Silvia Oliveira
  • Da série “Coisas que só o Matraqueando faz por você”! Não tem pegadinha. Tá tudo com 50% de desconto mesmo. Serão três dias de festa. É a grande oportunidade de você adquirir meus e-books de viagem  — cheios de dicas […]

  • Nunca viajei aos países nórdicos, onde – dizem – fazer turismo pode ser um sofrimento para o mão de vaca muquirana. Dinamarca, Finlândia, Suécia e Noruega, por exemplo, são destinos com altíssimo custo de vida e, por consequência, muito caros […]

  • Não sei trabalhar sob pressão. Quando me aproximo de uma maquininha que vende tíquetes de metrô e começa a formar uma fila atrás de mim… eu si perdo toda. Fico tão tensa que quase sempre dou preferência aos guichês com […]

  • Não há muita explicação nem adjetivos para descrever. O melhor cookie do mundo está em Nova York. Ponto. Massa perfeita, uma combinação cuidadosa de ingredientes frescos e selecionados. Único defeito: o tamanho generoso não satisfaz. Você vai querer outro e […]

  • A nossa série sobre como tirar o visto americano virou um e-book atualizado e cheio de dicas para você começar o processo com segurança e  tranquilidade. Adquira agora mesmo o seu e faça o download na hora! O site de agendamento foi modificado em […]

  • Regra número 01: não fique afobado. Se você estiver chegando do Brasil, provavelmente, seu voo vai pousar cedinho em Nova York e seu hotel, sabemos, só estará disponível para check-in a partir das 15h (e, em alguns casos, a partir […]

  • Eu deveria ser a primeira a saber que este blog é de viagens e… comidinhas. Mas me vejo tão envolvida com os posts turísticos que até me esqueço de compartilhar aqui as receitinhas de araque da Cozinha Maravilhosa da Matraca. Há […]

  • Não tenho saudades de mim. De quando viajava e não tinha um blog para contar. Ao contrário. Partir está cada vez melhor. Alinhar minhas expectativas com o que o leitor espera do blog me tornou uma turista mais centrada e […]

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Black Friday na Loja Matraqueando: todos os guias pela metade do preço!

Black Friday Matraqueando twitter

Da série “Coisas que só o Matraqueando faz por você”! Não tem pegadinha. Tá tudo com 50% de desconto mesmo. Serão três dias de festa. É a grande oportunidade de você adquirir meus e-books de viagem  — cheios de dicas de economia inteligente — pela metade do preço. :D

Acesse agora mesmo a Loja Matraqueando e aproveite para levar vários guias com este desconto histórico! Veja só:

Capa Blackfriday

Coleção América Barata

O Barato de Santiago  | de R$ 29,90 por apenas R$ 14,95

O Barato de Buenos Aires | de R$ 29,90 por apenas R$ 14,95

Coleção Europa Barata

O Barato de Lisboa  | de R$ 29,90 por apenas R$ 14,95

O Barato de Paris | de R$ 29,90 por apenas R$ 14,95

O Barato de Roma | de R$ 29,90 por apenas R$ 14,95

O Barato de Madri | de R$ 29,90 por apenas R$ 14,95

Coletânea Matraqueando (compilação de posts publicados)

Lençóis Maranhenses | de R$ 15,90 por apenas R$ 7,95

Tiradentes | de R$ 15,90 por apenas R$ 7,95

São Paulo | de R$ 15,90 por apenas R$ 7,95

Gramado e Canela | de R$ 15,90 por apenas R$ 7,95

Manual

Como tirar o visto americano | de R$ 35 por apenas R$ 17,50 

__________________________________

Garanta agora mesmo o(s) seu(s) e-book(s) acessando a Loja Matraqueando! Não deixe para a última hora. A promoção vai até às 23h59 do dia 28 de novembro de 2014, sexta-feira.

Essa é a #BlackFridayMatraqueando! Produtos especiais com descontos reais! <3

Share
terça-feira, 25 de novembro de 2014

Supermercados em Londres: onde fazer a festa sem gastar os tubos

London bag

Nunca viajei aos países nórdicos, onde – dizem – fazer turismo pode ser um sofrimento para o mão de vaca muquirana. Dinamarca, Finlândia, Suécia e Noruega, por exemplo, são destinos com altíssimo custo de vida e, por consequência, muito caros para um viajante econômico.

Mas nem precisei ir tão longe para ficar traumatizada. Na minha última vez em Londres foi bem difícil encontrar uma hospedagem boa e bem localizada na cidade sem ultrapassar meu limitado orçamento. Por outro lado ficou claro que, sim, é possível economizar aqui e ali, principalmente no quesito comida (se a sua opção, obviamente, não for conhecer alguns dos muitos restaurantes estrelados da cidade).

O bálsamo aparece justamente nas enormes redes de supermercados da cidade. Tem de tudo: alguns são populares, outros mais tradicionais, há os sofisticados e, ainda, os étnicos. Além de frutas, sanduíches, sucos, água, chocolates (aquele kit-salvamento que evita esfolar seu bolso num lanchinho da tarde), há sempre as seções de pizzas e congelados que servem para garantir seu almoço ou jantar com muita dignidade. Se seu hotel/hostel oferecer um micro-ondas então, você está feito!

TESCO e ASDA

Supermercados em Londres Tesco 3

Se eu morasse em Londres o Tesco provavelmente seria minha opção para as compras do mês. Trata-se da maior rede de supermercados de todo o Reino Unido. (É a terceira maior do mundo, perdendo apenas para Wall Mart e Carrefour). São muitas lojas espalhadas por Londres. Acredite, sempre haverá um Tesco perto de você. Esse pedação de pizza abaixo, por exemplo,  saiu por módicas 2 libras.

Supermercados em Londres Tesco 2

Supermercados em Londres Tesco 4

Já o ASDA, que pertence atualmente à rede Wall Mart, é o segundo maior conglomerado da Inglaterra e, assim como o Tesco, vende mercadorias com marca própria de excelente qualidade a preços muito atrativos. Em ambos, você encontra ótimas pizzas e lasanhas por menos de £ 3, iogurtes por £ 0,80, sanduíches enormes por £ 2 e frutas por menos de £ 0,50 a unidade. Há também saladas e até carnes assadas a preços muito honestos.

POUNDLAND

Supermercados em Londres Poundland 1

Aquele momento “para tudo”. Todo a loja por £ 1. Uma libra. Um pote de Nutella por UMA libra! Não à toa se chama Poundland! A pegadinha é que muitos produtos que aqui estão £ 1 saem por centavos no Tesco. Eu comprei um iogurte no Tesco por £ 0,60. O mesmo estava por uma libra aqui, quase o dobro do preço!

