do lugar. Aqui, você pode confiar!
____________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
sexta-feira, 28 de março de 2014

Roteiro árabe em Foz do Iguaçu

Mesquita Foz do Iguacu Como chegar

Diz aí: quem vai para Foz do Iguaçu e só pensa nos doces árabes feitos por um libanês radicado na cidade? Sim, eu! Sei que é inevitável falar de Foz e não associar o destino às fenomenais cataratas, à colossal Itaipu ou às queridíssimas muambas paraguaias.

Mas agora (voltei pela quarta vez na semana passada) estava curiosa para decifrar o universo salim-habib-fouad. Embora em números gerais Foz do Iguaçu abrigue a segunda maior colônia árabe do Brasil (só perde para São Paulo), a cidade tem, proporcionalmente, a maior comunidade islâmica do país. Facilmente você encontra pelas ruas mulheres usando o Hijab, aquele véu que cobre os cabelos e o colo, típico entre as muçulmanas.

Almanara Doces Arabes Foz do Iguacu como ir

A trajetória da comunidade árabe se confunde tanto com a história de Foz do Iguaçu que no ano passado foi aprovado projeto de lei que instituiu  no município o dia 12 de maio como o Dia Municipal do Povo Muçulmano.

Como não poderia deixar de ser, um dos resultados mais visíveis da influência deste processo migratório se deu na gastronomia. A cidade está cheia de lugares para provar uma autêntica esfiha ou um legítimo sharwarma. Alguns restaurantes oferecem buffet completo com todas aquelas maravilhas da comida árabe.

MESQUITA

Comece o reconhecimento de área pela Mesquita. Trata-se de uma linda construção de 15 metros de altura, toda branca e rodeada de arcos abobados. Internamente tem decoração espartana com várias referências arábicas.

Mesquita Foz do Iguacu

O templo está aberto à visitação pública, mas para conhecer o local é necessário seguir as regras da casa como deixar os sapatos na porta e usar o véu islâmico (neste caso, só as mulheres). O véu é oferecido lá mesmo. A pessoa que nos recebeu foi agradabilíssima e em 30 minutos nos passou várias informações sobre a religião e seus significados.

Mesquita Centro Cultural Islamico Foz do Iguaçu

Abre de segunda a sexta, 9h às 11h30 e 14h às 17h30; sábado, 9h às 11h30. Grátis.  É necessário agendar. Rua Meca, 599. Tel. (45) 3573.1123 e (45) 3025.1123.

ALMANARA DOCERIA ÁRABE

Lembra dos doces que eu mencionei lá no primeiro parágrafo? Estão aqui. Quando o Raul esteve em Foz no ano passado a trabalho (e produziu aquele ótimo post do Templo Budista para nós) ele também foi à Mesquita e acabou conhecendo, sem querer, a Almanara. Os elogios foram tantos (o Raul também é descendente de árabe) que eu não pensava em outra coisa senão provar os tais acecipes do brimo.

Almanara Doces Arabes Foz do Iguacu precos

A doceria fica bem em frente à mesquita, é só atravessar a rua. O libanês Bayan Abdulbaki, dono do local, já virou celebridade em Foz do Iguaçu, tudo por conta do tal quitute que derrete na boca, feitos diariamente. São folhados (chamados de baklavas) com castanha de caju, amêndoa, tâmara, pistache e — pAra tudo — um bolo de açafrão que me faz chorar de saudades todos o dias.

Almanara Doces Arabes Foz do Iguacu

A produção dos doces começou com o bisavô de Bayan que há mais de 100 anos construiu um forno onde vivia no Líbano. A receita secreta foi passada de geração em geração. A doceria Almanara é um local simples, sem decoração ou móveis design.

Almanara Doces Arabes Foz do Iguacu Localizacao

O luxo aqui está na vitrine e na simpatia do Bayan (no caixa atendendo os clientes), que acompanha de perto a produção e até hoje coloca a mão da massa. Os doces são vendidos por quilo e o preço varia de acordo com o sabor escolhido (R$ 45 a R$ 75 o quilo). Mas como são doces leves você enche a bandeja gastando pouco. Nós compramos 14 docinhos para levar (incluindo os bolos) e a conta ficou em módicos R$ 15.

Rua Meca, 642. Tel. (45) 3522.3043. Funciona todos os dias, 7h30 às 20h. Quando os doces acabam, a doceria pode fechar mais cedo. Ligue antes de ir. (Há outra unidade bem no centro, na Rua Bartolomeu Gusmão, 615. Mas está em reforma, no momento).

CASTELO LIBANÊS

A três quadras da Mesquista tivemos uma das nossas melhores experiências gastronômicas na cidade. (Obrigada pela dica, Garon!) Não é difícil a gente amar a comida árabe, é uma das nossas preferidas. Mas o Castelo Libanês nos ofereceu um ambiente acolhedor e um prato mais delicioso que o outro.

Castelo Libanes Foz do Iguacu

O local conta ainda com açougue e um forno para assar os pães. Todas as carnes servidas no restaurante são preparadas conforme orienta a religião islâmica: todo o sangue do animal é retirado após o abate.

