Silvia Oliveira
quinta-feira, 30 de março de 2017

A ditadura da mala pequena

mala pequena

Não tem muito arranjo técnico ou segredo místico. Para viajar sem despachar é preciso desapego. Observe, as pessoas que conseguem atravessar o oceano — e passar 15 dias do outro lado do mundo — com uma malinha de bordo são seres enxutos por natureza. Nem evoluídos nem descolados. Apenas renunciam aquilo que parece indispensável ao outro.

Nunca fiz (e não pretendo fazer) um post mostrando a montar mala pequena. Algumas dicas vêm a calhar, verdade. Faça rolinhos com as camisetas. Coloque as meias dentro dos calçados. Leve o casaco na mão. Use embalagem miniaturas para cremes e shampoo.  Deixe o secador em casa.

Já falei aqui, aqui e aqui de itens que considero essenciais na bagagem, mas se fosse para eu investir tempo no tema, abordaria essencialmente técnicas de libertação e desprendimento emocional.

Não adianta ensinar a fazer rolinhos com camisetas se você quer levar 14 blusinhas numa viagem de cinco dias. A essência não está na montagem ou no método de organização, mas na abnegação.

O desapego, veja bem, não é indiferença ao bem vestir. É a capacidade de abandonar o desnecessário. Quantas vezes você foi e voltou com um monte de badulaque que sequer chegou a usar? Acontece com todo mundo. Inclusive comigo.

— Ah, mas se eu precisar daquele vestido oncinha? Ou do sapato azul com laço branco?

— 18 pares de brincos são suficientes.

— Huuum, xaver… sete dias… sete calças, é isso!

— Mas eu sou homem, minhas coisas tomam espaço.

Men-ti-ra. Tenho um marido que até há bem pouco tempo se recusava a viajar somente com mala de mão. Pois ele ia e voltava com a bagagem cheia de camisetas, meias e cuecas s.e.m. usar.

Pode não parecer, mas quem viaja sem despachar nem sempre tem vocação para hippie. Meu objeto de contracultura é justamente a não imposição de regras. Criar uma ordem celestial para viajantes desapegados é o que eu não quero fazer aqui.

Quem parte somente com uma malinha de mão ou com uma mochila nas costas não é mais aventureiro, empreendedor ou ousado do que você. Nós apenas queremos tomar conta da viagem. E não o contrário.

Mala é um ser vivo mimado com genoma muito próprio. É um personagem autoritário e dominador. Invariavelmente causa suplício e tormento. A raiz do sofrimento é o apego — como bem dizia Buda. A bagagem que carregamos é a parábola mais bem contada da nossa vida.

Lembra a última vez que você teve que se sentar em cima dela para tentar fechar o zíper daquela bagaça? É necessário impor respeito. Já disse e repito: sua mala não pode ser mais empoderada do que você.

Por outro lado, a mala é sua. A viagem é sua. E sua história é com você. Não deixe que criminalizem ou até ridicularizem seu passeio só porque você chegou à casa da tia para passar o fim de semana com uma samsonite-conteiner de 25 quilos.

Tá, eu confesso que daria um sorrisinho no canto dos lábios. Mas imediatamente me lembraria daquela calça de couro que eu levei na minha primeira viagem à Europa numa mala acoplada a um carrinho de feira. São anos de treinamento e evolução, rapá!

Diga não à ditadura da mala. A imposição desta ou daquela forma de viajar gera um sentimento de frustração naqueles que pre-cis-am carregar o closet nas costas.

E digo mais: se tiver dificuldade de acomodar na bagagem aquele unicórnio que estava passando na sala BEM na hora que você arrumava a tralha, é só colocá-lo dentro de um saquinho plástico zipado. Se fecha, encaixa!

Levem o que quiser. Quem vai arcar com as consequências é você mesmo. Nós não temos nada a ver com isso. Ninguém é obrigado a passar por este sofrimento de escolha e triagem pessoal justamente nas férias se não faz este exercício diário na vida cotidiana.

Posts relacionados

10 coisas que aprendi viajando

10 coisas que você não sabia sobre a Matraca

O mundo acabando e você aí, falando de viagens?