Supermercados em Londres Poundland 3

Supermercados em Londres Poundland 2

Mas, mesmo assim, há muita coisa interessante no Poundland como sanduíches gigantes por apenas uma librinha. É para morrer de amor! (Este eu encontrei na 211-213 Portobelo Road em Notting Hill, durante o passeio que contamos aqui.) Há outras unidades espalhadas por Londres, uma delas fica na Unit 2, 126-138 High Street, perto do metrô Camden Town. 

SAINSBURY’S

Supermercados em Londres Sainsburys 2

É a terceira maior rede de supermercados do Reino Unido, fica atrás do Tesco e do ASDA. Assim como seus concorrentes, há várias unidades espalhadas por Londres. O Sainsbury’s também tem mercadorias com marcas próprias a preços incrivelmente em conta.

Supermercados em Londres Sainsburys 3

Daqui eu levei para o Brasil chocolates (em embalagens fofas) e diversos molhos (por uma ou duas libras) que vinham em vidros lindos. Algumas filiais ficam em pontos estratégicos para o turista como a que está na 36-37 Strand, perto da Trafalgar Square (metrô Charing Cross) e a que se encontra na 1 Berners Street, próxima à Oxford Street (entre os metrôs Oxford Circus e Tottenham Court Road).

LONGDAN EXPRESS ORIENTAL SUPERMARKET

Supermercados em Londres Longdon 2

Esse é o famoso achado. Não só pelos preços que apresenta, mas pela variedade de comida e produtos… orientais.  O Longdan é uma rede vietnamita com apenas quatro lojas na cidade. Esta eu encontrei na 25 Hackney Road, na região de Shoreditch,  quando fui conhecer o Columbia Road Flower Market, o mercado de flores de Londres. (Fica a 5 minutos caminhado do Flower Market). Foi difícil encontrar algo no Longdan por mais de £ 4.

Supermercados em Londres Longdon 1

Aliás, o “bentô” completo (arroz, carne e uns acompanhamentos) podia ser levado por £ 3. Saladas com camarão por £ 2. Uma variedade enorme de bebidas “exóticas”, incluindo sucos de frutas por menos de £ 1. Como eu adoro comida oriental praticamente surtei no local. Esta filial do Longdan também está perto do Brick Lane (a uns 15 minutos andando), o maior reduto de comida indiana, vietnamita e afins da cidade.

MARKS & SPENCER

Supermercados em Londres Mark and Spencer Simply Food

A rede Marks & Spencer é a maior varejista britânica e uma das lojas de departamento mais queridas dos brasileiros que viajam a Londres. Está para a Inglaterra como o El Corte Inglés está para a Espanha. Mas um dos braços da rede são os supermercados (ou lojas de conveniências) identificados com a marca M&S Simply Food. Vendem toda a sorte de alimentos (dos frescos aos congelados) com o diferencial de que todas as mercadorias são de marca própria.

Supermercados em Londres Mark and Spencer

Embora seja considerado um dos supermercados mais caros da cidade, é possível comprar muita coisa bacana e saudável a preços modestíssimos. Você vai encontrar muitas unidades da M&S Simply Food em pontos estratégicos para os turistas como aeroportos, estações de metrô e centros comerciais. Caso queira conhecer a maior Marks & Spencer da capital inglesa vá a filial da 458 Oxford Street, metrô Marble Arch. Vende de roupas a móveis. Inclusive comida.

WAITROSE

Durante muito tempo eu evitei o Waitrose por ser considerado o supermercado dos grã-finos de Londres. Tipo… o Angeloni ou o Festval aqui em Curitiba. Rá! Mas quando me hospedei na residência universitária da University of London  havia um Waitrose na mesma rua, a apenas uma quadra. Pensei “vou entrar, nem que seja para apurar o gosto!”. :mrgreen:

O Waitorose é um supermercado gourmet, mas para a minha deliciosa surpresa não era inacessível. Vinhos chilenos e argentinos por £ 2, saladas com peixe por £ 2,50, sucos importados por £ 1,50. Digamos que é a sua oportunidade de trocar a muzzarela pelo queijo brie sem ferrar seu orçamento. Muitos produtos vinham em lindas embalagens. Chocolates finos maravilhosos por £ 0,70 a unidade (ótimos como opção de presentinhos sem sobrecarregar o bolso e a mala).

Outra coisa que me chamou a atenção é que existiam vários pratos congelados veganos, todos na faixa de £ 4. As únicas três fotos que fiz lá ficaram totalmente desfocadas (medo de levar um pito do segurança que me olhava torto cada vez que eu apontava minha super automática para a gôndola). Mas pode ir sem medo. Será seu momento-patrão em Londres sem gastar mais por isso!

Posts relacionados

Pret a manger: a alegria do mão de vaca exigente

Leia também

Columbia Road Flower Market: o cantinho mais colorido de Londres

Portobello Road Market: o lado pitoresco de Notting Hill

Canterbury Hall: hospedagem econômica na residência universitária da University of London

E ainda

Europa Barata: Londres pela primeira vez

Como ir do aeroporto de Heathrow ao centro

Inglaterra a £ 50 por dia

__________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
terça-feira, 11 de novembro de 2014

Nova York | Como comprar e usar o MetroCard

Não sei trabalhar sob pressão. Quando me aproximo de uma maquininha que vende tíquetes de metrô e começa a formar uma fila atrás de mim… eu si perdo toda. Fico tão tensa que quase sempre dou preferência aos guichês com atendentes de verdade.

O detalhe é que em Nova York muitas estações não têm pessoas de carne e osso para ajudar na sua compra. E quando existe um ser vivo disponível para isso pode saber que vai encontrar uma corrente humana gigante à sua frente tentando o mesmo que você: livrar-se da agonia do autoatendimento.

EUA Matraca

Selfie em Wall Street. :mrgreen:

Mas depois que a gente tenta, calmamente, fazer a operação pela primeira vez tudo ficará facílimo em outras oportunidades. Para produzir este artigo quase tive que tomar um calmante porque, além de comprar o tíquete, fotografei o passo a passo para postar aqui. E a filinha atrás de mim só aumentando… Rá! (Importante: tirei estas fotos em junho de 2014, qualquer alteração nas telas das máquinas, por favor, avise-me!)