Castelo Libanes Localizacao

No almoço o serviço é a la carte. E os preços são muito atrativos: pasta de homos (R$ 12), pasta de berinjela (R$ 12), charuto com folha de uva (R$ 14 – 12 unidades), kibe frito (R$ 12 – 6 unidades), prato mix com dois espetinhos de kafta, dois de carne e dois de frango (R$ 30) e shawarma (R$ 16 – enorme, dá para duas pessoas). O cardápio é extenso.

Castelo Libanes Comida arabe Foz do Iguacu

Nos estávamos em cinco pessoas (quatro adultos e uma criança – viajei com meus pais) e nossa conta não chegou a R$ 100 (para os cinco!), incluindo bebida e taxa de serviço!!! Já no jantar o sistema é self-service e o valor é de R$ 50 por pessoa para comer à vontade.

Rua Vinícius de Morais, 520 – Jardim Central. Tel. (45) 3526-1218. Funciona de terça a domingo, 12h às 22h.

Posts relacionados

Templo Budista de Foz do Iguaçu

Cataratas do Iguaçu: lados brasileiro e argentino

Sobrevoando as Cataratas do Iguaçu

Itaipu: circuito especial

Parque das Aves

_________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
quarta-feira, 19 de março de 2014

Lisboa bairro a bairro | Belém

Lisboa bairro a bairro Belem Imas de geladeira

Belém é o bairro cartão-postal de Lisboa. A impressionante torre de arquitetura manoelina já é sua conhecida das latas de azeite e talvez seja o atrativo turístico mais lembrado quando se fala em Portugal. O monumento fica à beira-rio, exatamente de onde partiram – há mais de 500 anos – as caravelas rumo ao Novo Mundo. Uma delas descobriu o Brasil.

A região está fora do eixo cêntrico da capital (Alfama, Baixa e Chiado) e exige um passeio de dia inteiro. Há museus interessantíssimos, monumentos Patrimônio da Humanidade, restaurantes bacaninhas e a famosa Antiga Confeitaria de Belém com seus suculentos e clássicos pastéis de nata.

O QUE FAZER

Torre de Belém

Construída como um forte às margens do Rio Tejo, a Torre de Belém já foi controle aduaneiro, central de telégrafos e até um farol. Em alguns momentos da história virou masmorra, transformando-se em prisão política durante a ocupação espanhola.

Lisboa bairro a bairro Torre de Belem

Hoje é um centro preservado como Patrimônio Cultural da Humanidade e está na lista das Sete Maravilhas de Portugal. Com o passar dos séculos se converteu num marco da Era dos Descobrimentos. É daqui que você leva a foto mais emblemática de Lisboa.

Av. Brasília, s/n. De terça a domingo, 10h às 17h30 (18h30 no verão). Entrada: € 5. Pessoas com mais de 65 têm 50% de desconto. Crianças com menos de 14 anos não pagam. O bilhete combinado Torre de Belém/Mosteiro dos Jerónimos custa € 10. Grátis domingos e feriados até às 14h. Fecha às segundas-feiras, domingo de Páscoa, 1º de maio, Natal e Ano Novo.

Mosteiro dos Jerónimos

Construído em 1502, o Mosteiro dos Jerónimos está repleto de referências ao período dos descobrimentos. Tem uma belíssima arquitetura. Na minha opinião, aliás, é o monumento mais lindo de Lisboa. (Lembra muito os Mosteiros de Batalha e Alcobaça, ambos nos arredores da capital). Abriga os restos mortais de Luís de camões e Vasco da Gama. É Patrimônio da Humanidade.

Lisboa bairro a bairro Mosteiro dos Jeronimos como chegar

Praça do Império. De terça a domingo, 10h às 17h30 (18h30 no verão). Entrada: € 7. Pessoas com mais de 65 têm 50% de desconto. Crianças com menos de 14 anos não pagam. O bilhete combinado Torre de Belém/Mosteiro dos Jerónimos custa € 10. Grátis domingos e feriados até às 14h. Fecha às segundas-feiras, domingo de Páscoa, 1º de maio, Natal e Ano Novo.

Dica da Matraca | O passe Lisboa Monumental (Torre de Belém, Mosteiro dos Jerônimos e Palácio Nacional da Ajuda) custa € 13. É possível comprar os bilhetes individuais e combinados no local ou on-line.

Padrão dos Descobrimentos

O monumento de 56 metros de altura caracteriza uma caravela e seus navegadores mais famosos. Estão ali personagens ilustres da terrinha como Pedro Álvares Cabral, Luís de Camões e Vasco da Gama. Construído em 1940 à beira do Rio Tejo e a poucos metros da Torre de Belém, o Padrão do Descobrimento evoca a expansão ultramarina portuguesa.

Lisboa bairro a bairro Torre de Belem e Padrao dos Descobrimentos

Av. Brasília, s/n. Entrada € 3. Crianças menores de 12 anos não pagam. De terça a domingo, das 10h às 18h. (19h no verão). De abril a setembro também abre à segundas.