Farofeiros de raiz, uni-vos!

Ofício de blogueira versus espírito de viajante: como manter um sem acabar com o outro

Sílvia Oliveira, a moça do tempo

Pela atenção, muito obrigado!

Generalizar é pecado

Por favor, deixem o turista em paz!

O que se aprende com uma viagem

Os 10 mandamentos do viajante

Os sete pecados capitais do turista

Foto: Pixabay.com | Image Bank

Share
terça-feira, 14 de março de 2017

Como transformar os ingressos dos atrativos turísticos em charmosos imãs de geladeira

Imas de Geladeira de Viagem 02

Durante muito tempo guardei meus tickets de viagem dentro de um potinho de vidro que ficava na sala. Ali, eu conseguia reunir um pouco da história das férias. A entrada do museu preferido, o cartão de embarque, o passe de metrô, pedaços de mapas e ingressos dos principais atrativos.

Imas de Geladeira de Viagem 01

Com o passar do tempo quase tudo se perdia. Sem o armazenamento adequado, alguns papéis ficavam completamente apagados ou acumulavam mofo. Já viu, moro em Curitiba e aqui o índice de umidade, principalmente no inverno, é absurdo.

Abaixo você vê alguns exemplos destas relíquias sendo usadas in loco. Da esquerda para a direita: passe do transporte público de Praga, ingresso do Museu Rijksmuseum em Amsterdam e o ticket do Museu Mucha, que reúne as obras do principal expoente tcheco do movimento Art Nouveau.

Imas de Geladeira de Viagem 15Matraqueando-Instagram1

Eis que um dia a querida Adri Lima  deu a dica de transformar essas lembranças de viagem em… imãs de geladeira. Acabei fazendo vários e ficam realmente lindos! Achei que você poderia se interessar pelo passo a passo. Rá! 😀

Imas de Geladeira de Viagem 14

Material:

– 01 manta de imã (manta magnética)

– Papel contact transparente

– Tesoura, estilete, régua e cola bastão (se a manta for adesiva, dispense a cola)

– Tickets, ingressos ou qualquer papelzinho que queira imortalizar na sua geladeira ou quadro de avisos.

Como fazer:

– Cole os tickets no imã. Se for uma manta adesiva, é só tirar o papel adesivo e grudar os papéis da viagem sobre o imã. Como a minha manta era um antiguinha que eu tinha em casa, não era adesiva. Então eu usei cola mesmo.

Imas de Geladeira de Viagem 13Imas de Geladeira de Viagem 12Imas de Geladeira de Viagem 11

 

– Com um guardanapo fixe suavemente os papéis sobre a manta.

Imas de Geladeira de Viagem 10

– Depois finalize com o papel contact por cima. Use uma régua para aplicar o contact, evitando bolhas.

Imas de Geladeira de Viagem 09Imas de Geladeira de Viagem 08

– Por fim, recorte os ingressos com estilete e régua. Importante:  segure beeem firme a régua na hora de passar o estilete, se não ela vai deslizar sobre o papel contact.

Imas de Geladeira de Viagem 07

– Se algum ingresso tiver a bordinha redonda, finalize estes detalhes com a tesoura.

Imas de Geladeira de Viagem 06

Eis o resultado final (você não imagina a minha felicidade!):

Imas de Geladeira de Viagem 05Imas de Geladeira de Viagem 04Imas de Geladeira de Viagem 03

Dicas da Matraca

Você encontra a manta magnética em algumas papelarias, lojas de serigrafia, de embalagens plásticas, na Kalunga e até nos sites de leilão como o Mercado Livre. Coloque no Google “manta magnética” que vão aparecer as ocorrências.

Imas de Geladeira de Viagem 16

É possível dispensar o papel contact, mas a durabilidade dos imãs será bem menor. 😉

_________________

Fotos: Sílvia Oliveira e Mariana Matar (todas as fotos em que eu estou com as duas mãos ocupadas foram feitas pela Matraquinha. #aos8) 😀 

Share
quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Empório Canela: comidinhas, café, bistrô e livraria

Emporio Canela - Fachada

Se o Empório Canela fosse uma pessoa daria vontade de apertar de tão fofo. Está entre os lugares que indico no guia O Barato de Gramado e Canela que fazem mais sucesso com os leitores.