+ E-book | Como tirar o visto americano

O QUE É O METROCARD

É um cartão com tarja magnética que dá acesso ao metrô, ao ônibus e ao bondinho (tram) de Roosevelt Island em Nova York. Com o MetroCard você poderá, por exemplo, usar o transporte público da cidade para viagens ilimitadas (Unlimited Ride) nas opções semanal (US$ 30) ou mensal (US$ 112) ou carregá-lo com um valor específico (Pay Per Ride) — mínimo de US$ de 5 e máximo de US$ 100 — e vai descontando US$ 2,50 a cada viagem viagem feita. *Valores em novembro de 2014.

PARA QUEM É INDICADO O METROCARD UNLIMITED RIDE

Para os turistas que vão passar mais de 3 dias na cidade. Apenas como exemplo, com um MetroCard na categoria Unlimited Ride de 7 dias você pode usar o transporte público (com direito à transferência gratuita no metrô-ônibus e ônibus-ônibus) por todo este período quantas vezes quiser. O metrô de Nova York, aliás, funciona 24 horas por dia!

PARA QUEM É INDICADO O METROCARD PAY PER RIDE

Para quem for passar até 3 dias em Nova York e pretende usar o metrô duas ou três vezes por dia, no máximo. Caso seu roteiro exija o uso excessivo de metrô em 3 dias considere comprar o passe semanal. Reforço que no Pay Per Ride descontam-se US$ 2,50 por cada viagem. *Valores em novembro de 2014.

PARA QUEM NÃO É INDICADO O METROCARD

Para quem só anda de táxi ou quer pagar penitência cruzando Manhattan de norte a sul a pé.

COMO COMPRAR O METROCARD

Toda estação de metrô tem uma máquina de autoatendimento com touchscreen.

MetroCard Nova Yprk como comprar

1. Clique no botão Start que fica no canto superior direito.

MetroCard Nova York idiomas

2. Selecione o idioma. Não tem português (mas tem espanhol). Nesta simulação eu escolhi inglês.

MetroCard Nova York passo a passo

3. Vão aparecer três opções. Selecione MetroCard (ou Single Ride caso queira comprar um único tíquete válido por duas horas).

MetroCard new

4. Após selecionar o MetroCard novamente aparecem três opções: Refill your card (para recarregar um MetroCard), Get card info (para saber quanto dinheiro ainda existe no seu passe) e Get new card (para comprar um novo cartão). Selecione Get New Card. Observe que será cobrado US$ 1 pelo cartão, valor que não é convertido em passagem.

MetroCard Nova York Unlimited Ride

5. Em seguida a máquina pergunta qual o tipo de MetroCard você vai querer: Regular MetroCard ou Unlimited Ride. Selecione Unlimited Ride. (Caso você prefira o Regular Metrocard a página seguinte mostrará algumas opções de valores pré-determinados.

Caso não exista nenhum valor que você queira recarregar, clique em “other amounts” e continue o processo. ATENÇÃO: PATH (sistema ferroviário que liga Manhattan a Nova Jersey), Airtrain (monotrilho do JFK) e Express Bus não aceitam o MetroCard Unlimited Ride.

MetroCard Nova York 7 days

6. Mas como aqui selecionamos o Unlimited Ride aparecem três opções fixas: 7 days – US$ 30, 30 days – US$ 122 e 7 days XBussPass – US$ 55 (que dá acesso aos ônibus expressos que não são cobertos pelo MetroCard normal). A opção escolhida deve estar de acordo com suas necessidades. Nesta simulação selecionei o passe semanal, 7-Day. *Valores em novembro de 2014.

MetroCard Nova York cash

7. Como você quer pagar? Dinheiro (Cash), ATM Card (cartões de débito com conta nos EUA) ou Cartão de Crédito (Credit Card)? Eu selecionei “cash” porque morro de medo destas máquinas engolirem ou prenderem meu cartão (já aconteceu comigo na França, veja que meu trauma com estas engenhocas é antigo!) Se você tiver um cartão internacional de débito pré-pago (tipo VTM ou Global Travel) deve selecionar “Credit card”.

São aceitos também cartões brasileiros internacionais com autorização de compra no estrangeiro. Em algum momento da compra com cartão o sistema pede o CEP (Zip Code) digite 00000 (ou qualquer outro número cinco vezes) e tudo certo! Quando o cartão não é americano eles não verificam o CEP.

MetroCard Nova York cash credit card

8. Se você selecionar cash tenha em mãos dinheiro trocado porque as máquinas devolvem, no máximo, US$ 8 de troco. Insira o dinheiro e espere a emissão do seu MetroCard. Prontinho!

MetroCard Nova York como comprar

METROCARD | PERGUNTAS FREQUENTES

1. Posso usar um mesmo MetroCard para duas ou mais pessoas?
Se você usar o MetroCard no sistema Pay Per Ride (aquele em que você coloca uma quantia de dinheiro e vai descontando o valor da passagem a cada viagem), sim! Já o MetroCard Unlimited Ride não permite esta opção. Aliás, na alternativa unlimited ride o sistema só libera a catraca para ser usado novamente após 18 minutos.

2. Eu comprei um MetroCard Unlimited Ride de sete dias. A validade acabou, posso recarregar no sistema Pay Per Ride, ou seja, colocar uma quantia extra de dinheiro?
Sim. É possível fazer o inverso também: recarregar com um passe semanal um bilhete que, a princípio, foi comprado no sistema Pay Per Ride.

3. O bilhete único (Single Ride) dá direito à transferência metrô-ônibus?
Não. O bilhete Single Ride (US$ 2,75) é válido somente para o metrô ou transferência de ônibus-ônibus, mas não é válido para usar a transferência gratuita de metrô para ônibus. Lembrando que este tipo de tíquete é válido por duas horas após a compra e só está à venda nas máquinas de autoatendimento. * Valores em novembro de 2014.

4. Crianças pagam o metrô em Nova York?
Crianças com até 1,11 metro não pagam. Ou seja, eles selecionam esta questão pela altura do guri e não pela idade. Nos ônibus crianças menores de 2 anos não pagam se não ocuparem assento.

5. Toda vez que eu for recarregar meu MetroCard terei que pagar a taxa de US$ 1 pelo cartão?
Não. Você só paga esta taxa quando compra um cartão novo.

6. O MetroCard é válido no trem LIRR (Long Island Rail Road)?
Não.

_________________________ 

Posts relacionados

Como chegar e sair do aeroporto JFK

Hospedagem boa e barata em Nova York: dicas testadas e aprovadas

Leia também

Nova York | Levain Bakery: o cookie para toda a vida

E-book | Como tirar o visto americano: passo a passo ilustrado

_________________________ 

Fotos: Sílvia Oliveira

Matraqueando Instagram

Share
sábado, 08 de novembro de 2014

Nova York | Levain Bakery: o cookie para toda a vida

Levain Bakery Nova York

Não há muita explicação nem adjetivos para descrever. O melhor cookie do mundo está em Nova York. Ponto. Massa perfeita, uma combinação cuidadosa de ingredientes frescos e selecionados.

Único defeito: o tamanho generoso não satisfaz. Você vai querer outro e outro e mais outro. Anote este nome: Levain Bakery, a padaria responsável pelo cookie-notável!

Levain Bakery Cookies Upper West Side Nova York

A dica veio da repórter-blogueira Camille Panzera que publicou uma foto inenarrável do tal cookie no Instagram do Melhores Destinos. Ela estava nos steitis na mesma época que eu.

Fomos ao Levain Bakery no dia seguinte. Pedimos quatro unidades de sabores diferentes, comemos todos e ainda levamos mais dois para o hotel juntamente com um pedaço de bolo de limão (cake lemon) tão absolutamente sensacional quanto o cookie.

Levain Bakery Upper West Side Nova York Cookies

Levain Bakery Upper West Side Nova York

O nome “Levain” vem de um termo francês para um fermento natural. As fundadoras da bakery começaram o negócio em 1994 fazendo pães artesanais que, aliás, até hoje são vendidos na casa. Mas o cookie gigante de massa levemente crocante e recheio molhado é o carro-chef-top-master.

Chega a formar fila na discreta porta localizada no Upper Westside, perto do Museu de História Natural. O lugar, já aviso, é minúsculo. Não há mesas para comer por lá. Comprou, vazou!

Levain Bakery Nova York Como chegar

Levain Bakery Nova York Horario

Os cookies são feitos em quatro sabores. No recheio você encontra gotas de chocolates ou castanhas ou amendoim… tudo quentinho, levemente derretido. Custa US$ 4 cada. E para terminar de enlouquecer os fãs do amazing-cookie, a Levain Bakery lançou uma loja online que envia os cookies para qualquer lugar do mundo!

O combo sortido com 12 unidades, por exemplo, sai por US$ 71, mais taxa de envio. Para os aficionados, seguramente, isso é dinheiro de pinga! :mrgreen:

Levain Bakery Nova York Localizacao

SERVIÇO

Levain Bakery
Local: 167 West 74th St – Metrô 72 St (linha vermelha) | Nova York
Tel: 212-874-6080
Horário: segunda a sábado, 8h às 19h e domingo, 9h às 19h.
Dica: há outro Levain no Harlem. Fica na 2167 Frederick Douglass Blvd e funciona no mesmo horário.

Posts relacionados

Como chegar e sair do aeroporto JFK

Hotel bom e barato em Nova York: dicas testadas e aprovadas

Veja também

E-book | Como tirar o visto americano

____________________________ 

Sílvia Oliveira

Share
sexta-feira, 07 de novembro de 2014

E-book | Como tirar o visto americano

A nossa série sobre como tirar o visto americano virou um e-book atualizado e cheio de dicas para você começar o processo com segurança e  tranquilidade. Adquira agora mesmo o seu e faça o download na hora!

O site de agendamento foi modificado em outubro de 2014 e no e-book Como tirar o Visto Americano todos os procedimentos, inclusive um passo a passo ilustrado, já estão de acordo com o novo sistema!

Guia Visto Americano Capa FRENTE 500


botao compre aqui 200

O e-book traz toda a nossa série publicada aqui no blog ATUALIZADA em novembro de 2014 e inclui um F.A.Q sensacional com mais de 50 perguntas e respostas para você tirar todas as dúvidas.

Por ser um produto digital você poderá fazer o download e consultá-lo a qualquer momento, inclusive off-line. O e-book Como tirar o visto americano está em formato PDF e pode ser lido no seu smartphone, notebook, tablet, PC e dispositivos afins. Se preferir pode imprimir e encadernar. Adquira agora mesmo o seu e faça o download na hora!

2 eua brooklin 2

Matraqueando Instagram

Há anos o sistema de emissão de vistos se modernizou e o processo ficou bem mais fácil e rápido. Cidades como Orlando, Miami, Nova York, Las Vegas e Los Angeles registram recordes de brazucas a cada ano que passa.

Mesmo assim, ainda é necessário passar por várias etapas burocráticas e reunir diversos documentos que comprovem sua situação financeira e vínculos com o Brasil. Além disso, salvo os que estão isentos, é obrigatório passar por uma entrevista presencial no consulado. Adquira agora mesmo o e-book Como tirar o visto americano e faça o download na hora!

botao compre aqui 200

Você vai ter acesso ao passo a passo ilustrado desde o preenchimento do formulário DS-160, passando pelo agendamento até a finalização da entrevista. Além disso, encontrará muitas repostas para suas dúvidas no nosso F.A.Q exclusivo!

Veja algumas das perguntas respondidas no nosso e-book:

PLANEJAMENTO

1. Quais são os documentos necessários para solicitar o visto americano?

2. Um amigo meu tirou o visto e teve que fazer upload de uma foto digitalizada. Mas no meu processo não aparece esta opção, o que eu faço?

3. Meu filho tem menos de 16 anos. Ele precisa comparecer ao CASV para tirar a foto?

4. Não tenho passaporte, posso solicitar o visto?

5. Já dei entrada no processo do passaporte, posso preencher a DS-160 só com o número do protocolo?

6. Quem está isento da entrevista?

7. Qual o tempo de espera para conseguir o visto?

8. Posso marcar viagem antes de solicitar o visto?

9. Posso renovar meu visto mesmo que ele ainda não tenha vencido?

10. Se eu mandar minha solicitação por um despachante terei mais chances de obter o visto?

PREENCHIMENTO FORMULÁRIO

11. O consulado recomenda não marcar a viagem antes de obter o visto, mas pergunta no formulário onde eu vou me hospedar. O que eu coloco?

12. Os formulários são diferentes para homens e mulheres?

13. Por um descuido não anotei meu ID do formulário e não consigo dar prosseguimento ao processo. O que eu faço?

14. Depois de preenchido e enviado percebi um erro de informação no formulário. Tem como corrigir?

15. Mas eu só percebi o erro depois que eu já havia agendado a entrevista. Tenho que pagar novamente a taxa?

AGENDAMENTO DA ENTREVISTA

16. Depois de pagar a taxa consular (MRV) quanto tempo eu tenho para agendar a entrevista?

17. Posso agendar minhas entrevistas no CASV e no Consulado para o mesmo dia?

18. Posso agendar a entrevista para mim e para minha família no mesmo horário?

19. Não consigo incluir todos os membros da minha família no mesmo horário. O que fazer?

20. Comecei a preencher o formulário e não consegui terminar? Quanto tempo tenho para concluir o processo?

21. Necessito mudar a data da minha ida ao CASV e/ou Consulado. É possível?

22. Quantas vezes posso remarcar/cancelar minha entrevista?

botao compre aqui 200

IDA AO CASV

23. Quais são os documentos necessários para levar ao CASV?

24. Vou levar ao CASV a solicitação de visto para um sobrinho (filho, amigo), preciso de alguma autorização para entregar os documentos?

25. Posso entrar com bolsa ou mochila no CASV?

ENTREVISTA

26. Quem deve comparecer ao consulado para fazer a entrevista?

27. Quais documentos necessito levar para a entrevista no consulado?

28. Outra pessoa irá pagar minhas despesas. Que documentos necessito levar?

29. Que tipo de roupa devo usar para fazer a entrevista?

30. Ainda não completei 18 anos, posso fazer a entrevista sozinho?

31. Tenho que falar inglês na entrevista?

32. Quais são as principais perguntas durante a entrevista?

33. Meu visto não foi negado, mas também não foi concedido. Ele entrou em “processamento administrativo”. O que é isso?

VISTO CONCEDIDO

34. Meu visto foi concedido. Como receberei meu passaporte?

35. Qual é o prazo de devolução do passaporte com visto?

36. Recebi o visto e descobri que havia um erro. O que devo fazer?

37. Meu passaporte expirou, mas o visto continua válido. O que tenho que fazer?

38. Meu passaporte com o visto válido foi roubado/perdido/danificado. É possível tirar uma segunda via?

39. O visto garante minha entrada nos Estados Unidos?

40. Após minha entrada nos EUA poderei ficar quanto tempo no país?

41. Qual a validade do visto americano?

VISTO NEGADO

42. Tive meu visto negado. Quanto tempo devo esperar para solicitar o visto novamente?

44. Se meu visto for negado posso pedir o reembolso da taxa?

DÚVIDAS GERAIS

45. Já comprei minha passagem e reservei o hotel. Se eu levar esses comprovantes para a entrevista aumentam minhas chances de ter o visto aprovado?

46. Estarei em trânsito no aeroporto nos Estados Unidos? Preciso de visto?

47. Não quero fazer o pagamento on-line da taxa consular com cartão de crédito. Há outro meio?

48. Existe atendimento preferencial no CASV ou no consulado?

49. O consulado faz consulta ao SPC ou Serasa?

50. Estou com o nome sujo na praça, posso solicitar meu visto?

51. Eu não tenho renda fixa, não declaro imposto de renda e tenho poucos vínculos comprovados com o Brasil. Será que eu consigo tirar o visto?

52. Já vivi ilegalmente nos Estados Unidos e quero voltar para passear. Quais as minhas chances de obter o visto?

Banner Visto Americano black friday

_____________________

Então, o que está esperando? Tudo isso de R$ 35 por apenas R$ 17,50 na #BlackFridayMatraqueando! Corra, esta promoção vai até só o dia 28/11/14, sexta-feira. Adquira agora mesmo o e-book Como tirar o visto americano e faça o download na hora!

_____________________

E-book | Como tirar o visto americano
Autora: Sílvia Oliveira
Páginas: 50
Editora: Matraqueando
Formato: PDF (produto digital)
Edição: 1º | 2015

botao compre aqui 200

Share
terça-feira, 04 de novembro de 2014

Nova York | Como chegar e sair do aeroporto JFK

Regra número 01: não fique afobado. Se você estiver chegando do Brasil, provavelmente, seu voo vai pousar cedinho em Nova York e seu hotel, sabemos, só estará disponível para check-in a partir das 15h (e, em alguns casos, a partir das 16h).

Regra número 02: escolha o transporte que melhor atenda às suas necessidades, não apenas o mais barato. Com crianças e muita bagagem (ou mesmo sozinho e cansado), o táxi – embora mais caro – pode ser a melhor alternativa. (Ou você já se imaginou arrastando 20 quilos de mala com mais dois bacuris a tiracolo escada acima do metrô?)

Como ir do aeroporto JFK Nova York a Manhattan Airtrain

METRÔ E TREM

1. Dentro do aeroporto siga as placas para pegar o Airtrain, um monotrilho que liga, gratuitamente, os oito terminais do JFK. No entanto, para sair do Airtrain você paga US$ 5.

2. Embarque no Airtrain e desça na estação Jamaica. Atenção: nem todos os trens que param no seu terminal levam à Jamaica Station. Fique de olho nos avisos da “televisãozinha” na porta de embarque ou pergunte para o pessoal de apoio que fica por ali.

3. Antes de sair da área do monotrilho você tem que comprar um tíquete de US$ 5. As máquinas estão um pouquinho antes das catracas do seu lado direito. Você pode comprar com dinheiro ou cartão. Pegadinha: se for comprar com dinheiro tenha trocado em mãos, porque o sistema devolve troco de, no máximo, 8 dólares. Selecione o MetroCard de US$ 5 (mais US$ 1 do valor do cartão), totalizando US$ 6. Portanto, se você colocar US$ 20 dólares não receberá troco, a menos que você carregue o seu MetroCard com este valor e use o saldo para pagar o metrô pelo modo “pay-per-ride”, que vai descontando US$ 2,50 a cada viagem.

Como ir do aeroporto JFK a Manhattan Airtrain

À espera do Airtrain: monotrilho que liga gratuitamente os oito terminais do JFK

4. A partir daqui você tem duas opções: pegar o metrô (linha E) ou o trem que leva à Penn Station, estação que fica na altura da 7ª Avenida e 33 St. A escolha entre uma ou outra vai depender de onde você estiver hospedado.

5. Se sua opção for o metrô, além de comprar o MetroCard de US$ 5 para sair do Airtrain compre, também, o tíquete avulso do metrô (US$ 2,75) ou o passe semanal que dá direito a viagens ilimitadas por sete dias (US$ 30) — o que for mais conveniente para você.  (Em qualquer um dos casos vai ser cobrado US$ 1 pelo cartão). Assim que sair do Airtrain continue até o final da plataforma e vire à esquerda, seguindo as placas “Subway” (metrô). No meio do caminho você vai passar pelas catracas do trem que leva à Penn Station, continue reto até chegar ao final do corredor onde estão os elevadores. Pegue o elevador e vá até o andar do metrô. Ao sair do elevador, você logo verá a entrada do metrô. Passe pela catraca com aquele tíquete avulso (US$ 2,75) ou com o passe semanal que você comprou. Desça as escadas rolantes e pegue a linha E, onde você poderá fazer as devidas baldeações. Para ir de Manhattan ao aeroporto faça o caminho inverso. Ao chegar à Jamaica Station você deve ter US$ 5 no MetroCard para entrar no Airtrain. O tempo de viagem, tanto na ida quanto na volta, pode ficar entre 1h15 e 1h30 — chegando ou saindo da estação da Lexington Av (53 St). Como eu ainda não fiz um post explicando sobre o metrô de Nova York, entenda-se com este mapa aqui.

+ E-book | Como tirar o visto americano | Download na hora!

5. Se você optar pelo trem LIRR (Long Island Rail Road) que leva à Penn Station, ao sair das catracas do Airtrain caminhe até o fim da plataforma e vire à esquerda. Ande um pouquinho mais e já verá, ao seu lado esquerdo, as máquinas onde você deve comprar seu tíquete. Se você estiver viajando na hora de pico (6h às 10h) selecione a tarifa “peak” (US$ 9,50). Fora destes horários, escolha a opção “off peak” (US$ 7). Passe a catraca e busque nos painéis qual a plataforma do trem que vai até à Penn Station. Ao entrar no trem, tenha o seu tíquete fácil na mão porque um fiscal passará conferindo o bilhete. Pegadinha: o bilhete diário/semanal do metrô NÃO vale aqui. E se você estiver já dentro do trem sem o tíquete correto terá que pagar para o fiscal, na hora, uma tarifa maior (US$ 13 a US$ 16, dependendo do horário). Ao chegar à Penn Station você poderá pegar um táxi até seu hotel ou fazer baldeação com o metrô. Se for fazer baldeação veja se não compensa ir direto de metrô ao seu destino final, usando as informações do item n. 05. Na volta faça o caminho inverso, lembrando que o horário de pico nesta direção é das 16h às 20h. Do aeroporto até à Penn Station são 25 minutos de viagem. Mais informações aqui.

Dica | Eu já usei as duas opções. A vantagem do trem é que ele é o meio mais rápido para chegar a Manhattan. O metrô, embora mais demorado, é mais barato.

ÔNIBUS

Fica fácil pegar o metrô quando você chega a Nova York com uma malinha só. Mas na volta, com a bagagem provavelmente triplicada por causa das compritchas, o ônibus pode ser uma ótima opção para quem não quer gastar os tubos com o táxi.

A NYC Airporter é a empresa de ônibus que leva e traz dos aeroportos JFK e La Guardia. Para ir de Manhattan ao aeroporto JFK há três pontos de parada: rodoviária Port Authority (42 St entre a 8ª e 9ª Av), Penn Station (33 St entre 6ª e 7ª Av) e Grand Central Station (42 St esquina com Park Av.)

Transfer onibus NYC Airporter Manhattan JFK

Os quiosques de venda ficam na calçada mesmo, no lugar da parada. Aceitam dinheiro e cartão. Você pode comprar on-line ou na hora (mas, neste caso, corre-se o risco de não ter vaga no horário em  que você deseja). Os ônibus passam de 30 em 30 minutos. Saindo da Grand Central Station levam em torno de 1h (podendo chegar a 1h30, dependendo do trânsito) para fazer o trajeto.

Na minha última vez em Nova York eu voltei com a mesma malinha de bordo que fui, mas havia comprado uma cadeirinha de carro para a Mariana e a caixa era enooorme. Como eu estava sozinha (uma vez que meu marido voltou em outro vôo), optei pelo ônibus para não enfrentar o trem/metrô. Peguei na Grand Central Station e desci na porta do aeroporto uma hora depois. Mais tranqüilo, impossível. Mas se você pegar trânsito… comece a rezar! Os ônibus circulam das 5h às 23h e a passagem custa US$ 16. Ah, e quem vem do aeroporto e desce na Grand Central Station tem direito a uma van — de grátis! — para os hotéis que estão entre a 23 St e 63 St.

SHUTTLE

O sistema de Shuttle é aquele que usa veículos do tipo “van” e pega você no aeroporto e deixa na porta do hotel e vice-versa. Essa opção vai compensar mais caso você esteja sozinho. A vantagem em relação ao ônibus é que você ficará já no seu destino final. Há duas empresas: Super Shuttle e Go Airport.

A Super Shuttle cobra US$ 20 p/p numa van com 10 pessoas. Se estiver viajando em grupo talvez compense fretar a van inteira por US$ 115 até 10 passageiros. Eventualmente eles publicam um cupom de desconto que não fica muito explícito na capa do site. Procure no Google por “how do I get a supershuttle discount” que deve aparecer o link e as instruções do desconto que chega a 15%. A Go Airport cobra US$ 21 para levar até a região da Lexington Avenue.

Pegadinha: na volta o shuttle pode buscar você no hotel com até quatro horas de antecedência do seu voo. Mas não se iluda achando que vai chegar cedo para fazer o check-in. Em alguns casos a empresa vai passar em outros hotéis e a viagem, se houver trânsito, pode demorar bastante. Aviso: nunca testei o shuttle. Apenas deixo como opção para que você decida se vale ou não a pena no seu caso e necessidade.

TÁXI

Ah, o táxi! Aquele sonho de consumo de qualquer mortal que chega esbugalhado ao destino depois de um voo continental. Pois bem, assim que você sair na área de desembarque siga as placas indicando… “Taxi”. Mesmo em dia de aglomerações e fila grande a coisa é organizada e flui bem.

Taxi aeroporto JFK a Manhattan

Do aeroporto JFK a qualquer ponto de Manhattan a tarifa é fixa: US$ 52 + pedágio + gorjeta. Espere gastar uns US$ 65/70 pela corrida. O carro pode acomodar até quatro pessoas (caso toda a bagagem caiba no porta-malas). De Manhattan para o JFK o valor é o mesmo.

Banner Visto Americano POST

Post relacionado

Hospedagem boa e barata em Nova York: dicas testadas e aprovadas

Veja também

Como ir do aeroporto de Paris (Charles de Gaulle) ao centro

Como ir do aeroporto de Madri (Barajas) ao centro

Como ir do aeroporto de Roma (Fiumicino) ao centro

Como ir do aeroporto de Lisboa ao centro

Como ir do aeroporto de Londres (Heathrow ) ao centro

_____________________

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
domingo, 02 de novembro de 2014

Lapa, Paraná: como organizar um bate e volta perfeito saindo de Curitiba

Lapa Parana Matriz

Fico aqui imaginando se os destinos que envolveram a Revolta da Chibata, a Guerra do Contestado, a Revolução de 1930 ou a Intentona Comunista (outros momentos de audácia e valentia da biografia brasileira) atrairiam tanto um turista como a simplória Lapa, no Paraná.

Lapa Parana Praca General Carneiro Como Chegar

Praça General Carneiro

A cidade entrou para os livros por conta do Cerco da Lapa, batalha militar que impediu o avanço das tropas contrárias à proclamação da República durante a Revolução Federalista de 1894. Mesmo os legalistas sendo derrotados neste episódio, a resistência na Lapa foi fundamental para a consolidação da República.

Lapa Parana Casario Historico

O pequeno município, a 65 km de Curitiba, possui o maior conjunto arquitetônico preservado do Paraná e abriga um pedaço orgulhoso da História do Brasil. São 14 quadras e 258 construções tombadas pelo patrimônio nacional. A cidade em si virou uma rara exposição ao ar livre que preserva e conta, em cada esquina, uma pouco da vida e dos enfrentamentos do século 19.

O QUE FAZER NA LAPA

Lapa Parana Tropeiros

Logo na entrada da cidade (trevo da BR 476) você encontra o Monumento ao Tropeiro (foto acima), um painel feito em azulejos pelo famoso artista paranaense Poty Lazzarotto. É um retrato dos tropeiros que faziam da Lapa ponto de parada entre as viagens de Viamão (RS) a Sorocaba (SP).

Você entra na cidade pelo mesmo caminho que os tropeiros faziam antigamente. Por isso, a Avenida Dr. Manoel Pedro também é chamada de Avenida das Tropas. A grande alameda se tornou point de encontro dos moradores da Lapa e dos turistas que passam por ali. É toda arborizada e rodeada de lanchonetes, restaurantinhos, sorveterias e padarias.

Lapa Parana Taxa de Visitacao Unica Museus

Um passeio tradicional por aqui deve começar pelo centro histórico (a umas duas quadras da Avenida das Tropas). O município tem feito um esforço para ficar conhecido como a “Cidade dos Heróis” e, por isso, investe em pequenos museus e atrativos que reconstituem os 26 dias de cerco. Existe um passaporte único (R$ 3) para conhecer três deles: Theatro São João, Museu Histórico e Museu de Armas. Você compra o passe no primeiro atrativo que visitar e nos outros recebe um carimbo de controle.

Lapa Parana Theatro Sao Joao

O Theatro São João (foto acima), em frente à Praça General Carneiro, foi construído em 1873 e chegou a receber a visita do Imperador D. Pedro II. O palco tem estilo italiano e a platéia, elizabetano. A fachada recebeu influência do neoclássico.

Com capacidade para 212 espectadores, durante o Cerco da Lapa o teatro virou uma enfermaria improvisada e foi bastante atingido pelas balas de canhões das tropas que invadiam o lugar. É absolutamente lindo e preservado por dentro.

Lapa Parana Museu Historico Horario de Visitacao

Já o pequeno Museu Histórico (foto acima), ao lado do teatro, mostra o contexto do Cerco da Lapa. O local guarda documentos e objetos pessoais do General Carneiro (considerado o grande herói do conflito) como a espada, a carabina, as medalhas, o diário e até um lenço machado com o sangue do militar. Uma linda pintura em tela reproduz o leito de morte do general.

Lapa Parana Camara e Cadeia

A 200 metros, na mesma rua, subindo uma suave ladeirinha, você encontra a Casa de Câmara e Cadeia (foto acima), onde está o Museu de Armas. Aqui, estão expostas as armas da Revolução Federalista e as que foram usadas pelo Exército Brasileiro durante o período do Império.

Lapa Parana Museu das Armas

São canhões, fuzis, metralhadoras e muitas balas, dos mais variados tipos e tamanhos, algumas retiradas da Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, na Ilha do Mel. Algumas fotos, recontam trechos do episódio militar que marcou a história da cidade. No piso superior, funciona a Câmara de Vereadores da Cidade.

Lapa Parana Placas Panteon

Após essa introdução ao aspecto histórico do acontecido vá em direção ao Panteon dos Heroes (escrito desta forma, quase tudo em espanhol, porque faz uma referência ao portuñol dos combatentes do Cerco da Lapa. Total influência daquele perrengue do Tratado de Tordesilhas que – lá nos primórdios – cedia boa parte do sul do país aos espanhóis).

O panteon fica a umas duas quadras da Casa de Câmara e Cadeia e todo o trajeto – desde o Theatro São João – pode ser feito tranquilamente a pé.

Lapa Parana Panteon dos Herois

Aqui estão os restos mortais do General Gomes Carneiro e de seus bravos companheiros. Os canhões que adornam o monumento são originais, abandonados pelas tropas federalistas durante o recuo para o sul.

Lapa Parana Casa Lacerda

Já deu para perceber que todos os caminhos da Lapa levam você a algum ponto da zica que foi o conflito. Em frente ao Panteon, por exemplo, está a Casa Lacerda (foto acima), onde foi assinado o ato de rendição da cidade entre Maragatos e Pica-Paus. Hoje, convertida em museu, retrata como vivia uma família de classe média na época.

Lapa Parana Conservacao Museus

Os móveis estão impecáveis e para proteger o piso de madeira original o visitante é obrigado a colocar um chinelo especial para circular pela casa. Por ser um museu federal, a Casa Lacerda não entra no passaporte de museus municipais da Lapa. Mesmo assim, a entrada é simbólica: R$ 3.

Lapa Parana Casa dos Cavalinhos

Lapa Parana Casa da Memoria

Matraqueando Instagram

Ao lado do Panteón dos Heroes fica a Casa da Memória (foto acima), mais conhecida como Casa dos Cavalinhos. É uma das minhas construções preferidas na cidade. Recebeu este nome por causa do desenho dos 10 cavalos alados na fachada e laterais.

A casa foi comprada e restaurada pela prefeitura. Atualmente abriga documentos históricos do município, incluindo livro raros e antigos atingidos por balas durante o Cerco da Lapa.

Lapa Parana Sao Benedito

O turismo religioso da Lapa concentra-se no  Santuário de São Benedito (foto acima) e na Igreja de Santo Antônio (foto abaixo). Esta última (em frente ao Theatro São João) é a edificação mais antiga da cidade (tombada pelo IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1938). Já o santuário, mais moderno, guarda uma imagem de São Benedito da antiga capela erguida por escravos em 1870.

Lapa Parana Igreja Matriz de Santo Antonio

Um pouco mais afastado do centro (3,5 km), no final da Avenida Getúlio Vargas, está o Parque Estadual do Monge. O local foi morada de um monge conhecido como João Maria D’Agostinis, ermitão que vivia no que ficou conhecida como Gruta do Monge.

A gruta é centro de peregrinação religiosa. Há vários depoimentos de graças alcançadas e de visões da Virgem Maria. Dizem que só os puros de coração conseguem ver a santa. Eu (glupt!) não vi nada. Atualmente o parque passa por obras de revitalização e você só tem acesso à trilha que leva até à Pedra Partida, a tal gruta onde viveu o místico João Maria.

Lapa Parana Erva Mate Legendaria

Outro ponto interessante é a visita à fábrica Erva Mate Legendária, onde está localizado o Museu do Mate. O ciclo da erva-mate marcou o século 19 na região e foi importantíssimo para o desenvolvimento econômico e social do estado do Paraná.

O pequeno museu conserva peças usados na colheita, produção e distribuição do produto, além dos utensílios necessários para servir o afamado chimarrão. O museu é particular e a visita tem que ser agendada pelo telefone (41) 3622-1303. Rua Octavio Jose Kluss, 800. Está perto do centro.

Lapa Parana Cachaca Na Bunda

Organize-se para conhecer o Alambique doLara que há mais de 15 anos fabrica a cachaça artesanal DoLara, daquelas envelhecidas em barril de carvalho. Mas o produto mais famoso do alambique é a cachaça Na Bunda, que virou o souvenir preferido dos turistas que visitam a cidade por causa do divertido rótulo. :mrgreen:

O alambique está a 6 km do trevo que dá acesso à Lapa e a 300 metros da Potencial Biodisel. A visita tem que ser agendada pelo telefone (41) 9989-3962 ou (41) 9926-7415. Caso você queira só comprar a cachacinha é possível encontrá-la em diversos pontos da cidade.

ONDE COMPRAR NA LAPA

Lapa Parana Casa Vermelha

Lapa Parana Museu do Tropeiro

A Casa Vermelha é o centro de artesanato da cidade. Também abriga o pequenino (mas interessante!) Museu dos Tropeiros e a Sala da Congada.  Foi construída no sistema de “taipa” (ou pau a pique), estilo “arquitetônico” que pode ser visto com um recorte feito na parede do lugar.

Antigamente era uma espécie de armazém de secos e molhados. Hoje o lugar vende diversos tipos de artesanatos  produzido pelas associações da cidade, inclusive a cachaça do Alambique DoLara. Está na esquina das Ruas Barão do Rio Branco e Hipólito Alves de Araújo.

ONDE COMER NA LAPA

Lapa Parana Comida Tropeira

Restaurante Espaço Único: sistema self service com comida tropeira.

Visitar a Lapa é sua grande  oportunidade para aproveitar a deliciosa culinária lapeana: costela de porco frita, feijão tropeiro e quirera feita com milho quebrado, cozido e socado no pilão. Para mim, lembra muito a comida mineira.

Apenas três restaurantes oferecem a comida típica: Lipski Restaurante (o melhor e mais caro), O Casarão (com preços médios – Alameda David Carneiro, 307. Tel: (41) 3622-0020. Em frente à Câmara e Cadeia) e o Espaço Único (mais econômico com sistema self service  a quilo durante a semana e livre nos fins de semana – Praça Castelo Branco, 326. Tel: (41) 3622-8114. Fica ao lado da Igreja Matriz). Alguns hotéis e pousadas também servem, mas somente sob encomenda.

Coxinha de Farofa Lapa PR

Mesmo que você não queira almoçar aqui prove a fantástica e mítica Coxinha de Farofa. Sua origem é controversa, mas reza a lenda que há muitos anos, durante a festa de São Benedito, acabou a comida e começaram a fazer a “coxinha” com sobras de frango e massa de pastel.

É levemente crocante por fora e recheadíssimo por dentro. O quitute se tornou uma iguaria e virou símbolo da Lapa. Eu compro sempre na Padaria Zeni (Avenida das Tropas). Custa R$ 2,85 cada e é possível levar para viagem. Mas a coxinha é vendida é outros pontos da cidade.

Lapa Parana A Biscoiteria 01

Outra delícia da região é vendida na Biscoiteria (Rua Des. Westphalen, 430. Tel. (41) 3622-7799), que fica ao lado da casa dos Cavalinhos e perto do Panteon dos Heroes. Em caixinhas vintage que contam na embalagem o imbróglio do Cerco da Lapa são vendidos deliciosos biscoitinhos com receita centenária.

Lapa Parana Casario noturno

O slogan “sou brasileiro e não desisto nunca” bem que poderia ter nascido aqui. O Cerco da Lapa é o retrato de um pequeno grupo (pouco mais de 600 homens) que enfrentou os mais de 3 mil rebeldes que queriam manter a coroa portuguesa no país. (Há muitas teorias sobre as motivações dos federalistas. Eu acredito nessa.)

Resistiram durante 26 dias, muitos – inclusive os principais líderes – morreram em combate porque acreditavam na República e queriam ver o Brasil nas mãos dos brasileiros.

SERVIÇO

COMO CHEGAR À LAPA-PR

Saindo de Curitiba pela BR 476, indo pelo município de Araucária. Está a 65 quilômetros da capital paranaense. Há pedágio no trecho.

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS

Central de Informações Turísticas

Praça General Carneiro, 116 – Centro

Tel. 41 3911-1165

E-mail: informações _turí[email protected]

Horários dos museus: terça a domingo, 9h às 17h. Na segunda abre às 13h. A Casa Lacerda não abre às terças.

Posts relacionados

Parque Estadual de Vila Velha, Paraná: sítio geológico de 300 milhões de anos está a uma hora de Curitiba

Passeio de trem pela Serra do Mar

Ilha do Mel: como chegar, o que fazer e onde comer

Morretes: cidade histórica do Paraná

Leia também

Linha Turismo Curitiba: como aproveitar o city tour oficial da cidade

___________________________ 

Fotos: Sílvia Oliveira

Share
MATRAQUEANDO - Viagens e Comidinhas | Por Sílvia Oliveira | Jornalista & Blogueira | Curitiba, BR

Todos os direitos reservados. 2006-2014 © VoucherPress | Agência de Notícias.
Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte.
Caso queira adquirir nossas reportagens, entre em contato.

Desenvolvido por Dintstudio
Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.
Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.