Museu Coleção Berardo 

Um dos poucos centros culturais gratuitos de Lisboa, o museu reúne mais de 800 obras do milionário José Berardo. A coleção de arte moderna e contemporânea representa cerca de 70 correntes artísticas e traz nomes como Joan Miró, Pablo Picasso, Andy Warhol, Piet Mondrian, Frank Stella, entre outros. O local é maravilhoso e superbem distribuído. Está em uma das alas do Centro Cultural de Belém. Do terraço você tem uma linda vista do Mosteiro dos Jerónimos.

Praça do Império. De terça a domingo, 10h às 19h. Fecha no dia 25 de deszembro. Abre no dia 1º de janeiro (12h às 19h). Grátis. Algumas exposições temporárias podem ser cobradas à parte. Oferece cadeiras de rodas para empréstimo na recepção. A fofa – e cara – loja do museu funciona todos os dias, 10h às 19h.

Museu Nacional dos Coches 

Por ser tão singular (expõe carruagens, carros e carrinhos de passeios usados pelos reis há séculos), o Museu dos Coches é uma das visitas mais pitorescas de Lisboa. Além dos veículos, o local reúne, ainda, acessórios de cavalaria, cortejo e fardamento típico da Corte. Visitei o acervo em 2006. Nessa minha última vez na cidade não refiz o passeio. Mas você pode ver tudim o que o museu oferece neste post da Camila Navarro do blog Viaggiando. Está recheado de fotos. Corre lá. 

Praça Afonso de Albuquerque. De terça a domingo, 10h às 18h. Entrada: € 5. Pessoas com mais de 65 anos têm 50% de desconto. Crianças menores de 14 anos não pagam. Gratuitos aos domingos e feriados até às 14h. Fecha às segundas, domingo de Páscoa, 1º de Maio, Natal e Ano Novo.

Ponte 25 de abril

Em Belém você tem uma bela vista da ponte suspensa mais alta da Europa, a 25 de Abril. A enorme estrutura vermelha de ferro lembra muito a Golden Gate de São Francisco (foram projetadas pela mesma empresa). Tem mais de dois quilômetros e está a 70 metros acima do Tejo.

ONDE COMER

A rede de restaurante e cervejaria Portugália tem uma unidade aqui, próxima ao Padrão dos Descobrimentos. A casa é conhecida pelos seus suculentos bifes e pela tradicional Acorda de Camarão. Não é uma comida extraordinária, mas você come bem, pagando o justo.

Se você busca um momento-extravagância e prefere um lugar mais sofisticado com alta gastronomia portuguesa (sem ir à falência) vá ao A Commenda, restaurante do Centro Cultural de Belém. O gasto médio por pessoa é de € 30. Aos domingos serve o famoso Cozido à Portuguesa. Oferece uma vista linda do Tejo e da Ponte 25 de Abril. Veja horário de funcionamento aqui.

pasteis 2

Já a sobremesa deixe para a Antiga Confeitaria de Belém (também conhecida simplesmente como “Pastéis de Belém) que produz, com uma receita secreta há séculos, um dos mais saborosos pastéis de nata do país. (Falamos dela aqui.)  O local também oferece sanduíches e salgados. É possível fazer um lanche completo por menos de € 10.

ONDE COMPRAR

Não vejo Belém como uma região propícia para compras. Talvez saindo dos arredores dos atrativos existam algumas lojinhas interessantes. Mas em todas as vezes em que estive aqui nunca saí muito da região turística.

Lisboa bairro a bairro Belem Souvenir

A loja do Museu Berardo é ótima. Traz objetos de design, livros e catálogos. Mas tem preços acima da média. No entanto, há coisinhas miúdas como lápis, canetas, blocos e chaveiros personalizados com o logo do museu que podem se transformar em lembrancinhas bacanas.

A Antiga Confeitaria de Belém também vende os pastéis de nata para viagem em lindas embalagens. O detalhe é que eles duram, no máximo, três dias. Ou você compra para comer durante o passeio ou se quiser presentear um amigo, é melhor comprar no dia em que estiver voltando ao Brasil!

ONDE FICAR

Belém é um bairro afastado do “centro” de Lisboa. Portanto, não vejo muita vantagem em se hospedar aqui. A grosso modo seria mais ou menos como ir ao Rio de Janeiro e se hospedar na região metropolitana da cidade. São 25 minutos de distância do Terreiro do Paço (Praça do Comércio) a Belém.

Alfama está a 35 minutos com transporte público. Fazer essa pequena viagem duas vezes no dia não vai incomodar. Mas toda vez que você quiser ir a qualquer outro bairro mais central como Baixa, Chiado e Bairro Alto terá que incluir esse tempo de locomoção. E não pense que por isso o bairro seja, assim, mais tranquilo. Belém está sempre cheio de turistas.

Caso faça questão, a região oferece hospedagem para todos os bolsos. O simpático hostel Famous Crows tem quartos privativos ou compartilhados e inclui café da manhã. Está a 300 metros do Mosteiro dos Jerónimos. O quarto duplo com banheiro sai a partir de € 50.

Podendo gastar um pouco mais, opte pelo contemporâneo e elegante Hotel Jeronimos 8. (Ao lado do mosteiro). Quartos novos e decoração moderna. Oferece farto café da manhã. Quarto duplo a partir de € 120.

COMO CHEGAR A BELÉM

Eléctrico (bonde): 15E. Autocarro (ônibus): 727, 728, 729. Comboio (trem): Estação Belém. (Para chegar aos principais atrativos pegue o bondinho na Praça da Figueira ou no Terreiro do Paço. )

Lisboa bairro a bairro

Alfama

Baixa

Chiado e Bairro Alto

Posts relacionados 

As Sete Maravilhas de Portugal

Onde comer bem e barato em Lisboa

Rota do Pastel de Belém: onde provar o doce mais famoso de Portugal

Leia também

Europa Barata: Lisboa pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Lisboa ao centro

Portugal a € 50 por dia

Hospedagem boa e barata em Lisboa

Wallis Guest House: hospedagem familiar com quartos reformados no centro de Lisboa

Lisbonaire Apartment: hopedagem novíssima, barata, bem localizada e que, ainda por cima, adora crianças

Golden Tram 242: hostel tinindo de novo no coração de Lisboa

Lisboa combina com

Fátima

Batalha

Alcobaça

Nazaré

Óbidos

____________________________

O Matraqueando paga todas as suas despesas de viagem. Sempre nos hospedamos e comemos anonimamente nos locais indicados. A proposta é mostrar uma resenha íntegra e isenta do lugar. Aqui, você pode confiar!

Disclaimer | Este post contém links para o Booking.com (parceiro comercial do blog) inseridos espontaneamente pela autora.
____________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
quinta-feira, 13 de março de 2014

Lisboa bairro a bairro | Baixa

Lisboa bairro a bairro Baixa Pastelaria

Entendo a região da Baixa como o centro propriamente dito de Lisboa. Não dá para chamar exatamente de Centro Histórico porque, à exceção do Parque das Nações, quase todos os bairros da cidade são seculares. Mas sabe aquela região da sua cidade onde se concentram os artistas de rua, grupos de senhores aposentados ou onde acontecem festas populares e protestos? Então, na capital portuguesa é na Baixa.

Lisboa bairro a bairro Baixa Azulejos

O bairro também é conhecido como Baixa Pombalina, uma homenagem ao Marques de Pombal, primeiro ministro que reconstruiu a região depois do terremoto de 1755. Foi o primeiro planejamento urbano neoclássico da Europa e a primeira construção antissísmica em grande escala do mundo.

Lisboa bairro a bairro Baixa frutas

O traçado moderno com ruas largas ajudou a projetar a Avenida da Liberdade, uma das mais aristocráticas da capital portuguesa. A Baixa é formada pela clássica Rua Augusta e algumas das mais antigas praças do país.

O QUE FAZER

Elevador Santa Justa 

O elevador foi projetado por Raoul Mesnier du Ponsard que, especula-se, teria sido um dos alunos de Gustave Eiffel – sim, o cara que deu nome à torre mais famosa do mundo. Mas essa ligação nunca foi provada. Trata-se de uma estrutura em ferro, estilo neogótico que sai da Rua do Ouro (na Baixa) e vai a 45 metros de altura até chegar ao Largo do Carmo (no Chiado), pracinha onde aconteceu a Revolução dos Cravos.

Lisboa bairro a bairro Baixa Elevador de Sta Justa

Elevador Santa Justa Vista do Mirante Praca do Rossio

Elevador Santa Justa Vista do Mirante Rio Tejo

Do alto você vislumbra a cidade de um lado, o Rio Tejo do outro e o Castelo de São Jorge bem ao meio. Rua do Ouro, s/n. Funciona todos os dias das 7h às 23h (até 21h45 no inverno). Bilhete: € 5 para subir e descer, inclui acesso ao miradouro. Ou o valor de uma passagem de metrô – € 1,40 – caso você tenha o cartão de transporte Viva Viagem, adquirido nas estações de metrô. Neste caso, paga-se mais € 1,50 para ir até o mirante. Metrô Baixa-Chiado ou Rossio.

Praça da Figueira

É um dos melhores pontos para visualizar as muralhas do Castelo de São Jorge, lá no alto da colina de Alfama. A Praça da Figueira abriga, ainda, a Confeitaria Nacional, de 1829, um dos cafés mais antigos da capital. O local tem linda arquitetura interna e um salão no segundo andar onde servem comida portuguesa a ótimos preços, principalmente na hora do almoço.

Lisboa bairro a bairro Baixa Ginginha

Praça dos Restauradores

O obelisco monumental no centro da praça é uma homenagem à restauração da coroa portuguesa após 60 anos de domínio espanhol. Daqui parte um dos mais emblemáticos elevadores de Lisboa, o Elevador da Glória (bondinho) que liga a Baixa ao Bairro Alto. Na Praça dos Restauradores há vários bares e restaurantes, entre eles, o Hard Rock Café, instalado num antigo cinema.

Lisboa bairro a bairro Baixa Elevador da Gloria

Praças Imperiais

A Baixa concentra duas das principais praças de Lisboa. A Praça do Comércio (também chamada de Terreiro do Paço) e a Praça Dom Pedro IV (conhecida como Rossio). Ambas possuem comércio, cafés e restaurantes.

Lisboa bairro a bairro Baixa Terreiro do Paco

O Terreiro do Paço é o lugar ideal para você tirar sua melhor foto do Arco da Rua Augusta. Mas na minha última visita à cidade o arco passava por uma restauração e estava todo cercado por andaimes. O local também abriga o Lisbon Story Centre, um centro multimídia que conta a história da capital.

Aqui fica o tradicionalíssimo café Martinho da Arcada, um dos lugares preferidos de Fernando Pessoa. A mesinha onde ele se sentava está preservada até hoje. Abre todos os dias das 12h às 14 e das 19h às 22h. Metrô Terreiro do Paço.

Lisboa bairro a bairro Baixa Praca do Rossio Dia

Já a Praça do Rossio, ligada ao Terreiro do Paço pela Rua Augusta, também tem o seu café histórico. O Café Nicola, estilo Art Deco, era bat-ponto do poeta Manuel Bocage, o principal representante do arcadismo português. A especialidade da casa é o “Bife à Nicola”. Funciona todos os dias das 8h às 0h.

Lisboa bairro a bairro Baixa Estacao de Trem do Rossio

No centro do Rossio ergue-se a estátua de Dom Pedro IV (nosso Dom Pedro I). Ao redor ficam o Teatro Nacional Dona Maria II e a lindíssima Estação do Rossio (foto acima), de onde saem os trens para Sintra. Metrô Rossio.

Lisbon Story Centre

É a melhor novidade turística da capital na última década. É um centro tecnológico e multimídia que conta a história de Lisboa desde a fundação, passando pelos principais acontecimentos da capital até chegar aos dias de hoje. O centro de interpretação tem salas que reproduzem sons, cheiros e até o terremoto de 1755, a grande tragédia da cidade. (Veja o relato da nossa visita aqui.)

Lisboa Story Centre  Como chegar

Praça do Comércio, 78. Metrô Terreiro do Paço. Diariamente, das 7h às 20h. Entrada: € 7. Estudando menores de 16 anos e pessoas com mais de 65 pagam € 5. Crianças de 6 a 15 pagam € 3. Menores de 5 anos não pagam. 

Parque Eduardo VII

É quase um Parque Ibirapuera dos lisboetas. Esta grande área verde fica numa das regiões mais frenéticas da cidade. O nome do parque homenageia um antigo rei… inglês! Tem lago com carpas e um parque para as crianças brincarem. Avenida da Liberdade, s/n. Diariamente, 9h às 17h30 (até 16h30 no inverno). Metrô Parque ou Marquês de Pombal.


Exibir mapa ampliado

ONDE COMER

A região está repleta de restaurantes populares, com farta comida e ótimos preços. O Taverna Imperial (que já ganhou post próprio) fica na Praça dos Restauradores. O cardápio é extenso. A Caldeirada de Bacalhau para dois sai por módicos € 7,50.

Lisboa bairro a bairro Baixa Restaurante Leao de Ouro

A poucos passos dali está o Restaurante Leão d’Ouro,  quase ao lado da Estação do Rossio. O ambiente, superagradável, tem as paredes azulejadas. Um casal come aqui fartamente, incluindo vinho, por  menos de € 20. Se quiser poderá optar pelo “Buffet Livre” com saladas, sopas, peixe e diversos tipos de carne grelhada, comendo à vontade por um preço fixo: € 6,90 almoço (durante a semana) e € 7,90 o jantar.

Lisboa bairro a bairro Baixa Cafe Martinho da Arcada

O Café Martinho da Arcada, no Terreiro do Paço, tem preços acima da média por conta do frenesi turístico que ronda o lugar. Mas  se você quiser comer no mesmo lugar onde Fernando Pessoa passava as tardes peça os “minipratos” (porções menores) como a Vitela fatiada à Martinho ou Leitão de Negrais Guarnecido  por € 5,25 cada.

A Tasca d’Lyon, na Rua dos Sapateiros, apareceu no meu roteiro sem querer. Acabei comendo lá duas vezes. E tenho saudades até hoje do taglietele de camarão do lugar. (O restaurantinho já até entrou na nossa lista de onde comer bem e barato em Lisboa).   No menu você poderá escolher entre carne, peixe, bacalhau, frutos do mar e massas. A média dos pratos é de € 9. Mas no almoço tem um Menu Fixo com dois pratos (peixe ou carne mais salada) e café por incríveis € 5.

Nata café Onde comer Pastel de belém Lisboa Portugal

E para comer o melhor pastel de belém da cidade vá ao Nata Lisboa que tem uma unidade na Rua da Prata, 78. Já falamos mais dele aqui.

ONDE COMPRAR

A Conserveira de Lisboa é uma das lojas mais fofas da cidade. Fundada nos anos 30, oferece até hoje os mesmos produtos desde que abriu: as tradicionais conservas portuguesas. São embalagens antigas, no melhor estilo retro. Até a caixa registradora de madeira original permanece a mesma. Rua dos Bacalhoeiros, 34.

Na Rua da Conceição (entre as ruas da Prata e Augusta) há um conglomerado de retrosarias, o nosso Armarinho, casas que vendem lãs, linhas, barbantes, máquinas de costura e aviamentos em geral. Uma perdição para quem gosta de trabalhos manuais como tricô, crochê e bordados. Uma das mais conhecidas é a Retrosaria da Lara, há mais de 50 anos no mesmo endereço.

Lisboa bairro a bairro Baixa Cartao Postal

A Rua Augusta é o calçadão lisboeta. Tem todo o tipo de comércio como lojas de roupas, sapatos, vendedores de flores e de castanhas assadas. Se existe algum lugar na cidade onde você vai encontrar músicos independentes e estátuas vivas nas mais variadas performances… será aqui. As ruas paralelas à Augusta ganharam nomes dos ofícios ou materiais que há séculos circularam na região: Rua dos Sapateiros, Rua dos Bacalhoeiros, Rua do Ouro, Rua da Prata, entre outras.

ONDE FICAR

A vantagem de ficar hospedado na Baixa é que você estará muito próximo do Chiado – pagando geralmente uma diária mais em conta – com fácil acesso aos bairros Alfama, Belém e a outros atrativos turísticos. Meu último achado muquiranístico foi o Golden Tram 242 Lisbonne Hostel.  O hostel fica quase em frente ao Elevador de Santa Justa (portanto, a 100 metros do Chiado) e foi inaugurado há menos de um ano. Tem dormitórios coletivos a partir de € 16 por pessoa e quartos duplos a partir de € 60 com banheiro privado. Novíssimo e com café da manhã incluído. Veja nosso post sobre o Golden Tram aqui.  (Você até encontra hospedagem dupla mais em conta no Chiado, mas quase sempre com o banheiro compartilhado.)

Goldem-Tram-Hostel-Lisboa-Hospedagem-boa-e-barata-em-LisboaGolden Tran 242 Lisbonne Hostel

Se sua ideia é passar mais de uma semana na cidade talvez compense alugar um apartamento. O Lisbonaire Apartments  foi o melhor custo-benefício que encontrei. Tinindo de novo, apartamentos amplos, lindamente decorados por designers portugueses e cozinha completamente equipada. (Veja como foi nossa experiência no apartamento  aqui). O metrô está praticamente na porta. A partir de € 35 por pessoa. O apartamento quádruplo sai por € 125. Corre lá reservar porque o Lisbonaire é disputadíssimo.

Lisbonnaire-Apartaments-Lisboa-Quarto-casalLisbonaire Apartments

Bem em frente ao Parque Eduardo VII (a três estações de metrô do Rossio) está a Wallis Guest House.  Para quem não sabe a guest house é um ambiente familiar transformado para receber hóspedes. Você tem direito às chaves e, em alguns casos, a determinados serviços incluídos.

Tem quartos individuais a partir de € 20 e de casal a partir de € 30 com banheiro compartilhado. Tudo recém-reformado e com cozinha disponível para os hóspedes. Recomendadíssimo. (Veja meu relato completo sobre o lugar). Ah, eu fiz uma pesquisa pelo Booking.com (parceiro do Matraqueando) com entrada na Wallis Guest House em outubro de 2014 o quarto duplo aparece por míseros € 19. :D

COMO CHEGAR À BAIXA

Metrô: Terreiro do Paço, Rossio e Restauradores. Autocarro (ônibus) 728, 732, 735, 759, 760, 781,781. Eléctrico: E15 e E25.

Lisboa bairro a bairro

Alfama

Chiado e Bairro Alto

Posts relacionados

Onde comer bem e barato em Lisboa

Rota do Pastel de Belém: onde provar o doce mais famoso de Portugal

Leia também

Europa Barata: Lisboa pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Lisboa ao centro

Portugal a € 50 por dia

Hospedagem boa e barata em Lisboa

Wallis Guest House: hospedagem familiar com quartos reformados no centro de Lisboa

Lisbonaire Apartment: hopedagem novíssima, barata, bem localizada e que, ainda por cima, adora crianças

Golden Tram 242: hostel tinindo de novo no coração de Lisboa

Lisboa combina com

Fátima

Batalha

Alcobaça

Nazaré

Óbidos

___________________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
terça-feira, 11 de março de 2014

Lisboa bairro a bairro | Chiado e Bairro Alto

Largo do Carmo Lisboa

A região mais artística e cosmopolita de Lisboa chegou a ser devastada por um incêndio em 1988. Embora tenha perdido na tragédia parte dos edifícios Art Nouveau do século 18, o Chiado foi reconstruído e remodelado com a ajuda do super-top-mega arquiteto português Álvaro Siza Vieira.

Lisboa bairro a bairro Chiado fachadas

Hoje, abriga cafés, teatros, galerias, lojas e a ancestral Livraria Bertrand, aberta desde 1732. O centenário Café à Brasileira com a famosa estátua de Fernando Pessoa fica na Rua Garret, uma das mais vibrantes da região. Na obra Os Maias, o escritor Eça de Queiroz faz diversas referências ao Chiado e ao Grêmio Literário, uma espécie de clube de intelectuais da época.

Lisboa bairro a bairro Bairro Alto Santo Antonio

Já o Bairro Alto, considerado a zona boemia de Lisboa, é uma espécie de extensão do Chiado. É frequentado por intelectuais, artistas, designers e, claro, atrai turistas em busca de agito e bons restaurantes. Vanguardista, a região tem intensa vida cultural e noturna.

O QUE FAZER

Rua Garret 

É a principal artéria do Chiado. Já foi polo intelectual de Lisboa no século 20 e hoje é ponto de encontro para uma birita antes do jantar que, provavelmente, vai acontecer no vizinho Bairro Alto. A via, cheia de prédios Art Nouveau, acolhe diversas livrarias importantes e centenárias, entre elas a  Bertrand (nº 73) , a primeira da cidade — fundada há mais de 280 anos. (Há uma filial no Centro Cultural de Belém.)

Lisboa bairro a bairro Chiado Cafe a Brasileira

O Café À Brasileira (nº 120) é outro ícone da rua. Era aqui que se reuniam as grandes personalidades da cultura portuguesa como o escritor Fernando Pessoa. A estátua do poeta que fica em frente ao café é ponto estratégico para aquela foto jacu que você vai levar feliz da vida para casa.

O Chiado é um centro de compras e algumas das principais e mais descoladinhas lojas da cidade estão na Rua Garret. (Veja mais abaixo em Onde Comprar).

Igreja e Convento do Carmo

Construído no século 14, o templo foi completamente destruído no terremoto de 1755. Era a principal igreja gótica da capital. Sobraram apenas as ruínas do prédio. A catástrofe acabou deixando uma estética ímpar com arcos em formas de ogivas erguidos no meio do nada. (Veja nosso relato completo aqui).

Ruínas do Carmo Lisboa - Como Chegar 3

No local você pode visitar também o Museu Arqueológico do Carmo que traz uma maquete da igreja como ela era, uma exposição de peças pré-históricas portuguesas, túmulos góticos, romanos e até múmias! Largo do Carmo. Tel. +351 213 478 629. Horário: outubro a maio, 10h às 18h e junho a setembro, 10h às 19h. Não abre aos domingos, Natal, Ano Novo e 1º de maio. Entrada: € 3.  

Largo do Carmo

Fica em frente à igreja e convento do Carmo. Essa simpática praça foi palco da célebre Revolução de 25 de Abril de 1974. Uma dissidência das forças armadas, com o apoio do povo, derrubou a ditadura e deu início à democratização do país.

Largo do Carmo Lisboa Portugal

Não houve mortos ou feridos durante o protesto. Nos dias que sucederam à revolta, as espingardas dos soldados em vez de balas tinham cravos nas pontas. Por isso, a manifestação ficou conhecida como a Revolução dos Cravos.

Praça Luís de Camões

Separa o Chiado do Bairro Alto. Bem no centro da praça há uma estátua do poeta imortal Luís de Camões, autor d’Os Lusíadas. O consulado do Brasil está aqui. O Eléctrico 28 (bondinho) tem ponto de parada na praça.  Uma das unidades da padaria A Portuguesa (que mencionamos no post onde comer bem e barato em Lisboa) está em frente à praça.

Lisboa bairro a bairro Praca Luis de Camoes

Museu São Roque 

O Museu de São Roque é um dos mais antigos de Lisboa. Quando foi aberto ao público em 1905 o acervo destacava a arte italiana. Com o passar dos anos o museu se transformou em referência em arte sacra. A visita está divida em cinco núcleos temáticos, dispostos em ordem cronológica: Ermida de São Roque, Companhia de Jesus, Arte Oriental, Capela de São João Batista e Santa Casa de Misericórdia de Lisboa. O museu conta ainda com loja e cafeteria.

Lisboa bairro a bairro Chiado Museu Sao Roque Acervo

Largo Trindade Coelho. Metrô Baixa-Chiado ou Eléctrico 28.  Horário: segunda-feira, 14h às 19h e terça a domingo, 10h às 19h (abril a setembro). Fecha na Páscoa, Natal, Ano Novo e 1º de Maio. Atenção, no inverno (outubro a março) o museu abre mais tarde e fecha mais cedo. Consulte o site antes de ir. Entrada: € 2,50. Pessoas com menos de 14 anos e mais de 65 não pagam. Grátis aos domingos até às 14h. Oferece visita guiada gratuita, mas é necessário marcar com antecedência pelo e-mail [email protected]

Miradouro de Santa Catarina

Já na altura do Bairro Alto este mirante proporciona uma bela vista da margem sul do Tejo. A alameda que circunda o local está passando por reformas. Se chegar até aqui aproveite para visitar o Museu da Farmácia que fica logo em frente e traz 5 mil anos de história da Saúde, desde os egípcios até os dias atuais!

Lisboa bairro a bairro Bairro Alto Miradouro de Santa Catarina Rio Tejo


Exibir mapa ampliado

ONDE COMER

Se você estiver cansado de bacalhau e quiser apostar na boa comida indiana conheça o Restaurante Calcutá. O ambiente é ótimo e a comida, sensacional. Prove o Daal Gosh (cubos de carne de cabrito, lentilha, cebola, tomate, alho e gengibre) por € 9,50. A sobremesa Mohanthar (tradicional doce de farinha de grãos com amêndoas) sai por € 1,50. Também oferece pratos vegetarianos a partir de € 7,50.

trindade 4

Para seguir a tradicional cozinha portuguesa visite a secular Cervejaria Trindade (foto acima), que já entrou na nossa lista de onde comer bem e barato em Lisboa. O restaurante está num antigo convento do século 13 e funciona desde 1836. Serve carne, frutos do mar, peixes e sanduíches. O bife de porco à trindade sai por € 10,95. O menu do dia (servido somente de segunda a sexta) com pão, manteiga e azeitonas, croquete de bacalhau, bife à portuguesa ou bacalhau à são brás, mais bebida e sobremesa sai por  € 18.  Dá para duas pessoas.

Já uma Tasca modesta, mas clássica, é o Antigo 1º de Maio (Rua da Atalaia, 8 – Bairro Alto. Tel. +351 213 426 840. Aceita reservas. ) Serve comida caseira e típica como o coelho à lantejana. O ambiente é simples e apertado. Chegue cedo porque costuma lotar. Refeição completa — com bebida e sobremesa — fica em média € 15.

ONDE COMPRAR

O Chiado é marcado por lojas de estilistas nacionais e internacionais, o que dá um ar cosmopolita à região. Você vai encontrar desde à nossa já conhecida Zara (Rua Garret, 1) até a marca Ana Salazar (Rua do Carmo, 87), a pioneira da moda portuguesa.

A Vida Portuguesa Sabonetes Claus Porto

A Vida Portuguesa, uma mistura de empório com mercearia, vende produtos que fizeram sucesso em outras épocas como o sabonete Claus Porto, o Phebo deles. (Veja nosso post com mais fotos sobre o lugar aqui).

Ainda nesta linha retro tem a Vintage Bazaar. Vende roupas femininas, infantis, acessórios e objetos de decoração no melhor estilo brechó-chique.

Na mesma rua está  a fofa Organii, especializada em cosmética biológica. São produtos naturais para a pele livre de pesticidas ou herbicidas. Tem filiais em outros bairros da cidade.

A galeria Armazéns do Chiado tem três andares de lojas óbvias, mas vale a visita para conhecer uma construção histórica totalmente recuperada após o incêndio da década de 80.

ONDE FICAR

Para mim, que gosto de ter tudo por perto, o Chiado é um dos melhores lugares para se hospedar em Lisboa. O detalhe é que não sou somente eu que acho isso. O bairro é disputado por todo tipo de viajante, do mochileiro ao turista de luxo. Por isso, até as hospedagens mais simples podem ter preços acima da média.

Lisboa bairro a bairro Bairro Alto Elevador

O conhecido Shiado Hostel (com a excelente nota 8,8 no Booking.com) oferece quarto de casal com banheiro compartilhado a partir de € 52. . Já no fofo Passport Lisbon Hotel (bem na Praça Luís de Camões) o quarto de casal com banheiro privativo sai a partir de € 65.

Dos hotéis que visitei na região, o MyRoom ficou na minha memória. Está no primeiro andar de um edifício do século 19 e fica na mesma rua da Cervejaria Trindade. Os quartos possuem decoração renovada (tudo cheira a novo) com uma varandinha ensolarada. Tem cozinha equipada à disposição dos hóspedes. Quarto duplo com banheiro compartilhado a partir de € 46.

Lisboa bairro a bairro Chiado como chegar

Agora, se sua ideia é enfiar o pé no beliche e investir num momento de extravagância fique sem medo no Lisboa Carmo Hotel (nota 9,1 no Booking). Os quartos superiores oferecem vista para o Rio Tejo e centro histórico de Lisboa. Diárias para casal a partir de € 160 com café da manhã incluído e a opção de ser servido no quarto. #EuQuero

Nota: os links da hospedagem levam ao Booking.com, parceiro do Matraqueando e onde faço minhas reservas há anos. O sistema não cobra taxa e tem cancelamento grátis em todos os hotéis selecionados aqui. :)

Lisboa bairro a bairro Chiado lojas

COMO CHEGAR AO CHIADO E BAIRRO ALTO

Metrô: Baixa-Chiado (linha azul) e Eléctrico 28 (bondinho).

Lisboa bairro a bairro

Alfama

Chiado e Bairro Alto

Posts relacionados

A Vida Portuguesa: loja vintage imperdível no coração do Chiado

Igreja e Convento do Carmo: as ruínas enigmáticas de Lisboa

Onde comer bem e barato em Lisboa

Rota do Pastel de Belém: onde provar o doce mais famoso de Portugal

Leia também

Europa Barata: Lisboa pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Lisboa ao centro

Portugal a € 50 por dia

Hospedagem boa e barata em Lisboa

Wallis Guest House: hospedagem familiar com quartos reformados no centro de Lisboa

Lisbonaire Apartment: hopedagem novíssima, barata, bem localizada e que, ainda por cima, adora crianças

Golden Tram 242: hostel tinindo de novo no coração de Lisboa

Lisboa combina com

Fátima

Batalha

Alcobaça

Nazaré

Óbidos

___________________________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
MATRAQUEANDO - Viagens e Comidinhas | Por Sílvia Oliveira | Jornalista & Blogueira | Curitiba, BR

Todos os direitos reservados. 2006-2014 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.
Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.