Mistura café, livraria, loja de artesanato e antiguidades. Fica numa antiga casa residencial reformada. Tem decoração rústica, criativa e despojada. Os donos são os mesmos do Magnólia, o restaurante retrô mais incrível da Serra Gaúcha.

Continue lendo o texto…

Share
segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Santuário Nacional de Aparecida: guia completo para visitar o maior complexo mariano do mundo

Santuario Aparecida - Lateral

Saímos de Curitiba de madrugada para visitar o maior templo católico das Américas. Para ser mais exata, o segundo maior do mundo. Perde somente para a Basílica de São Pedro, em Roma. Fomos de carro (são quase 600 km) e levamos nove horas de viagem com duas paradas para comer.

A Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida é campo sagrado para cristãos católicos. Lugar de grande inspiração e testemunho de fé. Nós tínhamos mais a agradecer do que pedir. Em outras oportunidades, nossa romaria não durava mais do que um dia. Desta vez, ficamos três para produzir este guia especial para você.

Continue lendo o texto…

Share
quinta-feira, 09 de fevereiro de 2017

Arautos do Evangelho: a impressionante basílica neogótica em Cotia

Igreja Arautos do Evangelho Cotia - Geral

Ao voltar de uma peregrinação a Aparecida na semana passada dormimos uma noite na região de Embu das Artes, conhecida mundialmente pelas galerias e feira de artesanato.

Percorremos o fofo casario histórico e suas lojinhas coloridas, mas foi nos arredores da cidade que tivemos a experiência estética mais deslumbrante da viagem.

A 10 quilômetros do centro de Embu das Artes, já no município de Cotia, fica a Basílica Nossa Senhora do Rosário de Fátima, também chamada de Igreja dos Arautos do Evangelho.

Continue lendo o texto…

Share
segunda-feira, 06 de fevereiro de 2017

Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau: iguaria em Lisboa e no Porto

Casa Portuguesa - Pastel de Bacalhau

A união de dois clássicos — o bacalhau e o queijo Serra da Estrela — transformou a Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau num ícone gastronômico no país.

O Matraca Translator explica: pastel de bacalhau é o nosso croquete, mas no Porto é chamado também de bolinho. Tipo mandioca, aipim e macaxeira. Pois!

Continue lendo o texto…

Share
quinta-feira, 02 de fevereiro de 2017

Casa do Colono em Gramado: queijos, vinhos, cucas e o melhor pão com linguiça da vida

Casa do Colono Gramado - cucas

Gramado tem muita sofisticação. Casas de chá em estilo europeu, restaurantes suíços, chocolates de alta qualidade, shows hollywoodianos no Natal Luz e paisagem internacional o ano inteiro.

Casa do Colono Gramado - geleias

Mas o que faz a cidade ser altamente acolhedora e simpática é o morador de raiz, aquele aldeão da terra que mantém a tradição da boa culinária e afeto, ambos trazidos pelos imigrantes que povoaram a região.

Continue lendo o texto…

Share
segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Ravanello: a primeira vinícola boutique de Gramado

Vinicola Ravanello Gramado - Fachada

Mesmo para quem não entende nada de uvas, cepas ou polifenóis como eu, um tour por vinícolas é sempre um passeio agradável. Há sempre uma história familiar por trás, um tanino diferente para dominar ou um terroir inusitado por descobrir.

Vinicola Ravanello Gramado - uvas

Até bem pouco tempo, Gramado não tinha tradição nessa área. Quem visitava a cidade dos fondues e chocolates em plena Serra Gaúcha tinha que se deslocar 120 quilômetros até Bento Gonçalves para conhecer alguns dos principais parreirais do país.

Continue lendo o texto…

Share
sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Entrevista da Matraca no novo programa de turismo da Rádio Jovem Pan São Paulo

O lançamento do novo programa com dicas de viagem da Rádio Jovem Pan aconteceu há quase três semanas. E nóis tava lá! 😀

Mas, mesmo com atraso, eu não poderia deixar de incluí-lo aqui para nosso futuro museu do Matraqueando na Mídia.

Toda semana, um blogueiro especializado em viagem vai dar dicas. No episódio de estreia, o Matraca News foi o primeiro convidado. \0/

Continue lendo o texto…

Share
segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

DDR Museum, Berlim: o incrível museu que mostra como era a vida na Alemanha Oriental

DDR Museum Berlim - cozinha

Se existe um motivo na vida para eu viajar, ele está aqui. Conhecer um museu deste naipe só alimenta as minhas melhores justificativas para cruzar o oceano. O DDR Museum é um espaço interativo que reproduz fielmente como era o cotidiano dentro da antiga Alemanha Oriental.

A sigla DDR vem de Deutsche Demokratische Republik, que seria o nome oficial do lado comunista do país. Em português era chamado de RDA (República Democrática Alemã – ahã, democrática, sei!), aquela parte socialista da Alemanha que ergueu o despropositado Muro de Berlim em 1961.

Continue lendo o texto…

Share
segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Cat’s Pajamas: hostel bom, barato e ao lado do metrô em Berlim

portao-de-brandeburgo

A capital da Alemanha foi minha última parada na Eurotrip do ano passado. Depois de ter ficado em lugares com excelente custo-benefício em Lisboa, Porto, Praga e Amsterdam (clique nos links para ler o review de cada um deles), terminei a viagem feliz no Cat’s Pajamas Hostel.

Berlim é uma cidade enorme e espalhada. Para cobrir todos os principais pontos turísticos, invariavelmente, é necessário pegar o transporte público. Eu não estava exatamente preocupada em me hospedar no centro. Mas, sim, encontrar algo que estivesse grudado a uma estação de metrô.

Continue lendo o texto…

Share
segunda-feira, 09 de janeiro de 2017

Keukenhof, Holanda: como visitar o maior jardim de tulipas do mundo

como-visitar-o-keukenhof-jardim-de-tulipas-holanda-selfie-2

A data da minha última viagem à Europa foi escolhida a dedo para coincidir com o funcionamento dos Jardins de Keukenhof, o parque de flores mais fotogênico do mundo.

O Keukenhof Gardens fica nos arredores de Amsterdam e abre apenas oito semanas por ano, sempre na primavera do Hemisfério Norte. Em 2017, o funcionamento vai de 23 de março a 21 de maio.

Continue lendo o texto…

Share
sexta-feira, 06 de janeiro de 2017

10 coisas que aprendi viajando | #matraqueando10 anos

10-coisas-que-aprendi-viajando

1. Todo mundo pensa que você é rico.
Hellooou! Prioridades, migo. O livre arbítrio existe para que a gente decida o que fazer com o próprio dinheiro. Eu invisto em experiências. Mas não se prenda por mim. Fique à vontade para gastar com roupa, tecnologia ou tratamento de beleza.

Continue lendo o texto…

Share
sábado, 17 de dezembro de 2016

Quanto custa comer no Beto Carrero World

beto-carrero-world-piratas

Ao contrário dos parques de Orlando, o Beto Carrero World — maior parque temático da América Latina — não permite a entrada de alimentos e bebidas. A administração do parque alega que é uma recomendação da vigilância sanitária, já que os alimentos transportados pelos visitantes poderiam oferecer risco à saúde, devido ao armazenamento inadequado.

Continue lendo o texto…

Share
terça-feira, 06 de dezembro de 2016

Novo voo comercial inaugura a rota Belém-Soure, na Ilha de Marajó

fazenda-sao-jeronimo-ilha-de-marajo-trilha-tour

Está cada vez mais fácil conhecer o maior arquipélago fluviomarinho do mundo. Antigamente, para chegar de avião à Ilha de Marajó, no Pará, só contratando empresas de táxi aéreo.

Agora, uma aeronave monomotor turboélice da empresa TWO, com capacidade para nove pessoas, opera a linha comercial Belém-Soure desde outubro de 2016.

Continue lendo o texto…

Share
Matraqueando - Blog de viagem | Por Sílvia Oliveira

Todos os direitos reservados. 2006-2017 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio